UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena
Sign in to follow this  
SergioBenatti

Tokyo2020: Previsões de Medalhas brasileiras

Recommended Posts

Não vivo só de previsões para o Oscar, sou completamente apaixonado por Olimpíadas. Ao longo dos anos, tenho acompanhado mais os chamados esportes olímpicos e tentado prever seu quadro de medalhas. É uma oportunidade para prestar atenção à evolução esportiva do nosso país, vivenciar de tabela a emoção dos atletas, e conhecer como são as políticas nesse setor ao redor do globo.

Como são centenas de países envolvidos, vou me focar nas chances brasileiras, tentando adivinhar os resultados do país em  Medalhas de Ouro, Prata, e Bronze, bem como a sua posição final no Quadro de Medalhas , que vale dizer, é algo jornalístico, não é algo oficial. Afinal, o lema  "O importante é Competir", que muita gente abomina, aponta para o fato de que o importante é o atleta melhorar suas marcas, seus tempos, etc; afinal um quarto lugar pode ser algo tão importante e valioso para um país sem tradição em uma modalidade, quanto uma prata pode ser decepcionante para um país acostumado a vencer sempre.

Tokyo 2020 terá início em 24 de julho de 2020, e terminará em 09 de agosto do mesmo ano.

 

image.png.b4caa1a47f629e9f98bf72a3d65e5516.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

03/02/2019:

Medalhas Brasil

Total: 25

16º colocação no Quadro de Medalhas.

 

Ouro: (7)

4x100m livre masculino - Natação 

Pedro Barros - Skate modalidade Park 

Martine Grael e Kahena Kunze - Vela classe 49er FX

Equipe de Vôlei Masculino - Vôlei

Ághata e Duda - Vôlei de Praia

Gabriel Medina - Surf

Isaquias Queiroz e Erlon Silva - Canoagem C2 1000m

 

Prata: (5)

Arthur Zanetti - Ginástica Artística - Argolas

Rebeca Andrade - Ginástica Artística - Salto

Letícia Bufoni - Skate modalidade Street

Vinicius Figueira - Caratê categoria -67k

Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino - Vela classe Nacra17

 

Bronze: (13)

Bruno Fratus -  Natação - 50m livre

4x200m livre masculino - Natação

Flávia Saraiva - Ginástica Artística -Solo

Rafaela Silva - Judô categoria -57kg

Mayra Aguiar - Judô categoria -78kg

Maria Suellen Altheman - Judô categoria +78kg

Isaquias Queiroz- Canoagem C1 1000m

Ana Sátila - Canoagem Slalom - C1 feminino

Alison e André Stein - Vôlei de Praia

Tatiana Weston-Webb - Surf Feminino

Almir Júnior - Atletismo -  Salto Triplo Masculino 

Kelvin Hoefler - Skate modalidade Street

Beatriz Ferreira - Boxe categoria -60kg

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Breves comentários:

Não, eu não me esqueci do Futebol. É que esse time sub-20 masculino do Brasil é tenebroso, temo até que não vá classificar, mesmo sempre tendo ouvido que a equipe é ótima, mas que é muito mal treinada. A equipe feminina, já classificada, mesma coisa, bons valores e mal treinada.

Outra modalidade de interesse, Vôlei Feminino, não vejo o Brasil, no momento, melhor do que Itália, Sérvia, Turquia, e China. Briga ainda de igual pra igual com Holanda e Estados Unidos. Então, é isso, vejo difíceis nossas chances de voltar ao pódio. Uma equipe mais velha e baixa (Saudades eternas do trio Fabiana - Thaisa- Sheilla). Não vejo ninguém do Judô chegando às finais. Ninguém. Coloquei três bronzes, e mesmo assim, o da categoria pesado feminina, quase eu tirei, pois a Altheman não é regular. A equipe masculina de judô é boa, mas não tem "casca" suficiente para aguentar 6 ou 7 lutas. Aliás, Japão aqui vai ganhar quase todas as medalhas de ouro em disputa.

