Jump to content
Forum Cinema em Cena

Recommended Posts

Nunca fui de seguir a série original ou a nova geração fielmente. O máximo que fazia era assistir os episódios que passavam na televisão aberta, mas devido a sempre inconstância no horário, sempre assistia fora da ordem cronológica original. Quanto aos filmes o único que não assiti foi o Insurreição, mas logo vou fazê-lo. Devo dizer que embora admito que sejam personagens icônicos não sou tão ligado à série para identificar detalhes que os fãs provavelmente reconhecem facilmente. Dito isto afirmo que este é um dos filmes que eu mais esperava neste ano e que certamente irei assisti-lo no cinema, principalmente para ver esta inevitável comparação entre os antigos atores e os novos.

Link to post
Share on other sites

o Pablo ora detona os roteiristas Robert Orci & Alex Kurtzman citando Transformers, em seguida elogia Missão impossível III, que vejam só, é roteirizado pela dupla.

 

eu acho eles ótimos roteiristas pipoca...é deles A Ilha (que claramente quem prejudicou foi o Michael Bay), Transformers é um pipocão que tem bem menos furos do que se espera e Missão III é um filmaço, sem contar o ótimo seriado fringe, criação da dupla.

 

e o roteiro deste star trek então, uma aula.

 

Link to post
Share on other sites

Olá, 01

 

Fiquei entusiamado com os trailers que vi na Internet e com certeza vou assistir esse filme.

Lembro de que quando era menino assistíamos em preto e branco o Jornada nas Estrelas (que meu pai gostava muito). Eram as séries televisivas de meia hora acho, e nos demais dias da semana nós acompanhávamos Missão Impossível, Os Invasores, James West, e outos que nem lembro mais.

 

Abs,

Claudio

 
Link to post
Share on other sites

O filme é tudo aquilo que os fãs (e não fãs) esperavam ver. Concordo com o Pablo, realmente faltou o tema clássico da série. Foi um erro grave exclui-lo do filme. Faltou também, na minha modesta opinião, uma grande cena de batalha entre a Entrerprise e a nave inimiga. Não que não exista uma no filme, mas achei que deixou um pouco a desejar nesse aspecto. No geral o filme é muito bom e saí muito satisfeito do cinema. Quando vai estrear "Star Trek 2" ?post_button_smiley.gif

Link to post
Share on other sites

"Quando vai estrear Star Trek 2?", foi a mesma pergunta que me fiz quando deixei a sala, depois de muita diversão.

 

Foi sensacional poder testemunhar o começo dessa série que tanto eu assistia quando mais jovem. O filme te prega na cadeira, em nenhum momento me senti entendiado (vide Speed Racer e suas 5 estrelas, né, Seu Pablo??)

Atores engajados nos papéis. Atuações corretas. Nem me incomodei com a câmera na diagonal e os flahes na tela, achei tudo parte do contexto, e caiu muito bem.

 

E Pablo... o tema clássico não faltou nessa exibição..

O que tinha de gente cantando ele no final foi algo surpreendente.

 

 

Link to post
Share on other sites

Achei otimo voce ter gostado do filme e prometido vigiar a qualidade das futuras produçoes de jornadas nas estrelas, eu e mais meia duzia de fãs saimos do cinema com olhos marejados e uma excitação contida pelo reboot. Confesso que tinha medo do que voce ia falar em sua critica, pois já aconteceu de gostar de um filme estreando e ver voce detonar em seguida. Cumpra com seu compromisso que todos sairão ganhando.

 

Link to post
Share on other sites
Achei otimo voce ter gostado do filme e prometido vigiar a qualidade das futuras produçoes de jornadas nas estrelas' date=' eu e mais meia duzia de fãs saimos do cinema com olhos marejados e uma excitação contida pelo reboot. Confesso que tinha medo do que voce ia falar em sua critica, pois já aconteceu de gostar de um filme estreando e ver voce detonar em seguida. Cumpra com seu compromisso que todos sairão ganhando.
[/quote']

 

O que seria esse compromisso? ele escrever o que você quer ler? não entendi muito bem isso aí...09
Link to post
Share on other sites

Eu adorei "Star Trek". Sou um ignorante com relação à série clássica e creio que isso ajudou a não ficar buscando no filme o que mudou, o que deixou de ser, o que ficou, o que não ficou e sim apenas o filme como ele simplesmente é. Reconheço que se trata da adaptação de uma marca clássica e conhecida, mas pra mim J. J. Abrams e cia. criaram uma nova série cinematográfica.

Achei o roteiro do filme muito bom, próximo a ser impecável, a maneira como os personagens foram apresentados (as duas cenas de Spock e as duas de Kirk sintetizam perfeitamente a personalidade e o que está em jogo para os dois), os efeitos especiais são maravilhosos (o design da Enterprise, as batalhas espaciais). A ponte de comando da Enterprise é muito clara? Whatever...

