Jump to content
Forum Cinema em Cena

Cineclube Light


Mr. Scofield
 Share

Recommended Posts

Não incitei nada, e quem começou foi você falando em filmes obrigatórios. Perda tempo argumentar com alguém dono de uma visão de cinema capaz de produzir frases como esta:

"independente de se interessar por assistir ou não, qualquer um interessado em criar uma bagagem, uma formação de conteúdo cinematográfico deve se submeter a assistir certos filmes."
Forasteiro2009-09-23 17:08:38
Link to comment
Share on other sites



Até que enfim' date=' uma outra pessoa que dá algum valor ao cinema enquanto arte.


[/quote']

Cremildo, uma pergunta sem sacanagem. Numa tarde chuvosa de domingo, quando você não está na busca incessante por aumentar sua bagagem cultural, o que tu faz pra se divertir?


 

Ele veste o robe de seda, confortáveis pantufas de veludo e vai degustar um cachimbo, oras.
Link to comment
Share on other sites

 

 

Até que enfim' date=' uma outra pessoa que dá algum valor ao cinema enquanto arte.

 

 

[/quote']

 

Cremildo, uma pergunta sem sacanagem. Numa tarde chuvosa de domingo, quando você não está na busca incessante por aumentar sua bagagem cultural, o que tu faz pra se divertir?

 

 

 

Ele veste o robe de seda, confortáveis pantufas de veludo e vai degustar um cachimbo, oras.

HUAHEUEHAUEHAUEHUAHUE. sério, poucas vezes ri tanto e tão espontâneamente quanto com esse post.

 

Link to comment
Share on other sites

Entrando de sola na discussão: para mim, esse negócio de "ter que assisrie o filme X, Y ou Z se você quiser ser considerado cinéfilo" é uma grande bobagem.

 

Primeiro, que não existe regras para se apreciar a arte, cada um "sente" a arte de formas diferentes.

 

Segundo, se você assistir qualquer filme com algum grau de obrigação você não vai conseguir apreciá-lo. Aliás, isso me lembra uma declaração bem famosa do Rubens Edwald Filho, onde ele fala que "já tinha visto um sem-número de filmes e que já fez a proeza de assistir dois iflmes ao mesmo tempo." Agora, me digam se há como abstrair algo assistindo filmes dessa forma?

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Calma, silva.

Não estou falando que para ser considerado cinéfilo somos obrigados a assistir certos filmes.

 

Só estou afirmando que existem certos filmes obrigatórios, para qualquer um interessado em uma formação de bagagem cinematográfica.

 

Como eu disse anteriormente, Cidadão Kane, Psicose, O Encouraçado Potenkim são produções que DEVEM ser assistidas. Se o seu intuito não é apenas se divertir com cinema, certos filmes mostram-se obrigatórios para uma formação. Simples.

 

E concordo plenamente sobre sentir a arte. Cada um sente de uma forma. E, Anticristo, como uma peça de arte, provoca essas reações. Por isso o considero um filme obrigatório. 03
GrackCold2009-09-23 23:07:54
Link to comment
Share on other sites

Vamos bater palmas para o Foras e para o Schonfelder. 10

Eles são os únicos que dedicam seu tempo assistindo Nouvelle Vague' date=' Neorealismo Italiano, Expressionismo Alemão, Vanguarda soviética somente por PURA diversão.

 

1010101010
[/quote']

 

Até agora deu pra dar umas risadas e tal (principalmente com esse último post do Schon) mas você é tão absurdo que tá ficando quase interessante, e eu realmente gostaria de tentar esclarecer algumas coisas.

 

Pergunta: ja parou pra pensar que talvez você não goste tanto de cinema quando pensa/queria gostar?

 

Digo isso porque (apesar de eu ter visto pouca coisa da nouvelle vague e neorealismo e rigorosamente nada do resto que você falou) tudo que vi foi, sim, em busca de entretenimento (que é o comportamento de uma pessoa normal, por mais chocante que isso te pareça), e você colocar esses movimentos desse modo no teu post faz pensar que você não considera a possibilidade de alguém curtir um filme da nouvelle vague (e tem outra coisa que vou limitar a esses parênteses-gigantes aqui: citar a nouvelle vague por baixo desse tom que você usou é pura bobagem - assim como qualquer outro desses movimentos cinematográficos que eu desconheço, certamente -. Só como exemplinho tolo, Uma Mulher é Uma Mulher é um dos filmes mais loucos e divertidos desse mundo).

