Jump to content
Forum Cinema em Cena

Oscar 2006


Sync
 Share

Recommended Posts

 

   Meryl Streep estará no Oscar' date=' não como indicada... infelizmente, mas ano que vem ela vai estar entre as indicadas... pelo menso eu torço por isso.

[/quote']

Eu também.

Ficaria bastante satisfeito de ver Streep levando seu terceiro Oscar.

Está mais do que na hora. Na verdade, já passou da hora faz tempo (Adaptação, As Horas, Sob o Domínio do Mal)...

Link to comment
Share on other sites

Primeiramente gostaria de dizer que me senti muito honrado pela Academia em receber o DVD de Capote!!!!smiley36.gif Verdade!!! O DVD que eu to em mãos foi pirateado de alguma cópia enviada para algum membro votante!!! Várias vezes aparece FOR YOR CONSIDERATION!!!!smiley36.gif

Eu só tive tempo de ver o filme hoje, minha mãe já havia visto, e quando eu a perguntei sobre o que ela tinha achado, ela me disse que o filme era bom, mas que Hoffman pelo que ela lembrava, era a melhor atuação que ela já tinha visto. Aí eu perguntei, melhor que Geoffrey Rush por Shine? (Na minha opinião a melhor atuação do cinema moderno), ela disse que era igual. Minha mãe não é muito confiável, smiley36.gif, terminei agora de ver.

Belo filme, acho que a indicação de Capote é muito acertada. O roteiro simples, mas ao mesmo tempo com uns truques de transposição, que se saem eficientes, me agradou muito. A narrativa lenta, como opção de Miller, foi muito acertado, deu um clima interessante ao filme. Sua direção é sóbria, contida e belíssima. Aqui eu senti um diretor investindo no pensamento do ator, isso foi muito gratificante.
O que me surpreendeu foi a fotografia do filme. Belíssima, quadros perfeitos. Utilização de sombra e luz muito contidas mas eficientes. Engraçado ver fotografias de Batman indicada ao invés de fotografia de interiores perfeitamente realizada, mas enfim.
A atuação de Catherine Keener,  em nenhum momento fica justificada a indicação. A personagem é simples e está lá mais como complemento de roteiro, o que não é errado, mas isso não da nenhuma margem para a atriz trabalhar, afinal, a personagem é simples demais. Ela não chega nem a funcionar como escada de emoção para as outras partituras. A atriz cumpre o papel, não poderia fazer mais, como não menos, somente não entendo por que raios foi indicada.

Agora a atuação de Hoffman, muito bem, eu estou de queixo caído até agora. Quando postei minhas observações sobre Brokeback Mountain, disse que era bom Hoffman estar muito bem para merecer essas premiações que recebeu e que poderia receber. Pois bem, é ao mesmo tempo incrível dizer, mas triste também, Heath ledger não chega perto do que Hoffman construi. Se a atuação de Ledger prima pela contenção, a de Hoffman não fica atrás e vai mais além. Sua construção de Truman Capote, é ao lado de Geoffrey Rush em Shine, a mais brilhante que vi em tempos. Desde a já consagrada e comentada construção vocal, (tentem falar daquele jeito por mais de 10 minutos!!!) até a construção corporal, que me chamou muito a atenção. Ele não apenas mudou a posição de coluna, como arqueou ombros e outras técnicas de máscara facial. Tudo isso junto e sem cair na caricatura. A cena em que ele conversa pela última vez com Perry e Ricardo é assombrosa. Ali vemos um trabalho de construção de emoção perfeito. indo da escala inical até ao quase desespero, mas isso tudo contido em respiração.
Eu estou emocionado quase. É lindo ver um ator fazer tamanha construção, com tamanha qualidade, técnica e noção de resultado. Palmas para ele!!!smiley32.gif 

Uma atuação que para mim, entrou na história do cinema atual, futuro e passado. Ele merece um Oscar com certeza, mas não que isso faça diferença para o resultado que ele alcançou.

Link to comment
Share on other sites

Novamente, descordamos de algumas coisas, mas tinha certeza q vc iria adorar o Hoffman, não sei pq.