A direção do J. J. Abrams é muito boa também, eficiente na condução da ação, não deixa a peteca cair, a montagem dá ritmo, mas ele tá muito bem acessorado, temos que reconhecer. A trilha do Giacchino é magnífica, faz tempo que não me emocionava e me empolgava tanto como com composições <?:namespace prefix = st1 ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:smarttags" />em filmes. Faltou o tema clássico??? Whatever... me desculpem os saudosistas...

Mas ainda assim o que mais me agradou é que "Star Trek" é um puta filme de personagens... eu adorei todos, especialmente Kirk e Spock é claro... confesso que de todos quem mais me surpreendeu foi o Chris Pine... não dava nada por ele ... o Zachary Quinto já roubava cenas em "Heroes" e será um cúmulo as pessoas só reconhecerem seu trabalho apenas pela semelhança física...

Enfim ... vida longa e próspera a J. J. Abrams, cia e a esta nova série cinematográfica... 9/10<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Com relação à crítica do Pablo, só discordo com relação a sua restrição ao trabalho do J. J. Abrams, inclusive com o recurso que ele considera distrativo, pelo contrário, considerei que confere um charme ainda maior à produção, a maneira como ele usa a iluminação externa para compor um plano em um ambiente fechado. E não posso comparar com a série clássica, mas o que não deu muito pra sacar foi essa relação entre o McCoy com o Kirk e o Spock. O filme é muito destes dois últimos. O personagem do Karl Urban, pelo menos neste aqui, é um bom coadjuvante.


Eu não sei se estou ficando velho (tenho 25 anos), mas acho um cúmulo essa nova mania de internacionalizar o nome dos filmes ... pq "Star Trek" não pode continuar sendo "Jornada nas Estrelas" ... pq "Star Wars" e não "Guerra nas Estrelas" ... pq????

Link to post
Share on other sites

 

 

Como fã, depois de anos confesso que foi emocionante comprar umingresso para assistir um novo filme de Jornada nas Estrelas (Ou Star Trek, como queiram). Numa avaliação emocionalmente comprometida, posso dizer que gostei do resultado final, mas com ressalvas.

 

Quando começo a pensar sobre o sobre o filme, a primeira coisa que me vem à cabeça é o espetáculo visual que ele proporciona. As primeiras cenas na Narada e a Kelvin são muito boas e causam um estrago e tanto. A Adrenalina sobe, deixando o espectador a mercê do que está por vir. A cena do nascimento de James Kirk em Batalha, certamente vai ser amada por uns e odiada por outros. No meu caso, não vi grandes problemas e acho que ele funciona razoavelmente bem, embora eu não entenda bem o que a esposa de “Kirk Father” fazia a bordo da Kelvin, mas deixemos isto de lado.

 

No geral, o filme tem um roteiro simples, carregado de lugares comuns (o vilão então é o clichê do clichê). Vá lá, não dava para esperar um “Yesterday Enterprise” (segmento da Nova Geração que tem uma tematica parecida, mas muito mais eficiente) mesmo, mas o filme escorrega varias vezes em conveniências demais: A nave de Nero dá de cara logo com a nave do pai de Kirk, o cara resolve ficar pacientemente esperando a chegada de Spock, assim sem mais nada para fazer, a própria Narada em sim nas mãos de pacatos mineradores, o encontro “casual” do “OldSpock” com Kirk e Scotty, o famigerado tele transporte em dobra de Delta Vega para dentro da Enterprise, Kirk chegando a doca da Frota Estelar um dia após a ser espancado numa briga de bar no melhor estilo Tom “Maverick” Cruise, Sulu pisando na bola para permitir que e Enterprise se salvasse, os milagres de tele-transporte salvando a pele de nossos heróis no ultimo minuto, etc, etc,

 

O filme também se utiliza de “Soluções” de diversos Segmentos da Jornada dos nossos pais (aquela que J.J. dizia não ser a igual a esta) , quando conveniente, como Jornada nas Estrelas O Filme, e o ataque misterioso a uma Armada Klingon, o citado Nero/Shinzon e a Narada/Nemesis (do horroroso Nemesis) , e outros menores. Não sei se dá para chamar de homenagem, e em muitos momentos da a nítida impressão de que Orci e Kurtzman são mesmo “Fan-boys” de Jornada.

