Jump to content
Forum Cinema em Cena

O polêmico "A Inocência dos Muçulmanos"


jujuba
 Share

Recommended Posts

Depois da polêmica charge de charge Lars Vilks, que rendeu protestos furiosos no mundo islâmicos, agora o estopim da bomba é um video feito na Califórnia, de 13 minutos que circulou na Internet, que zomba do Profeta Maomé.

 

 

 

xlarge.jpg

 

Assista por sua conta e risco:

 

 

As manifestações ao redor do mundo árabe e islâmico tiveram início nesta semana depois que o trailer do filme "A Inocência dos Muçulmanos" ganhou legendas em árabe em conta no YouTube. Desde então, milhares de pessoas assistiram à versão, aprovada pelo diretor, e uma emissora egípcia chegou a reproduzi-la.

O filme mostra muçulmanos atacando uma cidade e todos aqueles que possuem religião diferente, incluindo uma bela garota com uma cruz no peito que é morta. Em outras cenas, o profeta Maomé é chamado de “bastardo”, briga por um pedaço de carne com uma de suas esposas, aparece sem cuecas e faz sexo oral em uma mulher.

 

Para Sam Bacile, o diretor da produção milionária, “O Islã é um câncer e ponto final”.

O norte-americano, que prefere se identificar como um israelense judeu, acredita que o filme vai ajudar o Estado judeu a dominar o território da Palestina por mostrar as falhas do Islã ao mundo.

 

“É um filme político”, disse ele ao descrever a sátira islamofóbica, que foi financiada por mais de 100 doadores judeus e custou 5 milhões de dólares.

 

O Autor

 

 

Nakoula-Basseley-Nakoulas-008.jpg

 

Sam Bacile (cujo nome verdadeiro seria como Nakoula Basseley, um cristão copta de 55 anos) foi identificado como o escritor, diretor e produtor do filme de duas horas e que provocou protestos que levaram à morte do embaixador dos EUA, Chris Stevens, na Líbia além de ataques a consulados americanos em outros países.

Nas entrevistas que tem dado, quase todas por e-mail ou telefone, Bacile afirmou que o filme foi financiado com a ajuda de mais de 100 doadores judeus. Ele acrescentou que trabalhou com 60 atores e 45 extras para rodar o filme em um período de três meses no ano passado.

 

O material tem gerado protestos contra os Estados Unidos em diversos países do Oriente Médio e também foi divulgado pelo pastor Terry Jones, que já é desafeto dos muçulmanos por ter queimado exemplares do Alcorão.

 

 

 

Antiamericanismo + extremismo religioso = Bad combination !

Link to comment
Share on other sites

Vale lembrar que diferente da mídia ocidental templaria, o problema não é só Charge e o filme insultando os Mulçumanos e sim uma série de fatores que eles vêm engolindo do mundo ocidental há séculos.

 

Contudo vamos no reter nesta época. Os EUA e resto do ocidente sempre interfeririam na vida deles direta ou indiretamente em décadas. Seja ajudando instalar ditaduras amigas das mais repressivas como: Egito, Tunísia, Arábia Saudita, Iemen e por ai vai e a prover o genocídio indiretamente. Sim temos indiretamente uma contribuição de genocídio. Além das guerras e roubos de propriedades e bens e recursos do povo do oriente médio. Vale lembrar, dos assentamentos ilegais na palestina, os massacre nos Bálcãs e por ai vai.

 

Pessoas lá são privadas de ir e vir, vivem em guetos, a comida é racionada, água é um luxo e quando acessível de péssima qualidade. Enfim muitos povos islâmicos são humilhados constantemente e outros são sistematicamente perseguidos tanto quanto foram os judeus. Ver ainda por cima um filme idiota que insulta diretamente a crença deles, só ajudada e muito a potencializar o já grande sofrimento de lá.

 

Aqui no ocidente se dizem ser contra isto e aquilo aparentemente. Mas na prática o ocidente está sempre acometerem crimes, a serem indiferentes com o sofrimento deles e acobertando todo tipo de crime contra eles.

Link to comment
Share on other sites

Mas não dá p/ manifestar pacificamente sem mortes e violência ?... tá, sei que é pedir demais em se tratando de pessoas que vivem sua religião de forma tão extrema como eles.

 

Um lado ruim da mídia, algo que um único cara fez e por ser americano é seu país que vira alvo, como se fosse o pensamento da nação inteira.

