Jump to content
Forum Cinema em Cena
Jack Ryan

Festival CeC de Cinema Francês

Recommended Posts

 

Martyrs e A Invasora estão na minha lista' date=' mas ainda prefiro Alta Tensão den.gif

 

 

 

Mas quanto tempo até ter que escolher o filme a ser resenhado? Pq prefiro assistir mais alguns antes de fazer a escolha den.gif[/quote']

Pfff, A Invasora e Alta Tensão são uma bosta, Martyrs é melhorzinho mas também não é grandes coisas.  #polêmico den.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Mas' date=' por enquanto, vamos falar de polêmica, hehehe. Isso mesmo, no primeiro dia o tópico já gerou uma questão: cinema francês discrimina cinéfilos? E, por extensão, esse festival é pra intelectuais (ou intelectualóides)?[/quote']

 

 

 

Discrimina os idiotas, apenas. Pq assim como é idiota um cara não conseguir aproveitar um delicioso cinema brutucu do estilo tio schwarza em seus tempos de ouro, também é quem tenha qualquer preconceito com o cinema inteiro de um determinado país. até pq isso é preconceito puro, e qualquer preconceito é idiota.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fiz uma lista de filmes que pretendo ver para o festival. Claro que não vou conseguir assistir tudo, mas enfim, vou tentar assistir o máximo possível.

 

 

 

Não sei se todos são realmente franceses. Se alguém identificar algum que não seja me da um toque.

 

 

 

A Regra do Jogo (Jean Renoir)

 

A Grande Ilusão (Jean Renoir)

 

Ils (David Moreau, Xavier Palud)

 

O Salário do Medo (Henri-Georges Clouzot)

 

O Corvo (Henri-Georges Clouzot)

 

A Prisioneira (Henri-Georges Clouzot)

 

A Verdade (Henri-Georges Clouzot)

 

As Férias do Sr. Hulot (Jacques Tati)

 

Tempo de Diversão (Jacques Tati)

 

Alphaville (Jean-Luc Godard)

 

O Desprezo (Jean-Luc Godard)

 

Acossado (Jean-Luc Godard)

 

Uma Mulher é Uma Mulher (Jean-Luc Godard)

 

O Samurai (Jean-Pierre Melville)

 

Expresso para Bordeaux (Jean-Pierre Melville)

 

O Exército das Sombras (Jean-Pierre Melville)

 

O Jogador (Jean-Pierre Melville)

 

Frontière(s) (Xavier Gens)

 

Calvaire (Fabrice Du Welz)

 

La meute (Franck Richard)

 

O Passageiro da Chuva (René Clément)

 

O Homem Que Surgiu De Repente (René Clément)

 

Medos Privados em Lugares Públicos (François Ozon)

 

Ano Passado Em Marienbad (François Ozon)

 

O Tempo que Resta (François Ozon)

 

O Dinheiro (Robert Bresson)

 

Pickpocket (Robert Bresson)

 

Horas de Verão (Olivier Assayas)

 

Espionagem na Rede (Olivier Assayas)

 

Água Fria (Olivier Assayas)

 

Irma Vep (Olivier Assayas)

 

Delicatessen (Jean-Pierre Jeunet)

 

Angel-A (Luc Besson)

 

Fahrenheit 451 (François Truffaut)

 

A Noite Americana (François Truffaut)

 

A Fraternidade É Vermelha (Krzysztof Kieslowski)

 

A Igualdade é Branca (Krzysztof Kieslowski)

 

 

 

Vou começar com O Salário do Medo.Tensor2011-08-01 15:32:44

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou dentro da resenha deste e talvez das outras atividades (vou esperar para ver quais são). Estas duas semanas, pelo menos, vou me dedicar somente aos filmes franceses, mas já deixo adiantado que a resenha provavelmente vai ser sobre O Salário do Medo, um dos melhores filmes que vi e sobre o qual ainda não escrevi nada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ah, e só pra esclarecer um pouco mais e tentar evitar a mesma discussão que rolou nos outros festivais.

