Jump to content
Forum Cinema em Cena

Bullying


jujuba
 Share

Recommended Posts

E é um perigo esperar que o povão (e o Plutão06) entendam ironias...

 

“A ironia é uma qualificação da subjetividade”. <?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

                                                               Søren Kierkegaard

 

E isto se aplica aqui, a sua ironia especialmente a sua está longe de ser objetiva deixa como outras expressas um sentido bem vago e duvidoso. Não é um boa maneira de debater temas polêmicos especialmente se tratando de crimes. Troque a homofobia pela pedofilia e vermos se terá graça?  07

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

E é um perigo esperar que o povão (e o Plutão06) entendam ironias...

 

“A ironia é uma qualificação da subjetividade”.

                                                               Søren Kierkegaard

 

E isto se aplica aqui' date=' a sua ironia especialmente a sua está longe de ser objetiva deixa como outras expressas um sentido bem vago e duvidoso. Não é um boa maneira de debater temas polêmicos especialmente se tratando de crimes. Troque a homofobia pela pedofilia e vermos se terá graça?  07

[/quote']

O vídeo tem um lado cômico, mas não pra nos fazer rir do problema, e sim no sentido de evidenciar o ridículo das opiniões expostas e, consequentemente, o quanto são ridículas as pessoas que pensam daquela forma. Eu acho muito interessante como o vídeo consegue ser chocante e explícito só com palavras, sem mostrar um travesti sendo morto, ou algo do tipo. Basta anunciar as idéias preconceituosas de maneira crua. É uma espécie de Closer.

 

 

Lucy fer2011-05-29 12:57:48

Link to comment
Share on other sites

 

Eu não sou defensor da família padrão mas acho que as pessoas tem o direito de achar que o modelo que elas preferem deve ser o melhor e o direito de falar isso sem imbecis os chamando de preconceituosos. Lembrem-se que quando vocês acusam alguém de ser preconceituoso estão' date=' na verdade, sendo levianos e, porquê não, preconceituosos em sua análise.

 

Além de serem um bando de idiotas que mandam as pessoas se preocuparem com suas vidas e não fazem o mesmo.

 

Vivemos em um tempo nojento em que todas as minorias "sofredoras" ganharam carta branca para sair acusando todo mundo de tudo.

 

 

 

 

 

[/quote']

 

Fechou.

 

Link to comment
Share on other sites

Mimimi meu?

 

 

 

Sim.

 

 

 

Pois é' date=' quem fala o que quer ouve o que não quer...[/quote']

 

 

 

Que bom que concordamos. Já pode parar de choramingar porque dão aos preconceituosos o rótulo que eles e você merecem, sejam o mesmo grupo ou não... 06.gif

 

 

 

E quanto à objetividade da idéia' date=' vejamos. Homem e mulher metendo dá filhinhos (família).[/quote']

 

 

 

Quem disse que todo mundo quer, precisa ou deve ter filhos? Ou que todo mundo quer, precisa ou deve ter filhos biológicos? E quem disse que família se resume a "meter" e reproduzir? Ou que isso é o que todos esperam de uma família? Nunca ouviu falar em adoção, barriga de aluguel e inseminação artificial?

 

 

 

Como você pode ver, esse "argumento" está muito longe de ser objetivo.

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

[offtopic]

 

Nem todos os defensores do formato tradicional da família são homofóbicos.

 

 

 

A partir do momento que alguem se põe a "defender" um modelo específico de família' date=' querendo ditar para os outros o que eles podem considerar família ou não, se eles são família ou não, isso não é preconceito?

[/quote']

 

Tem algo que precisa ficar claro aqui... o modelo específico de família (papai+mamãe+filhinho) não está sendo imposto por ninguém, ele já é mundialmente aceito e estabelecido há alguns milênios e dando resultados frutíferos desde que foi estabelecido... A imposição vem do outro lado tentando empurrar goela abaixo um outro modelo e ainda com ameaças contra quem pensar diferente.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

O Nostromo deixou claro que o problema não preferir um modelo' date=' e sim querer impor a todo mundo, achar que as pessoas devem ser pressionadas para que formem famílias tradicionais, ou qualquer outro tipo de família, e punidas pelo Estado e pela sociedade, caso não o façam. É como forçar pessoas hétero que não querem filhos a tê-los. São minoria, mas nem por isso é justo que sejam esmagadas por uma parcela majoritária da sociedade. O reconhecimento de diferentes tipos de família não impede os adeptos da família tradicional de viverem nela, então não tem motivo justificável pra tentar impedir que aconteça. É pura intolerância. Além de ter um efeito negativo e injusto para aqueles que poderiam se beneficar do reconhecimento.

