Jump to content
Forum Cinema em Cena

Déjà Vu


-felipe-
 Share

Recommended Posts

Déjà Vu

 

Por

Marcelo Hessel

 

18/1/2007

 

 

poster.jpg

trailersp.jpg

 

Trailer

Déjà

Vu

 

Déjà Vu

 

EUA, 2006 - 128 min.

 

Suspense/Ação

Direção:

Tony Scott

 

Roteiro: Terry Rossio, Bill Marsilii

 

 

 

Elenco: Denzel Washington, Val Kilmer, Paula Patton,

Jim Caviezel, Adam Goldberg, Marel Medina, Erika Alexander, Bruce

Greenwood, Rich Hutchman, Matt Craven

01.jpg

02.jpg

03.jpg

Denzel Washington persegue pelas avenidas

de Nova Orleans o carro do suspeito de um atentado terrorista. Derrapadas, batidas,

capotamentos, herói trafegando pela contramão - é tudo o que se espera, e o

que já se viu, em matéria de perseguição de filme de ação. A diferença é que

Denzel segue, do presente, um carro que está quatro dias no passado.

Déjà Vu (2006), novo trabalho do

diretor Tony Scott (Chamas

da vingança, Domino), não é exatamente uma ficção científica sobre viagem no tempo, com dilemas

clássicos de realidades paralelas ou paradoxos de tempo-espaço. Antes disso,

é um thriller com elementos de viagem no tempo: o milagre da física entra no

filme como ferramenta de investigação; norteia-se o futuro com base no que se

observa do passado.

Em outras palavras: ainda que o enfoque mude ao longo

do filme, ele está mais para Minority Report (2002) do que para De

Volta para o Futuro (1985).

Na trama, Doug Carlin (Washington) é um policial de Nova

Orleans que investiga a explosão de uma balsa na cidade, caso rapidamente diagnosticado

como atentado criminoso. Simultaneamente, surge no mesmo local o corpo queimado

de uma mulher, Claire Kuchever (Paula Patton) - mas que morreu minutos

antes da explosão. Durante a investigação, Carlin é apresentado a uma equipe

do FBI que está testando um equipamento inovador: um sistema de vigilância que

consegue enxergar o passado. Carlin não pensa duas vezes. Convencido de que

os dois casos estão relacionados, pede que a equipe vigie a rotina de Claire.

As filmagens de Déjà Vu estavam agendados para

outubro de 2005, mas a produção foi forçada a interrompê-las por causa da devastação

do furacão Katrina na Louisiana. Em fevereiro do ano passado, o projeto foi

retomado - e se tornou um dos primeiros filmes rodados na Nova Orleans pós-catástrofe.

Todos esses eventos extra-filme acabam ganhando uma conotação forte: o conceito

de observação do passado, dentro da história, está ligada a tragédias que poderiam

ser evitadas.

Ainda que não sejam evitadas, ao menos as tragédias são

reconhecidas. Quando começa a acompanhar a rotina de Claire, é como se o personagem

de Washington prestasse o luto por essa mulher que ele só está conhecendo depois

de morta. Há, sem dúvida, uma sugestão de necrofilia forte aí, na linha emocional

de Um corpo que cai (1958). Mas há maior ainda um sentimento de velamento,

de respeito à morte.

Grandes tragédias não têm rosto. A viagem no tempo de

Déjà Vu dá à tragédia um rosto, o de Claire. Patriotadas, diálogos ultra-reiterativos

e desfechos previsíveis à parte, o que fica é uma implícita homenagem póstuma

a Nova Orleans.

Estréia essa sexta no Brasil.

 

Link to comment
Share on other sites

Boa noite. Amigos e Amigas!

 

 

 

Denzel Washington é um grande astro, ele poderia ter ido um pouco alem, mesmo assim, sua interpretação foi muito boa, ele sempre tem cartas na manga para usar, em relação ao filme (ao todo), vou revê-lo para ver se meu conceito muda e se o conjunto da obra acompanhou a boa interpretação do Denzel!

 

 

 

T+!

Link to comment
Share on other sites

Déjà Vu - Nota 3,5/5,0

 

Tirando o uso excessivamente melodramático de expressões sorridentes e da alegria das pessoas no início do filme para contrastar com o que se vê logo em seguida (explosão da barca e suas trágicas consequências), a "explicação" absurda, vagabunda e mais furada do que peneira de como funciona a tecnologia usada para a criação de um “portal temporal” (a cena em que Doug descobre que é capaz de interferir na "realidade" do passado visto – a cena da caneta óptica é hilária! 06), alguns furos do roteiro (se não era possível o envio de coisas pro passado, pra quê a existência de um compartimento para...o envio de coisas??? 09 Se o envio de um bilhete causou um blecaute de poucos segundos, porque aconteceu rigorosamente a mesma coisa no envio do próprio Doug???! Aquele bilhete “Me Ressuscite” colado no peito dele… De onde veio aquilo??? 09 09) o filme é muito bom, incluindo aí o final do longa que, é de longe a melhor coisa do filme. Isso mesmo! Explico: acredito que a resolução do filme foi mal compreendido pela maioria da pessoas. Percebo um quê de desapontamento da maioria das pessoa por conta do “final feliz”… Acho que as pessoas estão pegando pesado.

