Jump to content
Forum Cinema em Cena

Rayden

Members
  • Posts

    488
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Rayden

  1. Pô, eu já acho a de 42 pequena. Me recusaria a comprar uma TV que em altura ficasse menor que a minha atual de 29. Lá no tópico LCDs x Plasma * tem as recomendações de novos modelos Full HD, acho que vale a pena investir um pouco mais visando extrair o máximo do formato, já que a TV vai ser pra vida toda. * http://www.cinemaemcena.com.br/forum/forum_posts.asp?TID=11308&PN=21
  2. Falando em edições especiais, uma que vai fazer quase 5 anos que foi lançada e que a Warner podia trazer é a do desenho Tom e Jerry. Eles lançaram vários DVDs dos desenhos recentes, mas esse box com os episódios antigos que é bom, nada.
  3. As legendas nunca ficam fora da imagem? Que tosco... Eu sempre achei que era melhor as legendas ficarem entre a imagem e as barras pretas. Assim: Se fossem duas linhas. Vejam que a primeira linha pega um pedaço da imagem, e a segunda linha pega a barra preta. Já se o texto contém apenas uma linha, ele deveria ficar exatamente aqui: Notem que o exemplo acima se aplica a um filme 2.35:1, que mesmo numa TV Widescreen ainda tem barras negras, ou seja, não fica em Tela Cheia. Ficaria se fosse 1.78:1. P.S. Que bom que pelo menos no computador você pode regular esses detalhes. Aqui dá pra alterar a cor, fonte, tamanho, posição das legendas, tudo que é às vezes pessimamente configurado pelas distribuidoras.
  4. Alguém tem mais notícias sobre o lançamento dos HA no Brasil? Pelo que eu sei, o primeiro filme, assim como o terceiro, tem legendas em PT, mas o segundo não. Lá no HTFórum o Wiz até comentou que talvez saíssem aqui, mas nada ficou confirmado? Um outro lançamento que gostaria de saber como está a imagem, é o box da Profecia. Os filmes do John Carpenter estão saindo também no formato, os que eu mais queria que fossem lançados, mas até agora nada, são: They Live, e o Assalto à 13ª DP. Dos que sairam, o único com legendas em português é o BD holandês de The Fog.
  5. Quem não gostou de Magnólia, é porque não entendeu, acho que o mesmo pode ser dito de Cidade dos Sonhos. Ler a crítica do Pablo talvez ajude você a dar uma nova chance ao filme...
  6. Rayden

    Bolsa de Valores

    Tóquio cai 11% na maior perda diária desde o crash de 1987 16/10/2008- 04h14 Após dois dias de fortes ganhos nesta semana, a Bolsa de Tóquio retomou o pessimismo da semana passada --considerada a pior desde o início da atual crise financeira-- e afundou 11,4% nesta quinta-feira, aos 8.458,45 pontos. A queda no principal mercado da região Ásia-Pacífico é a maior em um único dia desde o crash mundial de 1987, segundo a agência Reuters. A derrocada no índice Nikkei, que mede os negócios na Bolsa japonesa, zerou os ganhos de quase 14% na terça-feira. A volatilidade do mercado segue os Estados Unidos, onde a preocupação em relação à economia e o temor sobre um fracasso dos planos mundiais para salvar os bancos assustaram os investidores. Não durou nem uma semana o ânimo com o lançamento de um plano de US$ 2 trilhões na Europa e o uso de US$ 250 bilhões pelo governo dos EUA para a compra de ativos de grandes bancos. "Há um certo grau de pânico sobre as vendas em Tóquio, mas o sentimento é diferente do da semana passada", afirmou Takashi Ushio, da Marusan Securities. "Na última semana o medo era sobre o sistema financeiro, pois ninguém sabia o que poderia acontecer. Agora é a economia real." Analistas americanos afirmaram que as ações caíram influenciadas por uma combinação entre dados econômicos negativos --incluindo um forte recuo das vendas no varejo e a constatação do Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos EUA) de que as condições de crédito estão prejudicando os negócios no país. Com Tóquio, afundaram todos os mercados da região. A segunda maior queda do continente ocorreu em Seul (Coréia do Sul), onde o índice Kospi recuou 9,44%; em Hong