Os novos esportes Surf, Caratê, e Skate nos assegurarão várias medalhas, ainda que a participação do Gabriel Medina seja incerta. Ele é o Atual Campeão Mundial. Não posso tirá-lo. No feminino, Tatiana briga pelo bronze, no máximo.

A boa notícia virá das piscinas. Tenho muita fé nos nossos incríveis velocistas do 4x100 livre masculino (Temos tudo para bater os Estados Unidos e fazer História com o Ouro) , bem como na equipe do 4x200m para o bronze (que quase ninguém põe na lista. É só olhar os tempos! Temos um nadador nadando pra "45" e 3 para "46" , se conseguirmos mais um nadando abaixo dos 46, a medalha de bronze é nossa).

Não pude colocar o ciclismo Mountain Bike, com Henrique Avancini, no Bronze, por que ele só vem conseguindo quarto lugar. Quarto Lugar atrás de quarto lugar. Quando ele subir ao pódio, eu vou com muita alegria incluir o nome dele aqui, pois o que ele tem feito pro ciclismo nacional é incrível.

Gostaria de chamar a atenção para a Vela. Mas não para nossas lindas campeãs olímpicas, mas para uma classe chamada Nacra17, que é a única mista do esporte. Samuel e Gabriela não têm mídia, mas têm talento e têm crescido demais. Foram quintos no último mundial, quando poderiam ter sido Bronze. E exatamente hoje conseguiram a Prata na etapa de Miami, superando os atuais campeões olímpicos e outros barcos bons. Fiquem de olho neles, pois a mídia não está.

Outra medalha que está encantada é a Equipe Feminina na Ginástica Artística. Elas estavam em segundo, antes da última prova do Campeonato Mundial em 2018, mas se desconcentraram e terminaram em sétimo. Eu fiquei com o coração partido. Mas potencial pra medalha tem. Mesmo assim, ainda não as coloquei. É preciso acostumar a ganhar. A chegar lá e decidir. Elas têm tudo para conquistar uma medalha - hoje desenhada no papel e ainda irrealizada - acima de Rússia e China. Incrível!

Nosso atletismo melhorou, mas continua péssimo. Pelo menos temos 7 chances de top 10, em 47 provas, que dão 141 medalhas! Rezando, coloquei 1.É inacreditável como o Brasil desperdiça potencial humano nessa área. Mesmo assim, dessa pequena melhora dos últimos 3 anos, eu só vejo, por enquanto, a medalha do Almir. Para isso, ele precisa chegar no 17,70m,17,80m, pelo menos.

Hugo Calderano, atual 6º do mundo no Tênis de Mesa, tem chance de ganhar um dos Bronzes (Já que Ouro e Prata são da China como de costume), mas precisa bater mais vezes o alemão fodão Timo Boll e o garoto prodígio do Japão.

De qualquer forma, será nossa melhor Olimpíada em número total de medalhas; igual à melhor em Ouro; mas ainda insuficiente pra atingir o sonhado Top 10.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

* Henrique Avancini conquistou ontem o Ouro, em competição na Africa do Sul. Chega de Quarto lugar! Ano novo , vida nova!

* Hugo Calderano foi campeão Pan-Americano ontem na República Dominicana. Mais importante que ganhar mais uma vez essa competição é defender seus pontos, já que com isso ele deve se aproximar, ou passar, o Alemão Timo Boll, que está até então à frente dele no Ranking mundial. Boll, por sua vez, não conseguiu ir para a final do campeonato europeu, ou seja, não conseguiu defender os pontos conquistados do último torneio. Hugo provavelmente será quinto do mundo! Ninguém nas Américas nunca conseguiu isso! Vaga no Mundial assegurada.

* Seleção de Ginástica Feminina foi treinar nos Estados Unidos nesta semana. Nenhuma nota da imprensa. Não importa. Esse trabalho invisível dará frutos.

* Seleção sub-20 de futebol masculino acaba de perdeu pro Uruguai nos acréscimos no Campeonato sul-americano da categoria. Eu temo que o Brasil, com esses jogadores aí, não se classifique.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A notícia do dia é a volta do maior atleta olímpico da história do Brasil, Robert Scheidt, à corrida olímpica. Ele terá 47 anos em 2020. Pesado, pois a clase Laser é típica dos garotões. Quando ele foi campeão olímpico nela, em 1996, ele tinha 23 anos.