Provavelmente o q vou dizer pode ser ridículo, mas acho a atuação dele apesar de boa, sem emoção...me deu a impressão de um personagem manipulador, q a toda hora diz q nunca mente e é o q mais faz durante o filme....E não chega nem perto do excepcional trabalho de Ledger em BBM. O q Hoffman fez foi adaptar o personagem, mas não o culpo pela falta de emoção, e sim o roteiro q achei horrível, mas minha opinião está melhor no tópico do filme, espero teu comentário lá.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Novamente' date=' descordamos de algumas coisas, mas tinha certeza q vc iria adorar o Hoffman, não sei pq.
Provavelmente o q vou dizer pode ser ridículo, mas acho a atuação dele apesar de boa, sem emoção...me deu a impressão de um personagem manipulador, q a toda hora diz q nunca mente e é o q mais faz durante o filme....E não chega nem perto do excepcional trabalho de Ledger em BBM. O q Hoffman fez foi adaptar o personagem, mas não o culpo pela falta de emoção, e sim o roteiro q achei horrível, mas minha opinião está melhor no tópico do filme, espero teu comentário lá.
[/quote']

Haziell, eu não vou entrar nos méritos. É a tua opinião, e uma vez eu tentei mudá-la, não vou de novo.

Link to comment
Share on other sites

Boa sorte Saulomeri!!!

King Kong Wins VES Award

Visual Effects Society Winners!

Joe Letteri, Eileen Moran, Christian Rivers and Eric Saindon for King Kong, which won an award for Outstanding Visual Effects in a Visual Effects Driven Motion Picture.

Wes Sewell, Victoria Alonso, Tom Wood and Gary Brozenich for Kingdom of Heaven which won an award for Outstanding Supporting Visual Effects in a Motion Picture.

Dennis Muren, Pablo Helman, Sandra Scott and Marshall Krasser won an award for Best Single Visual Effect of the Year for their work on War of the Worlds - Fleeing the Neighborhood.

Link to comment
Share on other sites

 

Oh, Guerra ganhou três prêmios...  smiley32.gif

 

 

Best Single Visual Effect of the Year

 

 

 

WINNER:

 

 

 

WAR OF THE WORLDS * Best Visual Effects (IMDB) ("Fleeing the Neighborhood")

 

Dennis Muren (IMDB), Pablo Helman (IMDB), Sandra Scott (IMDB), Marshall Krasser (IMDB)

 

 

 

 

 

Other nominees:

 

 

 

CHARLIE AND THE CHOCOLATE FACTORY (IMDB) ("Nut Room")

 

Nick Davis (IMDB), Nikki Penny (IMDB), Jon Thum (IMDB), Ben Morris (IMDB)

 

 

 

STAR WARS: EPISODE III - REVENGE OF THE SITH (IMDB) ("Opening Space Battle")

 

John Knoll (IMDB), Jill Brooks (IMDB), David Weitzberg (IMDB), Jeff Sutherland (IMDB)

 

 

 

 

 

 

Outstanding Models and Miniatures in a Motion Picture

 

 

 

WINNER:

 

 

 

WAR OF THE WORLDS * Best Visual Effects (IMDB) ("?")

 

Ed Hirsh (IMDB), Steve Gawley (IMDB), Joshua Ong (IMDB), Russell Paul (IMDB)

 

 

 

 

 

Other nominees:

 

 

 

HARRY POTTER AND THE GOBLET OF FIRE (IMDB) ("Hogwarts School")

 

José Granell (IMDB), Nigel Stone (IMDB)

 

 

 

STAR WARS: EPISODE III - REVENGE OF THE SITH (IMDB) ("?")

