Jump to content
Forum Cinema em Cena

Hannibal


Questão
 Share

Recommended Posts

 Bedelia não é serial. Aquele flashback é do paciente que a atacou e que havia sido um ex paciente do Hannibal, encaminhado a Bedelia por ele

 

 E quando Hannibal diz que ela estava "participando" e não "observando", acho que ele quis dizer que ela imaginou que aquilo podia acontecer, talvez tenha até mesmo antevisto, e não fez absolutamente nada para evitar. Por isso, Hannibal disse que ela não estava "observando" e sim "participando".

Link to comment
Share on other sites

 Bedelia não é serial. Aquele flashback é do paciente que a atacou e que havia sido um ex paciente do Hannibal, encaminhado a Bedelia por ele

 

 E quando Hannibal diz que ela estava "participando" e não "observando", acho que ele quis dizer que ela imaginou que aquilo podia acontecer, talvez tenha até mesmo antevisto, e não fez absolutamente nada para evitar. Por isso, Hannibal disse que ela não estava "observando" e sim "participando".

Mas esse "participando" dá impressão de que não seria a primeira vez.

 

Poxa! Achava que "Hannibal" não poderia me surpreender mais no quesito insanidade esdruxula, depois daquele toten humano da primeria temporada... ingenuidade a  minha... aff!

 

 

Graci, veja "Penny Dreadfull"

Link to comment
Share on other sites

  Visto o 3x02 (possíveis spoilers adiante)

 

  Achei esse episódio meio meh. Foi bom ver Will Graham de volta a ação, já na Itália, em Palermo, na caça de Hannibal, tendo como ponto de partida um comentário que o bom doutor fez enquanto eles destruíam os arquivos de pacientes.

 

   Tivemos a introdução de mais um personagem advindo dos livros/filmes, o Inspetor Rinaldo Pazzi (Fortunato Cerlino). Diferente do filme e livro HANNIBAL, aqui o Inspetor Pazzi nos é apresentado como um Inspetor da polícia de Florença, aparentemente honesto, que falhou em capturar Hannibal vinte anos antes, quando o bom doutor cometeu uma série de assassinatos em Florença, ganhando a alcunha de "Il Monstro". Tenho a impressão que misturaram os personagens do Inspetor Pazzi e do Inspetor Popil (de HANNIBAL: A ORIGEM DO MAL) em um único personagem.

 

  Mas no geral, achei que aconteceu muita pouca coisa neste episódio. Achei a reviravolta envolvendo Abigail bastante previsível. Ainda sabemos muito pouco sobre o "ano perdido" desde que Will foi deixado sangrando na cozinha de Hannibal nos States, até o presente momento, onde encontra o corpo que Hannibal deixou especialmente para ele na Catedral de Palermo. Achei desnecessário também reproduzir toda a cena final da season finale passada, a impressão é que foi só pra encher linguiça.

 

 No geral, um bom episódio. Gostei da introdução do Inspetor Pazzi na série, e da mexida que deram na personalidade dele em relação ao filme/livro. Mas "Primavera" acaba sendo inferior a premiere desta temporada, e mais fraco do que qualquer episódio da OP que foi season two. Mas confio no Fuller e acredito que as coisas devem melhorar muito nos próximos episódios. 

Link to comment
Share on other sites

Também achei um episódio beeeem meia boca... Daqueles que me fez ficar indiferente diante das cenas, ainda mais com aquele monte de vai e volta... A única cena que me empolgou foi a do "veado"... Muito bem feita... 

Os dois primeiros episódios exageraram no flashback... Parece que a temporada ainda não começou, que esses dois episódios foram no estilo "promo da próxima temporada", que a qualquer momento iriam aparecer os atores falando sobre a série, o que aguardar na temporada, como chegaram até ali e comentando... Enfim,...

Link to comment
Share on other sites

Eu sempre preciso reunir coragem pra ver essa série.

acho que não é pra mim.

Me lembro que foi o mesmo com "Dexter" e com "Spartacus", mas uns 6 eppys depois já tava acostumado com tanto sangue.

Lá se vão duas temporada s de "Hannibal" e ainda hesito/adio assisti-la.

 

Em "Hannibal", estão sempre se superando no quesito insanidade...aff!

Talvez a série não seja pra mim.

Link to comment
Share on other sites

 Então fuja para as montanhas JUJUBa, por que o Fuller já disse que esta será a temporada mais gráfica da série até então

 

 Visto o 3x03 possíveis spoilers abaixo

 

 O cerne do episódio girou em torno da visita de Will a Lituânia, mais precisamente ao velho Castelo Lecter, em busca de pistas de seu velho amigo/inimigo. Mas a visita de Will ao antigo lar de Hannibal não é apenas uma busca pelo paradeiro físico de Lecter e sim uma forma de Will tentar entender melhor a mente de seu ex terapeuta canibal ao remexer em seu passado. E é neste castelo que Will conhece outra vida que foi profundamente tocada por Hannibal, Chiyo, a jovem ajudante de Lady Murasaki (tia de Hannibal, cujo destino ainda é desconhecido).

 

  Chiyo presenciou a vingança de Hannibal contra aqueles que devoraram a sua irmã Mischa, e por ter implorado pela vida do ultimo sobrevivente, Hannibal o deixou sob sua guarda. Chiyo mantém há anos o ultimo dos assassinos de Mischa prisioneiro na pequena masmorra do castelo, embora isso faça dela mesma uma prisioneira. Como Will observa, Hannibal deve ter ficado curioso para saber se ela mataria o homem algum dia ou não.

 

 Mas conhecemos Hannibal, a questão levantada neste núcleo é: Will não ficou curioso também? ao libertar o homem de sua jaula e faze-lo ir embora, ele tinha somente a intenção de libertar Chiyo da prisão em que Hannibal a pôs, ou ele estava curioso sobre o que o homem faria e o que Chiyo faria? Pois o homem volta e tenta se vingar da oriental, forçando ela a mata-lo em auto defesa com um osso de gainha quebrado cravado no pescoço. Desta forma, sem mais rzão de estar alí, Chiyo resolve se juntar a Will em sua busca por Hannibal. Curioso pra ver como vai funcionar a dinâmica do casal.

 

  O interessante das conversas entre Will e Chiyo é que ela parece acreditar que o que houve com Mischa (circunstâncias estas que não conhecemos ainda) explicam o que Hannibal se tornou. Will discorda. Na visão de Hraham, o que houve com Mischa não explica Hannibal, é apenas uma indicação.

 

 Enquanto isso em Florença, na Itália, o humor negro rolou solto nos jantares oferecidos por Hannibal a seus convidados. Durante o jantar dado ao professor que destratou Lecter no piloto, Hannibal do nada enfia um picador de gelo no crânio do sujeito somente para dizer depois falsamente envergonhado Reconheço que foi uma atitude um pouco impulsiva. O mais bizarro é que o sujeito não morre e parece esquecer que tem um picador de gelo cravado no cérebro, começando a rir do fato de não conseguir enxergar enquanto Hannibal volta a sua cadeira e come calmamente. Não aguentando a situação Bedelia se levanta, e arranca o picador da cabeça do professor, que então cai morto de cara no prato. Ri alto quando Hannibal comenta Tecnicamente, foi você que o matou :D

 

  Além disso, o que foi o jantar seguinte, com Hannibal servindo a elite intelectual florentina, observando sadicamente enquanto os convidados comem a carne do convidado ausente, sendo só elogios ao cozinheiro. Ah, e a Bedelia parecendo uma criança separando a carne no prato, e só comendo scargot e legumes  :D

 

  Mas nem só humor negro rendeu a convivência entre Bedelia e Hannibal. Diferente da première, Bedelia parece um pouco mais segura, voltando a analisar Hannibal. Ela percebe que o canibal não está em busca de paz em seu exílio italiano, e que pretende atrair todos os seus antigos adversários. Nestas conversas, descobrimos um pouco mais sobre as circunstâncias da morte de Mischa. Hannibal comenta que Mischa "incentivou ele a trair a si mesmo", o que faz com que eu me pergunte que se diferente dos livros e filmes, Hannibal não teve uma participação mais ativa na morte de Mischa.