 

Quando Denny (o cientista) diz que Doug não precisa fazer aquilo, ele pergunta “E se eu já tiver feito?”. Logo depois Denny argumenta que ele pode morrer devido à vários fatores imprevisíveis ao que ele responde: “Não importa se você errar 1 milhão de vezes, você só precisa acertar 1.” Para mim, essas duas frases matam as “charadas” do filme (o interesse mórbido e obsessivo de Doug por Claire, a conversa bizarra entre Doug e Carrol na cadeia, a sensação nítida de Déjà Vu sentida por Doug quando visita o depósito do terrorista e na conversa com Claire no último take do filme etc) Ou seja: quando Doug percebe, na casa de Claire, que ele REALMENTE já tinha voltado ao passado (provavelmete N vezes e TODAS culminaram com a explosão da barca, incluindo aí uma que resultou no “presente” e na realidade de onde ele veio) cabe a ele agir de uma forma em que seus atos (combinados com outros zil fatores alheios à sua vontade, como a decisão de Claire em não chamar os policiais)  resultem num futuro diferente. Ele voltou, morreu (talvez várias vezes) e a tragédia aconteceu (também várias vezes), mas bastaria fazer tudo direito uma única vez para conseguir evitá-la. E foi o que aconteceu no final escolhido, com a “vantagem” de que o Doug “viajante do tempo” foi literalmente “pulverizado”, eliminando de maneira inteligente não só o paradoxo da existência de dois Dougs no mesmo espaço-tempo como qualquer evidência de que tenha existido. Mérito do roteirista que assim deixa claro, numa história criativa, a opção dele de usar a teoria de “futuros” alternativos causados por eventos diferentes inseridos em passados diferentes, ou seja, a de mundos paralelos coexistindo ao mesmo tempo, agora, o que "explicaria" a sensação de Déjà Vu que às vezes sentimos…

 

PS 1: A cena da explosão da barca foi muito bem feita, ao contrário do que alguns comentários (de críticos profissionais, inclusive) deram a entender não ter sido lá grandes coisas.

 

PS 2: Precisava ter aquelas explosões gratuitas e tipicamente hollywoodianas na cena da picape na balsa no fim do filme??? Tipo: bateu, explodiu? Que exagero besta! 11 07                

 
The Deadman2007-02-01 14:20:34
Link to comment
Share on other sites

  • 5 months later...

 Eu assisto qquer coisa  que tenha meu  amado, idolatrado, salve, salve Denzel Washington, mas decididamente esse não foi dos melhores...aff!

 Anyway, tb tem Caviezel.

 

  Clncantao, não sei se ajuda, essa é a trilha sonora do filme

 

Trilha Sonora


“When The Saints Go Marching In”
Interpretada por the US Navy Southwest Regional Band

“Don't Worry Baby”
Escrita por Brian Wilson, Roger Christian
Interpretada por The Beach Boys

“Amazing Grace”
Interpretada por Charmaine Neville

“Melt Away”
Escrita por Alex Forbes, Jeff Franzel, Peter Gordon
Interpretada por Love of Life Orchestra, featuring Alex Forbes

“Holy Spirit, Come Fill This Place”
Escrita por Babbie Mason, Marty Hennis

“Coming Back To You”
Interpretada por Macy Gray
 

 
Link to comment
Share on other sites

eu ja vou ver mais pelo Jim caviezel' date=' caramba que cara mais gostoso! esse eu comia de toda posição....[/quote']

 

omg ele parece um mendigo, ta duente063d16

 

Já viu Conde de Monte Cristo? Gostei muito do filme.
Ed nao fale merda sem saber!

 

 127203875_3ca1fee927.jpg

 

 

 parece mendigo? então que esse mendigo me coma! delicia!

 

 sobre o conde, é fodaço aquele filme, tenho ele em casa.16
Link to comment
Share on other sites

eu ja vou ver mais pelo Jim caviezel' date=' caramba que cara mais gostoso! esse eu comia de toda posição....[/quote']

 

omg ele parece um mendigo, ta duente063d16

 

Já viu Conde de Monte Cristo? Gostei muito do filme.
Ed nao fale merda sem saber!

 

 127203875_3ca1fee927.jpg

 

 

 parece mendigo? então que esse mendigo me coma! delicia!

 

 sobre o conde, é fodaço aquele filme, tenho ele em casa.16

 

Não gosto de homem 06
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...