Esse cara, com um ato inconsequente (dá até p/ pensar que é premeditado), pode ter colocado fogo nesse estopim que pode (se já não) tomar proporções enormes, a ponto de provocar uma guerra... ou várias

 

By the way, a tosquice da produção do filme ofende igualmente

Link to comment
Share on other sites

Ela disse que os protestos podiam ser pacificos, sem mortes e violencias, e não disse que o filme é a causa da revolta. E não acho que seja pedir demais não.

 

Essa revolta milenar explica os ataques, mas não justifica. Fora que dentro do "grande esquema das coisas", essas agressões mais ajudam do que atrapalham o "ocidente grande e mau".

Link to comment
Share on other sites

Então é um revide ?!

 

Acho extremo se tu sua achar que sua religião e/ou seu histórico de opressão lhe dá aval p/ resolver com violência... se bem que os EUA e as OTANs da vida fazem o mesmo ou pior, mas daí não são religiosos.

 

Dizem (não se se estou sendo injusta) que pelo corão tu tem que velar p/ que os muçulmanos sejam fieis a Maomé e converter os infieis, senão, matá-los (por sorte ssio não é seguido ao pé da letra)

 

Estou mesmo analisando tudo muita rasamente, me escapa entender pq não tomaram atitude como no caso de Salman Rushdie. Punir O culpado e apenas ele.

 

Anyway, por incrivel que pareça tb acho que assuntos internos políticos- religiosos devem ser resolvidos internamente, sem interferências externas, aind amais como foi falaod aqui, de países com tradições religiosas milenares.

Olhando de fora, ou com olhos ocidentais é dificil entender essa violência toda como legitima.

Link to comment
Share on other sites

Estou postando em “grego”?

 

Problemas seculares? Caramba!!! Acabei de exemplificar de forma curta os problemas atuais que persistem ainda hoje. O descaso da causa palestina, as ditaduras ainda em vigor e recém derrubadas. Isto e pouco e tem muito e muito mais é um acumulo de não só ofensas é algo bem grave entalado na garganta.

 

E ainda me diz que isto não é motivo para revolta? O que é motivo para revolta? Esperar o genocídio? Eles estão lutando pela vida do povo deles. Imagine um povo além da zombaria de seus costumes e credos. Trazerem a guerra, desestabilidade de governos e implantação de ditaduras favoráveis. E com isto ter livre acesso ao roubo de suas riquezas, sem contar que com isto ditam as regras de seu modo de vida. Por traz da ofensa está o descaso, opressão, roubo e morte. Como pedir paz? Eu acho complicado. Sem contar que acho mentirosa está paz.

 

Muitos deste lado do mundo adoram falar de paz e amor. Eu adoraria isto mesmo de fato. Mas convenhamos isto é um teatro. Tanto é um teatro que estão de olho em invadir a Síria e o Irã que são governos não favoráveis aos interesses ocidentais.

 

Se muitos aqui ficam putos por pouca coisa aqui no ocidente. Imaginem ver suas casas sendo derrubadas, os seus bens tomados, os seus filhos maltratados e seus recursos para sobrevivência básica racionados. O que vocês não fariam? Não acham que realmente conseguem perceber o outro ou tão pouco se importarem.

 

Muitos não levam o assunto ou a discussão a sério. Tão pouco a nível racional e lógico. Não acho mesmo que a maioria se importa e aqui não é diferente. Vejo aqui a generalização infantil do mundo oriental em especial dos mulçumanos. Falta e muita informação e mais ainda: Falta interesse de se informar de fato o outro lado.

 

http://johnpilger.com/videos/palestine-is-still-the-issue

 

http://vimeo.com/23631320

Link to comment
Share on other sites

Botemos isso em um prisma racional e lógico então. O que as ações dessas pessoas que estão "lutando por seu povo" realmente contribuiram? Como exatamente explodir uma bomba ou duas, e matar algumas pessoas ajuda o oriente? Isso é burrice; Eu entendo por que esses ataques acontecem. Não é realmente dificil entender. Fome, desespero, não é dificil entender. Agora concordar e achar que é justificavel são outros quinhentos.

 

Esses guerreiros que estão "lutando pela vida de seu povo" estão fazendo justamente o que "os poderosos do ocidente" esperam que eles façam. Esses que você diz que estão de olho em invadir a Siria e o Irã PRECISAM destes "guerreiros do povo". Faz parte do esquema. Então esses atos de terrorismo acabam sendo extremamente futeis dentro daquilo que estão defendendo, e a ironia da coisa, acabam sem saber, agindo contra a causa que estão defendendo. .Em resumo, essas pessoas não estão lutando pela vida de seu povo. Estão acelerando o genocidio do seu povo, isso sim.