A imprensa, pra variar, está informando errado. O Brasil já tem direito à vaga na Laser em Tóquio! Essa vaga foi conquistada "para o país" por João Pedro Oliveira, no Mundial do ano passado, ao chegar, se bem me recordo, em 19º lugar.  Os dois brigarão pela titularidade.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 hours ago, Gust84 said:

Eu incluiria pódio para Handebol feminino. 

Ah, Gust84, sem chance infelizmente, perdemos nossas melhores oportunidades em 2012 e 2016.No último Mundial, ficamos em 18º!

Achei que você fosse me dar alguma esperança no Futebol masculino...

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Futebol masculino estamos parados no tempo. Enquanto nada acontecer, ficaremos cada vez mais pra trás!

Falei sobre handebol porque sou amigo do irmão de uma jogadora da seleção, e segundo ela as atletas desta geração estão jogando os campeonatos de fora, o que aumenta a competitividade!

Share this post


Link to post
Share on other sites
21 hours ago, Gust84 said:

 

Falei sobre handebol porque sou amigo do irmão de uma jogadora da seleção, e segundo ela as atletas desta geração estão jogando os campeonatos de fora, o que aumenta a competitividade!

Por isso o Brasil é o melhor time das Américas. Mas os europeus também jogam na Europa hehe. O time masculino do Brasil, no momento, é mais forte do que o feminino, ficou em 9º no Mundial, primeira vez de um sul-americano no Top 10, batendo vários Europeus (Islândia, Rússia, Sérvia). Mas medalha é outra dimensão...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Enquanto isso, no relevantíssimo Grand Slam de Paris, que distribui muitos pontos, a nossa equipe feminina de Judô foi um fracasso. A melhor: Rafaela Silva, em quinto lugar. As outras foram muito mal. Mas não é por saírem sem medalhas que eu chamo de fracasso, é que o Brasil deixou de levar a equipe masculina, dobrando as atletas femininas, e nenhuma delas se deu bem. Tal postura foi uma ruína pra pontuação dos ranking masculino e feminino!

A Confederação Brasileira de Judô está trabalhando errado, ouso dizer. Se a fase não é boa, homens e mulheres PRECISAM lutar em torneios menores (pelo Caribe, América do Sul, etc), que distribuem poucos pontos, mas, pelo menos, eles os obteriam. Se continuar com a política de só levar a equipe principal para competições grandes, porque são televisionados, eles correm o risco de ficarem muitos distantes no posicionamento olímpico, e, com isso, pegarem um chaveamento forte em Tóquio, desde o início. Enfrentar japoneses, franceses e russos, desde o início.

É hora de pontuar! (Ganhar medalha em Grand Slam tá virando um sonho, quando há poucos anos era rotina) É hora de pontuar!

 

Campanha ruim em Paris, página virada, e equipe equipe de cabeça erguida para próximas semanas em Oberwart na Áustria e na sequência Düsseldorf na Alemanha... “O problema não é errar. O problema é a atitude após o erro”.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O feito esportivo do mundo olímpico neste final de semana, sem dúvida nenhuma, é o Ouro de Ana Marcella Cunha, na Maratona Aquática 10km, da etapa de Doha do Circuito Mundial. Todos os grandes nomes do esporte estavam lá, inclusive a fortíssima italiana Rachele Bruni (ficou com o Bronze) e a campeã Olímpica, a holandesa Sharon Von Rouwendaal. Na prova masculina, Allan do Carmo e Vitor Colonese ficaram bem distantes do pódio, 17º e 26º respectivamente, mas se garantiram no Mundial de Gwangju em julho na Coreia do Sul.

Não coloquei a Ana Marcella nas minhas previsões por que ela tem fracassado justamente nas Olimpíadas. No Rio, todos esperavam pelo menos a Prata por parte dela, terminou em 10º, e quem alcançou o pódio foi a Poliano Okimoto. Ana Marcella torna-se favorita quando o mar está bravio, se as águas estiverem calmas, uma enorma piscina, ela não é melhor do que suas competidoras. Tudo dependerá das condiçoes da Baía de Tóquio.

