Jump to content
Forum Cinema em Cena

Anticristo (Antichrist)


texer
 Share

Recommended Posts

Quando li isso no Cinema em Cena não me contive...

26/09/2006:

 

(14:53) O que esperar de um filme de terror dirigido por Lars von Trier? A resposta virá com Antichrist, próximo projeto do diretor dinamarquês, responsável por filmes como Dogville e Dançando no Escuro.<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

A premissa do longa é a teoria de que o mundo foi criado por Satanás, e não por Deus. A partir daí, você já pode imaginar qual loucura von Trier irá cometer desta vez. A história não foi divulgada, mas sabe-se que será situada na natureza. Os diálogos serão falados em inglês.

 

Segundo o site Production Weekly, von Trier espera começar a filmar em 2007, entre junho e setembro.

 

O cineasta já completou seu último trabalho, The Boss of It All, e o exibiu pela primeira vez no último dia 21, no Festival de Copenhagen.

pixel.gif

pixel.gif

pixel.gif

pixel.gif

 

Me parece bastante promissor esse projeto...Eu só fico imaginando o q o Trier fará com tal material...16
Link to comment
Share on other sites

  • Replies 247
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

  • 4 months later...
  • 3 months later...

Saiu mais uma no cinema <?:namespace prefix = st1 ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:smarttags" />em cena. Acho que você vai ter que se conter texter. Será que foi a Opus Dei?06 Segue a nota abaixo:<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Depressão pode adiar filme de terror de Lars von Trier

pixel.gif

14/05/2007 11:29

pixel.gif

larsvontrier_01.jpgLars von Trier foi internado no começo deste ano em um hospital dinamarquês para iniciar um tratamento contra depressão. Segundo a rede canadense CBC, o cineasta deu uma entrevista para o jornal Politiken, publicada no último sábado, dia 12, e afirmou que a realização de Antichrist pode ficar comprometida devido à doença.

"Eu suponho que Antichrist será meu próximo filme. Mas neste momento eu não sei", disse. "Eles dizem que pode levar alguns anos para uma recuperação depois de uma depressão. Mas vamos ver."

O diretor, que também pretende realizar Wasington (fechamento da trilogia que já conta com Dogville e Manderlay), comentou que se sente como uma "folha de papel em branco". "Você não pode fazer um filme e estar deprimido ao mesmo tempo", observou. "É muito estranho para mim, porque eu sempre tive pelo menos três projetos na minha cabeça de uma vez."

O plano inicial de von Trier era dar ínicio à produção de Antichrist daqui a alguns meses. Seu último filme, The Boss of It All, estreou na Dinamarca em 8 de dezembro do ano passado e tem previsão de lançamento nos Estados Unidos para 23 de maio. Ainda não há data marcada no Brasil.

pixel.gif

pixel.gif

fundo_ldown.png

fundo_rdown.png

pixel.gif

pixel.gif

pixel.gif

fundo_lup.png

fundo_rup.png

   

   

 

fundo_rdown.png

pixel.gif

pixel.gifPlutão Orco2007-05-14 14:58:50
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

É pena mesmo...Parecia render um puta filme para ser dirigido por Von Trier.No mais ainda sonho com Wasington fechando a trilogia Dogville e Manderlay com Nicole Kidman e Bryce Dallas Howard no elenco.

Crise de criativdade abatendo sobre Trier é final dos tempos...Taí coisa q naum pode acontecer.

Link to comment
Share on other sites

Preparada para ser execrada: gosto muito de Lars Von Trier não... acho ele meio uma farsa... hehe. Dogville, médio; bom roteiro, desenrolar previsível, meio invenção isso de fazer o cenário de palco de teatro; e o melhor do filme é Paul Bettany (que levanta até defunta de caixão, qto mais filme médio).

Mas me empolguei por esse Antichrist aí. No mínimo interessante a premissa.
Link to comment
Share on other sites

Preparada para ser execrada: gosto muito de Lars Von Trier não... acho ele meio uma farsa... hehe. Dogville' date=' médio; bom roteiro, desenrolar previsível, meio invenção isso de fazer o cenário de palco de teatro; e o melhor do filme é Paul Bettany (que levanta até defunta de caixão, qto mais filme médio).

Mas me empolguei por esse Antichrist aí. No mínimo interessante a premissa.[/quote']

 

Não gostar é uma coisa, bem compreensível inclusive, considerando o que Dogville exige do espectador. Mas julgar como "médio" e de "desenrolar previsível" é outra. Afirmações sem exploração me deixam desconfiado, portanto, se puder explicar porquê o filme é mediano, previsível, e o que significa "meio invenção isso de fazer o cenário de palco de teatro", eu agradeço.
Link to comment
Share on other sites

Vou entrar em polêmica não. Respeito o trabalho dele, não é à toa que o cara tem tantos admiradores. Mas tenho o direito de achar o que quiser, não é verdade? Então vou responder o que vc pergunta e paramos por aqui, ok?

 

Vamos lá.

 

Que Dogville é uma crítica à hipocrisia da sociedade, mostra o que o ser humano pode ter de pior (e de melhor), inova no formato etc. não tem o que discutir. Não acho que exija demais do espectador para acompanhar, entender, e até julgar o filme, a premissa é simples e bem defendida. Heh.  Simplesinho simplesinho, se vc insinuou que eu talvez não tivesse capacidade intelectual suficiente 04.

