Jump to content
Forum Cinema em Cena

Recommended Posts

  • Replies 4.4k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Alguém pode me dizer? Quem seria a atriz da heroína?   maximum2006-09-28 12:49:23

com uma deusa como a belluci dando uma de mulher maravilha não vai ter bandido que não se "renda".....   jennifer connely também é gata pra ca.....!!!!!

Adorei a idéia da Mônica Belluci, mas acho que ela nãotem cacife p/ ser protagonista de um filme Sandra Bullock não né?

Posted Images

Mulher-Maravilha retorna a capa de revista feminista após 40 anos

 

Ms. estreou com amazona na capa em 1972

 

 

 

Quando a ativista feminista Gloria Steinem fundou a revista Ms., em 1972, escolheu Mulher-Maravilha para ser símbolo da mulher forte que a publicação defendia. Virou marco histórico tanto para o feminismo quanto para a heroína. Quarenta anos depois, a revista escolheu novamente a amazona como símbolo.

A editora revelou esta semana sua capa de 40o aniversário, na qual o casal Mike Allred e Laura Allred fazem uma releitura da capa icônica dos anos 70. Confira abaixo a original e a nova versão - e repare em como os problemas de quatro décadas atrás (guerra e justiça) batem com os de hoje (o discurso da "guerra contra as mulheres").

tb_ms-2012.jpg tb_ms-1972.jpg

 

A Feminity Majority, fundação que atualmente edita a Ms., oferece a arte dos Allred em pôster para quem assinar a revista (US$ 35 por um ano) - mas só nos EUA.

Link to post
Share on other sites

Um Iphone com fotos da familia..., mas sei lá,

Ou um tablet.

Uma das amazonas pega o aparelho, e sem querer abre um vídeo tela inteira. A imagem, ainda antes do play, é confundida com uma pintura. Aparecem na imagem parada Trevor e dois amigos militares, de camiseta em um churrasco ou algo parecido.

 

A amazona chama outra para ver. Esta crendo ser uma pintura perfeita, elogia o artista enquanto alisa o braço descamisado de um na foto, e isso aciona o "play". A imagem em movimento assusta a que segura o tablet. O aparelho cai e recebe um belo ponta-pé.

 

Câmera na árvore onde o aparelho violentamente se choca aos pedaços.

Close no rosto da amazona.

Frase de efeito.

Corta. rs

Link to post
Share on other sites

Resenha Enxuta: Wonder Woman #9-12

agosto 21st, 2012 | Posted by WitchKing in DC | Resenha Enxuta

 

banner-WW1.jpg

É nóis de vorta! Seguinte, como é de conhecimento público, o reboot DeCadente está fazendo aniversário, completando 12 edições publicadas (nos USA, aqui estamos uns 9 meses atraixx). Diante disto, nosotros vamos tentar fazer revieweses das principais hqs deste mês para saber qualé, qualfoi e porquequetutánessa. E, como bons cavalheiros, comecemos pela Mulher Maravilha

Entonces, a hq Wonder Woman foi uma das últimas a quem tive contato para leitura, devido principalmente a ter pouco interesse na personagem. Entretanto, quando as críticas positivas começaram a aparecer (Ckreed é um defensor xiita da personagem), pedi ao Sorg o Cartão Corporativo BdE e adquiri as 8 primeiras edições (relembre aqui).

Wonder-Woman-Zone-000-666x1024.jpg

Seguindo o Baile, sem mais delongas, eis a sinopse da última edição chupinhada do CBR e traduzida no melhor pOdrão de cursos de ingReis online:

prv12993_cov.jpg

A Mulher Maravilha enfrenta uma escolha: defender o trono de ZEUS de APOLLO – ou defender sua melhor amiga! Plus: Zola dá a luz a algo completamente inesperado!