Outro bom feito foi o Bronze obtido pela Valéria Kumizaki do Caratê, na categoria -55kg, na segunda etapa da Premier League, em Dubai. Assim Valéria vai obtendo seus pontinhos a fim de subir no ranking. Da última vez que olhei, ela estava em 26ª, pois foi eliminada prematuramente no Mundial do ano passado. Agora é se recuperar - boto fé!- ainda mais pra quem foi vice-campeã mundial. Ela só perdeu nas semifinais, para a futura ganhadora, de Taipei. Essa classificação no caratê distribuirá poucas vagas a centenas de candidatos. Quase sendo mais difícil do que a disputa olímpica em si.

Legal o bronze inédito na Ginástica de Trampolim, na prova do Trampolim Sincrozinado feminino, na Copa do Mund, em Baku. Ok, não existe essa prova nas Olimpíadas.  Porém, Camila Lopes e Alice Gomes podem sim fazer final do individual - o 14º lugar no Mundial de Camila do ano passado é prova disso. Aos poucos, o país vai aumentando sua cultura do esporte, obtendo reconhecimento, e a coisa cresce. A medalha dará força a elas na disputa individual. Ambas têm chance de se classificarem.

Decepção da semana: Thiago Braz! (Decepção da semana, do mês, do ano, dos biênio). Sequer atingiu 5.45m, no Grand Prix da Irlanda. A marca exigida para classificar ao Mundial de Doha é 5.71m. 

Brasil-conquista-medalha-in%C3%A9dita-na-Copa-do-Mundo-de-Gin%C3%A1stica-de-Trampolim.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Beatriz Ferreira está fora do radar da mídia tradicional, mas não do meu. Acaba de vencer o importante Torneio Strandja, na Bulgária, um dos principais da temporada, recheado de grandes adversárias do boxe feminino, como a sueca a quem venceu por 5 a 0 na final. Tem tudo para ser medalhista em Tóquio!

O Brasil ainda terminou com 3 bronzes no masculino (Douglas Andrade, Wanderson Oliveira, e Abner Teixeira), mas a modalidade masculina não teve a mesma relevância em termos de competitividade.

Beatriz-Ferreira-conquista-o-ouro-no-Torneio-Strandja.jpeg

Share this post


Link to post
Share on other sites

O final de semana olímpico - porque o esporte olímpico não para - foi bom para o Time Brasil.

* Darlan Romani conseguiu o top1 do ranking mundial no Arremeso de Peso, ao atingir 21.87m, neste ano. Primeira competição do ano e uma marca muito boa. Mas pra medalha em Tóquio tem quer acima de 22m. O melhor arremeso dele é 22m cravado. O Neozelandês fodão e os dois americanos conseguem constantemente mais de 22m. Ele, a meu ver, aspira a um bronze.

* Thiago Braz, recuperando-se, saltou 5.80m, conseguindo desse modo índice para o mundial. Mas o bom foi que ele saltou 5.93m, passando alto, porém bateu com a mão no sarrafo e o derrubou. Medalhas: 2 atletas para 6.03m, e o bronze em 5.87m. Ou seja, MUITOS atletas conseguem marcas muito boas. Pra medalha, como foi no RIO2016, terá de ser acima de 6m.

* Título do Minas, no Sul-Americano de Clubes. O que a Macris está levantando é uma enormidade...Olha, me deu um alento pro time principal do Brasil. Se o Zé a a escalar, o Brasil pode aumentar suas chances. Vi luz no fim do túnel, num futuro médio.

* A maior performance que eu vi foi a estreia da dupla Evandro/Bruno Schmidt. Ganharam a etapa de Fortaleza, sem perderem um set sequer. Todo mundo que entende de vôlei de praia os queria juntos. E deu liga. Já deu liga. Veremos em breve como jogarão no exterior. No feminino, bateu um temor pela performance da Agatha. A achei cansada fisicamente. Ela e Duda ficaram com o vice.