 

Brian Gernand (IMDB), Pamela Choy (IMDB), Ron Woodall (IMDB), Kevin Reuter (IMDB, not listed for this film)

 

 

 

 

 

Past Winners:

 

* Nominated for Oscar / + Won Oscar

 

2005 Winner: The Aviator ("XF11 Crash") (IMDB) - Matthew Gratzner (IMDB), Scott Schneider (IMDB), Adam Gelbart (IMDB), Leigh-Alexandra Jacob (IMDB)

 

2004 Winner: The Lord of the Rings: The Return of the King *+ Best Visual Effects (IMDB) - Richard Taylor (IMDB), Paul Van Ommen (IMDB), Eric Saindon (IMDB)

 

2003 Winner: The Lord of the Rings: The Two Towers *+ Best Visual Effects (IMDB) - Richard Taylor (IMDB), Paul Van Ommen (IMDB), Matt Aitken (IMDB)

 

To see nominees from previous years: (2005) - (2004) - (2003)

 

 

 

 

---

 

 

 

 

 

Outstanding Compositing in a Motion Picture

 

 

 

WINNER:

 

 

 

WAR OF THE WORLDS (IMDB) ("?")

 

Marshall Krasser (IMDB), Michael Jamieson (no IMDB page), Jeff Saltzman (IMDB), Regan McGee (IMDB)

 

 

 

 

 

Other nominees:

 

 

 

HARRY POTTER AND THE GOBLET OF FIRE (IMDB) ("Voldemort’s Nose")

 

Ben Shepherd (IMDB), Uel Horman (IMDB, uncredited), Charley Henley (IMDB), Nicolas Aithadi (IMDB)

 

 

 

KING KONG (IMDB) ("T-Rex Fight")

 

Erik Winquist (IMDB), Michaell Pangrazio (IMDB, uncredited), Steve Cronin ( no IMDB page), Suzanne Jandu (IMDB)

 

 

 

Gustavo²2006-2-16 14:40:31

Link to comment
Share on other sites

 

   Meryl Streep estará no Oscar' date=' não como indicada... infelizmente, mas ano que vem ela vai estar entre as indicadas... pelo menso eu torço por isso.

[/quote']

Eu também.

Ficaria bastante satisfeito de ver Streep levando seu terceiro Oscar.

Está mais do que na hora. Na verdade, já passou da hora faz tempo (Adaptação, As Horas, Sob o Domínio do Mal)...

  Verdade... Adaptação, que lhe rendeu um Globo de Ouro deveria ter lhe rendido o Oscar também, mas não fiquei tão chateado pois acho Catherine Zeta-Jones excepcional em Chicago. Já a razão pela qual ela não foi indicada por As Horas é incompreensível, ela estpá absurdamente brilhante e é uma das melhores performances de sua carreira. Já em Sob O Domínio do Mal, ela rouba o filme ofuscando todos os outros atores, é um trabalho impressionante. Já está na hora dela ganhar um Oscar, afinal de contas, faz muuuuuuito tempo que ela ganhopu por A Escolha de Sofia. E, na minha opinião, ela merecia ter ganho por As Pontes de Madison, Um Grito no Escuro e Adaptação.

Link to comment
Share on other sites

 

   Meryl Streep estará no Oscar' date=' não como indicada... infelizmente, mas ano que vem ela vai estar entre as indicadas... pelo menso eu torço por isso.

[/quote']

Eu também.

Ficaria bastante satisfeito de ver Streep levando seu terceiro Oscar.

Está mais do que na hora. Na verdade, já passou da hora faz tempo (Adaptação, As Horas, Sob o Domínio do Mal)...

  Verdade... Adaptação, que lhe rendeu um Globo de Ouro deveria ter lhe rendido o Oscar também, mas não fiquei tão chateado pois acho Catherine Zeta-Jones excepcional em Chicago. Já a razão pela qual ela não foi indicada por As Horas é incompreensível, ela estpá absurdamente brilhante e é uma das melhores performances de sua carreira. Já em Sob O Domínio do Mal, ela rouba o filme ofuscando todos os outros atores, é um trabalho impressionante. Já está na hora dela ganhar um Oscar, afinal de contas, faz muuuuuuito tempo que ela ganhopu por A Escolha de Sofia. E, na minha opinião, ela merecia ter ganho por As Pontes de Madison, Um Grito no Escuro e Adaptação.