 

Ao meu ver, esses "Guerreiros do Povo" não são melhores que os que os "poderosos ocidentais" que se beneficiam do sofrimento do oriente. Os motivos são diferentes, mas o resultado acaba sendo o mesmo, sangue inocente derramado. E pelo menos pra mim sangue inocente é sangue inocente, independente de onde venha tal sangue.

Link to comment
Share on other sites

Então também é justo desencorajar lutar contra um governo tirânico ou forças opressoras.

 

Usar a violência não justifica as lutas por liberdade, igualdade, fraternidade acontecida aqui nas Américas e na Europa. George Washington, Simon Bolívar, Oliver Cromwell são como Osama Bin Laden. A Revolução Gloriosa, Americana e Francesa são ilegítimas e uma vergonha.

 

Parabéns você acabou de não legitimar cada revolta humana por sua sobrevivência e melhoria de vida. Desculpa-me. Mas para quem se informou direito sabe o que não faltou foi dialogo a meu ver aqui já se exauriu. Eu acharia maravilho ter dialogo ao invés da guerra. Mas o ocidente não quer isto seja de forma pacífica ou não, porque a verdade é que se sentem dominantes.

Cadê as armas de destruição em massa? Ou você acredita até hoje nesta mentira já desmentida. O que faz pensar que existem também armas em outros países islâmicos não alinhados com a políticas deles?

 

Se a revolta não existe, eles mesmo vão fabricá-la. Para assim justificar uma invasão. E não legitimá-la como você Questão. Se uma bomba não for explodida por um revoltoso, eles mesmos vão fazer isto e olha que eles têm um tremendo histórico disto. Procure sobre os exércitos secretos da OTAN. A organização Gládio entre outras tantas, que forjam atentados a bombas e atentados e a pessoas em seus próprios países.

 

O que veremos nos próximos anos um mundo islâmico cada vez mais unido contra um inimigo em comum. O que vemos é a história de um levante novamente tal qual como nas Américas e Europa. Contudo a nossa grande mídia teatral, só mostra isto como um problema de cunho unicamente religioso e atrasado. Sendo que é uma clara manifestação popular, mais pautada na luta por liberdade e por melhorias na qualidade de vida como qualquer outro povo o fez ao logo de sua própria história.

 

Contudo é uma forma muito cômoda não encorajamos a revolta de alguns povos e celebrar as nossas revoltas. Por isto que os europeus quase exterminaram e ou quase populações indígenas inteiras com este papinho cretino da não violência da igreja. Eu sou contra a violência. Todavia quando chega a um extremo que é simples da competitividade da vida matar ou ser morto. Não é questão de ser “melhor” ou não e sim sobrevivência. E aqui eles estão lutando por suas casas, em seus próprios domínios e não por conquistas além. E sim esta violência é legitima e será por que se trata disto. Para mim isto é um direito inalienável e indiscutível.

 

http://www.youtube.com/watch?v=nqKTqZV6dmY

Link to comment
Share on other sites

Então é um revide ?!

 

Acho extremo se tu sua achar que sua religião e/ou seu histórico de opressão lhe dá aval p/ resolver com violência... se bem que os EUA e as OTANs da vida fazem o mesmo ou pior, mas daí não são religiosos.

 

 

 

 

Argumento contraditório, não? Você primeiro se posiciona negativamente a religião, dizendo ser extremismo achar que sua religião lhe dá aval pra resolver com violência, e depois você constata que EUA e OTANs vazem pior, mesmo não sendo religiosos.

 

Ou seja, não é a religião que leva umas pessoas a se acharem no direito de dominar outras. Se não há a religião, haverão outras justificativas de um governo de visão autoritária tenha suas ações autoritárias.

 

Então também é justo desencorajar lutar contra um governo tirânico ou forças opressoras.

 

Usar a violência não justifica as lutas por liberdade, igualdade, fraternidade acontecida aqui nas Américas e na Europa. George Washington, Simon Bolívar, Oliver Cromwell são como Osama Bin Laden. A Revolução Gloriosa, Americana e Francesa são ilegítimas e uma vergonha.