 

  Enquanto isso, a catedral de Palermo recebe outro sobrevivente do massacre do final da temporada passada. Jack Crawford, agora ostentando barba e parecendo velho e cansado. Jack tem um encontro com o Inspetor Pazzi, que a principio vê no chefão do FBI (provavelmente ex chefão) um aliado. Mas Jack não esta ali por Hannibal, e sim por Will. Como Jack define Eu pedi emprestado a imaginação dele e a destrocei.  Jack quer encontrar o amigo e traze-lo para casa. Afinal, muito justificadamente, Jack se culpa por Will ter ficado na mira de um serial killer canibal com um fraco por jogos psicológicos.

 

  No geral, embora este terceiro episódio não tenha tido a beleza estética dos dois anteriores, foi o que mais colocou a história pra frente. Sabemos um pouco mais sobre o passado de Hannibal, e Will ganhou uma aliada em sua caçada a Hannibal. E como dito antes, de certa forma, Will se tornou (conscientemente ou não) tão manipulador quanto o Dr. Lecter.

 

 Pontos destaques

 

- Homenagem a O SILÊNCIO DOS INOCENTES com Will transformando o cadáver do homem em uma mariposa gigante

 

- Bedelia é muito corajosa ou muito louca. Como ela pergunta ao Hannibal "Que gosto tinha a irmã dele?" enquanto ele lava os cabelos dela na banheira. Parece um assunto que mexe com o canibal. Tive a impressão que ele soltou a cabeça de Bedelia para não afoga-la.

 

- O episódio humanizou bastante Hannibal, mostrando que mesmo Hannibal Lecter teme as memórias já que se declara incapaz de retornar para sua casa na Lituânia, algo reforçado por Chiyo.

 

- Bastante curioso pra saber a versão da série sobre a morte de Mischa, que pelo visto será bem diferente dos filmes e livros.

Link to comment
Share on other sites

A la ó!

Falei que tava pesado !

A série é estupenda ! Esse Mikkelsen carregava a séries nas costas. Dava prazer vê-lo atuando.

Tudo na série é bom... exceto essas coisas perturbadoras, que nessa série, era mostrada de maneira explicita demaisss !

Não era "assistível" pra muitos.

Link to comment
Share on other sites

 O Mikkelsen  é o melhor, mas não dá pra dizer que "carrega a série nas costas", JUJUBA (mudei o tempo verbal de sua frase de propósito, pois ainda me recuso a falar dessa série no passado :mellow:). O Hugh Dancy entrega um Will Graham fantástico também, um herói trágico e perturbado, enquanto o Laurence Fishburne entregou o Jack Crawford mais humano já visto em live action. E olha que é um papel já vivido por atores muito bons como Scott Glenn e Harvey Kietel.

 

 Essas coisas perturbadoras fazem parte do charme da série JUJUBA, mas não acho que são a razão (ou a principal razão) do cancelamento da série; E que HANNIBAL é cerebral demais pra TV Aberta americana. É uma série que não é didática. Tem que acompanhar pra conseguir entender bem o que está acontecendo, por que ela não para pra explanações sobre como aconteceu isso ou aquilo episódios atrás. Até é surpreendente que tenha durado tanto na TV aberta, por que a audiência da série nunca foi muito boa;

 

 Mas pega AMERICAN HORROR STORY por exemplo, que tem umas bizarrices visuais parecidas, e que ainda coloca sexo no meio, coisa que HANNIBAL não faz. Só que AMERICAN... passa na TV fechada. Mas HANNIBAL é muito bem criticada. Alguém vai querer salvar a série. Alguém tem que salvar. :angry:

 

 

 O Fuller já tá na batalha.

 

 Hannibal: após cancelamento, série explora opções em outros canais e serviços!11comentários

  • Por Guilherme Haas em 23/06/2015 - 13:30
  •  

Calma, fãs de Hannibal, nem tudo está perdido! Logo após o cancelamento da série pela NBC, anunciado ontem, o showrunner Bryan Fuller e outros produtores revelaram, através do Twiiter, que estão analisando opções para negociar o programa em outros canais e plataformas.

Fuller e os membros da Gaumont International Television e da De Laurentiis Company, que produzem Hannibal, iniciaram uma campanha #SaveHannibal no Twitter para chamar a atenção de possíveis compradores sobre a legião de fãs da série.

content_pic.jpgFonte da imagem: Divulgação/NBCPinExt.png

De acordo com a equipe, “todas as opções estão sendo exploradas”, incluindo canais da TV a cabo assim como plataformas de transmissão online. Como nota o site Deadline, a opção que faz mais sentido para Hannibal é a Amazon, que já possui os direitos de retransmissão das primeiras temporadas da série nos Estados Unidos.

Esse acordo prévio com a Amazon pode complicar negociações com outros serviços, como a Netflix ou o Yahoo!, por exemplo, mas não deve ser visto como um impedimento. Vale lembrar que Community foi salva quando estava em uma situação parecida com a de Hannibal agora – com fãs devotos e grande aprovação da crítica, é possível reverter esse cancelamento!

 

 

[ATUALIZAÇÂO] A Amazon informou que não tem interesse em salvar Hannibal, porque seu objetivo é produzir apenas conteúdos originais!

 

FONTE: MINHA SÉRIE

Link to comment
Share on other sites

O elenco é bom, mas esse Mikkelsen me dá arrepios... e ainda me puseram ele pra fazer dobradinha com o Pitt, que me assombra desde "Funny Games", credo !

Sabe essa pose, essa etiqueta, ternos finos...

 

Achei muito doido o primeiro eppy dessa temporada em que ele justificava não se achar um canibal pq comia carne de um animal diferente, um ser humano inferior... tipo, quase que, do alto da sua erudição, considerasse seres humanos inferiores a ele, porcos... afff!

Link to comment
Share on other sites

 O pessoal ficou tão abatido com a notícia do cancelamento que nem comentaram o ep. 03 :(

 

 Bom, visto o 3x04. Como sempre, possíveis spoilers abaixo.

 

 Bem que este episódio podia ter sido a première da temporada (embora esteja longe de ser tão belo como foi o primeiro ep real). O episódio basicamente mostra o ano perdido dos personagens que ficaram nos States após a fuga de Hannibal, especialmente os sobreviventes do massacre ocorrido no final da temporada passada.

 

 Mostrando que é realmente duro de matar (o cara teve um rim arrancado na primeira temporada, e levou um tiro na cara na segunda) o Dr. Frederick Chilton visita cada um dos sobreviventes do massacre promovido por Hannibal. Tendo tido o seu rosto deformado pelo tiro que levou (o que ele oculta com maquiagem e lente de contato), Chilton busca apoio em Will, Alana e Jack para encontrar Hannibal e ter a sua vingança. Ou seja, socar o bom Dr. Lecter dentro de seu sanatório e tentar desmontar a mente dele. Chilton retorna bem mais sagaz e manipulador do que em suas aparições anteriores, conseguindo aumentar o rancor de Alana contra Lecter e o senso de responsabilidade de Jack em relação ao Will. Como o próprio Chilton diz no começo do episodio, ninguém mais foi o mesmo depois que Hannibal Lecter passou por suas vidas, seja físico ou psicologicamente.

 

  Outro que busca aliados para localizar Hannibal é Mason Verger (Joe Anderson, substituindo Michael Pitt). Com o rosto totalmente deformado e praticamente tetraplégico (embora ainda consiga mover um braço) Mason está atrás de um terapeuta. Mas como Chilton observa na cena que abre o episódio, Verger esta atrás não de um analista e sim de alguém que trace perfis psicológicos, já que quer vingança contra um certo alguém no estilo "olho por olho", e como seus objetivos não são os mesmos, Chilton não fica com a vaga. Mas existe uma psiquiatra que nas palavras de Mason "foi tocada mais profundamente por Hannibal do que qualquer um :D", a Dra. Alana Bloom. Falaremos mais dela logo mais, mas antes devo dizer que em primeira instância a substituição de Pitt por Anderson não foi muito sentida, embora Anderson faça um Mason mais contido, lembrando mais a atuação de Gary Oldman em HANNIBAL do que a de Michael Pitt na temporada anterior. Ainda não sei dizer se isso é do ator ou só impressão minha devido a pesada maquiagem.