Isso mesmo. Até hoje não perdôo a Academia por ter premiado Susan Sarandon em 1996. Ela está muito bem no filme, não como Sean Penn, mas Meryl Streep estava um escândalo em As Pontes de Madison.

Outra atuação premiável dela seria por As Horas, que ao lado de As Pontes de Madison, são as melhores interpretações recentes dela. Nicole Kidman estava bem, estava, sem dúvidas. Mas não comparo o seu trabalho com o de Mrs. Streep, bem como o de Julianne Moore em Longe do Paraíso. Pra mim, Nicole não mereceu o Oscar em 2003.

Link to comment
Share on other sites

Pra mim' date=' Nicole não mereceu o Oscar em 2003.[/quote']

Vc acha q a Nicole merecia o Oscar por Moulin Rouge! em 2001,ou por outro filme pelo qual não foi indicada(Os Outros,Um Sonho sem limites) ou não merecia(smiley36.gif)smiley25.gif

Por falar nela,Nicole Kidman estará no Oscar 2005 como apresentadora(smiley9.gif)

Link to comment
Share on other sites

Nem Meryl, nem Susan... Sharon Stone arrasou em CASSINO!

No mais, quem merecia aquele Oscar em 2003 era Julianne Moore, também por As Horas. Meryl merecia pelo mesmo filme, mas sequer foi indicada! smiley7.gif

Eu aposto... mesmo.... como sua vaga no Oscar por A PRAIRE HOME COMPANION está garantida!

O filme causou burburinho na Alemanha, mas toda a imprensa americana presente em Berlim delirou com o filme...o que deve ser uma tendência em solo Yanke!

Basta uma campanha digna por parte do estúdio!!!

... Mas, claro, 2006 é um ano dos mais promissores em se tratando de interpretações femininas!!

Link to comment
Share on other sites

A Nicole deve ter agredecido pessoalmente à Norah Jones pelo adiamento de LADY FROM SHANGAI!

Assim ela não concorre consigo, já que está no oscarizável FUR, e meio que se garante para o ano que vem!!!

E sim, isso é bem off, mas se usam desse espaço para discutir e ofender (smiley2.gif), porque não falar disso!!!???

smiley36.gif

Link to comment
Share on other sites

Hum ...já tem gente comemorando um possível enfraquecimento de Kidman para a temporada 2006/2007 ... tudo por causa de certa gorda inglesa (comentário totalmente em OFF ,brincadeira smiley36.gif)   Mas eu posso dizer que torço para uma outra linda ruiva : go , Julianne ,go ! smiley36.gif

Sobre Wong Kar-Wai , eu o perdôo por tudo ... ele é até capaz de transformar Norah Jones em atriz . Ele já fez isso com uma  pop star conterrânea  , Faye Wong , em Amores Expressos . Mas bem que eu queria ver a união dos talentos de Nicole e Kar-Wai em um drama de mistério , ao melhor estilo Rita Hayworth & Orson Welles ou Marlene Dietrich & Josef Von Sternberg ...

E só para terminar , das atrizes indicadas ao Oscar 1996 , quem merecia era Sharon Stone pela incrível Ginger McKenna  de Cassino . Mas a atriz que mais merecia era Nicole Kidman como a inesquecível Suzanne Stone Maretto de Um Sonho Sem Limites .Infelizmente ela estava casada com aquele infeliz ... e aí fodeu !smiley36.gif Nada de indicação ! smiley36.gif

E detratores de Kidman , vão para a ....! smiley36.gif 

Fernando2006-2-17 20:58:19
Link to comment
Share on other sites

Hum ...já tem gente comemorando um possível enfraquecimento de Kidman para a temporada 2006/2007 ... tudo por causa de certa gorda inglesa (comentário totalmente em OFF ' date='brincadeira smiley36.gif)   Mas eu posso dizer que torço para uma outra linda ruiva : go , Julianne ,go ! smiley36.gif

[/quote']

Que maldade smiley36.gif...