 

Sob estes aspectos, é preciso desligar um pouco o cérebro e ativar o modo de suspensão de descrença ao Maximo, com imensa dose de boa vontade, senão a coisa complica, mas eu estava disposto a fazer isto. Além do que, o filme avança tão rápido que não dão mesmo muito tempo de se atentar a estas coisas. O ritmo acelerado da produção ajuda a encobrir muitos de seus problemas

 

Sob os atores, houve um bom esforço de fornecer uma parcela de funções relevantes a todo o cast principal. Destaque para Karl Urban (McCoy ) e Zoe Saldana (Nyota Uhura) Bruce Greenwood (Christopher Pike), que conseguiram passar mais credibilidade aos seus personagens. Os outros também não comprometem, mas acho que o exagero em ser demasiado “engraçadinho” compromete alguns trabalhos, principalmente o de Chris Pine (Kirk) e Simon Pegg (Scotty). Nada que não tenha salvação, mas seria muito mais produtivo se o próximo filme (ser vier mesmo) tivesse um diretor com mais bagagem para poder ajudar os atores nesta tarefa, deixando a Abrahams as funções de produtor, algo que ele conhece bem, pelo jeito. Já o Nero/Shinzom de Eric Bana simplesmente não existe como nada além de um dispositivo de trama.

 

O maior pecado é a utilização de Nimoy também como dispositivo de trama. Embora ele consiga tirar emoção de uma bula de remédio, a sua presença em tela tem única a intenção de dar alguma legitimidade a produção de Abrahams, nada mais, nada menos, uma vez que ser ou não ser Spock a voltar no tempo não mudaria nada na historia. O Spock de Nimoy tem este poder, mas a gambiarra que foi armada em torno dele é muito pouco inspirada. Enfim, nada que desabone nem o personagem nem o ator, mas também não agrega nada a tudo que já foi feito por ele.

 

Se por um lado o filme tem um punhado de referencias a Serie Clássica espalhadas por todo lado, por outro não tem nenhuma ligação com a “alma” da Jornada nas Estrelas que conhecemos principalmente na TOS, TNG e DS9. A relação da Jornada de Abrahams com a “de nossos pais”, pelo menos até, meramente nos visual e nos nomes dos personagens, nada mais.

 

Algumas sacadas interessantes, como visão da Terra e seus habitantes, coisa muito rara na Jornada de nossos pais, o visual bem menos clean dos cenários e mesmo o interior d Enterprise, embora este ultimo eu tenha achando confuso, para dizer o mínimo. O cenário da ponte sempre me pareceu muito com o remake de perdidos no espaço, mas nada disto chega a comprometer muito o resultado final do filme  e em muitos casos o ambiente mais claustrofóbico ajuda nas cenas de batalha.

 

O filme tem muito apelo visual e os efeitos funcionam a contento, dando a “obra” uma grandiosidade que ele não sustentaria se dependesse somente do roteiro, e a trilha sonora embora convencional, funciona bem dentro de seus termos, mas anda quase no mesmo compasso do roteiro.

 

“Star Trek” é puro “Setup” e sua importância só poderá ser realmente definida com a existência de um segundo filme, que apare estas arestas e aprofunde mais a idéia (qualquer idéia) que esta nova versão possa ter para contar alguma historia relevante. Até que funciona como reboot, com a função de apresentar uma realidade alternativa que abra as portas para Abrahans possa fazer o que bem entender daqui para frente e trás um time de atores que se melhor orientados parece ser capaz de fazer um bom trabalho.

 

Não me decepcionei, pois não esperava nada muito diferente disto, e confesso que o filme me manteve atento, mas como obra cinematográfica em si, é pouco mais que um bom filme de ação e aventura e precisa de uma seqüência que o credencie a ser mais do que isto. Não chega sequer a arranhar a The Wrath of Khan, The Undiscovered Country, ou First contact, mas passa longe de ser um desastre total, e funciona com entretenimento.

 

3/5 na minha modesta opinião.

 

Abraços

Carlos Santos2009-05-11 17:49:51
Link to post
Share on other sites

Olá pessoal,

                   primeiramente gostaria de registrar que gostei muito do filme, ação, comédia, aventura, e boas lembranças dos personagens na medida correta.

                  Não sou um trekker, sempre acompanhei série e filmes aleatoriamente mas reconheço o valor da série e gosto muito de seus personsagens, gostei muito de ver tanto fãs antigos quanto novos fãs empolgados na saída do cinema, e isso mostra a qualidade do filme.

 

                 Em relação a crítica do Plabo e a alguns posts, sinceramente o roteiro de Transformers é um lixo, digno de absurdos como os militares concluírem que o melhor lugar para proteger algo de um ataque é uma cidade cheia de civis. Óbvio não haveria nada a destruir se fosse num lugar deserto, rídiculo. Não vou nem comentar a cena dos robos no jardim, dispostos a tudo pra salvar o mundo, mas se movendo de modo tosco para não acordar os pais de um personagem.

 

                 Missão impossível 3 é de longe o filme mais fraco da franquia, o considero apenas mediano, pois não tem uma boa trama como o 1, e nem foca na ação absurda como o 2.