Kong, as perdas eram de 8,49% perto do fim do pregão; na Austrália, a derrubada foi de 6,66%; na Bolsa de Xangai (China) os negócios diminuíram 4,25%. No geral, as quedas variaram de 4% a 11%. Novos recordes No Brasil, o cenário não foi muito diferente nesta quarta-feira. Um mês após a quebra do banco Lehman Brothers, evento que precipitou a piora da crise financeira, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) estendeu seu pregão por meia hora e amargou perdas de 11,39%, a maior queda desde 10 de setembro de 1998. O câmbio disparou, e após uma pesada ação do Banco Central, fechou a R$ 2,16. Os investidores tiveram um alívio apenas momentâneo com as medidas trilionárias para resgatar o sistema financeiro. Hoje, o foco se concentrou sobre a "economia real": a perspectiva de que as economias centrais entrem em recessão, com repercussões sobre o restante do planeta. Na Europa e nos EUA, as Bolsas desabaram: o mercado londrino caiu 7% enquanto em Nova York, a Bolsa local perdeu 7,8%, a pior baixa em 21 anos. Nos EUA, o Dow Jones Industrial Average, principal índice da Bolsa de Nova York, recuou 733 pontos, a segunda maior queda em pontos da história, ou 7,87%, a maior perda percentual em 21 anos, segundo a consultoria Economática. Com retração de 7,87%, o Dow Jones fechou aos 8.577,91 pontos, enquanto o S&P 500 caiu 9,03%, indo para 907,84 pontos. A Bolsa Nasdaq encerrou seus negócios em baixa de 8,47% no indicador Nasdaq Composite, aos 1.628,33 pontos. As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram com a maior intensidade em três anos: uma retração de 1,2%, ante a expectativa de um declínio de 0,7%, estimado por analistas do setor financeiro. Os dados confirmam a tendência atual dos norte-americanos de reduzir seus gastos ante a crise financeira e a dificuldade de ter acesso ao crédito. O resultado apresenta um aumento significativo do risco de recessão nos Estados Unidos, uma vez que o consumo responde por dois terços da atividade econômica do país. O próprio secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, admitiu que a compra, por parte do governo, de ações de instituições bancárias estabilizará o sistema financeiro, mas que continuarão as dificuldades econômicas. O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, por sua vez, afirmou que a economia norte-americana vai se recuperar, porém lentamente. "os problemas na economia e nos mercados são grandes e complexos. Mas a meu ver, nosso governo conta agora com as ferramentas necessárias para enfrentá-los e resolvê-los." Rayden2008-10-16 05:06:29
  7. Nesta terça a Paramount organizou uma divulgação em diferentes sites e blogs dos EUA das primeiras imagens oficiais de Star Trek. Confira o visual da tripulação, Kirk sendo estrangulado por Spock, o interior da Enterprise, Kirk em mais enrascada e até a USS Kelvin sob fogo. Ah, e também o irreconhecível Eric Bana como o vilão Nero. Está tudo na galeria abaixo. Fontes: http://trekmovie.com/2008/10/15/more-star-trek-images-enterprise-crew-nero/ http://trekmovie.com/2008/10/15/exclusive-image-from-star-trek-the-uss-kelvin/ Star Trek chega aos cinemas em 8 de maio de 2009. Rayden2008-10-16 01:57:31
  8. Essa matéria da PLACAR é de Julho do ano passado mas não deixa de ser atual. E também os jogadores passam muito mais tempo nos clubes que nas seleções, onde eles tem mais afinidade com o elenco que convivem diariamente do que uma dúzia de carinhas que eles vão lá e treinam a cada 3-6 meses. O futebol hoje se resume em uma palavra: negócio, não há mais esse espírito de "rivalidade", essa vontade em defender a seleção do seu país, acabam as partidas, o time tomou de 3x0 e estão lá os jogadores com a cara mais lisa do mundo, como robôs programados, sem nenhuma personalidade. DO LUXO AO LIXO Não faz muito tempo, o máximo para um jogador de futebol era vestir a camisa da seleção de seu país. Ao ser convocado, o jogador ganhava um carimbo de excelência que o