 

Parabéns você acabou de não legitimar cada revolta humana por sua sobrevivência e melhoria de vida. Desculpa-me. Mas para quem se informou direito sabe o que não faltou foi dialogo a meu ver aqui já se exauriu. Eu acharia maravilho ter dialogo ao invés da guerra. Mas o ocidente não quer isto seja de forma pacífica ou não, porque a verdade é que se sentem dominantes.

Cadê as armas de destruição em massa? Ou você acredita até hoje nesta mentira já desmentida. O que faz pensar que existem também armas em outros países islâmicos não alinhados com a políticas deles?

 

Se a revolta não existe, eles mesmo vão fabricá-la. Para assim justificar uma invasão. E não legitimá-la como você Questão. Se uma bomba não for explodida por um revoltoso, eles mesmos vão fazer isto e olha que eles têm um tremendo histórico disto. Procure sobre os exércitos secretos da OTAN. A organização Gládio entre outras tantas, que forjam atentados a bombas e atentados e a pessoas em seus próprios países.

 

O que veremos nos próximos anos um mundo islâmico cada vez mais unido contra um inimigo em comum. O que vemos é a história de um levante novamente tal qual como nas Américas e Europa. Contudo a nossa grande mídia teatral, só mostra isto como um problema de cunho unicamente religioso e atrasado. Sendo que é uma clara manifestação popular, mais pautada na luta por liberdade e por melhorias na qualidade de vida como qualquer outro povo o fez ao logo de sua própria história.

 

Contudo é uma forma muito cômoda não encorajamos a revolta de alguns povos e celebrar as nossas revoltas. Por isto que os europeus quase exterminaram e ou quase populações indígenas inteiras com este papinho cretino da não violência da igreja. Eu sou contra a violência. Todavia quando chega a um extremo que é simples da competitividade da vida matar ou ser morto. Não é questão de ser “melhor” ou não e sim sobrevivência. E aqui eles estão lutando por suas casas, em seus próprios domínios e não por conquistas além. E sim esta violência é legitima e será por que se trata disto. Para mim isto é um direito inalienável e indiscutível.

 

http://www.youtube.com/watch?v=nqKTqZV6dmY

 

Plutão, eu entendi o que o Questão quisi dizer, em um certo contexto, ter uma atitude egoísta, na verdade estará sendo na prática, autruístas.

 

Para interesses do ocidente, uma revolta é a ferramenta ideal para que o ocidente alcance seus interesses, dentro do contexto das nações envolvidas.

 

Em países em que tem poder militar muito maior capaz de invadir um país pequeno, mas responsabilidade moral muito maior para respeita-lo. Acaba sendo vantajoso ter uma revolta nesse país pequeno para que diminua a responsabilidade moral da invasão (seja econômica, territorial, cultural, social) dos países espoliadores.

 

Nesse contexto de domínio econômico e cultural, derrubar um presidente acaba sendo o interesse sociedades externas a esse país, justamente para derrubar as velhas resistências, moralmente. E assim entrar no país.

 

Logo, uma revolta para os americanos por conta dessa charge ESTÚPIDA, o Ocidente tem tudo na mão para aumentar ainda mais o estigma dos povos do oriente, ou de alguns países do oriente, e assim agir contra o oriente seja um caminho "natural" dos cursos dentro da ótica ocidental. .

 

Mas mesmo assim Questão, acho que é um mal necessário, um mal que precisa ser usufruída de direito. O povo deve ter o direito de ter o destino nas suas mãos também, e lutar por isso, seja na revolta. Mas até que ponto a revolta, e até que ponto os motivos são pró revoltas, são a favor desse direito? até que ponto a revolta ao invés de pegar ou exigir o destino em suas mãos, não acabe, em certos contextos, perdendo o destino ou afirmando que o destino não merece ser seu?

Link to comment
Share on other sites

A analisando a situação do filme p/ frente, false flag ou não, penso que talvez os EUA esteja numa situação nunca sentida antes.

Qquer movimento brusco, qquer palavra mal entendida pode extender ainda mais essas manifestações a qual já aderiram mais de 14 países.

 

Das duas uma, ou os EUA, numa tentativa arrogante de intimidar, farão o discurso "não admitiremos mais nenhuma ataque a americanos" correndo o risco de só inflamar ainda mais o movimento, OU, finge de morto e reza p/ o movimento amainar e perder força.

 

Oremos!

Link to comment
Share on other sites

.

 

Plutão, eu entendi o que o Questão quisi dizer, em um certo contexto, ter uma atitude egoísta, na verdade estará sendo na prática, autruístas.