 

  Após passar meses em uma cadeira de rodas, estado em que foi colocada indiretamente pelo homem que a enganou e manipulou, Alana retorna a série bastante amargurada, amargura alimentada por Chilton e Verger. Ela também não consegue entender como Will consegue se sentir conectado a Hannibal depois de tudo o que o canibal aprontou. Esse estado leva Alana (já andando com a ajuda de uma bengala) a ser recrutada por Mason, um encontro que emula o de Clarice Starling com o mesmo personagem no filme HANNIBAL, com direito a saliva grossa e nojenta saindo da boca de Mason devido a um acesso de tosse. Mas aquela mulher confusa e cega parece ter morrido na queda da janela, pois Alana nem se abala. Na verdade, depois de todo o discurso religioso de Mason, ela diz que consegue apreciar a ideia de uma boa vingança no estilo velho testamento. Resta saber se esse ódio é fogo de palha e se Alana terá estomago para ir até o fim nos planos de Mason.

 

  Já Jack, que sobreviveu somente por não ter retirado o caco de vidro que Hannibal cravou em seu pescoço, dedica os meses após a sua experiência de quase morte a cuidar de Bella, a sua esposa moribunda. Laurence Fishburne aqui nos entrega um trabalho tocante, sendo o melhor em cena no episódio. Sua reação sutil e melancólica, ao voltar pra o quarto e perceber que a esposa já não está mais respirando e que o câncer finalmente a venceu foi mais comovente que qualquer choro convulsante ou grito.

 

  O único tipo de aparição que Hannibal tem neste episódio é no velório de Bella, quando Jack percebe uma carta de condolências do bom doutor enviada de seu refúgio na Europa. A carta, somada a presença de Will no velório é o bastante para que Crawford peça ao amigo para deixar Hannibal pra trás, pois não quer ter mais uma perda depois de perder Bella.

 

 Mas Will não tem intenção nenhuma de deixar o passado pra trás. Ainda fazendo visitas regulares a casa de Hannibal, acompanhado do espectro sangrento de Abigail Hobs, Will fantasia o que teria sido se tivesse se entregado ao seu lado psicopata e fugido com Hannibal, chegando a se imaginar matando Jack ao lado do canibal. A verdade é que uma relação de extrema simbiose desenvolveu-se entre esses dois. Por isso Will ligou para Hannibal para que ele fugisse durante a finale passada. Sua lealdade entre Jack e Hannibal estava dividida (e talvez ainda esteja).

 

 Enfim, um episódio mediano (o que não é bom quando a série precisa ser salva) que serviu mais para explicar o que houve no hiato e mostrar a transformação sofrida pelos personagens do que tocar a história pra frente.

Link to comment
Share on other sites

Questão, a impressão que me deu é que Jack "acelerou" a morte de sua esposa, pois esta estava, de certa forma no final das contas, prendendo-o e impedindo que fosse na caçada de Hannibal. Portanto aquele remédio que Jack colocou no "soro" da Bella foi o que a matou definitivamente.

 

Eu achei que o Pitt era mais "Coringa", esse novo ator é mais contido, mais centrado, embora continue sendo um lunático... Talvez por serem momentos diferentes de um mesmo personagem, essa troca de atores acabou sendo menos sentida, mas acho que o Pitt conseguiria tirar mais dessa fase...

 

E realmente, este episódio foi praticamente uma premiere... O episódio mais interessante até o momento...

 

Ah, o Chilton, na cena que mostra seu verdadeiro rosto, pareceu a cena em que o Javier Bardem mostra seu também verdadeiro rosto ao Bond, em 007 Skyfall...

Link to comment
Share on other sites

  SAGA STARK, acho que o Jack até pensou em fazer isso quando foi buscar a morfina, mas quando ele entra no quarto ela já esta morta. E não acho que o Jack estava louco para sair atrás do Hannibal. A impressão que me deu é que ele queria seguir em frente mesmo, mas quando o Will saiu na caça do Hannibal, Jack se sentiu obrigado em trazer o Will de volta. Ele mesmo disse pro Pazzi que estava lá mais pra recuperar o Will do que para capturar o Lecter, algo que foi reforçado pelo Chilton.

 

 Visto o 3x05. Possíveis spoilers abaixo

 

 Melhor episódio da temporada até aqui. O episódio mostra Jack despedindo-se definitivamente de sua esposa, ao jogar as suas cinzas nas águas de Florença, cidade onde eles se conheceram. Ao mesmo tempo, o Inspetor Pazzi se encontra em um dilema moral quando é posto diante da possibilidade de capturar Lecter dentro da lei, ou entrega-lo a Mason Verger e pegar a recompensa. Ao mesmo tempo, Will e Chiyoh rumam para Florença, enquanto Alana percebe o preço que terá que pagar por se aliar a alguém como Verger.

 

 Gostei muito de ver o jogo de cinismo e intimidação visto nos encontros entre Hannibal e Pazzi. Ficou claro que após anos perseguindo "Il Monstro", Pazzi não soube o que fazer quando finalmente se viu diante dele. Afinal, mesmo atirando todas aquelas suspeitas na cara do Lecter, o bom doutor agiu com a elegância de sempre, e ainda lançou aquela ameaça classuda ao lembrar ao Inspetor alguns de seus antepassados que foram executados de forma brutal. É o medo, que somado a ganância, que leva Pazzi a procurar Mason Verger.

 

  A parceria entre Alana e Mason está senso bastante divertida. Gostei de ver que antes mesmo da "denuncia" de Pazzi, Alana consegue deduzir através dos recursos fornecidos por Mason e de sua própria perícia na construção de perfis psicológicos, tendo como base os pertences recolhidos na antiga casa de Lecter, a sua atual localização. Deu pra perceber também que embora tenha perdido o ar "Coringa" como o SAGA STARK citou, Mason não perdeu o bom humor, fazendo comentários provocativos frequentes sobre o passado sexual que Alana tem com Lecter, e como ela faz de tudo pra ignorar esses comentários.

 

Foi legal também ver a videoconferência entre Pazzi e Mason, onde o milionário maluco já chega chamando o Inspetor pelo primeiro nome. Mason exige que Pazzi consiga uma digital identificável de Hannibal antes de entregar-lhe a recompensa. Ao fim da conversa, Alana declara chocada "Hannibal vai mata-lo!". A expressão de "Uma pena, mas to nem ai" na cara do Verger foi hilária.

 

 Will teve uma participação relativamente pequena neste episódio, com seus diálogos com Chiyoh na viagem de trem, entrecortados por imagens do defunto transformado em vagalume humano, deixado por ele na Lituânia. Achei meio expositivo demais, pois a função dessas cenas basicamente era reforçar o que todo mundo já sabe, Will tem medo de se transformar em alguém como Hannibal. Mas o final desse plot do episódio, com Chiyoh atirando Will do trem me deixou pensando sobre quais são as reais intenções da oriental. Estaria ela planejando a sua própria vingança contra Hannibal ou estaria ela pretendendo se juntar a ele? Detalhe, Will não sabe escolher amigos :D.

 

  Mas o episódio chega ao seu ponto alto quando adapta a sequência do estripamento seguido de enforcamento vistos no filme/livro HANNIBAL. Para conseguir a tal digital, Mason leva uma relíquia de família para Hannibal, uma focinheira medieval. E é quase profético o modo como o canibal encara o objeto, já que ele esta destinado a usar uma versão um pouco mais moderna em seus anos de cárcere. Mas Pazzi se mostrou indigno como adversário, já que como a policia não apareceu, o bom doutor sabe muito bem de que lado o Inspetor está jogando.