acompanharia para além da aposentadoria. Entre esses eleitos, de todas as nacionalidades, a mais alta honraria pertencia aos brasileiros: vestir a mais mítica camisa de futebol do mundo, a "amarelinha". Hoje, esse amarelo desbotou, superexposto ao sol da ganância, torcido pela mão pesada dos clubes. O jogador já não precisa mais da seleção para ter projeção mundial - os times da Europa bastam para isso. O torcedor, distante de treinos e jogos que quase sempre acontecem no exterior, já não se sente identificado com a equipe - até porque os jogadores de seu time do coração não têm mais vaga na seleção, tomada pelos que jogam no exterior, de melhor nível. A seleção chega à Copa América diminuída por episódios que envolveram quatro de seus principais jogadores. Ronaldinho e Kaká pediram dispensa por carta, alegando precisar de descanso, Zé Roberto, depois de convocado, seguiu o mesmo caminho, cedendo à exigência de seu novo time, o Bayern Munique, para que abandonasse a seleção. Por fim, mesmo amparada pelas regras da Fifa - que obriga jogadores convocados para competições oficiais a se apresentarem com 14 dias de antecedência -, a CBF teve que ceder ao Real Madrid, que segurou Robinho até a última rodada do Campeonato Espanhol. A seguir, PLACAR apresenta cinco fatores que contribuiram decisivamente para a perda do brilho da camisa amarela - e algumas soluções simples para resgatá-lo. MINA DE OURO Brazil World Tour. É com esse nome (em inglês mesmo...) que a seleção brasileira desfila pelos gramados da Europa e da Ásia. Desde 2005, é a Kentaro, empresa de marketing e direitos esportivos com sede na Suíça, a dona dos "nossos" amistosos pelo mundo - a CBF pode vetar algum adversário, só precisa cumprir a cota de amistosos. A empresa também tem escritórios em Berlim, Hannover, Londres e Estocolmo. E conta como parceira nesse negócio com um grupo de investidores árabes, que cuida da parte financeira. Foi a Kentaro também que organizou toda a preparação da selecão para a Copa de 2006, na cidade de Weggis, Suíça - aquela preparação para a qual eram vendidos ingressos de todos os treinos, até corridas ao redor do gramado, que PLACAR à época comparou como se fossem os Beatles em ensaios abertos antes da gravação de um disco. A CBF vendeu todos os amistosos, cerca de 30, até a Copa de 2010 - o contrato com as empresas foi renovado e vai até 2010. A CBF vendeu o pacote por aproximadamente 30 milhões de dólares e recebeu 30% antecipadamente. Cada jogo vale, no máximo, 2 milhões de dólares (cerca de 4 milhões de reais). Parece e é um bom dinheiro, mas, comparado aos principais clubes europeus, como Milan, Barcelona e Real Madrid, acaba se tornando menor. O Barcelona, por exemplo, fez um amistoso contra o Al-Ahly, do Egito, em Maio de 2007, na comemoração pelo centenário do clube africano. Entre televisão e cota, recebeu o equivalente a 6 milhões de reais. Em Agosto de 2007, na pré-temporada, o Barça jogaria amistoso em Hong Kong e embolsaria mais 6 milhões de reais. Assim mesmo, a CBF conseguiu um bom aumento nas cotas. Em 1994, o Brasil arrecadava algo em torno de 200.000 dólares por amistoso. Depois, em 2002, antes do penta, passou para 800.000 dólares. Dá pra entender a lógica (financeira) de se jogar tanto... Diz o publicitário Washington Olivetto, ouvido por PLACAR: "Os compromissos comerciais atrapalham. A seleção joga partidas de caráter duvidoso. Veja o exemplo da Inglaterra. Deu para ver claramente que os jogadores ingleses não estavam com muita disposição [no amistoso com o Brasil]. Quem vê Manchester e Chelsea pelo Campeonato Inglês e viu o jogo da seleção pôde notar claramente a diferença entre as duas partidas. E isso afeta diretamente o torcedor. O torcedor é consumidor e ele quer um bom produto, quer ser bem tratado", afirma Olivetto. COMO RESOLVER A CBF não pode terceirizar os jogos da seleção. Estes têm de responder a quesitos estritamente técnicos. Caso contrário, teremos aberrações