 

A diversão é a função primeira (e mais rara, e mais complexa) da arte (e isso vai contra tudo em que você acredita, eu já sei). Me esclarece uma coisa (o Cremildo também, se ainda estiver aí), qual o teu objetivo afinal (não venha com 4 pedras que é uma pergunta sincera)? Poder à vontade montar tops de filmes húngaros, de repente citar, quando surgir a oportunidade, algum daqueles filmes de 4 horas que você se forçou a ver em algum fórum ou na sessão de comentários de um blog?

 

A famigerada 'bagagem cultural' é só um efeito colateral da cinefilia (termo que andou ganhando conotações snobs etc, mas que nada mais é que AMAR cinema = CURTIR o que se passa na tela / e não esperar ansiosamente o filme acabar só pra anotar mais um na lista de vistos do mês). E mais uma coisa, se você a procura (a bagagem) antes de mais nada, e se esforça tanto pra obtê-la, eu tenho outra péssima notícia: o conhecimento em nada substitui a imaginação. É o caso do Ewald Filho, viu 30 mil filmes e continua sendo o Ewald Filho, coitado.
Forasteiro2009-09-24 01:11:43
Link to comment
Share on other sites

 

sem contar Pierrot Le Fou que, por baixo, tá entre os 10 filmes mais divertidos de todos os tempos, facinho. é tão difícil entender que a tal bagagem cultural tá intrínseco em assistir um filme, e que a mesma não deve ser o motivo mor pra se ver qualquer coisa que seja?

 

"nossa, que filme entediante, que saco, não aguento mais ficar na frente da tela, mas me disseram que esse filme é o maior tratado audio-visual sobre o comportamento das gazelas paquistanesas em época de acasalamento, preciso me submeter a vê-lo até o fim, senão não saberei nada sobre o assunto." adquiriu uma duper bagagem cultural dormindo em frente à tela. genial.

batgody2009-09-24 03:03:46

Link to comment
Share on other sites

É assustador pensar que uma pessoa REALMENTE consegue enxergar o cinema dessa forma, tô até agora pensando no cara numa masmorra em frente a uma tela, com um armário 2 x 2 segurando um porrete do lado, se "submetendo" a uma sessão de Vanguarda Soviética e pensando "é pro meu bem, é pro meu bem". Imagino que deva ser um parto assistir a certos filmes e depois dizer (ou escrever no blog, ou no fórum, etc) que são geniais. Triste.

Eu poderia até continuar falando que pra mim pouco interessa se um filme foi enquadrado num rótulo de new wave, ou expressionismo, ou neo-realismo - pra mim só existe o "rótulo" de filme bom e filme ruim; ou que posso assistir satantango e crank e me divertir com ambos, mas olha que coisa incrível aconteceu : estava eu lendo o livrinho (talvez o nosso amigo discorde, mas ler também pode divertir) que vem com o bd de O Sétimo Selo, e eis que o camarada chamado Gary Giddins começa o texto justamente atentando pro fato de que boa parte das pessoas cita o filme mais por sua "importância histórica" do que pelo que tem realmente de bom. O cara consegue, de uma forma acertadíssima, convidar o cidadão a assistir ao filme despido de idéias e conceitos pré-fabricados. Acredito que, pra muita gente, isso possa ser um puta incentivo a tirar esse "peso" das costas e encarar o filme de peito aberto - e provavelmente ter uma opinião mais sincera sobre ele (ou quem sabe, até se divertir !) dessa forma. Acho que essas palavras dele deveriam, inclusive, servir de mantra pra banir esse tipo de visão limitadíssima que o nosso amigo lá de cima insiste em martelar.

E fechando esse prólogo, o cara ainda sentencia (aqui vou por o trecho literal) : "Worse, The Seventh Seal quickly assumed, and has never quite shaken, the reputation of something good for you - a true kiss of death. A movie that's good for you is, by definition, not good for you."

Cara, juro que essas palavras vieram do céu pra ti.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

Opa. Cheguei onde queria: surtir uma discussão interessante.

 

Vamos lá.

 

Acredito que, antes de tudo, devemos nos perguntar qual é a função da arte? Arte é um mero instrumento de puro entretenimento ou há algo muito além? Qual o principal intuito de cada um ao "consumir" arte?

 

Acredito eu que as respostas para estas perguntas, assim como a própria arte, sejam subjetivas, mas questionáveis.