 

Para interesses do ocidente, uma revolta é a ferramenta ideal para que o ocidente alcance seus interesses, dentro do contexto das nações envolvidas.

 

Em países em que tem poder militar muito maior capaz de invadir um país pequeno, mas responsabilidade moral muito maior para respeita-lo. Acaba sendo vantajoso ter uma revolta nesse país pequeno para que diminua a responsabilidade moral da invasão (seja econômica, territorial, cultural, social) dos países espoliadores.

 

Nesse contexto de domínio econômico e cultural, derrubar um presidente acaba sendo o interesse sociedades externas a esse país, justamente para derrubar as velhas resistências, moralmente. E assim entrar no país.

 

Logo, uma revolta para os americanos por conta dessa charge ESTÚPIDA, o Ocidente tem tudo na mão para aumentar ainda mais o estigma dos povos do oriente, ou de alguns países do oriente, e assim agir contra o oriente seja um caminho "natural" dos cursos dentro da ótica ocidental. .

 

Mas mesmo assim Questão, acho que é um mal necessário, um mal que precisa ser usufruída de direito. O povo deve ter o direito de ter o destino nas suas mãos também, e lutar por isso, seja na revolta. Mas até que ponto a revolta, e até que ponto os motivos são pró revoltas, são a favor desse direito? até que ponto a revolta ao invés de pegar ou exigir o destino em suas mãos, não acabe, em certos contextos, perdendo o destino ou afirmando que o destino não merece ser seu?

 

Você entendeu exatamente o que eu quis dizer, ADLER. Essas pessoas, ao tentarem lutar por seus paises, acabam piorando a situação, pois dão justamente a desculpa que os interesses excusos precisam pra mexer as cordinhas e mascarar suas ações com uma suposta cruzada por justiça.

 

Eu tambem não acho que todas as soluções não violentas foram tentadas. Qual foi a ultima vez que vimos um movimento pela liberdade através da não violencia do tamanho daquele liderado por Gandhi? Ao meu ver, de qualquer forma, hoje em dia a India já estaria independente, mas se não fosse aquele movimento pacifista, teria levado mais tempo, e mais pessoas teriam morrido e sofrido. (Não que a India não sofra hoje em dia, né)

 

Alias, não foi o Gandhi que disse que para os mortos, orfãos e desabrigados, não faz diferença se a destruição insana é moldada sob o nome do totalitarismo ou sob o santo nome da liberdade?

 

até que ponto a revolta ao invés de pegar ou exigir o destino em suas mãos, não acabe, em certos contextos, perdendo o destino ou afirmando que o destino não merece ser seu?

 

 

Exato ADLER, mesmo que a violência se faça necessaria, ela tem que ser usada com inteligência,e não é o que estou vendo. As revoltas que empregam a violencia que vejo atualmente me parecem apenas uma peça VITAL para que o ocidente exerça seu dominio sobre o oriente, e não uma contribuição REAL para que a liberdade seja alcançada.

Link to comment
Share on other sites

A analisando a situação do filme p/ frente, false flag ou não, penso que talvez os EUA esteja numa situação nunca sentida antes.

Qquer movimento brusco, qquer palavra mal entendida pode extender ainda mais essas manifestações a qual já aderiram mais de 14 países.

 

Das duas uma, ou os EUA, numa tentativa arrogante de intimidar, farão o discurso "não admitiremos mais nenhuma ataque a americanos" correndo o risco de só inflamar ainda mais o movimento, OU, finge de morto e reza p/ o movimento amainar e perder força.

 

Oremos!

 

Ou ainda parar de interferi o tempo todo na política de lá do oriente médio é uma boa opção. Mas será que Roma larga a Gália?

 

Você entendeu exatamente o que eu quis dizer, ADLER. Essas pessoas, ao tentarem lutar por seus paises, acabam piorando a situação, pois dão justamente a desculpa que os interesses excusos precisam pra mexer as cordinhas e mascarar suas ações com uma suposta cruzada por justiça.

 

Eu tambem não acho que todas as soluções não violentas foram tentadas. Qual foi a ultima vez que vimos um movimento pela liberdade através da não violencia do tamanho daquele liderado por Gandhi? Ao meu ver, de qualquer forma, hoje em dia a India já estaria independente, mas se não fosse aquele movimento pacifista, teria levado mais tempo, e mais pessoas teriam morrido e sofrido. (Não que a India não sofra hoje em dia, né)

 

Alias, não foi o Gandhi que disse que para os mortos, orfãos e desabrigados, não faz diferença se a destruição insana é moldada sob o nome do totalitarismo ou sob o santo nome da liberdade?