 

  Por isso, antes de derrubar Pazzi com clorofórmio, Lecter também lhe da um presente, um esboço secular da execução de um dos antepassados de Pazzi, que foi estripado e enforcado na sacada daquele mesmo prédio. Enquanto é interrogado e amordaçado por Hannibal, Pazzi recebe uma ligação de Alana, avisando-lhe pra ficar longe de Hannibal. Mas o fato do canibal atender a ligação, mostra que já é tarde demais. Á titulo de curiosidade, no filme, quem faz a ligação é Clarice Starling.

 

 Assim, a busca por honra do Inspetor Pazzi termina em uma morte totalmente desonrosa, com ele enforcado e estripado do lado de fora do museu de Florença, com as tripas saindo pra fora do corpo. Mas se Pazzi perdeu a chance de recuperar a sua honra, Jack agarra a sua chance com força. Mesmo tendo dito nocomeço do episódio em um jantar com Pazzi que não estava mais disposto a "Jogar jogos fora da lei", a fúria nos olhos de Jack ao ver Pazzi morto e Hannibal imponente na sacada limpando a sua faca foi assustadora. O ex agente do FBI corre pra dentro do museu, disposto a arrancar sangue do canibal.

 

  E na revanche Jack vs Hannibal, o Dr. Lecter não teve nenhuma chance. Pela primeira vez na série, vemos Lecter pego totalmente desprevenido, estando no lugar da caça ao invés do caçador. Jack dá uma surra federal em Hannibal, com direito a gancho de arpão cravado na perna e braço esmagado em uma roda de carroça. Lecter até joga um pouco com a cabeça de Jack, ao citar Bella e a possibilidade de Jack tê-la matado (o que de fato passou pela cabeça de Crawford, embora ele não tenha executado o ato) mas não teve jeito. Jack foi o senhor deste embate. Adorei a linha de diálogo que fecha o episódio "Como vai se sentir quando eu estiver morto, Jack?" e a resposta impiedosa de Jack "Vivo", antes de jogar o ex psiquiatra pela janela. Desta vez foi a sorte que salvou Hannibal, já que ele só se salva ao se agarrar no corpo pendurado de Pazzi, garantindo-lhe uma queda mais suave. Hannibal desaparece mancando nas sombras, sendo observado por Jack da janela, que mesmo não tendo conseguido matar o seu inimigo, estava claramente de alma lavada.

 

 Em resumo, grande episódio. Só estou com a impressão que com dois episódios restantes pra fechar o "arco italiano" (O episódio 8 começa a adaptação de DRAGÃO VERMELHO, com direito a salto no tempo) vai dar tempo de resolver a contento os arcos envolvendo os Verger e Chiyoh, ou se vão deixar um desses plots abertos para a segunda fase da temporada.

Link to comment
Share on other sites

 Assim eu choro :(

 

Sem salvação: Hannibal não interessa para Amazon e Netflix, e atores são dispensados!7comentários

  • Por Guilherme Haas em 07/07/2015 - 14:30

Apesar do clamor dos fãs e da campanha do criador Bryan Fuller, a série Hannibal parece que não vai conseguir reverter o seu cancelamento!

No final do mês de junho, o canal americano NBC anunciou que não iria seguir com uma quarta temporada da série, considerando a baixa audiência do programa. Imediatamente, Fuller e a equipe de produtores começaram a procurar uma nova casa para Hannibal.

 

Porém, passadas algumas semanas, nenhum acordo foi feito. Na semana passada, os contratos dos atores expiraram, o que significa que Hugh Dancy e Mads Mikkelsen, intérpretes de Will Graham e Dr. Lecter, ficaram livres para procurar novos trabalhos. Isso dificulta muito a renovação da série, pois um novo acordo teria que ser feito com os atores – e ainda na esperança de que eles não se comprometam com outras produções!

 

Além do encerramento dos contratos dos atores, Fuller anunciou, através do Twitter, que tanto a Amazon quanto a Netflix não se interessam na produção de uma nova temporada da série. Apesar disso, o showrunner continua otimista, e informou que ele e os demais produtores ainda estão “investigando possibilidades” para a continuidade de Hannibal.

 

 

 

E você, ainda tem esperanças que Hannibal seja salva do cancelamento? Comente abaixo.

 

FONTE: MINHA SÉRIE

 

 Não desiste Fuller. Tu precisa fechar o teu plano de seis temporadas, por favor :o

Link to comment
Share on other sites

 Visto o 3x06. Possíveis spoilers abaixo.

 

  Mais um grande episódio. Aqui, vemos Will e Jack unindo forças para encontrar Hannibal após a morte do Pazzi. Enquanto isso, após ter suas feridas tratadas por Bedelia, Hannibal leva um educado "fora" de sua parceira, que vê na situação a oportunidade perfeita para sair da situação em que se meteu. A cena foi ótima em mostrar o estágio bizarro de confiança que a relação de Hannibal e Bedelia atingiu, com ela dizendo de boa que reparou que ele estava planejando come-la (no sentido literal :D ) mas sabia que ele não faria isso agora, por ela não ter sido "marinada o suficiente". O bom doutor também concordou em apoiar qualquer versão que ela queira contar dos fatos caso ele seja capturado, já que Bedelia foi gentil o suficiente em pedir. De quebra, a cena faz um prequel de O SILÊNCIO DOS INOCENTES ao mostrar Hannibal guardando na memória cada parte do Duomo de Florença, para que possa desenha-lo depois, desenhos estes que seriam vistos por Clarice Starling anos depois.

 

 Enquanto isso, na fazenda de Mason Verger tivemos uma divertida cena com Mason treinando como ser canibal, ao comer partes de animais, que segundo o seu médico Cordel, lembrariam a sensação de comer determinadas partes do corpo humano. As passagens na fazenda ainda mostraram ao publico um lado de Alana que ainda não conhecíamos, quando vemos uma cena de sexo quase psicodélica entre a Dra. Bloom e Margot Verger. Que cena doida. O jeito que ela foi montada me deixou pensando na hora se não seria uma fantasia da Margot, mas realmente Alana joga nos dois times. Parece que a Bloom no final das contas não quer matar o Hannibal, quer apenas entrega-lo ao FBI, avisando a agencia assim que o canibal estiver nas mãos de Verger. Já Margot continua querendo um filho que lhe garanta o direito a fortuna dos Verger, mas como seu útero foi arrancado por Mason na temporada passada, ela agora precisa do sémen do Mason para que outra mulher gere a criança e pediu ajuda de Alana para obter o material que precisa. Curioso com os desdobramentos deste plot.

 

 Em Florença, Will e Jack conseguem encontrar o apartamento onde Hannibal e Bedelia estavam vivendo, mas tudo que encontram é a Dra. DuMaurier drogada com alucinógenos e hipnóticos, afirmando que é a Sra. Fell. O plano de Bedelia pra sair inocente da situação em que estava é quase ridiculamente simples. Ela se drogou com as mesmas drogas que Hannibal usou em Mirian Lass, e provavelmente vai alegar que Hannibal a manteve como uma refém drogada todo esse tempo. Claro que nem Will nem Jack caem no papinho dela, mas uma distração foi suficiente pra Will ir sozinho atrás do Lecter.

 

  E é no Museu de Boticelli que acontece o tão esperado reencontro entre Will e Hannibal. Foi bom ver o velho jogo de dissimulação entre os dois uma vez mais, ambos declarando amizade sincera um pelo outro, enquanto tentam adivinhar o que o "amigo" está pensando. Desta vez Will tinha o Lecter na mão, e se preparava pra dar uma facada em plena rua, mas Chiyoh e seu rifle salvaram a pele do canibal. Alias, os objetivos da oriental continuam um mistério. Em conversa com a Bedelia antes de Will e Jack chegarem, ela diz que quer "engaiolar" o Hannibal. Será que ela quer entrega-lo a justiça ou planeja leva-lo para a Lituânia e deixa-lo preso, como o prisioneiro que ela vigiou por anos?