 

Me surpreende ler de usuários como o Foras que cinema é, antes de mais nada, entretenimento. Digo. Você desenvolve textos de assimilação muito bons, tem uma bagagem muito maior que a minha, por exemplo. Eu não acredito que, como a própria definição de entretenimento do dicionário, cinema, para você, represente apenas distração, passatempo, divertimento.

 

Na minha concepção, temos duas vertentes. E é óbvio que devemos ter discernimento. Eu, por exemplo, não assisto a um clássico como forma de passatempo. A arte exerce uma função reflexiva, sensorial, logicamente, atrelada a função de divertir. Mas a arte surte vários outros efeitos além da diversão. Arte é reflexão, é sintetização de emoções, estimulação de consciência no espectador.

 

A partir de tal conceito, acho difícil alguém assistir Bergam procurando entretenimento. Eu não assisto. Não estou dizendo que um Fellini não entretém, apenas que ao assistir vou além disso. Entretem? Sim. Mas, primordialmente, acima de tudo, me faz refletir, balança minha consciência.

 

Voltando a questão de filmes obrigatórios... Não que seja uma imposição ditatorial, na minha opinião, certas produções devem ser assistidas, principalmente por aqueles que se interessam em cinema como meio de reflexão, de estimulação da consciência. E não vamos levar tudo às últimas consequencias né? Lógico: é uma escolha sua assistir a um filme ou não, e deixando de assistir não vai me fazer menos ou mais cinéfilo. Mas acredito que é crucial para que eu não crie só uma bagagem, todavia, participe de novas experiências, novas assimilações, novas referências.

 

Vou exemplificar de novo com Cidadão Kane. Para alguém interessado em estudar o processo do desenvolvimento cinematográfico através das décadas (seja da montagem, de decupagem, de atuações, de narrativa e de discurso), Cidadão Kane é um filme essencial. Assim como, se alguém estiver interessado por passar por experiências sensoriais, acredito que deve assistir Anticristo. É neste sentido de obrigatoriedade que falo.

 

E não vamos levar às últimas consequências, patota!

Estamos aqui pra debater e, sinceramente, acho essa discussão interessante. 03

 

 

Obs.: Para esclarecer, talvez eu seja um pouco suspeito para falar do assunto e posso nem saber do que estou falando. Afinal, Cinema, para mim e minha carreira, é instrumento de estudo.

 

GrackCold2009-09-24 11:38:41

Link to comment
Share on other sites

"Arte é reflexão, é sintetização de emoções"

 

Pra mim cinema é justamente teu segundo exemplo e eu dispenso o primeiro, não que não possa vir como um bônus, mas pra mim é isso que é o extra, não o contrário. E acho IMPOSSÍVEL alguém sofrer qualquer processo reflexivo se não vir necessariamentre atrelado ao entrenimento, e quando falo isso, não me refiro ao sentido óbvio, mas sim ao sentido do teu segundo exemplo, de ser instigado pela imagem, de ser emocionado por ela, de sentir prazer em ver aquela imagem escorrendo pela tela, e olha só, quando falo prazer, também não falo no sentido comum de sentir coisas boas, pode ser considerado no sentido hipnótico, de não conseguir levantar dali por estar vinculado emocionalmente ao que aquilo tudo está te dizendo, ficar ali pq quer, não procurando uma reflexão forçada e mecânica, mas sim uma espontânea e devastadora. Aí a reflexão vai atingir um grau interessante, quando a tua sensibilidade pessoal se liga ao que aquela mensagem ou etc está te passando. Mas pra isso, e eu não consigo pensar diferente, o prazer de assistir aquela imagem tem que estar irremediavelmente contigo, caso contrário vai falhar miseravelmente. Até pq, se tu não se emocionou com essa forma de reflexão que acabou de adquirir (estou usando essa palavra pq foi vc quem citou), qual o sentido, no que tu vai usar ela, em debates com amiguinhos que fazem faculdade de cinema? Se as imagens de 2001 não te emocionam, e tu assiste apenas para encontrar os significados de cada frame do filme, entender que a intenção do Kubrick aqui é isso, e ali é aquilo, isso é uma forma de reflexão valida, que realmente vale a pena passar? tem sentido assistir um filme dessa forma? 2001 pode causar reflexão, mas pra isso, tu tem que se sentir atraído pelo que ta vendo, não assistir batendo o pé de ansiedade pra que termine e no final dizer "ah, entendi!" não existe processo reflexivo aí, o prazer pela imagem tem que estar ligado. Mas caso eu esteja completamente errado, assim como o pessoal que ta discutindo contigo, e realmente exista isso que tu falou... putz, fica um negócio tão frio, tão vazio, que eu chego a sentir pena de quem assiste cinema com esse proposito.
Tensor2009-09-24 12:16:52
Link to comment
Share on other sites