 

até que ponto a revolta ao invés de pegar ou exigir o destino em suas mãos, não acabe, em certos contextos, perdendo o destino ou afirmando que o destino não merece ser seu?

 

 

Exato ADLER, mesmo que a violência se faça necessaria, ela tem que ser usada com inteligência,e não é o que estou vendo. As revoltas que empregam a violencia que vejo atualmente me parecem apenas uma peça VITAL para que o ocidente exerça seu dominio sobre o oriente, e não uma contribuição REAL para que a liberdade seja alcançada.

 

Tibete na China? E ai até hoje nada mudou e acho que vai continuar assim infelizmente até o fim.

 

O problema Questão que se não tivesse a segunda guerra mundial Gandhi poderia fazer o tanto que fosse os seus movimentos pacifistas crescerem e não teria o mesmo resultado infelizmente. Todos seriam abatidos de joelhos e sem o menor remorso dos opressores. A ocasião facilitou o resultado. A Inglaterra como muitos outros Impérios Europeus colonialistas com ótimo históricos de crueldade contra povos pacíficos estavam em frangalhos.

 

E outra parte dos movimentos de libertação da Índia foi pacifica, mas teve muitos outros movimentos violentos. Todos em menor ou maior grau, mas na ocasião e oportunidade certa ajudou tanto na libertação como na fragmentação da região da Índia em Paquistão, Bangladesh e Sri Lanka.

 

Vale lembrar que grande parte do povo palestino e do povo de religião mulçumana em geral não pegou em armas nem com a invasão dos seus países Iraque, Líbia (OTAN, CIA), Afeganistão e mesmo assim a maioria da população civil pagou o pato. Mas não vai ser assim para sempre. Chega o momento do basta.

Link to comment
Share on other sites

É vero que não conecemos mesmo a cultura deles a fundo, que há muita mistificação sobre, masss há sim, os radicais, que embora sejam minoria das inorias fazem um estrago e são eles, com seu extremismo, mais a nossa ignorancia sobre o O.M. que nos fazem ter essa ideia eteriotipada sobre eles.

 

Ou ainda parar de interferi o tempo todo na política de lá do oriente médio é uma boa opção. Mas será que Roma larga a Gália?

 

Num é tão simples assim... não p/ Obama.

O cara pretende se aventurar por mais um mandato, se ele abandonar tais projetos, pode parecer frouxo, se tomar medidas drásticas pode colocar mais fogo e a coisa sair do controle...

Link to comment
Share on other sites

Uma notícia só reforçando o que já postei sobre o real problema:

 

A verdade sobre a revolta no mundo islâmico: filme é apenas estopim

 

Postado em: 18 set 2012 às 12:26

O que está por trás dos protestos no mundo islâmico? Filme que satiriza o Islã e seu profeta Maomé parece ter sido somente estopim para manifestações

 

De turbantes e véus, milhares de muçulmanos e muçulmanas tomaram as ruas de suas cidades, queimaram bandeiras dos Estados Unidos e invadiram sedes diplomáticas norte-americanas. O motivo parecia comum: o filme A Inocência dos Muçulmanos, que satiriza o Islã e seu profeta, Maomé.

 

Foi assim, como fundamentalistas fanáticos e irracionais, que aqueles que protestaram contra o vídeo norte-americano, no qual Maomé aparece fazendo sexo oral e seus fieis são comparados a um burro, foram classificados. “A raiva muçulmana” diz a capa da revista semanal norte-americana NewsWeek, enquanto a CNN questiona se “a Primavera Árabe valeu a pena?”.

 

filme-isla-eua.jpg

 

Bandeira dos Estados Unidos foi queimada durante manifestação contra o filme no Paquistão. Foto: Agência Efe

 

A grande mídia ocidental – e boa parte de seus articulistas – voltou a ecoar o raciocínio de “choque entre civilizações” como se a questão por trás dos protestos dos últimos dias pudesse ser explicada pela religião islâmica. O argumento central é que os muçulmanos não conseguem conviver com a liberdade de expressão norte-americana e respondem violentamente.

 

Longe de respostas simples e rápidas, essas manifestações, na verdade, oferecem muitas interrogações.

 

Quem saiu às ruas para manifestar? Por que muitos protestos foram marcados em frente a sedes diplomáticas dos EUA? Quais as consequências destas manifestações? Quem será favorecido e quem pode perder com isso?