 

  Assim, Will perde a sua ultima "chance de perdão", segundo Hannibal. Levado para o apartamento desocupado de uma das vítimas de Lecter em Florença, Lá Hannibal pretende fazer um novo jantar, só aguardando a chegada do terceiro convidado. Este terceiro convidado é Jack, que consegue deduzir o local onde Lecter está escondido, mas infelizmente acaba caindo em uma cilada do bom doutor, e como Will, acaba drogado com uma substância que deixa a vítima paralisada do pescoço pra baixo.

 

  Lá, temos mais uma homenagem da série ao filme HANNIBAL em uma quase reprodução d climax do Filme. Aqui, diante dos olhos horrorizados de Jack, Hannibal começa a cerrar o cranio de Will, com a intenção de servir o seu cérebro no jantar. Uma cena perturbadora, pois Will vê seu sangue espalhar pelo ar em câmera lenta antes de perder os sentidos. Quando acorda, Will se vê pendurado de cabeça para baixo em um caminhão frigorífico cercado por carcaças de porcos, e com Lecter pendurado ao seu lado. Os dois então são saudados por Mason Verger. Suponho que assim que Will desmaiou, o policial corrupto que estava trabalhando para Mason e que interrogou a Bedelia deve ter achado o ap, seguindo a dica dela.

 

 Em resumo, a série está fantástica. O próximo episódio será praticamente uma finale, já que vai encerrar o arco da caçada ao Hannibal. Só espero que consigam amarrar todas as pontas, pois tem bastante coisa pra resolver, tanto com os Verger, como com a Chiyoh.

Link to comment
Share on other sites

 Pô, agora eu sou  único que comenta aqui no tópico? :(  Cadê a JUJUBA e o SAGA STARK?

 

 Visto o 3x07

 

    Que episódio insano foi esse?! O episódio começa explicando o final do anterior. Achei mesmo que Will havia sido salvo do Hannibal pelos policiais corruptos da "Questure de Florença" a serviço de Mason Verger. Os dois são entregues para ser levado ao Mason. Jack só não é morto pelos policiais devido a providencial interferencia de Chiyoh. A oriental tem uma rápida conversa com Jack, e em troca de ter  agulha com a droga de Hannibal retirada de seu braço, o chefão do FBI revela a ela a provável localização de Will e Hannibal.

 

 De volta aos Estados Unidos, mais precisamente na Muskrat Farm, o canibal e o empata são confrontados com o show de horrores que Mason preparou para eles. Como um vilão saído de um filme de James Bond, Mason conta os seus planos para dupla durante um suntuoso jantar. Esses planos incluem comer Hannibal em etapas, fazendo a agonia do bom doutor durar de dias a semanas, e roubar a pele do rosto de Will (que considera indiretamente responsável por sua deformação) para enxerta-la em seu próprio rosto. Adorei ver a diferença de reação entre os dois prisioneiros. Enquanto Will ouve tudo quieto, com um olhar quase apático no rosto como quem diz "To ferrado", o Doutor Lecter parece estar se divertindo muito com o que escuta, chegando a dar um sorriso satisfeito para Mason dizendo "Nossa, você pensou em tudo" :)

 

  Mas Verger não pensou em tudo. O desdém com que trata Alana e sua irmã Margot acabam por ser a sua ruína. Alana sempre teve a intenção de trair Mason, o que só foi reforçado pelo fato de Will também ter sido feito prisioneiro. Mas o caso de Margot é bem mais complicado. Mason se mostra ciente em conversa com a irmã do caso que ela mantém com a Dra. Bloom e volta a acenar com a possibilidade de dar a Margot o que ela tanto quer, um filho, chegando  sugerir que Alana poderia ser uma barriga de aluguel. Mason inclusive revela que não destruiu os óvulos que arrancou da irmã na temporada passada, e que um deles já esta em formação em uma "barriga de aluguel" na fazenda.

 

  Margot é posta em dúvida cruel, mas como o sábio diz, se ficar com dúvidas, procure o Doutor. E é exatamente o que ela faz. Em conversa com seu antigo terapeuta, o Doutor Lecter lembra a moça o obvio. Mason nunca cumpriu as promessas que fez a irmã. Por que começaria agora? Impressionante que mesmo amarrado no chão, nu, Hannibal não perde o ar aristocrático. Ele se recusa a matar Mason, pois "seria pouco terapêutico para Margot". O que Lecter se dispõe a fazer em vez disso é assumir a autoria do crime.

 

 Quanto a Alana, com a fazenda sem comunicação, chamar o FBI não é uma opção. A unica opção que resta a Alana para salvar Will é libertar Hannibal. Gostei de ver o reencontro entre os dois amantes. Encarar o homem que a manipulou e a traiu foi duro para a doutora. Apesar da situação bizarra em que se encontram, Hannibal e Alana ainda são dois psiquiatras. Ela pergunta ressentida "Eu teria conseguido te entender algum dia?" E Hannibal responde com um simples, polido e sincero "Não".

 

 O que vem depois de Alana e Margot libertarem Hannibal é um show de bizarrices. Vasculhando a casa, Alana e Margot encontram a "barriga de aluguel" de Mason, uma enorme leitoa presa em um ultrasom com o óvulo fecundado e morto de Margon dentro do animal em uma das cenas mais macabras da série. O fdp do Mason pegou pesado. Mas o castigo vem a cavalo. Mason, que havia sido anestesiado para receber a pele roubada de Will acorda com pele nova no rosto. Mas ela não é de Will e nem esta colada ao seu rosto. É o rosto de Cordell, Médico e cozinheiro de Verger que Hannibal arrancou e deixou sobre o rosto do milionário como um presente de despedida.

 

  Mason anda furioso em sua cadeira de rodas pela casa, só pra ser confrontado por Margot e Alana. O trio de atores está fantástico nesta cena. A subestimada Katherine Isabelle retratou de forma perfeita todo o ódio reprimido que Margot guardou por tantos anos pelo irmão, enquanto Alana revela quase com sadismo que Hannibal guardou uma humilhação final para Mason, tendo estuprado Mason com um atiçador para conseguir o sémen que Margot precisava. O ódio e desespero no rosto de Mason foi assustador. O milionário então tem a sua queda em seu tanque d' água brigando com a irmã, sendo sufocado até a morte por seu peixe de estimação que é socado a força em sua garganta. Lecter tinha razão. Pareceu mais terapêutico pra Margot mesmo. :D

 

 Após fugir de Muskrat Farm carregando Will (com a ajuda de Chiyoh, o anjo d guarda de plantão) Hannibal leva o agente para sua antiga casa, que está sem os cachorros. E lá que Hannibal rompe antigas relações. Primeiro com Chiyoh, que desiste de seu plano de engaiolar Lecter pois segundo ela "algumas feras ficam melhores livres". E depois com o próprio Will. Graham está cansado do jogo de gato e rato (também pudera, em um espaço de três episódios ele foi jogado de um trem em movimento, baleado, tentaram cerrar o seu crânio e ainda foi pendurado de cabeça pra baixo em um caminhão frigorífico). Ele não quer mais saber de Lecter. Quer que o canibal fuja e desapareça no mundo, pois ele não vai mais procura-lo.

 

 E então temos a reviravolta final do episódio, que fecha o arco italiano e a fase "prequel" da série. Jack chega a casa de Will só para ser informado que Hannibal escapou de novo. Só que não. Hannibal surge  e se entrega a Jack, para ser enviado para a cela onde o encontramos pela primeira vez na literatura e no cinema. Mas diferente destas outras mídias, na série a prisão de Hannibal não representou  sua derrota, pelo contrário, foi uma forma de vitória. Como Jack diz "nós não te pegamos, você se entregou". Se Will não quer mais jogar, qual é o ponto de Hannibal fugir? Por isso ele se coloca em um lugar onde Will pode encontra-lo se quiser. Lecter aposta que ele vai querer, e só questão de tempo.