 

O cinema francês, como muitos outros europeus, às vezes faz filmes em colaboração. Nesse sentido, por exemplo, O Discreto Charme da Burguesia é dirigido pelo espanhol Buñuel e O Escafandro e a Borboleta é em colaboração com os Estados Unidos. A meu ver, são filmes franceses, pois são falados em francês, se passam na França e a grande maioria da produção é francesa. Nesse caso, como fica?

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Ah' date=' e só pra esclarecer um pouco mais e tentar evitar a mesma discussão que rolou nos outros festivais.

 

O cinema francês, como muitos outros europeus, às vezes faz filmes em colaboração. Nesse sentido, por exemplo, O Discreto Charme da Burguesia é dirigido pelo espanhol Buñuel e O Escafandro e a Borboleta é em colaboração com os Estados Unidos. A meu ver, são filmes franceses, pois são falados em francês, se passam na França e a grande maioria da produção é francesa. Nesse caso, como fica?
[/quote']

 

Essa é a dúvida que pode ficar pra alguns. Outro caso que o Stradivarius citou é o de Cópia Fiel: apesar da protagonista ser francesa e ter falas em francês, o filme também tem falas em inglês. Sem contar o fato do diretor ser iraniano e a história se passar na Itália.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Essa é a dúvida que pode ficar pra alguns. Outro caso que o Stradivarius citou é o de Cópia Fiel: apesar da protagonista ser francesa e ter falas em francês' date=' o filme também tem falas em inglês. Sem contar o fato do diretor ser iraniano e a história se passar na Itália.
[/quote']

 

Pois é. Pra mim, Cópia Fiel seria classificado como um filme francês, talvez até entrasse em uma possível lista. Só que não sei como fica essa questão no contexto do festival.

 

Na Wikipedia, por exemplo, fala-se isso aqui sobre o filme: The film was a French-majority production, with co-producers in Italy and Belgium. Portanto, a meu ver, entra como francês.
leomaran2011-07-27 16:01:22

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sabia que esse questionamento viria (sobre quais filmes serão considerados franceses).

O que eu imaginei como parâmetro é o IMDb. Até onde eu sei' date=' o site segue a classificação oficial, que leva em conta o país onde fica o estúdio, canal ou etc. responsável pela maior parte do investimento, vindo esse país em primeiro no caso de co-produções.

Usei os exemplos de vcs pra testar a teoria, e, de acordo com o IMDb, O Discreto Charme da Burguesia, O Escafandro e a Borboleta e Cópia Fiel são, sim, filmes franceses.

Por outro lado, As Invasões Bárbaras não seria válido, pois apesar de ser uma co-produção com a França, ele é primeiramente canadense.

Acho que é um bom critério. Que vcs pensam?[/quote']

 

Pra mim, está perfeito. Com esse critério, não tem como errar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sabia que esse questionamento viria (sobre quais filmes serão considerados franceses).

 

 

 

O que eu imaginei como parâmetro é o IMDb. Até onde eu sei' date=' o site segue a classificação oficial, que leva em conta o país onde fica o estúdio, canal ou etc. responsável pela maior parte do investimento, vindo esse país em primeiro no caso de co-produções.

 

 

 

Usei os exemplos de vcs pra testar a teoria, e, de acordo com o IMDb, O Discreto Charme da Burguesia, O Escafandro e a Borboleta e Cópia Fiel são, sim, filmes franceses.

 

 

 

Por outro lado, As Invasões Bárbaras não seria válido, pois apesar de ser uma co-produção com a França, ele é primeiramente canadense.