 

prv12711_cov.jpg

E eu com isso? Well, como habitual, comecemos pelas artes. Como havia mencionado anteriormente, os rabiscos de Cliff Chiang não privelegiam os, digamos, atributos da MM em detrimento da história. Manteve o bom padrão anterior, proporções adequadas, cenografia bacana e uma arte finalização que complementa bem o trabalho. Alguns problemas começaram a ser vistos nas últimas edições, principalmente nas feições (talvez os prazos?), entretanto nada que comprometa o trabalho. Ainda. Para fechar o assunto “artes”, esta é uma das hqs onde as capas, em geral, são um tremendo migué em relação ao conteúdo. A última mostra Diana lascando um beijo no Apollo e nada disso ocorre, muito pelo contrário. Uma apelação desnecessária, ao meu ver.

casamento-881x1024.jpg

Em relação ao enredo, estas últimas três edições focaram mais no nascimento do filho bastardo de Zeus com a humana Zola, deixando um pouco de lado os acontecimentos na Ilha Paraíso. A história se desenrola em torno das disputas entre os Deuses para saber com quem ficará o Trono de Zeus, envolto com o destino da criança, além de mencionar uma profecia (mais uma?) sobre um “escolhido” que irá derrotar/destruir os deuses do Olimpo. E chega de spoilers por aqui.

Zola-quase-sifu-1024x929.jpg

Enfim, como havia escrito anteriormente, é um trabalho correto, diálogos simples, sem muitas firulas, mas que consegue trazer um frescor (ui) à MM, mesmo sem ser inovador ou revolucionário. A trama acaba nos levando a situações inusitadas, como o “casamento” de Hades com a MM, além de existir algumas reviravoltas realmente imprevistas (salvo quando a porcaria da sinopse entrega algo).

 

mudanca-1024x927.jpg

Uma das mudanças que não gostei muito: aparição deste “poder” ainda não explicado

Há algumas mudanças em relação ao seu histórico pré-reboot? Sim, há e isso pode ser motivo para que os fãs mais radicais fiquem com um pé atraixx. Entretanto, o rejuvenecimento (é dito textualmente que ela possui 23 aninhos… ) fez bem a personagem, ainda mais considerando que o conhecimento de seu background era restrito (pelo menos pela maioria). Está aí um personagem em que o reboot foi bem sucedido. Vale conferir.

Nota 7,5 (pelo conjunto da obra)

Em tempo, o final da edição que mostramos aqui, apesar de possuir algum vínculo com a história, é dessassociado dos eventos da hq, sendo portanto somente um gancho para o próximo arco.

Em tempo 2, a missão. O Enxuto Estive_Trevor nos ajudou com a história do “poder” inexplicado da Amazona: E esse “poder” inexplicado é oriundo da pré-crise. Ela pirava quando tirava os braceletes. Mas agora tem certo controle, embora fique violenta no modo Super Saiajeans. Bom termos uns DCnetes velhacos para ajudar nestes momentos de maior dificuldade!

Link to post
Share on other sites

Ou um tablet.

Uma das amazonas pega o aparelho, e sem querer abre um vídeo tela inteira. A imagem, ainda antes do play, é confundida com uma pintura. Aparecem na imagem parada Trevor e dois amigos militares, de camiseta em um churrasco ou algo parecido.

 

A amazona chama outra para ver. Esta crendo ser uma pintura perfeita, elogia o artista enquanto alisa o braço descamisado de um na foto, e isso aciona o "play". A imagem em movimento assusta a que segura o tablet. O aparelho cai e recebe um belo ponta-pé.

 

Câmera na árvore onde o aparelho violentamente se choca aos pedaços.

Close no rosto da amazona.

Frase de efeito.

Corta. rs

 

Pronto :D

Link to post
Share on other sites

Resenha Enxuta: Wonder Woman #0

setembro 21st, 2012 | Posted by WitchKing in DC | Quadrinhos | Resenha Enxuta

banner-WW.jpg

Fala aê mermão! Como (ui) deve ser de conhecimento dos Enxutos, neste mês de setembro, a DeCadente está lançando as edições zero de seus títulos. Teoricamente, seria algo relacionado ao passado dos personagens, mostrando fatos ainda não revelados (é teórico, pois nem todas seguem esta premissa). Nesta linha, o Sorg adquiriu os direitos sobre Wonder Woman #0, utilizando o já famoso Cartão Corporativo BdE. Será que presta? A Muié Magavilha manteve o ritmo das demais edições? E o que foi revelado? Muitas perguntas e poucas respostas ocê terá ao cRicar aê…