 

                Já o roteiro do próprio Star Trek é bom, mas longe de ser impecável. (E não leia o resto caso ainda não tenha visto o filme) Basta lembrar de como foi o encontro de Kirk e da versão mais velha do Spock,  ao invés de algo bem amarrado tudo aconteceu na base do acaso, Kirk cai no planeta, anda sem direção é persiguido por monstros e cai na caverna que Spock estava (uau que coincidência). Isto está longe de ser impecável.  

 

                 É um bom roteiro, bem melhor que os da maioria da dupla, e sem dúvida um bom filme. Acho as 4 estrelas na medida.

           
jared.nomak2009-05-11 17:26:46
Link to post
Share on other sites

Como assim " Faltou o tema clássico???"... no final do filme, quando Leonard Nimoy fala a famosa frase "... audaciosamente indo..." o tema clássico ressoa pelo cinema até os créditos finais... sem falar nos sons e zumbidos tão conhecidos pelos trekkers. Ah.. é um FILMÃO!

 

Link to post
Share on other sites

Finalmente assisti. Um filme muito bom, com uma ótima trilha sonora, efeitos especiais fantásticos, parte técnica impercável. Mas não falei que era muito bom devido a parte técnica. As interpretações muito boas, mas infelizmente sempre falta trabalhar um pouco mais um ou outro personagem. Muito legal ver alguns personagens que já tinham um longo histórico se conhecendo e embora não seja um fã detalhista, muitas coisas do universo star trek pode ser notado, o que tornava tudo ainda mais legal. Não conheço a história em detalhes, mas me parece que muita coisa do original foi alterada. Teremos mesmo um Spock do futuro e outro com tendências sentimentais? Sem dúvida vai mudar bastante coisa se forem partir para este lado. Uma coisa que achei estranho no filme: Se é um presente alternativo ao real, como que todos os personagens acabam de uma forma ou outra se encontrando? Bom, nem me importo muito, pois achei o filme bem legal e espero que tenha (provavelmente vai ter), uma continuação. E também achei que faltou o tema clássico sim. Os leves arranjos sonoro no final não chegam a ser impactantes como a música tema, o que na verdade demostra que faltou realmente da parte sonora algo mais impactante.

Link to post
Share on other sites

 

 

Tenho algumas dúvidas sobre o filme, se aqueles que entenderam o filme e gostaram dele puderem me ajudar, ficarei grato. Aqui estão:

 

- Qual seria necessidade de jogar a "matéria vermelha" no centro de um planeta para que o mesmo seja destruído por um buraco negro? Na superfície não surtiria efeito?

 

- Toda tecnologia "futura" e não criam um reconhecedor de voz capaz de reconhecer sotaques?

 

- Se os romulanos voltaram no tempo, porque não avisar a população do planeta deles ao invés de sair numa vingança contra a Federação?

 

- Se o capitão da nave Romulana estava insano, isso implica que toda a tripulação ficou insana também?

 

- Porque Spock chegou atrasado para evitar uma supernova? A astrofísica dos Vulcanos foi incapaz de prever tal evento com alguns dias de antecedência?

 

- Se o Spock precisava de apenas uma gota da "matéria vermelha" para que levar uma bolha gigante da mesma para usar na supernova?

 

- O Spock do futuro foi abandonado no planeta Hoth, sabia que tinha uma estação de pesquisas lá e mesmo assim assistou de cadeira cativa a destruição do planeta Vulcano, por que não tentar ao menos avisar os Vulcanos?

 

- O capt. Kirk passou 3 anos na academia sem nunca pesquisar o nome da Uhura nos arquivos?

 

- O buraco negro formado no final do filme (que "puxou" a nave Romulana) foi formado próximo ao planeta Terra, não? E com toda a "matéria vermelha" da nave do Spock... interessante o sistema solar sair intacto dessa!Andersøn2009-05-14 21:21:42

Link to post
Share on other sites

Oi Anderson vou tentar responder algumas:


- Qual seria necessidade de jogar a "matéria vermelha" no centro de um planeta para que o mesmo seja destruído por um buraco negro? Na superfície não surtiria efeito?

 

Pois é, ao meu ver a broca é desnecessária, como eu disse no meu post o roterio está longe de ser impecável.

- Toda tecnologia "futura" e não criam um reconhecedor de voz capaz de reconhecer sotaques?

 

Lembro que na série havia uma espécie de tradutor universal, que possibilitava a comunicação entre os tripulantes da nave e as raças dos planetas onde eles iam, como não sou grande fã, não sei se isso é algo inventado mais no futuro. Imagino que sotaques não seria problema, de todo jeito essa cena foi muito engraçada :D

- Se os romulanos voltaram no tempo, porque não avisar a população do planeta deles ao invés de sair numa vingança contra a Federação?

O Nero disse que iria não só salvar o planeta dele, como também se vingar da federação, ele iria fazer as 2 coisas, era seu plano, algo compreensível já que ele era meio pertubado.


- Se o capitão da nave Romulana estava insano, isso implica que toda a tripulação ficou insana também?