 

Os protestos estão envolvidos em uma miscelânea de atores, interesses e motivações, que incluem indivíduos, organizações políticas e Estados, e exigem um olhar crítico, distante de estereótipos ou preconceitos.

 

“A Inocência dos Muçulmanos” pode ter funcionado como uma faísca em um campo de trigo seco, onde grande parte da população está descontente com a política norte-americana para a região e organizações disputam o poder.

Anti-americanismo

 

Uma pesquisa do Instituto Zogby, de 2007, mostra que 88% dos moradores do Egito, Jordânia, Líbano, Marrocos, Arábia Saudita e Emirados Árabes se opõem às medidas dos EUA.

Entre os fatos apontados estão a invasão do Afeganistão, em 2001, e do Iraque, em 2003; as políticas em apoio a Israel; a instalação de bases militares em diversos países da Ásia, África e Oriente Médio; a ocorrência de abusos e tortura em Abu Graib, Guantánamo e nas prisões afegãs; e a presença de forças de segurança privada.

 

Além disso, soldados norte-americanos no Afeganistão queimaram centenas de cópias do Alcorão e não foram sequer penalizados; muitas vezes nos discursos de autoridades, o Islã foi mencionado como uma parte importante da guerra contra o terror; em Nova Iorque, a população proibiu a construção de um centro cultural muçulmano perto das torres gêmeas; civis muçulmanos não recebem visto de entrada para os EUA.

 

Estes fatos apenas alimentaram a percepção dos muçulmanos de que a sociedade, o governo e as forças armadas dos EUA desrespeitam sua religião e querem interferir em seus países. “Nós nunca insultamos nenhum profeta – nem Moisés nem Jesus – então por que não podemos pedir que Maomé seja respeitado?”, questiona o egípcio Ali ao jornal New York Times.

Quebra-cabeças

 

Outros analistas explicam também que organizações isoladas durante os processos de transformação da Primavera Árabe podem ter se aproveitado do vídeo para incitar a população a ir para as ruas e desestabilizar a situação política. Este é o caso, por exemplo, dos salafistas na Líbia, na Tunísia e no Egito que inflamaram os manifestantes.

 

Muitos também apontam que as manifestações podem atender aos interesses dos EUA. Sob o argumento de que estes países estão “instáveis”, o governo norte-americano consegue justificar – e possivelmente, aumentar – a sua presença na região.

 

Além disso, os protestos podem afetar a percepção da sociedade norte-americana e de outros países sobre a Primavera Árabe: será que o processo revolucionário, que tirou do poder ditadores laicos, deu espaço para islâmicos radicais?

 

Ainda é cedo para qualquer resposta, mas as peças deste quebra-cabeça já estão postas na mesa.

 

Marina Mattar, Opera Mundi

 

Fonte.: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/09/revolta-filme-mundo-islamico.html

Link to comment
Share on other sites

Não acham estranho, que de todos os países que estão em "revolta" (não protestos) no mundo islâmico o único até agora não ter esta manifestação é a Arábia Saudita. E olha que lá também tem conservadorismo religioso também. Inclusive o Osama era um Saudita para quem não se lembra.

 

http://operamundi.uo...slamicos .shtml

 

Por isto que continuo citando o motivo para mim não é o filme e a charge e sim os abusos cometidos com guerras, ocupações e todo tipo de opressão que alguns não vêem acontecendo lá no mundo Islâmico. E a propósito alguém se deu o trabalho de ao menos ver os documentários que postei?

 

Desde 2012 temos os mesmos padrões de crueldade de todas as épocas da história humana. Claro cometidas por poucos humanos no poder. Pessoas que se acham acima do bem e do mal fomentando guerras contra os mais fracos principalmente ainda vejo Roma justificando seu império em expansão em nome da glória de Roma. OU em nome da civilização romana. A desculpa de civilização (subtende-se como explorar). Já existe há mais de 2000 mil anos com esta desculpa do ocidente de civilizar. Os países ricos são ricos, porque não têm escrúpulos em saques e mentiras. Estudem um pouco e vão ver o mesmo padrão se repetindo. Será que é tão difícil de ver um padrão. Para mim é obvio.

Em 2012 ainda temos genocídio, temos pessoas aqui no ocidente com intolerância religiosa, racial e social. Eu não sei o que 2012 como se estivéssemos no futuro e na modernidade. A única modernidade que vejo dia apos dia é novas formas de matar com armas mais potentes e encobrir suas ações. As bombas atômicas do Japão que o digam.