 

 

 

[/quote']

 

Eu concordo com isso. Não concordo apenas nas acusações de preconceito só porque fulano prefere um tipo de família ao outro. Eu garanto que os bibas preferem o tipo de família deles.

 

 

 

 

Eu não concordo com nada disso que ela disse... 06

 

O Estado não obriga ninguém a constituir família e a ter filhos e muito menos pune quem não forma uma família, nos moldes tradicionais. Tal afirmação é absurda e totalmente inverídica.

 

Link to comment
Share on other sites

 

As palavras que eu usei devem ser interpretadas de

forma abrangente, e está fácil de entender o que eu disse, então não

adianta se fazer de doido ou inocente. Ser gay não foi estabelecido como crime, não há literalmente uma punição. O que existe é uma

marginalização de comportamentos que fujam ao padrão hétero, mantida e

apoiada por uma maioria que não aceita outras formas de orientação

sexual. É uma parte não só do comportamento diário da população, mas

também do trabalho dos legisladores, impondo limitações injustas a quem

não se encaixa no padrão majoritário de sexualidade.

 

Tem algo que precisa ficar claro aqui... o modelo específico de família (papai+mamãe+filhinho) não está sendo imposto por ninguém' date=' ele já é mundialmente aceito e estabelecido há alguns milênios e dando resultados frutíferos desde que foi estabelecido... A imposição vem do outro lado tentando empurrar goela abaixo um outro modelo e ainda com ameaças contra quem pensar diferente.

 

[/quote']

Por ter sido criado há muito tempo, ser aceito pela maioria e dar certo para a maioria, não quer dizer que seja o único modelo merecedor de ser reconhecido pelas sociedades. Do jeito que você fala em empurrar outro modelo, até parece que estão querendo forçar todo mundo a casar com alguém do mesmo sexo. Se existem pessoas com inclinações que as levam a formar outros tipos de família, é justo que os tipos em questão sejam reconhecidos como válidos. Você não gostar de homossexualidade não é motivo para que os gays sejam relegados a uma posição de cidadãos de segunda classe.

 

Você dando uma de vítima é uma piada...

 

Link to comment
Share on other sites

O problema é o que já falamos aqui: intolerância. E com tolerar eu não quero dizer apoiar ferrenhamente, e nem sequer gostar. Se qualquer pessoa que faz parte de maioria for inserida em um grupo onde passe a ser minoria, vai defender que é justo reconhecem plenamente o seu direito de viver do seu próprio jeito (é um reconhecimento que significa bem mais do que evitar atos como execução sumária ou aplicação de multas). Difícil é reconhecer o direito dos outros... E eu me refiro a tudo: orientação sexual, religiosidade, gosto literário etc.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

As palavras que eu usei devem ser interpretadas de

forma abrangente' date=' e está fácil de entender o que eu disse, então não

adianta se fazer de doido ou inocente.[/quote']

 

Gostei dessa... "as palavras que eu usei devem ser interpretadas de forma abrangente"... bela desculpa para tirar da reta e negar que falou besteira.

 Ser gay não foi estabelecido como crime' date=' não há literalmente uma punição. O que existe é uma

marginalização de comportamentos que fujam ao padrão hétero, mantida e

apoiada por uma maioria que não aceita outras formas de orientação

sexual. É uma parte não só do comportamento diário da população, mas

também do trabalho dos legisladores, impondo limitações injustas a quem

não se encaixa no padrão majoritário de sexualidade.

[/quote']

 

Lucy, vamos colocar da seguinte forma, para encurtar essa conversa: eu creio que os homossexuais, como cidadãos que são, devem ter acesso aos mesmos direitos que os héteros tem como casal, quais sejam, direito à pensão, à sucessão hereditária, dependência em benefícios, etc.

 

Agora, querer me fazer aceitar que a relação deles constitui uma unidade familiar IGUAL a minha, não senhora. Isso não é preconceito, é CONCEITO e dá pra viver muito bem com isso e dou um exemplo real bem simples: a união estável heterossexual é equiparada à casamento para fins de direitos previdenciários, sucessórios, etc. Mas não é casamento para todos os fins destinados ao casamento per si. Tanto é que, em caso de separação de união estável, devem os interessados entrar com ação de reconhecimento e dissolução de união estável para fazer valer os direitos previdenciários, de partilha de bens, de guarda de filhos, etc.

 

E NINGUÉM em sã consciência, fala que tal prática é discriminação contra aqueles que preferem "amasiar-se" do que pagar o preço (caro) de se casar. 

 

 

Por ter sido criado há muito tempo' date=' ser aceito pela maioria e dar certo para a maioria, não quer dizer que seja o único modelo merecedor de ser reconhecido pelas sociedades. Do jeito que você fala em empurrar outro modelo, até parece que estão querendo forçar todo mundo a casar com alguém do mesmo sexo. Se existem pessoas com inclinações que as levam a formar outros tipos de família, é justo que os tipos em questão sejam reconhecidos como válidos. Você não gostar de homossexualidade não é motivo para que os gays sejam relegados a uma posição de cidadãos de segunda classe.