 

 Encerrando a sua fase "prequel", no próximo episódio a série se alinha com a linha temporal dos filmes e livros, entrando no terreno de DRAGÃO VERMELHO. Nesta terceira (e possível final, torço que não :( ) temporada, Fuller nos entregou duas temporadas em uma. No geral, gostei muito do arco italiano. A solução do arco dos Verger foi genial, mas confesso que uma personagem ficou sobrando, como se tivessem pensado em um arco para ela, mas não conseguiram desenvolve-lo. Falo da Chiyoh. Ela acabou sendo mais um deux ex machina, que surgia com seu rifle sempre que alguém precisava ser salvo. Tivemos mais um vislumbre do passado de Lecter, com ele afirmando a Chiyo que não matou Mischa. As circunstâncias da morte da irmã de Hannibal neste universo permanecem um mistério. Talvez Fuller ainda tenha planos futuros para a personagem, pois ainda não disse a que veio. Mas em primeira instância, não vejo como ela se encaixaria no próximo arco de histórias da série (embora não sabemos as mudanças que o Fuller planeja.

 

  Enfim, que venha o Dragão Vermelho!

 

 

Link to comment
Share on other sites

Realmente a Chiyo ficou meio deslocada... Uma personagem avulsa que aparece do nada sempre na hora e lugar certo para interceder à favor de um personagem ou outro...

 

Acho que neste episódio o ator que interpretou o Verger mais se aproximou do que ele foi na temporada anterior, com aquela loucura e sadismo nos olhos estalados...

 

Aquele final foi bem intenso, achei que o Will tava meio suicida com todo aquele discurso...

 

E vai ser duro pra ele ter que se relacionar com o Hannibal novamente...

 

Uma pena a série não ter sido salva, ainda... Meio que já aceitei e por isso diminui meu "tesão" pela série... Uma espécie de desapegamento para sofrer menos...

Link to comment
Share on other sites

 Não larga a empolgação não SAGA STARK, agora é que a série precisa dela. Por favor continue comentando aqui, mesmo que brevemente. :)

 

 Visto o 3x08

 

 Uma vez mais, a série se reconfigurou totalmente. Isso já é denunciado pelo título do episodio "The Great Red Dragon". Saem os nomes de pratos da culinária que acompanharam a série desde o seu início nos títulos, entram os quadros de William Blake. Após os acontecimentos do episódio anterior, voltamos a configuração mais familiar, com o FBI caçando um assassino, e Will analisando as cenas dos crimes para tentar entender o "design" do criminoso. Mas ao mesmo tempo em que esse oitavo episódio da temporada traz esta sensação de familiaridade para o publico, inclusive ecoando o piloto com Jack Crawford tirando Will de uma vida de paz que conquistou para ajuda-lo a caçar um serial killer, tudo esta diferente, pois os principais personagens vivem agora novas vidas bem diferentes daquelas que acompanhamos até aqui.

 

  Três anos se passaram desde os eventos do "Arco Italiano". Hannibal está finalmente preso, sendo vigiado pelo Dr. Chilton e por Alana Bloom, que foi trabalhar no Sanatório para Criminosos Insanos de Baltimore. Ao mesmo tempo, Will Graham conseguiu seguir em frente. Ele deixou a sua carreira como Agente do FBI para viver uma vida tranquila, tendo inclusive se casado, com direito a enteado e tudo mais. Mas o serial killer batizado pela mídia de Fada do Dente (Richard Armitage de O HOBBIT) surge para eliminar esse equilíbrio. 

 

 Vou começar a análise deste episódio pelo novo vilão da série. o Dragão Vermelho (nome que ele realmente gosta de usar, já que detesta a alcunha "Fada do Dente") sempre foi meu vilão preferido da franquia Lecter (depois do próprio Hannibal, é claro). Há uma grande complexidade em Francis Dolarhyde (nome real do personagem, que nunca é citado neste episódio) e que foi muito bem representada por seus intérpretes anteriores, Tom Noonan em CAÇADOR DE ASSASSINOS e o grande Ralph Fiennes em DRAGÃO VERMELHO. Por isso, estava bastante curioso para ver o que Fuller e Richard Armitage estavam preparando para o personagem. Após ver este primeiro episódio, acho que vem coisa muito boa por ai.

 

  Embora neste primeiro episódio do "Arco Red Dragon" todos os personagens já conhecidos por nós falem o tempo todo do Fada do Dente e tem as suas ações guiadas pelas dele, o personagem de Richard Armitage não contracena com ninguém efetivamente, na verdade, ele não diz uma palavra. Mesmo assim, vemos toda a escalada de loucura deste novo assassino, desde a sua rígida rotina de exercícios físicos, passando por sua "transformação" no Dragão, ao tatuar a pintura de William Blake nas costas e mandar fazer uma prótese dentária que ele usa para morder suas vítimas, até o "pós crime" efetivo, em que vemos Dolarhyde andando nu e coberto de sangue pelos jardins das casas das vítimas rosnando para a lua cheia.

 

  Vemos toda essa animalidade no personagem de Armitage, mas também grande sofrimento nas cenas em que o vemos sozinho em casa, escutando ruídos em sua cabeça, que indicam o seu desejo de matar, que só vai poder ser satisfeito na próxima lua cheia. Somos apresentados também a um álbum de recortes do vilão, onde ele coleciona as matérias de seus crimes, além de já percebermos que ele possui um grande interesse em um certo psiquiatra encarcerado.

 

  Falando no Bom Doutor, achei muito interessante a forma como a série manteve a própria identidade (e de seu personagem titulo) intacta, ao mesmo tempo em que paga tributo as versões anteriores, afinal de contas, HANNIBAL deixou a fase prequel da franquia estrelada por Anthony Hopkins para entrar na fase remake. E faz isso muito bem. A grande diferença do Lecter do Hopkins para o Lecter do Mikkelsen é que o Lecter do Hopkins apesar de refinado, era muito animalesco. Já o Lecter do Mikkelsen, mesmo em seus momentos mais brutais, sempre manteve a elegância acima do ar de fera humana. Por isso era bastante difícil ver o canibal que temos acompanhado nos últimos dois anos despojado de toda a suntuosidade que sempre o cercou.

 

  A série resolve isso dando a Lecter uma cela bem maior do que a vista nos filmes ou descrita nos livros, uma cela extremamente elegante, com bom mobiliário, mesa de desenho, acesso a alta culinária e outros luxos que o Hannibal de Hopkins ou mesmo Will Graham na temporada passada nem conseguiam sonhar. Ao mesmo tempo, isso não é liberdade, Hannibal não se sente em casa. Por isso, durante as suas conversas com outros personagens, o assassino usa seu "Mind Palace" para se ver na catedral de Palermo ou mesmo em sua sala de jantar, usando os seus elegantes ternos italianos ao invés do uniforme de prisão.

 

 A dinâmica de Hannibal com os psiquiatras que o cercam também mudou. Lecter praticamente jurou a Dra. Bloom de morte, o que me faz pensar se ela vai chegar viva no fim da temporada. Já a alta animosidade que existia nos livros e filmes entre Hannibal e o Dr. Chilton é bem menor aqui. Chilton inclusive, já interessado em escrever um livro sobre o Fada do Dente se adiantou a todos os outros e já foi perguntar ao Lecter o que ele acha do novo assassino. Alias, fui só eu que notei um certo comentário metalinguístico quando Chilton compara Lecter ao Dragão Vermelho, dizendo que Lecter com toda a sua preocupação com detalhes e a estética era popular somente com "um nicho do publico"?