Não necessariamente, poderia haver pessoas na nave interessadas em salvar seu planeta e não dando a mínima pro resto(destruição da federação).

- Porque Spock chegou atrasado para evitar uma supernova? A astrofísica dos Vulcanos foi incapaz de prever tal evento com alguns dias de antecedência?

 

Aparentemente nem eles são perfeitos :D,  eu particulamente creio que isso talvez seja explorado mais a frente, foi algo totalmente sem explicação no filme. De todo modo creio que a simples explicação de que eles erraram seja suficiente.

- Se o Spock precisava de apenas uma gota da "matéria vermelha" para que levar uma bolha gigante da mesma para usar na supernova?

 

Precaução? 06

- O Spock do futuro foi abandonado no planeta Hoth, sabia que tinha uma estação de pesquisas lá e mesmo assim assistou de cadeira cativa a destruição do planeta Vulcano, por que não tentar ao menos avisar os Vulcanos?

Pra mim esse parte do filme é mais forçada, encontrar o Kirk na mesma caverna então nem se fala.

- O capt. Kirk passou 3 anos na academia sem nunca pesquisar o nome da Uhura nos arquivos?

Eu também faria isso, afinal a graça era que ela dissesse :P

- O buraco negro formado no final do filme (que "puxou" a nave Romulana) foi formado próximo ao planeta Terra, não? E com toda a "matéria vermelha" da nave do Spock... interessante o sistema solar sair intacto dessa!

 

Não, eles não estavam mais perto Terra, Spock entrou em velocidade de  dobra pouco após a broca que estava na Terra ser destruída, e o Nero foi atrás dele, estavam bem longe da Terra quando formou o buraco negro. :)

jared.nomak2009-05-14 23:57:07
Link to post
Share on other sites

Villaça, você comenta a ausência da trilha de Jerry Goldsmith para a série. O Goldsmith na verdade compôs a trilha do primeiro longa do cinema, que depois foi utilizado na série A Nova Geração. A trilha da série mesmo é do Alexander Courage, e aparece no final do filme. Grande sacada, aliás.

Link to post
Share on other sites
Assim' date=' foi com óbvia alegria que, logo nos minutos iniciais de Star Trek, constatei estar testemunhando um momento-chave da vida de seu protagonista: seu nascimento. [/quote']

 

Algo que acontece de forma forçada, pois que diabos estava fazendo a esposa do Kirk-pai naquela nave? RE: Estava lá para incluir um drama inicial. "Ah, o piloto-automático pifou, logo tenho que me sacrificar para salvar todos..." Um herói! A sequência dele falando com a esposa sobre o nascimento do filho me fez lembrar uma sequência semelhante no Transformers (filme dos mesmos roteiristas - do militar via webcam com a esposa). Só porque a USS Kelvin foi em colisão com a nave romulana as mini-naves de fuga conseguiram escapar? Os romulanos ficaram observando sem fazer nada? Claro, aparece o logotipo gigante "STAR TREK" logo em seguida, para evitar qualquer explicação de como escaparam.

 

(...) o filme já tem início de maneira emocionalmente impactante' date=' voltando a surpreender ao nos apresentar a uma versão infantil de Spock que, amaldiçoado por representar um improvável híbrido de terráqueos e vulcanos, é vitimado pelo bullying de seus igualmente racionais (mas não menos cruéis) colegas de escola (ou o que se passa por escola em Vulcan). [/quote']

 

Essa do bulling contradiz a psicologia dos vulcanos em não expressarem sentimentos, pois ao formarem grupos que constantemente procuram irritar o Spock, demonstra reações emocionais "ilógicas" para a espécie.

 

A partir daí' date=' reencontramos os tripulantes originais da Enterprise em suas versões juvenis e testemunhamos os momentos em que estes se encontram pela primeira vez (sem imaginarem que estão vivendo instantes históricos) e em que são destinados às suas tradicionais funções.[/quote']

 

Algo incorreto (mas que o roteiro cheio de 'alavancas' tenta arrumar), pois se a história se passa num universo alternativo, não existe nada de "histórico" no encontro desses personagens (a não ser que se refira a vida dos personagens na série de tv).

 

(...) J.J. Abrams ... neste Star Trek' date=' saindo-se admiravelmente bem ao criar seqüências de ação eficientes como a luta sobre o perfurador, que conta uma montagem intensa, planos “aéreos” (obviamente rodados em estúdio) cheios de energia e uma mise en scène inteligente que estabelece um bom suspense ao mesmo tempo em que cria pequenos momentos ricos em humor. [/quote']

 

Pois é, o perfurador... os romulanos além de loucos, são muito burros! Pois será que eles não perceberam que um buraco negro criado pela - Maccguffin - 'matéria vermelha' não precisaria estar dentro de um planeta para destruí-lo? Mais curioso foi o buraco negro destruir planetas e não afetar em nada a nave romulana nem a mini-nave spockiana quando estas entraram no buraco negro criado pela Alspark. Mas então, eles precisavam do tal perfurador, pois sem ele não teriamos as "seqüências de ação eficientes" no filme.