[/quote']

 

Não, não estão querendo forçar todo mundo a dar a bunda. Estão querendo forçar que a união homoafetiva é IGUAL como família à união heterossexual. Não é. E dizer que não é, não é agir com preconceito ou discriminação mas apenas e tão somente colocar cada macaco no seu galho.

 

 

Você dando uma de vítima é uma piada...

 

Imagina então você dando uma de hipócrita como nesses seus comentários...

 

Link to comment
Share on other sites

 

O problema é o que já falamos aqui: intolerância. blablablablablablabla... Difícil é reconhecer o direito dos outros... E eu me refiro a tudo: orientação sexual' date=' religiosidade, gosto literário etc.

 

[/quote']

 

Opa, então você assume que é intolerante neste particular (em negrito)?

 

Link to comment
Share on other sites

 

As palavras que eu usei devem ser interpretadas de

forma abrangente' date=' e está fácil de entender o que eu disse, então não

adianta se fazer de doido ou inocente.[/quote']

 

Gostei dessa... "as palavras que eu usei devem ser interpretadas de forma abrangente"... bela desculpa para tirar da reta e negar que falou besteira.

É lógico que eu sei que viadagem não é algum tipo de ilícito, que não existe nenhuma lei dizendo que todos devem ser hétero. Duh. 06

 

E famílias diferentes umas das outras são diferentes umas das outras. Duh novamente. 06

Mas diferente não significa necessariamente inferior.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

O problema é que o conceito de bullying tornou-se amplo demais, relativizando e nivelando por baixo coisas diferentes. O caso noticiado na página passada por exemplo, dá notícia ser chamado de bullying, palavra da moda. Mas não é bullying... é EXTORSÃO. É crime e tem que ser tratado como tal. Ou como infração penal, no caso do adolescente.

Link to comment
Share on other sites

 

Eu coloquei religiosidade em parte porque eu não gosto, e note que eu disse claramente que você não precisa gostar de homossexualidade (entenda “não gostar” como "achar errado", e não simplesmente "ser hétero"). Mas estou criticando a idéia de que certas pessoas devem ter menos direitos porque existe quem não goste de como elas vivem. O que não é o meu caso com os crentes. Não defendo, por exemplo, que eles não possam criar seus filhos na sua religião. Convivo normalmente com eles e gosto deles independentemente de suas crenças (só não venham querer que eu siga sua religião, senão tem briga).

 

Recentemente eu tinha um comportamento mais intransigente em geral (não apenas em relação a crentes). Se fosse em outros tempos, eu já teria feito algum comentário nos versículos que uma pessoa fica postando lá no Face... Mas me comprometi a não ser assim, e tenho lembrado de não dar alfinetada toda vez que alguém diz “Senhor Jesus” (o exercício de me colocar no lugar do outro está ajudando).

 

Não significa que eu não vou fazer críticas relacionadas, e com certeza eu tenho críticas sobre certas opiniões que muitos crentes defendem com base em religião, mas o problema é a opinião em si. O mesmo vale para o gosto musical das pessoas, e já me arrependi de algumas das minhas opiniões que estão no tópico de música. Com relação a filmes também, então não penso mais que todos devem ver cinema como eu. Nunca serei perfeita, mas estou tentando evitar ou amenizar alguns comportamentos. É difícil, exige esforço e nem todo mundo está disposto a tentar.

 

E não pense que o meu problema com você é religião. Eu te acho

extremamente chato, mas gosto muito de outros crentes, do fórum e de

fora dele.

 

Link to comment
Share on other sites

 

É lógico que eu sei que viadagem não é algum tipo de ilícito' date=' que não existe nenhuma lei dizendo que todos devem ser hétero. Duh. 06[/quote']

 

Mas vc não falou isso, você disse que estão impondo que todos tenham famílias no modelo tradicional e que o Estado PUNE quem não faz isso...

 

Duh mesmo! 06

 

E famílias diferentes umas das outras são diferentes umas das outras. Duh novamente. 06

Mas diferente não significa necessariamente inferior.

 

Famílias são diferentes pq são compostas por PESSOAS diferentes e não MODELOS diferentes. O modelo é exatamente o mesmo para todas elas.

 

E só você está falando em superior x inferior aqui...

 

Link to comment
Share on other sites

 

Eu coloquei religiosidade em parte porque eu não gosto' date=' e note que eu disse claramente que você não precisa gostar de homossexualidade (entenda “não gostar” como "achar errado", e não simplesmente "ser hétero"). [/quote']

 

Então fechamos. Se você entende desta forma, estamos de acordo.