como disputar os últimos amistosos antes da Copa América com jogadores que simplesmente... não vão disputar a Copa América! Que estão lá apenas por pressão de quem comprou o jogo, deixando claro que o negócio está acima do aspecto técnico. Vender a preparação da selecão para a Copa como se ela fosse um circo também só vai alcançar um objetivo, alem de muitos dólares: transformá-la mesmo num circo. Preparação para a Copa do Mundo tem de ser de inteira responsabilidade da comissão técnica. LONGE DO PÚBLICO BRASILEIRO O último amistoso da seleção brasileira no país foi no dia 27 de Abril de 2005, no Pacaembu, na despedida de Romário, contra a Guatemala. Havia apenas jogadores que atuavam no Brasil em campo (Grafite substituiu Romário). O ibope dos jogos do Brasil na Europa numa terça-feira à tarde é maior que o de qualquer jogo do Flamengo num domingão. Isso mostra que, enquanto a seleção não consegue lotar os estádios europeus para os amistosos (os turcos eram a grande esperança de público para a última peleja, em Dortmund, com casa quase vazia), há um público carente por aqui, querendo ver seus ídolos de perto, sentir-se mais próximo deles. Diz o jornalista Juca Kfouri: "Em primeiro lugar, [a seleção está distante] por uma política incentivada pela CBF de exportação de pé-de-obra. Era mais confortável ter todos os melhores jogadores na Europa, globalizaria ainda mais a seleção, acostumaria os jogadores ao padrão europeu, reforçaria a grife do time da CBF. Em segundo, a exigência da Fifa de os jogadores não viajarem mais de quatro horas para os amistosos juntou o útil ao agradável (para a CBF), de só jogar fora do Brasil. Ora, o torcedor brasileiro não tem nenhum dos ídolos de seus times na seleção e ainda perdeu a intimidade com a equipe". COMO RESOLVER Obrigar os jogadores a treinarem na Granja Comary às vésperas de uma competição não serve de nada. A CBF tinha de fixar uma cota de seus amistosos contra seleções poderosas em solo brasileiro, mas fez um acordo segundo o qual os jogadores não podem viajar mais de quatro horas de avião em jogos amistosos, em troca de poder disputar as Eliminatórias em turno e returno. Não fosse o acordo - que só interessa aos clubes europeus ou a quem leva vantagem financeira com os jogos na Europa -, poderia até fazer uma promoção do tipo: a cidade que levar mais público aos jogos da série A, B ou C do Brasileiro (na média) vai abrigar o primeiro amistoso assim que acabar a temporada européia, antes de os astros gozarem suas férias. O acordo das quatro horas está feito. Há de se pensar para depois da próxima Copa. DESDÉM DOS CRAQUES Na NBA, a liga norte-americana de basquete profissional, é muito mais interessante para um astro defender seu clube que os Estados Unidos em um Mundial de basquete ou mesmo em uma Olimpíada. É bem mais importante ser campeão da liga. Os times ficaram mais importantes que as seleções nacionais. E o fenômeno não se restringe aos americanos. Pela primeira vez, a Argentina não terá seus astros no Pré-Olímpico Pan-Americano de Basquete. Ainda estamos longe disso, mas é hora de abrir os olhos para não repetir a NBA no futebol mundial. Cada vez mais, astros do mundo todo negam convocações. Nedved diz que prefere defender a Juventus à seleção tcheca, Totti não quer jogar pela Itália nas Eliminatórias, Riquelme fez de tudo para voltar ao Boca, mas não quer mais a seleção argentina. Nilsterooy está relutando em defender a Holanda. Os craques brasileiros são apenas parte desse processo. Entre treinar para a Copa América e jogar a última rodada do Espanhol, Robinho não teve dúvida em ficar com a última opção. Kaká e Ronaldinho preferiram descansar a jogar a Copa América - o astro do Milan pode ser eleito o melhor do mundo este ano sem ter feito absolutamente nada com a mítica amarelinha. "Sou de uma outra época, em que jogar na seleção em qualquer jogo valia mais que tudo para os jogadores. E eu nunca pedi dispensa. Mas hoje é