* GP de Düsseldorf de Judo: Brasil foi muito bem, ficou atrás apenas do Japão no quadro de medalhas. Destaque para o Ouro de Mayra Aguiar. E os vários bronzes que darão pontos relevantes, principalmente à Natália Brígida, na categoria -48kg. Todos precisam de pontos, para fugir de japoneses em confrontos prematuros.

* Zanetti ficou com o bronze na etapa de Melbourne da Copa do Mundo e saiu reclamando dos juízes. Não deveria! Mexeram demais as argolas e a nota de partida não foi a mais alta que ele tem. Bom pra ele se ligar, que precisa fazer constantemente a performance maravilhosa do último mundial.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Feriado de carnaval, mas o esporte olímpico continua.

* De mais importante, rolou o Campeonato Mundial de Ciclismo Pista, na Polônia. O Brasil conseguiou classificar um único atleta. É esse o nosso patamar. São 12 provas durante a Olímpíada, é dizer, 36 medalhas em jogo. Neste Campeonato Mundial, a Holanda venceu 5 delas (além de inúmeras pratas), a Austrália venceu 3, Hong Kong venceu duas, e Alemanha e Nova Zelândia venceram uma. Percebam como a Inglaterra não aparece. Estratégia? Esconderam o jogo? Ou a seleção atual é mais fraca mesmo? De qualquer forma, Brasil briga com Holanda e Nova Zelândia (e Hungria, e Espanha, e Canadá...) no quadro geral de medalhas. Então, quando esses países vencem Ouro, somos jogados para trás.

* Torneio quadrangular amistoso de Futebol Feminino, e o Brasil perdeu de virada pra Inglaterra, e perdeu pro Japão. Nosso time feminino, já classificado, não consegue vencer nenhum time de ponta há 3 anos. E o técnico continua lá, posando de coitado, falando que ninguém quer trabalhar com futebol feminino, que ninguém valoriza, blábláblá, mas o salário na conta continua caindo, né? Não acho que chegará às semifinais.

* De olho nos resultados dos nadadores brasileiros que estudam e treinam nas Universidades americanas. Caio Pumputis, Vinicius Lanza, e Gabriel Fantoni, nossa nova geração maravilhosa, os três, quebraram recordes nos campeonatos por lá. Em jardas, vale dizer. Em jardas. Não se pode converter de maneira segura os tempos para piscinas de 50m, mas pelo menos dá pra se ter um panorama. E é dos mais animadores. Fantoni pode estar nadando para 1.55 baixo, ou 1.54 alto nos 200m costas, por exemplo. Isso é final olímpica! Resultados como esses só me animam mais para o Troféu Brasil ( Maria Lenk), em abril. A natação do Brasil vai brilhar, vocês vão ver!

D0sjFQhXgAAQgnO.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fim de semana olímpico com poucos eventos relevantes. Só um fato digno de nota envolvendo brasileiros:

* Breno Correia, nosso jovem nadador,  bateu seu próprio recorde pessoal nos 200m livre (50m), num campenato em Iowa, nos Estados Unidos, 1m47s83, batendo o campeão olímpico no 4x100m Blake Pierroni.  É um tempo que chama a atenção porque ele está "pesado" (privilegiando musculação, corpo fatigado de tanto exercício), sem raspar, e mesmo assim fez seu melhor tempo na vida. Ou seja, no Trofeu Brasil, durante o mês de abril, ao que tudo indica, possivelmente nadará para 1m46 baixo. Pra medalha individual no Rio: Ouro, 1.44.65; Prata, 1.45.20; Bronze, 1.45.23. Vejam como é difícil uma medalha individual. Mesmo o recorde sul-americano - 1m45s51- de Fernando Sheffer, que o colocou como 4º tempo do mundo em 2018, está ainda algo distante. Centésimos são um mundo. Mas revezamento é outra coisa, é um time.  Brigarão Estados Unidos, Rússia, Reino Unido e Brasil. Só. Vai sobrar uma medalha pra gente, vocês vão ver.

No meu primeiro post defendi que o Brasil será bronze no revezamento 4x200m. Pódio:  Ouro Estados Unidos; Prata, Rússia; Bronze, Brasil. 