 

Mas estou criticando a idéia de que certas pessoas devem ter menos direitos porque existe quem não goste de como elas vivem. O que não é o meu caso com os crentes. Não defendo' date=' por exemplo, que eles não possam criar seus filhos na sua religião. Convivo normalmente com eles e gosto deles independentemente de suas crenças (só não venham querer que eu siga sua religião, senão tem briga).[/quote']

 

Não é que as pessoas querem que outras tenham menos direitos.... claro, isso estou falando por mim, não sei como um homofóbico pensa (e não quero saber, realmente). O que quero é que as coisas sejam colocadas em seu devido lugar. Isso não é discriminar.

 

 

E não pense que o meu problema com você é religião. Eu te acho

extremamente chato' date=' mas gosto muito de outros crentes, do fórum e de

fora dele.

[/quote']

 

Eu também te acho insuportável na maioria das vezes, mas eu não tenho a menor pretensão de te calar - não q eu esteja dizendo que você está tentando fazer isso comigo, estou apenas expondo uma situação real que poucos estão tendo os culhões de abordar.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Coloque-se no seu devido lugar é um jeito meio assustador de falar... 06

 

A meu ver, uniões gays e hétero são igualmente dignas e igualmente merecedoras de direitos. Apesar das diferenças inevitáveis, devido ao gênero dos envolvidos em uma e outra (o mundo não vai acabar porque os gays não estão tendo filhos, e estão fazendo aquelas coisas indecentes que eles fazem uns com os outros). Casamento não é união estável, são diferentes, mas ambos são permitidos a um tipo de casal e não a outro. Aí é onde eu vejo o problema.

 

E eu não faço questão que os crentes abram as portas das igrejas para os gays se casarem, apesar de que seria legal se abrissem.

 

 

 

 

Lucy fer2011-05-30 15:33:54

Link to comment
Share on other sites

 

 

Coloque-se no seu devido lugar é um jeito meio assustador de falar... 06

 

Pois é... em um mundo politicamente correto' date=' uma expressão simples e direta como essa assusta mesmo.

 

A meu ver, uniões gays e hétero são igualmente dignas e igualmente merecedoras de direitos. Apesar das diferenças inevitáveis, devido ao gênero dos envolvidos em uma e outra (o mundo não vai acabar porque os gays não estão tendo filhos, e estão fazendo aquelas coisas indecentes que eles fazem uns com os outros). Casamento não é união estável, são diferentes, mas ambos são permitidos a um tipo de casal e não a outro. Aí é onde eu vejo o problema.

 

Veja, a união homoafetiva graças ao nosso STF é reconhecido como união estável e entidade familiar. Ao meu ver, deveria apenas e tão somente ser equiparado à união estável para que o casal gay pudesse ter acesso aos direitos que tanto pleiteam. É assim que funciona com a união estável hetero (que é equiparada a casamento) e nenhum amasiado reclama disso.

E eu não faço questão que os crentes abram as portas das igrejas para os gays se casarem' date=' apesar de que seria legal se abrissem.

 

 

 

 

[/quote']

 

Pois é... infelizmente, muitas igrejas abrirão suas portas para celebrar casamentos homossexuais com vistas a serem aceitas na sociedade ou com medo de sofrerem represálias.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pois é... em um mundo politicamente correto' date=' uma expressão simples e direta como essa assusta mesmo. [/quote']

Eu não sou politicamente correta. E o problema não é a expressão ser simples e direta, e sim certas interpretações possíveis.

Veja' date=' a união homoafetiva

graças ao nosso STF é reconhecido como união estável e entidade

familiar. Ao meu ver, deveria apenas e tão somente ser equiparado

à união estável para que o casal gay pudesse ter acesso aos direitos

que tanto pleiteam. É assim que funciona com a união estável hetero (que

é equiparada a casamento) e nenhum amasiado reclama disso.[/quote']

Quem é hétero tem a opção de casar ou se juntar. Os outros casais deveriam ter o direito de fazer a mesma escolha. Não há motivo pra que não tenham. Poderiam criar um casamento gay e dizer que se equipara ao casamento hétero, mas não é igual, apenas se equipara 09. Assim algumas pessoas poderiam ficar satisfeitas com a idéia de que “eles estão no seu devido lugar, porque o meu casamento não é igual ao deles; cada um na sua”. O importante é permitir a escolha. Como está eu considero ofensivo e sem sentido. Seria como não aceitar o casamento entre gordos. 09

 

Eu vi a decisão do STF.

 

Cara' date=' tu é o Rike?[/quote']

 

Não sei se a minha resposta vai valer alguma coisa pra você... Mas sim, ele é o Rike. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lucy fer2011-05-30 16:49:40

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...