diferente", afirma Zico. COMO RESOLVER Diálogo e tratamento diferenciado para quem merece. Ronaldinho e Kaká não podem ser tratados da mesma maneira que Elano e Vágner Love. Na marra, na base do ame-a ou deixe-a (ainda mais com a "habilidade" de Dunga em lidar com isso...), a seleção brasileira vai ter muito mais gente escolhendo a segunda opção. Um diretor de seleções tem de telefonar para todos os jogadores (importantes) antes de uma convocação, avaliar quantas partidas cada um fez por seu clube na temporada, há quanto tempo não tira férias, perguntar para um Robinho se é importante para ele dar a volta olímpica pelo Real Madrid, ainda que isso acarrete cinco dias a menos de treino para a Copa América. "Claro que a seleção projeta os jogadores, mas prefiro não falar em dívida. Também não acho que ninguém deve ser obrigado a jogar. Sobre esse assunto, só posso falar pelo que vivi. Nunca encarei jogar na seleção como pagamento por uma dívida, tem que ser por prazer de defender o país", diz Zico. DESGASTE DE IMAGEM Em 1979, o Brasil disputou dez partidas (incluindo a Copa América). Em 1991, também com Copa América, foram 15. Em 2007, dependendo da campanha no torneio continental, pode jogar até 18. O Brasil joga cada vez mais. E, logicamente, cada vez mais os jogos valem menos. Viram "carne-de-vaca", perdem a graça tanto para os jogadores - que sabem estar lá apenas cumprindo um contrato da CBF - quanto para os torcedores, que cada vez mais assistem a jogos sem graça, onde não há nada em disputa. COMO RESOLVER Jogar menos. Fazer as Eliminatórias em dois grupos, com Brasil e Argentina cabeças-de-chave. Realizar a Copa América a cada quatro anos, simultaneamente à Eurocopa. E reduzir de forma drástica o número de amistosos. Seleção não pode fazer mais de um jogo por mês, em média, em um ano depois de Copa. "A seleção é igualzinha a qualquer produto de consumo", diz Olivetto. "Se você comprar um refrigerante e ele estiver quente e sem gás, dificilmente você vai comprar de novo. Se ela não disputar jogos atraentes, dificilmente o torcedor-consumidor vai se sentir atraído." CLUBES x SELEÇÃO Foi-se o tempo em que chegar ao topo do futebol mundial era vestir a camisa de uma forte seleção nacional. Hoje, chegar ao topo é defender um grande clube europeu. E para isso você não precisa brilhar com a camisa de uma seleção nacional. Os jogadores que chegam a um Palmeiras, como o desconhecido Makelele, dizem logo em sua apresentação que o objetivo é "fazer uma boa temporada para chamar a atenção do futebol europeu". É o novo sonho do boleiro. É uma realidade inexorável: os clubes estão cada vez mais poderosos, com torcidas e consumidores no mundo todo - e não apenas em seus países. Em 1990, o magnata Sílvio Berlusconi, dono do Milan, foi tratado como maluco ao dizer que uma Copa de Clubes substituiria a Copa do Mundo. A idéia já não parece tão maluca assim... E o pior é que, no mundo todo, os clubes se mostram cada vez mais dispostos a desafiar o poder das seleções... "Dou aqui uma visão pessoal. A seleção é um ótimo negócio para a CBF e um péssimo negócio para os clubes. Eu encaro assim: você compra um carro zero-quilômetro, eles chegam na sua garagem sexta à tarde e dizem que vão levá-lo no fim de semana. Devolvem na segunda-feira, de preferência sem lavar. E, se quebrar, é você quem paga...", diz o supervisor de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha. COMO RESOLVER O valor dos clubes não vai diminuir, ao contrário. Vamos, então, aumentar o valor das seleções. Fazer menos jogos, porém jogos mais importantes, com adversários de respeito em vez de uma coleção de "galinhas-mortas". Só assim vamos dar às seleções o combustível da rivalidade, da competitividade, que é o que move o futebol. Só assim elas vão continuar fortes na relação com os clubes (além, é claro, de pagarem os salários proporcionais dos jogadores quando eles estiverem defendendo as seleções, o que ainda não acontece).