Eis a prova do Breno:

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A IAFF divulgou hoje os índices exigidos para a classificação olímpica. Fortes, muito fortes. Mas como o atletismo brasileiro deu uma melhoradinha, se usarmos os resultados de 2018, teríamos 14 atletas + o Thiago Braz (Porque ele fez. 5.80m só que na temporada indoor).  A janela começa agora em 1º de maio. Metade das vagas será por esses índices olímpicos, a outra metade pelo ranking mundial da entidade.

Caso repitam a performance, entrariam:

100m: Paulo André

200m: Vitor Hugo, Derick Silva, Aldemir Júnior.

800m: Thiago André

110m com Barreiras: Gabriel Constantino

400m com Barreiras: Márcio Teles

Salto Triplo: Almir Júnior

Lançamento do Peso: Darlan Romani

100m feminino: Vitória Cristina Rosa

200m feminino: Vitória Cristina Rosa

Marcha Atlética 20km: Erica Sena

Salto Triplo feminino: Nubia Soares

Lançamento do Disco: Andressa de Moraes e Fernanda Martins

 

Minha previsão atualmente: Bronze, Almir Júnior, Salto Triplo masculino.

Engraçado ver a reação de um jornalista argentino: "Argentina vai ver pela televisão". índices quase desumanos pra o atletismo sul-americano, em geral. Triste ver o Brasil fora da maratona.

D1VGKo8WkAA5MAK.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dá até um calafrio na espinha, putz, que lindo. Nova rotina da Rebeca nas Barras Assimétricas, aumentando a dificuldade. Tem competição na Alemanha neste fim de semana; vai o time todo (Jade, Flávia, Thaís...). E a Rebeca vai fazer solo finalmente, depois de tantas lesões nos joelhos.

Gente...Se acertar, é medalha nas Barras também! E no individual geral.

Multimedalhista em Tokio?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A equipe de ginástica artística feminina do Brasil acaba de ser Ouro em Stuttgart,  na Alemanha, ganhando por quase 5 pontos da Rússia! Essa nota seria prata, com sobras, no último Mundial. É esse o potencial do nosso time! Rebeca Andrade, com as notas de hoje, seria prata no Individual Geral, prata no Salto, prata no Solo, quarta nas Barras assimétricas, comparando com o último Mundial. A equipe do Brasil, aliás, ganhou em todos os aparelhos. Abriu, no salto, 2 pontos da Rússia.

DTB Pokal Women's Team Challenge :

 Finals 

1 - Brazil, 164.396

2 - Russia, 159.496

3 - Netherlands, 153.763

4 - France, 150.462

Um show.

Vamos fazer história em Tokio2020!

 

D1zMTvOXgAELC2I.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um final de semana esportivo quase perfeito para o Brasil. Não tem como não ficar empolgado. 

* Começando pelo que foi ruim: O Vôlei de Praia masculino decepcionou na etapa de Doha do Circuito Mundial, que distribuía muitas pontos. É a segunda etapa do circuito, de 10 programadas. O Brasil foi com as quatro melhores duplas e elas pararam antes das quartas de finais. Fui olhar com atenção as chaves, os placares, os adversários, os vencedores e, assim, não foi tão ruim, no todoTeve um pouco de zebra. Ninguém espera que boa dupla do Chile,  dos primos Grimalt, vencedora do torneio, se sagre campeã Olímpica. Eles estão há anos no circuito, ganham aqui e outra ali, mas não têm bola pra isso. Derrotaram os americanos, quase quarentões, Lucena/ Dalhausser, e o terceiro lugar ficou com a conhecida dupla espanhola. Tipo...Não boto fé em nenhuma das três duplas. À longo prazo, as duplas brasileiras , recém-formadas, vão chegar mais longe, assim como os holandeses, a dupla austríaca, a dupla polonesa, e a da Noruega. A minha previsão continua a mesma: Bronze no Vôlei de Praia masculino (agora com Bruno/Evandro, pois Alison/André Stein não decolam).