 

(...) Mas o elemento mais surpreendente deste Star Trek - e que o torna vitorioso - reside mesmo no fato do filme representar um autêntico reboot da série: adotando ... as viagens no tempo ... o roteiro não hesita em subverter vários elementos da cronologia tradicional da franquia com o propósito de reconstruí-la.

 

Ou isto foi uma forma mais fácil e preguiçosa de escrever qualquer coisa no roteiro e se safar de cometer erros de continuidade em relação a eventos já conhecidos pelos fans da série.

 

(...) (isto para não mencionar o estabelecimento de relações entre certos personagens que... bom' date=' a prudência me impede de revelar)[/quote']

 

Quando um filme é ruim (igual esse Star Trek) e o Pablo escreve uma resenha negativa, cita detalhes diversos da história, sem "prudência" alguma, agora nesse, evita a todo custo a inclusive falar a trama (se é que esta existe) curioso isso... E por relações, talvez tenha se referido a Uhura se oferecer sexualmente (ou ao menos para dar uns amassos) com Spock, após este perder a mãe no genocídio de 6 bilhões de vulcanos. Sensível essa Uhura, nada como uma boa trepada para superar a perda da mãe!

 

(...) ao passo que John Cho faz um Sulu que' date=' embora ainda inexperiente e, portanto, sujeito a cometer erros primários, já dá sinais da incrível competência daquele que, no futuro, viria a se tornar capitão de sua própria nave.[/quote']

 

Realidade alternativa ou não?

 

Ao sair do cinema fiquei curioso sobre os roteiristas, e quando vi aqui no site que se tratava dos canastrões AK e RO considerei mais incômoda essa "crítica", que se limita a derramar adjetivos sobre os personagens em 70% do texto, sem nunca entrar na história propriamente dita, uma fuga sagaz do Pablo. Semelhante ao que Alex Kurtzman e Roberto Orci fazem durante o filme, disfarçando o raso roteiro com humor, cuja única função é distrair o publico (mão inchada do Kirk, leitor de voz que não reconhece sotaque, Scott preso em tubos de vidro etc.) evitando assim que percebam que o filme é apenas sobre uma nave que ameaça destruir dois planetas e uma equipe de adolescentes que irão impedi-los.

 

Link to post
Share on other sites

Acho que esse filme perdeu o espírito da série que o originou.

 

 

 

Jornada nas Estrelas (série original) me empolgava porque conseguia misturar a ficção científica com alguns debates filosóficos e uma pitada de mistério.

 

 

 

Eu, particularmente, adorava descobrir, junto com a tripulação da USS Enterprise, as maravilhas e terrores de cada novo mundo ou civilização. Acabado o mistério, sobravam ainda o pensamento crítico sobre as motivações de cada personagem e, pasmem, significado.

 

 

 

Havia ação? É claro que havia! Porém, em minha opinião, os melhores episódios eram aqueles que, de uma forma ou outra, obedeciam essa linha de construção.

 

 

 

O que eu vi em "Star Trek" (2009) foi uma correria. Todos correm por suas vidas. Não há tempo para maravilhas. Não há tempo para significados ou metáforas. Mate o vilão e tudo acabará bem.

 

 

 

Jornada era muito mais que pura ação. Os tempos, infelizmente, são outros.

Link to post
Share on other sites

Anderson, entendo que não tenha gostado do filme, e concordo que o roteiro tem algumas falhas, mas ao que me parece você quer forçar a tudo ser errado, apenas para que esteja certo em não gostar do filme, no seu primeiro post você já fez observações que estavam erradas, como o sistema soltar precisar explodir, e agora escreve novamente alguns pontos distorcidos:

 

- A cena do bulling em nada contradiz a natureza dos vulcanianos, afinal o que eles estavam fazendo era um experimento no spock, pois ele era metade humano. Não há nada de irracional nisso.

 

- É obvio que o momento é histórico por se tratar do encontro daqueles que serão importantissimos no futuro, daqueles que estavam na série e na mente de tantos fãs. Foi isso que Pablo quis dizer, e o fato de ser uma realidade alternativa no filme em nada torna pequeno tal momento.

 

- Uma série fracassada necessitava de um reboot como foi dado, pode até ser que os roteiristas tenham unido o util ao agradavel, mas era isso que a seria precisa, mudar tudo.

 

- A namorada do Spock, não arrancou a roupa e pulou no colo dele, se ofereceu pra tudo que ele precisasse, e o sexo foi algo que se passou inteiramente na sua cabeça, essa de trepadinha ta mais forçada que o encontro do Kirk e Old Spock 06

 

-As naves do spock e do nero escapam do buraco negro por poderem atingir velocidade de dobra, que vc parece nao entender o que é, já que foi essa a mesma razão deles não estarem perto da Terra na batalha final. E para escapar além de atingir a dobra é necessário estar a uma distância segura do buraco negro, vc deve lembrar o que aconteceu com a nave do nero na sequencia final.