 

 

 

Acho que é um bom critério. Que vcs pensam?[/quote']

 

 

 

Para mim, perfeito. Não há como errar com esse critério.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Discrimina os idiotas' date=' apenas. Pq assim como é idiota um cara não conseguir aproveitar um delicioso cinema brutucu do estilo tio schwarza em seus tempos de ouro, também é quem tenha qualquer preconceito com o cinema inteiro de um determinado país. até pq isso é preconceito puro, e qualquer preconceito é idiota. [/quote']

 

 

 

'Nuff said.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Sabia que esse questionamento viria (sobre quais filmes serão considerados franceses).

 

 

 

O que eu imaginei como parâmetro é o IMDb. Até onde eu sei' date=' o site segue a classificação oficial, que leva em conta o país onde fica o estúdio, canal ou etc. responsável pela maior parte do investimento, vindo esse país em primeiro no caso de co-produções.

 

 

 

Usei os exemplos de vcs pra testar a teoria, e, de acordo com o IMDb, O Discreto Charme da Burguesia, O Escafandro e a Borboleta e Cópia Fiel são, sim, filmes franceses.

 

 

 

Por outro lado, As Invasões Bárbaras não seria válido, pois apesar de ser uma co-produção com a França, ele é primeiramente canadense.

 

 

 

Acho que é um bom critério. Que vcs pensam?[/quote']

 

Pra mim também está ótimo.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como outros minha bagagem de filmes franceses é pouca no máximo acho que cheguei a ver uns 15 ou até vinte filmes que gostei. E outra coisa muita destas produções foram feitas em conjunto com outros países como A Trilogia das Cores citada aqui. Vai valer filmes franco poloneses ou franco italianos a lista é enorme e se for apenas filmes franceses acho que restringir muito filmes falados da língua como a Trilogia das Cores, Danton e a Revolução, Casa Nova e a Revolução e por ai vai. Acho melhor focar nos filmes falados da língua e com produção francesa envolvida, porém se tiver outro país acho que não tem problema. Pelo menos é o que acho.<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Eu não tenciono participar como júri ou nada, pois como disse minha bagagem deste cinema é muito pequena em minha opinião, mas posso esta aqui para ajudar com sugestões para quem estiver interessado é claro.

 

A lista de alguns filmes que lembrei e como sugestões não estão em ordem de preferência:

 

Eterno Amor de 2004 países de produção França e EUA. Idioma Francês. Diretor Jean-Pierre Jeunet.

 

O Pacto dos Lobos de 2001 país de produção França. Idioma Francês. Diretor Christophe Gans.

 

Casanova e a Revolução de 1982 países de produção Itália e França. Idioma Francês e Italiano. Diretor Ettore Scola.

 

A Guerra do Fogo de 1981 países de produção Canadá, EUA e França. Dialetos e murmúrios pré-históricos. Diretor Jean-Jacques Annaud.

 

A Liberdade é Azul de 1993 país de produção França, Polônia e Suíça. Idioma Francês. Diretor Krzysztof Kieslowski.

 

Igualdade é Branca de 1994 países de produção França, Polônia e Suíça. Idioma Francês. Diretor Krzysztof Kieslowski.

 

A Fraternidade é Vermelha de 1994 países de produção França, Polônia e Suíça. Idioma Francês. Diretor Krzysztof Kieslowski.

 

A Queda da Casa de Usher de 1928 país de produção França. Cinema Mudo. Direção Jean Epstein.

 

A Rainha Margot de 1994 países de produção Alemanha, França e Itália. Idioma Francês. Direção Patrice Chéreu.

 

Os Visitantes de 1993 país de produção França. Idioma Francês. Direção Jean-Marie Poiré.

 

Danton O Processo da Revolução de 1983 países de produção França e Polônia. Idioma Francês. Direção Andrzej Wajda.

 

E Deus Criou A Mulher de 1956 país de produção França. Idioma Francês. Direção Roger Vadim.

 

Emmanuelle de 1974 país de produção França. Idioma Francês. Direção Just Jaeckin.

 

Emmanuelle A Antivirgem de 1975 país de produção França. Idioma Francês. Direção Francis Giacobetti.

 

Emmanuelle 4 de 1984 país de produção França. Idioma Francês. Direção Francis Giacobetti e Francis Leroi.