Mas vai ta concorrido mesmo ano que vem pelo que parece hein?! legal, gosto quando é assim, o oscar desse ano por exemplo ta muito prevísivel..

Tomara, to rezando pra que Fur teja a altura da Nicole, ela nem precisa ganhar o oscar, mas desde que seja um bom filme e faça ela sair dessa fase  " A feiticeira" ja ta ótimo

Beckin Lohan2006-2-17 21:18:37
Link to comment
Share on other sites

Interessante discussão sobre o botox da Nicole Kidman... smiley5.gif

 

 

 

Agora, sobre atuações...concordo com o Fernando. Kidman era a melhor em 1996, estupenda em TO DIE FOR. Acho que esse, junto com DOGVILLE, são seus melhores trabalhos!

 

Mas dentre as indicadas, eu ficaria com Emma Thompson por SENSE AND SENSIBILITY.

 

 

 

Sobre o adiamento de LADY FROM SHANGAI...realmente pode ser algo bom para Nicole.

 

E a Norah Jones...não podemos implicar com ela antes da hora. Lembrem-se que algumas cantoras são boas atrizes. E se ela for tão bem no cinema como é na música...será excelente! smiley1.gif

Link to comment
Share on other sites

Texto do Kleber Mendonça Filho , do www.cinemascopio.com.br , a respeito da atual temporada :

Oscar, o Programador<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

17-fev-06

Por Kleber Mendonça Filho

Foi uma semana difícil para o crítico de cinema. Obrigações profissionais o levaram a ver Bambi 2 - O Grande Príncipe da Floresta, recauchutagem "direto para DVD" (nos Estados Unidos) do clássico Disney de 1942, A Pantera Cor de Rosa, recauchutagem com a graça de um ataque cardíaco dos filmes de Sellers e Edwards, e nos submetemos ainda a uma sessão fechada de A Máquina, sobre o qual escreveremos na data da sua estréia nacional, no final de março. Isso significa que a semana que passou inspirou certa saudade das semanas anteriores, com uma safra anormalmente boa de coisas oscarizáveis.

Aliás, nesse sentido, vale perguntar, o que está acontecendo com o circuito comercial da cidade? O que está acontecendo com os multiplexes? Tirando o castigo habitual de Bambis e Panteras Cor de Rosa, está tudo tão estranho nessa temporada de prêmios, temporada que começou com os Globos de Ouro e deverá acabar com o Oscar, no início de março.

Os templos da gordura que pipoca e do final feliz em Technicolor, onde tudo é o que é, de repente, nas últimas semanas, passaram a exibir filmes que não são bem o que aparentam ser, descartando até mesmo o colorido e projetando o terrivelmente demodê preto e branco. Empurrados pelo melhor programador de sala da temporada (o Oscar), esses antros da cinematografia comercial tem sido levados pela grande indústria, e por uma safra anormalmente boa de oscarizáveis (bom repetir), a projetar - em múltiplas salas do condado pernambucano - interessantes anomalias nas suas programações pré-formatadas na matriz (Los Angeles).

Os dois corpos estranhos na programação têm nome. O primeiro deles chama-se O Segredo de Brokeback Mountain, um belo filme do diretor taiwanês radicado nos EUA, Ang Lee. O filme vem acumulando prestígio desde a sua premiére mundial no Festival de Veneza, em setembro, onde ganhou o Leão de Ouro. Foi lançado "pequeno" nos EUA em dezembro e, desde então, transformou-se no favorito na corrida do Oscar 2006, conquistando, desta forma, carta branca para passar num circuito mundial comercial que, na vida real, não chegaria perto de um filme que mostra de forma delicada e honesta o amor entre dois homens.

Talvez como forma de taxar o filme e o seu conteúdo 'incomum', é importante prestar atenção à classificação etária do filme - 16 anos -, o que significa que Brokeback Mountain é tão impróprio quanto Wolf Creek, onde três adultos são sadicamente massacrados (e mutilados) por um assassino enlouquecido nos confins da paisagem australiana. Nada contra filmes de horror, mas a comparação é válida para refletirmos sobre como funciona a cabecinha da sociedade.