 

Breaking The Silence: Truth And Lies In The War On Terror de John Pilger

 

http://johnpilger.co...e-war-on-terror

 

http://www.youtube.com/watch?v=soqqrexk3cY

Link to comment
Share on other sites

Agora um juiz brasileiro determinou que o Youtube tire o video do ar sob oena de multa. Onde vamos parar? O país que está sendo atacado e que teve um diplomata morto se recusou a tirar o filme porque prezam pela liberdade de expressão ..é, estamos bem atrasados. Sefue trecho do discurso do Obama.

 

Na manhã desta terça-feira, em discurso à 67ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York, o presidente Barack Obama disse que a resposta para a liberdade de expressão não é repressão, mas "mais liberdade de expressão". Ele disse ainda que considera o vídeo "nojento", mas que não pode ser utilizado como justificativa para atos de violência.

"Nenhum discurso justifica violência impensada. Não há palavras que isentem a matança de inocentes. Não há vídeo que justifique um ataque a uma embaixada."

Link to comment
Share on other sites

Segue link....

 

2. Folha de S.Paulo - Mundo - Juiz de São Paulo manda YouTube tirar vídeo anti-islã do ar - 25/09/2012

... 25/09/2012 19h51 Juiz de São Paulo manda YouTube tirar vídeo anti-islã do ar DE SÃO PAULO Atualizado às 20h39 . Um juiz da 25ª Vara Cível do TJ (Tribunal de Justiça) de São ... Vara Cível do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo emitiu nesta terça-feira decisão que proíbe o site YouTube de hospedar o polêmico trailer intitulado "Inocência dos Muçulmanos"

Link to comment
Share on other sites

Isto ai é absurdo claro. Mas não é pior que isto aqui:

 

Justiça eleitoral ordena detenção de presidente da Google Brasil

25 de setembro de 2012 17h52

 

 

RIO DE JANEIRO, 25 Set 2012 (AFP) -A justiça eleitoral ordenou a detenção do presidente da Google no Brasil, Fabio José Silva Coelho, por não ter retirado vídeos do YouTube que atacam um candidato a prefeito para as eleições municipais de outubro, informou nesta terça-feira um tribunal à AFP. A justiça eleitoral do estado do Mato Grosso do Sul indicou que Fabio cometeu um crime de "desobediência" ao não retirar do Youtube dois vídeos que contêm "calúnias, injúrias e difamações" contra Alcides Bernal, candidato a prefeito de Campo Grande. Também pediu o bloqueio do YouTube em Campo Grande, e se for possível em todo o estado, durante 24 horas. A decisão já havia sido adotada pelo juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul, Flávio Saad Peren, na semana passada. A Google apelou da decisão dizendo que "não se trata de propaganda eleitoral negativa", mas o juiz Amaury da Silva Kuklinski manteve a ordem. "A Google está apelando da decisão que determinou a retirada de vídeos do YouTube porque, sendo uma plataforma, a Google não é responsável pelo conteúdo postado em seu site", disse um porta-voz da Google à AFP. Os vídeos acusam o candidato a prefeito "de instigação à prática do aborto, de embriaguez, de lesão corporal contra um menor, de enriquecimento ilícito, ter desprezo e preconceitos com os mais pobres", segundo a decisão da justiça eleitoral. A Polícia Federal do Mato Grosso do Sul disse à AFP que havia recebido o pedido de detenção e o enviou a São Paulo, onde mora o presidente da Google Brasil. Mas a Polícia Federal de São Paulo indicou que na tarde desta terça-feira ainda não tinha recebido uma ordem de prisão. Há 10 dias, um juiz eleitoral do estado da Paraíba (nordeste) pediu também a detenção do diretor geral da Google no Brasil, Edmundo Balthazar, por não ter acatado uma ordem do tribunal de retirar do YouTube um vídeo no qual um candidato a prefeito é chamado de "burro". A Google apelou e a justiça decidiu que Balthazar não pode ser considerado responsável pelo conteúdo do vídeo. A ordem de detenção foi suspensa. lbc-jt-cdo/dm

 

http://diversao.terr...gle Brasil.html

 

Outros casos:

http://noticias.terr...m Sorocaba.html

 

http://g1.globo.com/...-da-google.html

 

http://www.tecmundo.com.br/ciencia/18357-conheca-a-lei-azeredo-o-sopa-brasileiro.htm

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...