Entonces, caso ainda não saiba, a mensal pós-reboot da Mulher Maravilha é uma das melhores coisas DeCadentes (veja mais detalhes aqui). Nesta linha, titio WK pediu ao endinheirado Sorg comprar a bendita edição zero, para que pudéssemos tecer nossos comentários. Sem mais delongas, eis a sinopse chupinhada CBR e traduzida no melhor pOdrão de cursos de ingReis leonórdico:

prv13654_cov-665x1024.jpg

Uma faceta (eu escrevi FACETA, favor não confundir) do passado é revelado – e um inimigo é introduzido (eita!). Como a MM tornou-se uma pupilo de Ares?

prv13654_pg1.jpg

E eu com isso? Well, como de hábito, a la Jack, comecemos pelas artes. Cliff Chiang mantêm o bom trabalho realizado na mensal, com boas proporções, cenários adequados e arte finalização complementar, que parece ter sido feita para o seu trabalho. De “diferente” em relação às demais anteriores é a caracterização (ou personificação) de Ares, deixando um pouco de lado as representações um tanto extravagantes dos Deuses. Um bom trabalho que complementa de forma interessante o enredo.

war-1024x1005.jpg

Por falar nele, o enredo, vamos melhorar um pouco esta enxuta sinopse. A história se passa há dez anos atraixx, quando Diana completava sua 13º primavera. Como hábito dentre as amazonas, caberia a ela conseguir um presente digno para a Rainha Hipólita (ainda não sabia que esta é sua mãe). Ao conseguir um ovo de Harpia, Diana chama a atenção de Ares, o Deus da Guerra. Este, então, a toma (uia) para treinamento, pretendendo torná-la sua sucessora no futuro. Mas os seus planos acabam saindo de forma inesperada. E chega de spoilers por aqui.

Foe-1019x1024.jpg

O bacana desta edição foi que Azzarello está recontando uma história da fictícia (valeuEstive_Trevor) “All-Girl Adventure Tales For Men” #41 que, infelizmente, não tive acesso aos originais (simplesmente por não existir, pombas!). Ainda sim louva-se o trabalho realizado, pois os balões e notas explicativas em cada quadro “emulam” uma história da Era de Ouro dos quadrinhos. E o mais importante: sem menosprezar o trabalho original, conseguindo atualizar para o contexto atual da amazona.

Great-hera-1024x622.jpg

Nesta linha, é uma história fechada, mostrando a Maravilhosa em seus primeiros anos e sua formação guerreira, diferenciada das demais colegas de ilha. Simples e objetiva, fazendo uma homenagem aos anos dourados dos quadrinhos, esta hq é obrigatória para os fãs da personagem. Vale uma leitura, mesmo para os não iniciados. Por incrível que pareça, ponto para a DC. Pena que a Panini tenha feito um mix ruim com esta hq…

Nota 8,5

prv13654_cov-195x300.jpg

Wonder Woman #0

Autores: Brian Azzarello, Cliff Chiang, Matthew Wilson

Editora: DC Comics

Preço: US$ 3,99

Lançamento: 19/09/2012

Link to post
Share on other sites

[o artigo abaixo contém spoilers]

Brian Azzarello terminou seu primeiro ano à frente da Mulher-Maravilha com um gancho bastante inusitado para os próximos 12 meses. O escritor, premiado e aclamado por seus trabalhos criminalísticos e adultos dentro dos quadrinhos americanos, fechou a edição #12 deWonder Woman com Órion, dos Novos Deuses.

wonder-woman-12-new-gods_02.jpg

O autor comentou que transformar Diana em filha de Zeus nesta nova releitura da heroína foi o primeiro passo para uma série de aparições de deuses e outras novidades interessantes a partir de agora na revista. Órion, por enquanto, é o único representante do Quarto Mundo a dar as caras, mas outros virão em breve.