 

  Indo para o nosso outro protagonista, reencontramos Will com uma boa vida familiar, esposa, enteado, e claro, uma penca de cachorros. Até que Jack aparece pra estragar tudo. Cara de pau do Jack voltar a recorrer ao Will, já que da ultima vez que ele fez isso,Will se tornou alvo da obsessão de um psiquiatra maluco, foi incriminado, esfaqueado, e ganhou traumas pra uma vida inteira. Jack não é um amigo muito melhor que o Hannibal :D. Will, muito compreensivelmente, fica relutante em voltar a ativa. Mas Jack é um bom manipulador, e trouxe para Will fotos felizes das duas famílias que foram massacradas pelo Dragão Vermelho, e só para garantir, Crawford também mostrou as fotos a Molly, esposa do Will, para ter o seu apoio em convencer Graham a assumir o caso.

 

  Confesso que estava com saudade deste cenário familiar de Will analisando as cenas do crime, com o pêndulo luminoso indicando a "ativação" da empatia analítica do agente e a já clássica frase "This is my Design".  A cena da vísita de Will a casa de uma das vítimas foi um show a parte, direção, efeitos, edição, tudo estava perfeito. Adorei a lanterna do Will revelando a "visão imaginação" reconstituindo o que o assassino viu quando atacou a casa. Além disso, a cena da reconstituição do crime teve uma brutalidade seca impressionante. Não gore que chocou, vimos coisas bem piores na série. Foi a rapidez brutal com que Dolarhyde/Will matou as vítimas. Diferente de Hannibal e de outros assassinos que apareceram na série, o Dragão Vermelho não se preocupa com a estética do crime, o que os torna paradoxalmente menos macabros, mas mais chocantes.

 

  O episódio também evita o reencontro de Will e Hannibal até os últimos segundos. Afinal, acredito que é na relação de Will e Hannibal que estará um do maiores diferenciais desta nova adaptação de DRAGÃO VERMELHO em relação as versões anteriores. Nos livros e filmes, esta relação era formada por muito sarcasmo e um rancor mutuo, da parte de Will por ter sido quase morto, e da parte de Hannibal por ter sido preso. Não é o que temos aqui. Na série, estes dois se relacionam a duas temporadas e meia, Will de certa forma perdoou Hannibal pelo que ele lhe fez no passado, e Lecter só foi preso por que quis. Por isso, há um peso muito maior no reencontro destes dois grandes amigos/ inimigos mortais. Algo colocado de forma brilhante pela sequência final, que dá um ar épico a este reencontro.

 

 Em resumo, outro grande episódio, que começa a caçada ao Dragão Vermelho com o pé direito.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Visto o 3x09 e 3x10

 

 

 A série continua adaptando com elegância e fidelidade o romance "Dragão Vermelho", ao mesmo tempo em que mistura os elementos desta trama já familiar para o publico com a mitologia que criou para si mesma. O nono episódio intitulado "And The Woman Clothed With The Sun" mostra o primeiro contato de Will e Hannibal após três anos de afastamento. Mais uma vez, a série usa o recurso do "cenário imaginário" para não deixar somente dois caras conversando através de uma cela de vidro, por isso, enquanto traçam o perfil psicológico do Dragão Vermelho, Lecter e Graham andam pelo consultório do Doutor, e pela casa e jardins de uma das vítimas.

 

 

  Lecter não parece gostar muito de saber que Will encontrou uma família, já que na visão distorcida do canibal, ele perdeu a sua por causa de Will, e por família, leia-se Abigail Hobbs. A adolescente ociopata retorna em flashbacks que cobrem lacunas das duas temporadas anteriores. Assim descobrimos que Abigail foi uma "prisioneira" muito cooperativa de Lecter. Temos os registro de vários momentos, desde a falsificação da morte de Abigail, que causou a prisão de Will, até um momento particularmente bizarro, onde a garota assume Lecter como pai, ao fazer com o cadáver do falecido Garret Jacob Hobs o que ele tentou fazer com ela,

 

 

 Alana Bloom como nova diretora do Sanatório Para Criminosos Insanos não tem dado moleza para o Hannibal, e praticamente o pune por antecipação, retirando alguns de seus livros, e um pouco da dignidade do canibal, ao tomar-lhe a tampa da privada , pois sente que ele esta aprontando pra cima do Will. Tipo, a Alana não sabe por que está batendo, mas o Hannibal sabe por que esta apanhando . Alias, descobrimos que a própria Alana formou família, juntanto os seus trapinhos com a Margot e gerando ela mesma o tão desejado bebê Verger.

 

 

  Enquanto isso, Will continua a investigar o Dragão Vermelho, revistando os jardins de suas vítimas, É durante uma dessas visitas que reencontramos um personagem que não víamos desde a temporada passada, a jornalista enxerida Freddie Lounds. É sempre bom ver a Freddie, gosto da troca de farpas entre ela e o Will, e de como ela se defende das manchetes que escreveu. Os diálogos dos dois são hilários. Mas depois de enfrentar tensão com Hannibal e irritação com Freddie, tivemos um raro momento de ternura da série, com a conversa telefônica entre Will e Molly. Foi interessante ver Will pelo menos uma vez na vida usando a sua imaginação para benefício próprio, ao se imaginar deitado na cama ao lado de Molly enquanto conversa com ela ao telefone.

 

 

 O episódio também viu a estréia de uma personagem clássica dos livros, a bela arquivista cega Reba McLane, (Rutina Wesley) interesse amoroso de Dolarhyde, e unica esperança do assassino de se livrar da sua loucura. Devo confessar que achei essa relação que é tão importante pra trama um pouco atirada demais. Wesley não consegue provocar a empatia que atrizes como Joan Allen e Emily Watson passaram ao interpretar a mesma personagem. Afinal, essa é a mulher que consegue despertar a humanidade em forma de gente. E acho que nem é culpa da atriz, mas a história que não esta dedicando o tempo certo a esta relação.

 

 

  Já o episódio 10 começa aproveitando o gancho do episódio anterior, com o Fada Do Dente conseguindo falar com Lecter ao telefone ao se fazer passar por seu advogado. Mais uma vez, tivemos os "cenários imaginários" com Hannibal e Dolarhyde conversando no antigo consultório do canibal, que foi invadido pelo Dragão Vermelho. Eis uma cena belamente filmada, ao mostrar a psique dividida de Francis Dolarhyde, que se vê sentado diante de Hannibal, mas também andando ao redor dele, como também o poder manipulador do canibal, que se coloca como um mentor compreensivo, claramente manipulando a loucura do Dragão Vermelho.

 

 

 

 Entretanto, este décimo episódio se focou na dinâmica de dois casais, Francis e Reba, e Will e Bedelia. A relação de Dolarhyde com sua "Mulher Vestida com o Sol", agora que ela evoluiu para o terreno sexual. Gosto da imensa sutileza com que Richard Armitage está representando o seu carinho por Reba, assim como a preocupação com que "seu outro eu" possa vir a fazer com ela. Além disso, os espetáculos visuais continuam, como na bela cena em que o "Mister D" leva Reba para tocar um tigre anestesiado, ou durante a sequência de sexo, em que Dolarhyde vê Reba exatamente como a mulher na pintura.

 

 

Mas se os silêncios e as sutilezas marcaram a relação de Francis e Reba, os diálogos metafórico e duplo sentido marcou o duelo psicológico entre Will e Bedelia DuMaurier, vista pela primeira vez desde o hiato de três anos. Bedelia conseguiu mesmo vender a história de que sofreu lavagem cerebral de Hannibal e que passou um ano como sua "prisioneira psicológica", e agora dá palestras sobre o assunto. Mas claro que Will não acredita nem um pouco nessa história, e marca um horário com a Dra para que ambos possam discutir suas experiências com Hannibal Lecter.

 

Finalmente ficamos sabendo o que houve com o paciente morto de Bedelia e o envolvimento de Hannibal nisso, assunto deixado em aberto desde a 1ª temporada, e descobrimos que ela é mais parecida com Lecter do que pensávamos. Em uma participação pequena, mas intensa de Zachary Quinto, vemos Bedelia colocada diante de um dilema, "o que se faz quando se encontra um passarinho ferido na calçada"? Ah, e não posso deixar de elogiar a montagem, intercalando na visão de Bedelia Will com o seu paciente morto, o que não é um bom agouro para o agente.