* Falando de coisa boa: eu tinha postado há 1 semana, o "personal best" do Breno Correia, nos 200m livre, quando venceu a prova em torneio nos Estados Unidos, nadando "pesado", sem raspar. E olhem como uma 1 semana faz diferença! Em torneio regional em São Paulo, o Breno bateu seu recorde pessoal de novo, com uma melhora expressiva, à medida em que se aproxima o Troféu Brasil. De 1:47.83 da semana passada para excelentes 1:47.06!!! Pra quanto esse garoto vai nadar em abril? 1:45??! Essa nossa medalha no revezamento 4x200 está mexendo com a minha cabeça. Dois caras nadando pra 1:45 , mais o Altamir nadando pra 1:46 baixo...é um sonho. É um bronze que vai se aprateando.

* Excelente a recuperação do Judô brasileiro na etapa de Grand Slam de Ekaterimburgo, na Rússia. Uma etapa bem forte, mas não tão forte quanto foi Paris. Rafael Macedo bronze até 90kg; Rafael Silva e David moura bronze acima de 100kg ( Em Olimpíada, só vai 1 por país);  Mayra Aguiar Prata até 78kg (perdeu pra japoensa); Maria Portela, prata, na -70kg; e finalmente Maria Suelen Altheman Ouro na categoria acima de 78kg. Olhem minha previsão. Tá lá o nome da Altheman trazendo o Bronze. Acredito muito no potencial dela, embora sempre cruze e perca da Cubana Ortiz. Ela tem total condição de trazer um bronze, como venho prevendo. Foram 6 medalhas, mas ainda houve outras atuações boas, como a de Léo Gonçalves, na categoria -100kg, que venceu campeão europeu e tudo. Além das medalhas, o que eu pedi, há algumas semanas, enfim, aconteceu. Brasileiros pontuaram! Precisavam pontuar! É verdade, que mais os pesados do que os leves, mas, no geral, foi um torneio ótimo pro Brasil. Vão melhorar muito no ranking. No cômputo geral, continua minha previsão: 3 bronzes! Mayra Aguiar, Rafaela Silva, e Maria Suellen Altheman. Mas, pelos bons resultados, nos últimos torneios, estou quase colocando um bronze para a guerreira Maria Portela.

* Um final de semana de sonhos na Ginástica artística feminina. Ouro por equipe, com sobras; performances excelentes de Rebeca e Flávia Saraiva. Quero falar da Flávia, pois as pontuações incríveis da Rebeca a eclipsaram. Ela foi muito bem no salto. Tirou 14.600! É uma nota ótima, e de quebra, tem como melhorar mais. Mas...ela caiu da trave. A rotina de trave dela tem um elemento em que ela vem errando sistematicamente há 2 anos! Não é possível! Nós, fãs de ginástica, estamos planejando até fazer um abaixo-assinado pra pedir a retirada desse elemento. Às vezes os torcedores enxergam melhor do que os técnicos.  No cômputo geral, minhas previsões mudaram: De 3 medalhas olímpicas,  agora estou esperando 5. Vou refazer as previsões brevemente.

 A Confederação de Judô está só comemorando:

 

🥇 Maria Suelen Altheman (+78kg) 🥈 Maria Portela (70kg) 🥈 Mayra Aguiar (78kg) 🥉 Rafael Macedo (90kg) 🥉 Rafael Silva Baby (+100kg) 🥉 David Moura (+100kg) 5º Eduardo Katsuhiro (73kg) 5º Beatriz Souza (+78kg) 7º Eric Takabatake (60kg) 7º Daniel Cargnin (66kg)

 

OBS: O sorteio do Mundial de Basquete Masculino foi terrível para o Brasil. Caiu no Grupo de Grécia, Montenegro e Nova Zelândia, e cruza com o dos Estados Unidos. Nada a esperar. Classificação olímpica seria um sonho.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

17/03/2019

Medalhas Brasil

Total: 27

16º colocação no Quadro de Medalhas.