  9. Não tem por onde. Mas se eu fosse você trocava, ou pelo menos pediria um estorno no valor pago, é ruim que eu ficaria com um DVD que não viesse com algo prometido. O Freak até comentou que não compra DVDs R1, eu posso dizer que 99% da minha coleção é de DVDs nacionais, mas infelizmente sempre vão existir aqueles lançamentos que foram estragados pelas distribuidoras daqui, ou nunca lançados. Ainda tem aqueles com uma chance mais remota de sairem um dia em DVD, é o caso de temporadas mais antigas de seriados ou desenhos menos cotados. Já repararam que enquanto vivem anunciando todo tipo de filme em Blu-Ray, é quase impossível encontrar seriados mesmo recentes? Vai ver porque os custos seriam proibitivos pra justificar uma melhora pouco significativa, trocando em miúdos, não conseguiriam tirar leite de pedra, dependendo da forma como esse material foi produzido (e vocês já devem imaginar que a situação de alguns seriados não é das melhores). E agora com um ritmo bastante escasso de lançamentos de DVDs em catálogo no Brasil, eu me sinto compelido a pegar alguns DVDs R1 mesmo, mas tenho que admitir que me desanima pegar aqueles sem legenda em português. Mas não tem outro jeito. Hoje só se preocupam em relançar pela enésima vez o que já tem em estoque, em novas caixas (com o agravante de que estão adotando as piores embalagens possíveis), ou senão só os lançamentos no cinema que tem alguma chance. Uma dúvida: Hoje lendo que um membro comprou o box Titanic, de 4 discos, lembrei que existia um documentário chamado "Anatomia de um Desastre", mas que não foi incluído no box. Foi então que eu achei um link da Amazon de um box com 8 discos do Discovery Channel só com esses documentários. Eu queria saber se aqui no Brasil, pelo menos em VHS, esses documentários foram lançados. http://www.amazon.co.uk/TITANIC-REAL-STORY-DVD-SEALED/dp/B001262VG2
  10. Uma pergunta meio off pros economistas de plantão. Seria uma boa idéia ter uma moeda única aqui na América do Sul como aconteceu na Europa?
  11. Sobre a questão NTSC/PAL, vou citar o que o Wizz e outro membro comentaram em outro tópico:
  12. Eu acho que nesse caso, os Blu-Rays são do Reino Unido, então seria na Amazon.co.UK. Mas era bom confirmar essas informações mesmo antes de pedir alguma coisa, ainda mais porque a maioria desses sites não dão informações exatas sobre os idiomas de áudio/legendas, o ZonaDVD mesmo não diz que o Rambo 3 tem legendas em PT, mas no tópico do HTFórum já disseram que vem sim. Provavelmente esse ZonaDVD deve ser da Espanha, por aí você já vê que o mesmo Blu-Ray que sai na Espanha pode não ser o mesmo que sai na Inglaterra, e assim vai. E o pior é que a SysQS ou HighDefDVD parecem não vender Blu-Rays europeus.
  13. Minduim, foi reportado que os Blu-rays europeus de Rambo tem áudio/legendas em português. Eles estão na lista do HTFórum: http://www.htforum.com/vb/showthread.php?t=74096 Ver também: http://www.zonadvd.com/modules.php?name=News&file=article&sid=16190 http://www.zonadvd.com/modules.php?name=News&file=article&sid=16191 Rayden2008-10-15 18:28:49
  14. Você já tentou alternar entre as legendas durante o filme ou ele é travado pra mudar somente pelo menu principal? Pergunto isso pois já vi DVDs que são assim. O da Pantera Cor-de-Rosa por exemplo, só tem alguns idiomas no menu principal e outros asiáticos você só muda durante o filme. Então a legenda está lá, mas você teria que acessá-la por outro meio. Pra tirar a prova dos nove, seria só ter o trabalho de acessar pelo computador, usando o Media Player Classic. P.S. Nunca confie nas especificações da Amazon, pois na maioria das vezes estão incompletas ou erradas. E nesse caso em particular, veja o que diz o review: Optional subtitles are available in English, French, Chinese, Korean, and Thai, but not Spanish and Portuguese as advertised on the disc packaging. Fonte: http://www.dvdverdict.com/reviews/longgrayline.php Ou seja, a propaganda enganosa foi da própria distribuidora, nesse caso a culpa não foi da Amazon. A distribuidora quem anunciou que vinham legendas em espanhol e português, mas elas não existem no DVD. Se fosse eu, trocaria por outro diferente ou pediria o dinheiro de volta. Mas não esqueça de informar que o DVD tem propaganda enganosa nesses dois idiomas, e se necessário mostre o link do review.