 

 

Concordo, o filme tem furos, a broca, as coincidências(encontro de kirk e spock),o salvamento no inicio do filme, mas o filme não é tão ruim quanto você está querendo que seja, embora esteja longe de ser o filme que a série mereça.
jared.nomak2009-05-16 22:00:05
Link to post
Share on other sites

Olá jared.nomak,

 

Sobre a broca, ela é necessária como dispositivo do roteiro para criar as cenas de ação e o suspense da ameaça romulana, agora o uso de tal item acaba com a lógica (?) interna do próprio Universo do filme.

 

Se na série de tv tinha ou não tradutor universal, que diferença faz? As escolhas do que manter ou tirar da série de tv foram (aparentemente) aleatórias, pois colocar um reconhecedor de voz daqueles, para criar um piada de 1 minuto no meio do filme é coisa pequena se comparada com a modificação na astrofísica para criar a trama inicial, i.e., Spock ter de salvar os romulanos no último segundo (ou na série eles eram também incapazes de prever supernovas?).

 

Nero ficou uns 20 anos esperando o Spock aparecer, agora ele saber como, quando e aonde ele ia aparecer é admirável vindo de alguém "perturbado". Se ele destruisse todas as USS, incluindo a Enterprise, ele saberia onde encontrar a Terra? Não lembro exatamente desta sequência, mas caso ele já soubesse a localização da Terra, porque não ir destruí-la nesse intervalo de 20 e poucos anos?

 

Namorada do Spock? Boa essa. Ela abraçar ele, ficar beijando na frente de todos, se oferecendo para o que ele precisasse não tem conotação sexual alguma, lógico...

 

- Porque Spock chegou atrasado para evitar uma supernova? A astrofísica dos Vulcanos foi incapaz de prever tal evento com alguns dias de antecedência?

 

Aparentemente nem eles são perfeitos :D' date='  eu particulamente creio que isso talvez seja explorado mais a frente, foi algo totalmente sem explicação no filme. De todo modo creio que a simples explicação de que eles erraram seja suficiente.[/quote']

 

Explorado mais a frente? Veja o histórico dos roteiristas, eles são tão coerentes quanto o Nero!

 

Sobre o buraco negro no final do filme. Reconheço que não lembrava da velocidade de dobra que Spock entrou e os romulanos irem atrás (assisti apenas uma vez e no final eu ja estava cansado de tantos furos na história), mas se uma GOTA era capaz de "engolir" uma supernova, toda aquela bolha de matéria vermelha nas proximidades do Sistema Solar faria um estrago imenso na órbita das estrelas próximas.

 

O que me faz lembrar que mesmo se a "solução" do sr Spock-sênior desse certo, o planeta Romulano sem uma estrela iria congelar matando todos lá... isso se não fosse puxado para o buraco negro criado pelo Spock.

 

Tudo bem se um filme usa termos científicos com certa liberdade para desenvolver as histórias, mas neste filme os termos são meras decorações.

 

- Uma série fracassada necessitava de um reboot

como foi dado, pode até ser que os roteiristas tenham unido o util ao

agradavel, mas era isso que a seria precisa, mudar tudo.[/quote']

 

Se a série foi fracassada qual a necessidade de "reboot"/"mudar tudo"? Que fizessem outra história, sem nenhuma relação com tal fracasso. A nova audiência não ia sentir falta mesmo...

 

Costumo apenas acompanhar os tópicos no fórum e as críticas do editor, mas esse filme é uma boa oportunidade para encontrar elementos do que nunca fazer ao escrever um roteiro. Que venha a continuação!

Andersøn2009-05-16 23:41:14
Link to post
Share on other sites

Olá Anderson,

                      é um pouco complicado discutirmos, pois no fim, estamos do mesmo lado, só não acho o filme tão ruim, mas a maioria dos furos apontados por você e outras pessoas(incluindo a mim :D) estão lá.

 

Não vou mais falar da namorada dele, não é por que há beijo e abraços que tem de haver sexo, beijos e abraços são também uma forma de carinho, e a cara que ela faz ao dizer "estar ali para o que ele precisar" não é referente a sexo, mas sim a fazer com que nos percebessemos que eles não eram só amigos, ou professor e aluna, já que até aquele ponto não havia sido relevado o relacionamento deles.  Havia sentimento no relacionamento deles, conforme mostrado quando Spock é teleportado, e se ela só quisesse curtição teria pegado logo o Kirk há muito tempo...enfim...esse pra mim eh um dos pontos em que sua raiva dos furos do roteiro exagera :)

 

Acho que a parte do tradutor é uma coisa pequena d+ em relação a outros furos, para ser citada, não impacta em nada no filme, ao contrário dos outros pontos. O tradutor universal não faz diferença alguma no filme, respondi demonstrando como o problema da tradução de sotaques não aconteceria na série, afinal foi essa sua pergunta não? se com tanta tecnologia não haveria algo que reconhecesse sotaques? no filme deixaram isso de lado pela piada...e confesso que achei bom.