Azzarello contou ainda que não foi ideia dos editores esta apresentação do personagem no título – na verdade, o autor afirmou ter sido ideia sua trazer Órion e a ideia dos deuses a este panteão grego da Mulher-Maravilha (tal qual outros deuses de outras mitologias podem vir a aparecer), mas isso não significa que, a partir de agora, todo o Quarto Mundo será reestruturado por ele.

ww_cv12_02.jpg

Para setembro, com Wonder Woman #0, o autor focará mais na origem das Amazonas. Portanto, a questão Órion só será mais explorada em outubro.

Um dos maiores ícones pop de sexo feminino a Mulher-Maravilha foi criada em 1941 pelo psicólogo William Moulton Marston. Embaixadora das Amazonas na Ilha Paraíso (também conhecida como Temíscira ou Themyscira) ela foi mandada ao mundo humano para propagar a paz. Possuindo habilidades super-humanas e seu laço da verdade ela faz parte da Trindade da DC Comics e muitas vezes funciona como o balanço entre os extremos de Superman e Batman.
Link to post
Share on other sites

Falta a frase de efeito. Propostas, propostas?

Acho a frase de efeito descecessaria. Alem de atirar o aparelho na arvore, ele podia ser atingido por uma saraivada de flechas assim que cai no chão. Seria o bastante ao meu ver. A graça estaria no exagero em atirar flechas contra o aparelho, como se fosse um pequeno monstro ou coisa parecida.
Link to post
Share on other sites

.

PRIMO, falando um pouco sobre a relação de Diana e Steve antes de chegar ao patriarcado. Até o momento em que estamos, não existe relação rômantica ou amizade nenhuma entre os dois. Até sairem de Themyscera, existe uma relação de "quid pro qui". Diana precisa de Trevor para guia-lo no Patriarcado (e acha justo que ele volte pra casa). Trevor precisa de Diana pra sair daquela ilha Após a passagem pelo Caribdis, os dois passariam a admirar a coragem um do outro, mas nada alem disso. Concorda, PRIMO?.

 

PRIMO, falemos agora da chegada de Trevor e Diana ao Patriarcado. A dupla surgiria no Patriarcado boiando nos destroços da embarcação que usaram. Diana pode sentir a diferença entre o patriarcado e sua "dimensão natal" já no ar, que seria mais pesado (leia-se poluido) que o de Themyscera. Os dois seriam resgatados por um navio americano

 

Então, qual poderiam ser as primeiras reações de Diana no Patriarcado durante essas primeiras horas em terras estrangeiras? Este seria o momento de alguns alivios cômicos.

 

Mas sem saber o que fazer, e não querendo entregar Diana as autoridades, Steve levaria a princesa até uma velha amiga, Julia Kapatelis, curadora do museu greco romano de Washington. Mas isso seria em um 2º momento.

 

Mas a questão agora é, como abordar o choque inicial de Diana no Patriarcado, e os eventos que levaram Trevor a recorrer a ajuda de Julia para ambientar Diana?

Link to post
Share on other sites

Depende de como for filmado. Se for filmado igual a sua assinatura, com um detalhe nas coxas da garota enquanto o cara passa a mão na bunda dela, ai sim fica ridiculo. Por que vamos combinar, a cena de sua assinatura e o jeito como ela é decupada é vulgar..

 

Mas se for filmado de maneira decente, com Diana botando algum marinheiro engraçadinho no seu lugar, ai pode ficar legal..

Link to post
Share on other sites

O pessoal aprovou demais a versão Azzarello, onde vemos uma MM violenta do tipo filme do Tarantino, acho que poderia ser assim se o problema não fosse a importância das faixas etárias para os produtores, já tinha ido mais da metade dos problemas.

 

Quem vai entender isso, vetam um biquíni da Natalie, porém há um conteúdo de piadas adultas de cunho sexual no filme que não tiraram..., no filme Your Highness

 

Natalie-Portman-bunda-editada-Your-Highness.jpg

 

Ah cai entre nos que esse pessoal são idiotas..., como podem vetar uma bunda da Natalie?

 

Porque falo disso?, porque falamos de amazonas, e com esse problema, talvez não se aprofundem em certas cenas.

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

Announcements


×
×
  • Create New...