  15. Malditos americanos... Agora que os mercados vinham se recuperando, me aparece um infeliz pra enfiar o pé dos outros mais na lama do que já estavam, agora que deveria ser a hora de maquiar essas estatísticas, surge alguém pra falar que essa corja já está em recessão. Se antes eu tinha dúvidas de quem seriam os verdadeiros beneficiados dessa "crise financeira", agora elas se dissiparam...
  16. Só pra completar, já que na minha mensagem anterior isso não ficou claro. São 3 volumes com 5 DVDs cada no exterior, e todos estes 15 discos constituem a primeira temporada (que tem dezenas de episódios). Agora aqui, são 4 discos, que a Warner brasileira resolveu chamar de volumes. Me pergunto se haverá algum volume 10 ou 15... Poderiam até argumentar que fizeram esse desmembramento pra ver a aceitação nas vendas, mas sabendo como esse mercado brasileiro é sujo e de alguns anos pra cá vive em constante declínio, diria que é ganância mesmo. Pra vocês verem como estamos bem servidos, temos que rezar pra esses titulos serem lançados aqui, e quando eles são, aprontam uma dessas. E pensar que a mesma Warner já lançou no mercado brasileiro, 4 anos atrás, o box Matrix (coleção definitiva), com 10 discos. P.S. Minduim, os volumes 2 e 3 americanos de Animaniacs não tem nem dublagem nem legendas em português. Só o vol. 1. Rayden2008-10-13 14:41:00
  17. Os melhores tocadores são BsPlayer e Media Player Classic. O Windows Media Player é ruim, já assisti milhares de vídeos e nunca usei ele. Enquanto o segundo que citei é gratuito (e você acha nesse link): http://superdownloads.uol.com.br/download/16/media-player-classic-(2k-xp)/ O primeiro (BsPlayer) na versão gratuita tem várias funções capadas. O melhor mesmo é pegar a versão PRO. Lembrando que o MPC é adequado também pra reproduzir DVDs no seu computador. Só que se estes forem originais, é melhor ter o AnyDVD ativado ao mesmo tempo, porque DVDs originais tem várias encriptações que precisam ser desativadas e também porque o contador de mudanças de regiões ficaria mudando se você tocasse DVDs R1, R2, etc. O máximo de mudanças é 5, mas o AnyDVD "paralisa" esse contador. Se precisarem de alguma coisa mandem uma MP. OBS: Eu também uso às vezes o PowerDVD pra DVDs originais, mas se comparado ao Media Player Classic ele é inferior. Rayden2008-10-12 23:05:43
  18. Alguém saberia precisar como ficaram os DVDs do desenho Animaniacs lançados por essas bandas? Eu tava vendo que cada volume lançado no exterior (no total são três) contém 5 DVDs cada. Mas aqui é curioso, listam cada volume como tendo 1 disco: http://www.submarino.com.br/produto/6/21408216/? E na 2001Vídeo diz que tem áudio 5.1 (o Submarino só lista 2.0): http://www.2001video.com.br/detalhes_produto_extra_dvd.asp?produto=14614 http://www.2001video.com.br/detalhes_produto_extra_dvd.asp?produto=14993 Volume 4: http://www.casaevideo.com.br/DVDs-e-CDs/3-16-2216-104109/DVD-Animaniacs-Vol-4.html É impressão minha ou a Warner misturou a ordem dos episódios e tá fazendo algo parecido com o que a PlayArte fez com a série CSI, desmembrando a mesma temporada em vários DVDs? Se for isso mesmo, é picaretagem da grossa, hein.