 

  O final com o primeiro encontro de Will e Dolarhyde no Museu de Nova York marca o primeiro grande desvio em relação a trama do livro e dos filmes, já que originalmente Will só encontrava o Dragão no final. Foi uma sequência de suspense bem dirigida, mostrando o enorme desafio fisico que Dolarhyde é.

 

Em resumo, estes dois episódios do arco "Dragão Vermelho" mantiveram o alto nível da série, mas nenhum foi ainda tão bom quanto o 3x08, até então o ponto alto desse arco. Se esse fr mesmo o final, espero algo naquele nivel para os três episódios finais.

Link to comment
Share on other sites

 

E a atriz que faz a Reba, bom, já tinha feito minhas considerações na página anterior... Ela é MUITO fraca mesmo...

 

 Pior que é. O segundo episódio deu umas chances bem interessantes pra atriz e ela não aproveitou. Tem ainda o lance do Armitage estar muito bem como o Dollarhyde, o que deixa a química do casal bem desequilibrada.

Link to comment
Share on other sites

Visto o ótimo 3x11

 

 Intitulado "The Beast From The Sea", este antepenúltimo episódio da temporada (talvez da série :( ) se mostrou o melhor do arco "Dragão Vermelho" até aqui, mergulhando ainda mais fundo na psiquê doentia de Francis Dolarhyde, ao mesmo tempo em que leva a rivalidade entre Hannibal e Will a um novo patamar, quando Lecter manipula o Dragão Vermelho para atingir Will onde mais dói.

 

  Gostei muito da cena pré créditos, que mostra mais uma "consulta" de Dolarhyde com o Dr. Lecter. Armitage está mandando muito bem ao retratar todo o conflito interno deste homem, dividido pela paixão e carinho que sente por Reba, e sua personalidade assassina, que vê na arquivista cega um empecilho, e quer destruí-la. Educadamente, Hannibal sugere que Dollarhyde libere a ira do Dragão sobre outra pessoa, outra família, a família de um certo agente empata. Toda a cena é conduzida de forma fantástica, e Hannibal surge quase como um demônio astucioso, quando a câmera o coloca ao lado de Dolarhyde sussurrando em seu ouvido como uma consciência perversa. Mads Mikkelsen mandou muito bem também, efoi arrepiante vê-lo sussurrar pro Francis "Save Yourself, Kill Them All".

 

  E que sequência tensa foi essa a da invasão do Dragão Vermelho a casa dos Graham? Foi magnificamente dirigido, mostrando o jogo de gato e rato entre Dolarhyde, Molly e Wally. Por um minuto, achei que Will perderia mais entes queridos para os esquemas de Lecter. Como aqui, temos um grande desvio em relação ao romance de Thomas Harris e a adaptação homônima onde essa invasão ocorre no final da história e Will esta lá para proteger sua família, aquiMolly se vê sozinha com o filho enfrentando o Dragão, e fiquei com a sensação de que tudo podia acontecer. 

 

  A sequência também se mostrou grandiosa por mais uma vez podermos ver a entrega de Richard Armitage ao personagem. Se nas cenas anteriores na conversa com Hannibal e em seu encontro com Reba, vimos Dolarhyde como um homem confuso e assustado, na cena da invasão a casa dos Graham, vemos um monstro assustador e totalmente bestial, com o rosto coberto por uma meia e uma afiada dentadura na boca. O grito de raiva que ele dá quando Molly e Wally conseguem escapar é absolutamente assustador.

 

 Com Molly sendo mandada para a UTI após o seu encontro com o Dragão, temos uma delicada cena em que Will tem que explicar para o seu enteado de nove anos por que ele quase foi morto e sua mãe está em cirurgia. Muito bom a humanidade deste diálogo, onde após dizer que não vai matar o assassino e sim coloca-lo em um sanatório, Will ouve do enteado que o mais sensato a se fazer seria mesmo matar o Dragão Vermelho. Tivemos também as diferenças de visão de mundo de Jack e Will postas de lado. Enquanto vemos Will lutando para controlar os sentimentos de vingança e permanecer empático, vemos um Jack cada vez mais frio e pragmático, algo notado desde o início do episódio, quando Will relata o seu encontro com o Dragão, visto no episódio anterior.

 

 Enquanto isso, com a sua falha em matar Molly e sua recusa em matar Reba, Francis entra cada vez mais em conflito com a sua personalidade, o que é mostrado de forma visual de maneira impressionante, ao vermos o homem lutar literalmente com a sua fera interior. Esta cena tinha o potencial para ficar ridícula, já que em certo momento, temos a "visão real" e vemos Dolarhyde desferindo socos contra si mesmo. Mas mais uma vez, a direção segura e a atuação de Armitage deixam tudo muito intenso. Uma pena que o ator não tenha uma parceira de cena a altura, pois a Reba de Rutina Wesley não consegue nos passar em sua personalidade a sensação de encantamento que deveria, afinal Reba McLane é uma mulher que fez um homem se voltar contra o seu demônio interior, mas a atriz não consegue nos passar isso.

 

  Com a descoberta de que tem mantido contato com o Dragão, Hannibal é ameaçado por Jack e Alana com a retirada total de seus luxos. Se quiser mante-lo, o bom doutor deve manter o Dragão na linha na próxima vez que ele ligar até ser rastreado. Claro que o Dragão liga, mas após ouvir toda a lamentação esquizofrênica de seu novo "paciente", Lecter mostra que ainda tem o poder nas mãos, ao interromper a ligação avisando ao Dragão que "eles estão ouvindo". Assim, Lecter perde todos os luxo de sua cela e enfim vemos o canibal na forma em que se tornou mundialmente famoso, preso em uma camisa de força e com uma focinheira na boca, mas ainda assim com um olhar superior no rosto, mesmo diante das ameaças de Alana.

 

 Gostei muito da conversa entre Molly e Will após ela acordar da cirurgia. Gosto muito da relação de leveza que a série deu ao casal, mesmo diante de uma situação tensa como esta. Enquanto todas as relações de Will na série são cercadas por um certo formalismo, com Molly vemos um lado mais casual do agente, o que é muito bom ver. Mas mesmo essa leveza não escapa das sombras que perseguem Will, pois Molly finalmente percebeu o preço de estar casada com Will Graham.

 

 Depois de explorar os "cenários mentais" de Hannibal, a série mostra que pode criar cenas tensas também usando só o cenário da cela de Hannibal, como na excelente cena em que vemos Will e Hannibal caminhando um em direção ao outro, como reflexos de um espelho. A atmosfera e o diálogo também estavam incríveis. Acho que nunca vimos o Will tão puto com o canibal, e olha que Lecter aprontou muito pro agente ao longo da série. Aqui, vemos Will deixando a empatia de lado e vendo Hannibal simplesmente como um "lunático filho da puta".

 

 Mesmo sem os seus luxos, Hannibal não perdeu o cinismo, e confessa de boa que mandou o Dragão Vermelho atrás da família de Will, ainda tendo a audácia de perguntar como está Molly. Curiosamente, Lecter bota Dolarhyde e Will como contrapartes um do outro. Dois homens atormentados por seus "talentos", que consequentemente põem em risco as pessoas que amam. Com a caçada ao Dragão Vermelho tendo atingido níveis bem pessoais, e um Hannibal jogando cada vez mais lenha na fogueira, esperarei ansiosamente pelos dois episódios finais.

 

 PS 1- Muito legal a referência/critica que o episódio faz ao material original, com Hannibal sugerindo de forma zombeteira as maneiras que podia ter se comunicado com Dolarhyde, sendo que as maneiras sugeridas por ele são as mesmas usadas no livro e nos filmes

 

 PS 2- Molly resumiu minha visão sobre as desgraças na vida de Will. "Eu mandei você ir, a culpa é minha. Pensando bem, eu culpo Jack Crawford". É,, Crawford é um FDP egoista. :D

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...