 

História D’O de 1975 país de produção França. Idioma Francês. Direção Just Jaeckin.

 

Irreversível de 2002 país de produção França. Idioma Francês. Direção Gaspar Noé.

 

Lancelot do Lago de 1974 países de produção França e Itália. Idioma Francês. Direção Robert Bresson.

 

O Conde de Monte Cristo de 1998 país de produção França. Idioma Francês. Direção Josee Dayan.

 

Os Incompreendidos de 1959 país de produção França. Idioma Francês. Direção François Truffaut.

 

Rios Vermelhos de 2000 país de produção França. Idioma Francês. Direção Mathieu Kassovitz.

 

Rios Vermelhos 2 Anjos do Apocalipse de 2004 país de produção França, Itália e Inglaterra. Idioma Francês. Direção Olivier Dahan.

 

Un homme de têtes (1898) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le voyage dans la lune (1902) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le cake-Walk infernal (1903) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le tripot clandestin (1905) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le mélomane (1903) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le chaudron infernal (1903) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


L'homme à la tête de caoutchouc (1901) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Les cartes vivantes (1904) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Les affiches en goguette (1905) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le locataire diabolique (1909) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le roi du maquillage (1904) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Le thaumaturge Chinois (1904) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Barbe Bleue (1901) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


Nouvelles luttes extravagantes (1900) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.


L'homme-orchestre (1900) país França. Cinema Mudo. Direção Georges Méliès.

 

Acho que não esqueci de nenhum.05

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Allons enfants de la Patrie

 

Le jour de gloire est arrivé...

 

 

 

Ideia sensacional, o Marcelo está de parabéns!

 

 

 

Tô dentro, ainda mais se houver certa flexibilidade quanto ao número de filmes que cada lista deve ter.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só pra esclarecer, as co-produções NÃO estão proibidas, mas a França tem que ser o país principal dentre os envolvidos.

 

 

 

Ah, e vale mencionar um pequeno detalhe, país de origem não tem necessariamente a ver com a língua falada (tipo A Paixão de Cristo, do Mel Gibson, que é obviamente um filme americano). Isso cria pelo menos um caso interessante (que eu saiba) que é o do Luc Besson. Os filmes dele são falados em inglês (e alguns se passam nos EUA), mas são todos creditados como franceses.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Mas' date=' por enquanto, vamos falar de polêmica, hehehe. Isso mesmo, no primeiro dia o tópico já gerou uma questão: cinema francês discrimina cinéfilos? E, por extensão, esse festival é pra intelectuais (ou intelectualóides)?[/quote']

 

Não acho que role essa parada do "cinema francês" ser discriminatório. Seria se ele fosse formado de filmes semelhantes. E mesmo que fosse, a discriminação seria por parte dos espectadores. Assim como é no meu caso, que não tenho o menor saco para Truffauts e Godards. Entretanto, o cinema francês produz coisas como Irreversível, que é foda.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Discrimina os idiotas' date=' apenas. Pq assim como é idiota um cara não conseguir aproveitar um delicioso cinema brutucu do estilo tio schwarza em seus tempos de ouro, também é quem tenha qualquer preconceito com o cinema inteiro de um determinado país. até pq isso é preconceito puro, e qualquer preconceito é idiota. [/quote']

 

Acho que chamar de idiota pessoas que exercem o direito de verem os filmes que quiserem é meio exagero. Ahh, mas o cara vai perder toda a arte do cinema francês. So what? Tem arte em cinema de todo lugar...

 

Ahhh, eu até concordo com o que você disse, de ser preconceito e tals, só não concordo com o adjetivo...

 

 

 

kakoserrano2011-07-27 20:48:38

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, hoje de manhã eu tinha comentado que contaria uma das diferenças entre este festival e os anteriores. Chegou a hora:

 

 

 

Desta vez, NÃO TEREMOS CORPO DE JURADOS. Todas as notas, prêmios e recompensas serão definidas por voto popular, nada de "congresso dos sumos-sacerdotes" determinando o que é melhor.