 

Ouro: (7)

4x100m livre masculino - Natação 

Pedro Barros - Skate modalidade Park 

Martine Grael e Kahena Kunze - Vela classe 49er FX

Equipe de Vôlei Masculino - Vôlei

Ághata e Duda - Vôlei de Praia

Gabriel Medina - Surf

Isaquias Queiroz e Erlon Silva - Canoagem C2 1000m

 

Prata: (8)

Arthur Zanetti - Ginástica Artística - Argolas

Equipe feminina - Ginástica Artística 

Rebeca Andrade - Ginástica Artística - Individual Geral

Rebeca Andrade - Ginástica Artística - Salto

Rebeca Andrade - Ginástica Artística - Solo

Letícia Bufoni - Skate modalidade Street

Vinicius Figueira - Caratê categoria -67k

Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino - Vela classe Nacra17

 

Bronze: (12)

Bruno Fratus -  Natação - 50m livre

4x200m livre masculino - Natação

Rafaela Silva - Judô categoria -57kg

Mayra Aguiar - Judô categoria -78kg

Maria Suellen Altheman - Judô categoria +78kg

Isaquias Queiroz- Canoagem C1 1000m

Ana Sátila - Canoagem Slalom - C1 feminino

Bruno Schmidt/ Evandro - Vôlei de Praia

Tatiana Weston-Webb - Surf Feminino

Almir Júnior - Atletismo -  Salto Triplo Masculino 

Kelvin Hoefler - Skate modalidade Street

Beatriz Ferreira - Boxe categoria -60kg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Breves comentários:

A performance de Rebeca Andrade no Solo, ao som de Bach e Baile de Favela (por sinal uma junção muito esperta e original) mostrada ao mundo neste fim de semana, deu a ela uma notaça: 14.133. A segunda maior do mundo, no momento, e ela nem fez tudo o que sabe. Pois bem, isso, infelizmente, tira a Flávia Saraiva do Pódio na prova, que eu reputava com o Bronze. Bom, mas é graças à Rebeca que o Brasil pode angariar outras medalhas, como no Individual Geral (AA) e a Equipe Feminina (TC). Ou seja, sobe o número de pratas do país. Mais duas medalhas no total para o Brasil. Passa-se, na minha previsão, de 25 para 27 medalhas, mas como não são de Ouro, o país permanece na mesma colocação no quadro de medalhas.

Ponderei muito se colocava a Maria Portela com um Bronze, no Judô, categoria -70kg. Ela é uma guerreira, anos de seleção, anos de luta, anos perdendo, mas agora começou a ganhar. Decidi esperar mais algumas competições, pois a categoria dela é muito difícil. 

Situação parecida em relação a Ana Marcela da Maratona Aquática, 10km.  Excelente atleta, guerreira, e tal, mas...a queria ver ganhando em uma situação de mar calmo. O local de prova parece ser (além de poluído), de águas tranquilas e quentes. Acho que só vou mudar, é dizer, colocá-la como medalhista, quando ela nadar lá, no mesmo local de prova, num evento-teste, ou algo aprecido, e se sair bem.

Mudei a dupla brasileira no pódio do Vôlei de Praia Masculino. Coloquei Bruno e Evandro. Alison e André não estão rendendo. Será a falta de um defensor nato? Vôlei de Praia requer tanto um atleta "jogueiro" no fundo de quadra? Parece que sim. Em todo caso, Brasil nunca fica sem medalha.

Não mudei mais nada. Todos os atletas listados anteriormente mantiveram seus desempenhos, ou até os melhoraram. Gabriel Medina confirmou que quer disputar a Olimpiada; os nadadores estão cada vez melhores; Judô é esse quadro aí pra melhor... 

Enfim, caminhamos para a nossa melhor Olímpiada no total.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Escrevi ontem que a dupla Alison e André não estava decolando, retirando, assim, a dupla das minhas previsões de medalha. Menos de 24 horas depois, eles "abriram" as dupla, é dizer, não jogam mais juntos.

O único caminho que vejo é Alison, ou André, se juntar ao excelente defensor Álvaro Filho, quie hoje joga com Ricardo (de 43 anos) Em qualquer dos casos, seria uma dupla muito forte. Se bem que a dupla Guto/Saymon poderia também se abrir...Até o final da semana, saberemos. 

Lembrando que, desde 2000, o Brasil tem uma dupla na final masculina.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×