Eu sei lá, sempre que eu ouço/leio alguém dizer que busca assistir os clássicos para ganhar bagagem, adquirir cultura ou coisa que o valha me soa mais como uma afronta ao cinema do que um elogio, pois sempre que isso acontece me parece que o cinema está sendo usado como ponte para algo quando pra mim o cinema é o objetivo, é o meu ponto final.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

Na minha concepção' date=' temos duas vertentes. E é óbvio que devemos ter discernimento. Eu, por exemplo, não assisto a um clássico como forma de passatempo. A arte exerce uma função reflexiva, sensorial, logicamente, atrelada a função de divertir. Mas a arte surte vários outros efeitos além da diversão. Arte é reflexão, é sintetização de emoções, estimulação de consciência no espectador.

 

 

[/quote']

 

E passar por essas experiências não é algo prazeroso para você? Se é, então você não está se divertindo?

 

Link to comment
Share on other sites

Mas aí é que está, Fulgora. Diversão e prazer não são, necessariamente, sinônimos.

 

caixa-be.gifcaixa-bd.gif
diversão

di.ver.são

sf (lat diversione) 1 Ato ou efeito de divertir. 2 Distração, passatempo, recreio.

 

Eu não vejo cinema por puro passatempo. 2001: Uma Odisséia no Espaço é um dos meus filmes favoritos, acho prazeroso, mas não, necessariamente, me entretem.

 

Eu acho que o cinema exerce função de entretenimento sim. Não estou discordando. Mas acho que banalizam demais as palavras diversão e entretenimento. Por exemplo.. Piadas são divertidas. Cinema não é só isso. Compreendem o que quero dizer?

 

Suponhamos que alguém aqui decide assistir Morangos Silvestres hoje a noite. O que ela espera do filme? Se divertir? Se entreter?

 

Link to comment
Share on other sites

Ok, então me trace a linha que divide filmes que servem como entretenimento e filmes que servem para algo a mais. A linha que você traçar será diferente da minha. Para não ficar vago, vou pegar o filme Simplesmente Amor. Ele me diverte? Sim. Agora, se eu te disser que esse filme é meu psicólogo ideal, pois sempre quando estou irritado/chateado/sei lá, eu o vejo e me sinto feliz, melhor. Devo eu classifica-lo como apenas entretenimento, diversão. Porra, o filme é um medicamento pra mim.

 

Agora me diga, esse filme estaria em qual lado da SUA LINHA.

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Gastei páginas' date=' em outro tópico, tentando explicar a mesma coisa que Grack está defendendo agora (e eu entendo perfeitamente).

 

O resultado foi uma diatribe dos aprendizes de fascistas que se sentiram incomodados ou intimidados com o posicionamento.

[/quote']

 

Ok, me diga efetivamente quais foram seus avanços culturais por assistir filmes.

 

 

 

 

Perucatorta2009-09-24 14:06:09

Link to comment
Share on other sites

 

 

Eu não vejo cinema por puro passatempo. 2001: Uma Odisséia no Espaço é um dos meus filmes favoritos' date=' acho prazeroso, mas não, necessariamente, me entretem.

 

[/quote']

 

Como assim "não necessariamente" te entretem? Ou o filme em questão (2001) te entretem, ou não. Mas supondo que ele não te entretem (acho que foi por isso que vc o usou como exemplo), eu vou também supor você fica todo tempo olhando pro relógio, torcendo pra ele acabar logo. E aí vem a pergunta: isso é uma experiência prazerosa?  Como você pode ficar não entretido e ao mesmo tempo sentir prazer?

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

Gastei páginas' date=' em outro tópico, tentando explicar a mesma coisa que Grack está defendendo agora (e eu entendo perfeitamente).

 

O resultado foi uma diatribe dos aprendizes de fascistas que se sentiram incomodados ou intimidados com o posicionamento.

[/quote']

 

Ok, me diga efetivamente quais foram seus avanços culturais por assistir filmes.

 

 

 

 

 

pode pegar transformers como exemplo, gostaria muito de saber que bagagem cultural te acrescentou, em que sentido mudou sua visão de mundo, sua vida, por gentileza (já que a pergunta foi sumariamente ignorada anteriormente).

batgody2009-09-24 15:16:59

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...