E é isso aí, os multiplexes estão exibindo um filme onde dois machos (caubóis, aliás) se beijam, fazem amor e sentem saudade um do outro, e os mais de 200 mil espectadores que já viram o filme no Brasil (lançado pela independente nacional Europa Filmes) estão pagando para ver, sem dúvida alguma empurrados pelos múltiplos carimbos que o filme recebeu via Globo de Ouro e, principalmente, via possibilidades de Oscar (são oito indicações).

Esporte razoavelmente grotesco é observar sentado numa das salas que exibem Brokeback Mountain a reação de um público que simplesmente não tem a prática de ver um filme que expande as possibilidades humanas normalmente apresentadas nesse tipo de programação. Há um desconfortável "qui-qui-qui", seguido de cruzadas coletivas de pernas na escuridão durante o filme, e logo, mais uma vez, vem à mente a idéia de cinema como comida. Alimente alguém com feijão e arroz o ano inteiro e não espere que algo um pouco mais ousado desça bem no final do ano. Afinal de contas, a novela não teve coragem de mostrar o que, no cinema, a imagem grande deixa bem claro e evidente, com fortes contornos de humanidade e delicadeza.

Exemplo número dois é o arrojadíssimo exercício Boa Noite, e Boa Sorte (Good Night, and Good Luck), filme de George Clooney filmado em preto e branco no que mais parece uma bela tentativa de passar a limpo a estética antiga da época que retrata: a década de 50 nos bastidores da TV Americana. O filme, depois de duas semanas em sessões limitadas (noturnas), já foi devidamente ejetado da programação em direção ao chamado "circuito alternativo", mesmo com as suas seis indicações a Oscar.

Filme em preto e branco, afinal de contas, é esquisito pra dedéu, ainda mais um onde "não acontece PN", impressão externada por um membro da platéia numa sessão do filme, em Boa Viagem, final de semana passado. De qualquer forma, é agradecer ao Oscar pela oportunidade de ter podido ver o filme com forte cheiro de pipoca.

O terceiro exemplo seria Munique, e aí temos um exemplo extra-interessante. O filme pertence ao homem que praticamente inventou o cinema pipoca (Steven Spielberg), cineasta e empresário que, seis meses atrás, deixou os exibidores felizes com o mastodonte multipléxico A Guerra dos Mundos (War of The Worlds).

Com Munique, ele vem com algo diferente e fez um filme escorregadio que parece entretenimento, age como se fosse entretenimento, mas que, na verdade, bate como uma pancada desagradável na cabeça. É feio, baixo astral e perfeitamente adequado ao versar sobre o tema escolhido: vingança, medo e violência.

Spielberg utiliza as plataformas criadas pelo seu sucesso para lançar grande um filme que o próprio sistema irá rejeitar. Ainda em plena carreira nos cinemas do mundo, é provável que fechadas as contas, Munique seja um dos filmes de Steven Spielberg mais deficitários financeiramente. Ele não parece muito preocupado, e pelo conteúdo do filme, imagina-se que, na verdade, ele já sabia.

Quarto e ultimo exemplo, e esse é muito bom. Woody Allen entra em cartaz (indicado ao Oscar 2006 como Melhor Roteiro) arrebentando com Ponto Final - Match Point. O matraqueado Allen não é exatamente o favorito do circuitão, seus filmes, desde os anos 80, tiveram lançamentos 'incertos' no Recife, e com a chegada dos multiplex em 1998, essa incerteza ficou ainda mais frágil. Há dois anos, seu filme Igual a Tudo na Vida (Anything Else) teve, no Recife, o mesmo tratamento de Bambi 2 nos EUA, foi direto para video.

E eis que Ponto Final está em cartaz, ironicamente um filme nada nada engraçado. Na verdade, é o mais sombrio de toda a carreira de Woody, uma meditação surpreendentemente violenta sobre subir na vida com uma pitada de sorte e uma total falta de coerência política e emocional. Obrigado Sr. Oscar.

Fernando2006-2-18 1:41:36
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...