 

Ele é perturbado por querer matar bilhoes de seres, não o considero burro(embora a sequencia final demonstre exatamente isso). De todo jeito concordo com você que ele achar o spock ali não teve explicação, o que não significa que seja impossível, apenas não foi explicado, ele esbravejava pra um de seus companheiros que tinha certeza que seria ali. Nero não destruiu a Terra antes pq queria Spock presente na destruição dos dois planetas e pq ele precisava da tal senha dos escudos da Terra, agora me responda...que sentido faz deixar Spock naquele planeta? Se ele queria que o Spock visse seu planeta ser devorado, que lugar melhor que a própria nave do Nero? o faria ver o planeta ser destruído e depois o prenderia pelo resto da vida, mas não, ele joga o Spock em um planeta do qual ele pode escapar...tsc...

 

Depois que escrevi essa parte de ser explorado a frente, pensei comigo mesmo que isso realmente não vai acontecer, mas achei errado alterar o post, você tem toda razão neste ponto. mas de toda forma, não podemos considerar um furo eles terem errado a chegada da supernova , simplesmente erraram ue... Ah, já li em algum lugar que a questão de viagem no tempo não deve aparecer na sequencia, entao creio que toda essa historia do nero e materia vermelha está encerrada neste filme.

 

Também só vi o filme uma vez, estou até com vontade de ver de novo pra ver se a explicação para alguns desses pontos passou despercebida.

 

Bom, a franquia existe, ela estava fracassada mas poderia ressurgir ue, reaproveitaram os personagens e alguns detalhes na historia e resolveram mudar o resto...já que pra nova audiência tanto faz, mantendo alguns elementos eles ganhariam a nova e manteriam a velha audiência.

 

Recapitulando o que considero furos:

- Old Spock ser libertado;

- Encontro de Old Spock e Kirk;

- Matéria Vermelha e Broca;

 

 

A fuga das naves no inicio poderia ser explicada pelo simples fato do Nero não estar nem ai para elas, ele queria o Spock, viu que ele não estava ali, iria destruir a nave principal, ela se explodia, ele deixou fugirem, não faria muita diferença pra ele, acho este um ponto sem impacto algum no resto do filme.

 

Já os outros três pontos são cruciais pro filme, e fogem da lógica criada pelo próprio universo do filme.

 
Link to post
Share on other sites

 

Pois é jared.nomak, o filme possui erros, e os considero mais alarmantes, pois se tentassem corrigi-los, precisariam reescrever o filme todo!

 

Vou apenas citar dois pontos que você considera "sem impacto algum no resto do filme":

 

1º "não podemos considerar um furo eles terem errado a chegada da supernova"

 

Eles quem? Os roteiristas ou os vulcanos? Se foi erro dos vulcanos, seria necessária uma iminente reforma no sistema curricular deles! Deixar toda uma civilização viajando pelo espaço sem conhecimento da "vida" de estrelas é uma ameaça para qualquer tripulação. Se foi erro dos roteiristas, foi um erro que eles TINHAM que manter, pois imagine como seria a história, o filme todo, sem o atraso do Spock...

 

2º "A fuga das naves no inicio poderia ser explicada pelo simples fato do Nero não estar nem ai para elas ... ele deixou fugirem, não faria muita diferença pra ele, acho este um ponto sem impacto algum no resto do filme."

 

Não faz sentido deixar eles irem embora, pois o Kirk-pai ficou na nave exatamente para impedir que os tiros em camera-lenta da nave Romulana atingissem as mini-naves. Mesmo após o ataque kamikaze da USS Kelvin, as mini continuavam voando ali visivelmente. O Nero estava atrás do Spock, a menor precaução recomendaria destruir todos que presenciaram o ataque, porque não começar o genocídio ali mesmo? Ou até para não sofrer futuros contra-ataques, mas eles TINHAM que escapar, pois imagine como seria a história, o filme todo, com a morte do Kirk-filho nos minutos iniciais...

 

Penso serem 5 os pontos cruciais e mais curioso é o Pablo não ter "percebido" nenhum deles ao assistir o filme...

 

Obs.: Para não parecer que só vi defeitos no roteiro, teve uma excelente sacada - vitoriosa - na metáfora expressa na destruição do plantea Vulcano: Aqui termina toda lógica no Universo de Star Trek!

Andersøn2009-05-17 01:56:17

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

Announcements

×
×
  • Create New...