 

 

 

E assim ninguém deixa de participar pra ser jurado. 03.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Discrimina os idiotas' date=' apenas. Pq assim como é idiota um cara não conseguir aproveitar um delicioso cinema brutucu do estilo tio schwarza em seus tempos de ouro, também é quem tenha qualquer preconceito com o cinema inteiro de um determinado país. até pq isso é preconceito puro, e qualquer preconceito é idiota. [/quote']

 

 

 

Acho que chamar de idiota pessoas que exercem o direito de verem os filmes que quiserem é meio exagero. Ahh, mas o cara vai perder toda a arte do cinema francês. So what? Tem arte em cinema de todo lugar...Ahhh, eu até concordo com o que você disse, de ser preconceito e tals, só não concordo com o adjetivo...

 

 

 

 

Cada um assiste o que quer. Tu preferir algo em relação a outra coisa é beleza, e como não se pode assistir todos os filmes do mundo tu tem que ser seletivo mesmo. Mas isso não significa desprezar o cinema que tu não vai atrás. Eu não vejo o cinema iraniano, e nem por isso o detesto, julgo aquele cinema sendo ruim... E pra mim preconceito (idiota) é isso.

 

 

 

Eu nem tinha pensando em ti quando escrevi isso, mas de certa forma o que tu faz com o cinema europeu se aplica sim. Tu mostra um certo orgulho em gostar de filmes mais blockbusters, mais descerebrados, testosteronicos e etc, e gosta de zoar quem prefere um cinema meio oposto a isso, como o foras e o alexei (e não estou dizendo que eles gostem apenas disso, mas é uma marca forte deles também), e as vezes até sugerindo sutilmente de que talvez não seja tão espontâneo. Hei, mas eles não fazem exatamente o que tu faz? Tu prega isso de assistir o que tem vontade, a arte que mais lhe emocione, lhe atinja... mas quando outros fazem o mesmo de uma forma diferente da tua, (novamente o exemplo do foras com os filmes italianos dele e a visão mais "classuda" do alexei em aproveitar cinema) tu não perde tempo em mostrar o quanto tu acha idiota isso, e reitera o quanto se orgulha em adorar um cinema mais brucutu. Tu sabe que faz isso. E aí é idiota mesmo.

 

 

 

E quando eu falo idiota não leva tão a sério, pq falo apenas dessa característica tua especifica. Até pq todos temos características idiotas, eu tenho várias, qualquer um aqui poderia citar 06.gif mas esse preconceito que tu carrega quanto a determinados filmes europeus, mas principalmente, quanto a quem adora esses filmes, é idiota sim. Pq tu não acha feio falar que não quer ir atrás de cinema francês, mas se alguém diz que não curte cinema de ação tu não consegue ler sem se manifestar. Aliás, acho que se eu tivesse escrito esse exato post, mas falando de quem não curte filme de ação, tu poderia concordar comigo. hehehTensor2011-07-27 21:48:05

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então, tensor, vc foi extremamente infeliz com o seu "idiota"... o cinema francês, como a maioria do cinema europeu, tem uma narrativa e andamento bastante diferente das obras que estamos acostumado desde pequeno, eu particulamente acho um porre a maioria dos filmes europeus q assito, a grande maioria q coloca para ver eu paro na metade justamente pq a narrativa/andamento não me agradam...

 

E sim, podemos perceber q a grande maioria dos amantes do cinema europeu, o francês principalmente são pessoas de alta classe social/intelectual q gostam de todas as nuancias além daquele povinho besta q assiste esses filmes para se sentiram "cult"... vivemos com esse estigma na sociedade, quem gosta de cinema europeu acha q o resto do povo é preconceituoso, e quem não gosta acha q é um bando de mané intelectualoide... é uma discursão sem fim e não tem como as pessoas pensarem diferente...

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×