  19. Já tentou acessar com o AnyDVD ligado? Mandei MP pra você sobre o programa.
  20. Existe algum programa do tipo que cadastre a lista de desejos (wishlist)? EDIT: Resolvi testar esse DVD Profiler, e depois de apanhar bastante, consegui cadastrar o que eu queria na minha wishlist. Só de Blu-Rays deu 80 títulos. No geral achei muito bom o programa, a versão de 2007 tem muuuuuitas opções disponíveis, pena que na versão gratuita as capas fiquem em resolução mais baixa. Rayden2008-10-11 06:35:04
  21. Vai dar merda hoje... não quero nem ver Em pânico, bolsas asiáticas sofrem suas maiores perdas Em Tóquio, o índice Nikkei recuava 11,38%. Em Seul, a bolsa sul-coreana mergulhava 7,5%. As bolsas asiáticas entraram em pânico nesta sexta-feira (10), sofrendo suas maiores perdas na abertura desde o início da crise financeira que sacode o planeta. Em Tóquio, o índice Nikkei recuava 11,38% ou 1.042,08 pontos, a 8.115,41 unidades, ameaçando romper a barreira negativa dos 8 mil pontos, cerca de meia hora após o início do pregão. Esta é a primeira vez desde junho de 2003 que o Nikkei cai abaixo dos 9 mil pontos. Contaminada pela crise global nos mercados de valores, a bolsa de Hong Kong também abriu com forte queda de 7,7%. Em Seul, a bolsa sul-coreana mergulhava 7,5%, com o índice Kospi cedendo 97,11 pontos, a 1.197,78 unidades. Cingapura abriu em queda de mais de 7%, com o Straits Times perdendo 152,44 pontos, a 1.950,27 unidades. Na Austrália, a Bolsa de Sydney perdia 7,4%, com o SP/ASX 200 recuando 323,5 unidades, a 3.997,4 pontos, no final da manhã. Ouro "Os investidores fogem para o ouro. É o único valor sem risco, tudo mais está no vermelho", disse Lucinda Chan, da Macquarie Equities, no mercado australiano. Na quinta-feira (9), Wall Street caiu, com o Dow Jones cedendo 7,33% e o Nasdaq, 5,47%, após uma onda de pânico no final da sessão que tomou conta dos investidores, preocupados com as perspectivas dos bancos e da General Motors.
  22. Mas quem comprou, como vai poder diferenciar o lote antigo do novo? Sei que a resposta mais óbvia seria "vai tocar em todos os players", mas não é por aí. Eu esperava algo do tipo "no novo lote prensaram outro número de identificação no disco", ou na embalagem. Ou ainda se fosse DVD (talvez Blu-Ray seja assim), você liga num drive pra PC, e vê a data que os arquivos foram gerados (o Windows dá essa informação) e o nome do volume. Por ex: o lote antigo pode ser de Agosto, e o novo de Setembro. Assim você confirmaria assim que recebesse, qual o lote daquela cópia, e se fosse o caso já pediria a troca. Já pensou se você só vir a descobrir bem depois que não toca (vai que você comprou e esqueceu de ver na hora). Esse que é o perigo.Rayden2008-10-10 02:29:16
  23. Qual era esse problema no BR do Iron Man? Não fiquei sabendo. Freak, você que compra BRs (e imagino, DVDs R1), tem passado sem ser taxado toda vez? Você também divide os pedidos na HighdefDVD ou aquela SySQS ou só na primeira? Me recomendaram as duas mas fiquei na dúvida sobre qual deveria escolher. Se você já comprou das duas (ou de uma delas), sabe dizer quanto em média eles declaram do lado de fora da caixa? E se vem algum invoice (nota fiscal) dentro da caixa, corroborando o valor declarado aos correios? Rayden2008-10-09 21:22:40
  24. E a série de TV, será que vale a pena?
×
×
  • Create New...