O que quero dizer é que o tema importante + a inovação no formato não foram, para mim, suficientes para fazer deste um grande filme. Considero grandes filmes aqueles que me "maravilham" de alguma forma, o que não foi o caso deste. Também não estou dizendo que não presta.

Quando falo que é previsível, quis dizer que nos "primeiros acordes" do filme, quando a personagem de Nicole Kidman começa a prestar os primeiros favores ao povo da cidade, eu já previ como tudo ia se desenrolar - que eles iam começar a abusar dela e que ela ia querer se vingar - vou parar por aqui para evitar maiores spoilers. Para mim, volto a repetir, foi previsível neste sentido.

Quanto a fazer o cenário da cidade como se fosse um palco teatral com marcação, achei simplesmente gratuito (aquela coisa meio pseudo-intelectual, "vamos fazer um filme sem cenário, vai chocar, as pessoas vão passar anos comentando", como aliás estamos fazendo 01), embora se fale muito por aí sobre as razões de o diretor ter feito esta opção. A única coisa que achei legal disso foi ter oferecido a oportunidade de visualizarmos, ao mesmo tempo, o que se passava em várias "locações".

Bom. Espero ter esclarecido melhor meu ponto de vista, e respeito o seu, ok?
Link to comment
Share on other sites

Vou entrar em polêmica não. Respeito o trabalho dele' date=' não é à toa que o cara tem tantos admiradores. Mas tenho o direito de achar o que quiser, não é verdade? Então vou responder o que vc pergunta e paramos por aqui, ok?

 

Vamos lá.

 

Que Dogville é uma crítica à hipocrisia da sociedade, mostra o que o ser humano pode ter de pior (e de melhor), inova no formato etc. não tem o que discutir. Não acho que exija demais do espectador para acompanhar, entender, e até julgar o filme, a premissa é simples e bem defendida. Heh.  Simplesinho simplesinho, se vc insinuou que eu talvez não tivesse capacidade intelectual suficiente 04.

O que quero dizer é que o tema importante + a inovação no formato não foram, para mim, suficientes para fazer deste um grande filme. Considero grandes filmes aqueles que me "maravilham" de alguma forma, o que não foi o caso deste. Também não estou dizendo que não presta.

Quando falo que é previsível, quis dizer que nos "primeiros acordes" do filme, quando a personagem de Nicole Kidman começa a prestar os primeiros favores ao povo da cidade, eu já previ como tudo ia se desenrolar - que eles iam começar a abusar dela e que ela ia querer se vingar - vou parar por aqui para evitar maiores spoilers. Para mim, volto a repetir, foi previsível neste sentido.

Quanto a fazer o cenário da cidade como se fosse um palco teatral com marcação, achei simplesmente gratuito (aquela coisa meio pseudo-intelectual, "vamos fazer um filme sem cenário, vai chocar, as pessoas vão passar anos comentando", como aliás estamos fazendo 01), embora se fale muito por aí sobre as razões de o diretor ter feito esta opção. A única coisa que achei legal disso foi ter oferecido a oportunidade de visualizarmos, ao mesmo tempo, o que se passava em várias "locações".

Bom. Espero ter esclarecido melhor meu ponto de vista, e respeito o seu, ok?
[/quote']

 

Em primeiro lugar, acho muito ofensivo que atribuam julgamentos preconceituosos a mim, quando nunca os fiz, principalmente quando visam, desta forma, passaram-se por vítima de uma discriminação que só existe na sua cabeça, querendo torná-la real, distorcendo o foco do debate (que por alguma razão, você parece indisposta a iniciar). Assim sendo, não. Eu não disse que você não poderia ter uma opinião, nem que não tinha capacidade "intelectual" suficiente para "entender" o filme.

 

OK, a primeira parte da argumentação apela descaradamente pro subjetivo, não cabendo réplica-murro-em-ponta-de-faca. Quanto à previsibilidade, Dogville é bem mais que "Grace se adaptando, Grace sendo explorada, Grace se rebelando". Reduzir o filme a uma sinopse grosseira como esta é algo que não consigo compreender, por isto o motivo de estar aqui às 10 da manhã lhe dirigindo a palavra.

 

Afirmação preconceituosa a sua entre parênteses, considerando que nós, espectadores que gostaram de Dogville, catem pêlo em ovo, caiam nesta suposta "armadilha" de Lars Von Trier, e gastem horas a fio em fóruns de internet nmuma masturbação mental vazia e sem propósito. Há motivos concretos para a opção de Von Trier em reduzir (ampliar, na verdade) os cenários a rabiscos no chão. Eu cheguei a escrever um pouco sobre o filme pro Cineclube, onde coloco minha tal teoria absurda sobre o porquê do tal cenário. Não tenho pretensão alguma de mudar sua opinião, caso você já estivesse pressupondo...

 

 

E claro que está ok ué, estamos discutindo um filme não a partilha da África. De qualquer modo, nunca é tarde para dar uma segunda chance a uma obra, às vezes você se surpreende.01
Link to comment
Share on other sites

Debate, sim.

 

Discussão ofensiva (e não estou dizendo que está sendo o caso aqui, mas o potencial, existe), não faz parte da minha natureza.

 

Desculpe-me se pareceu que eu estava lhe acusando de preconceito. Não foi como eu quis que soasse.

 

Quanto à subjetividade, ela está presente sim, em certo aspecto da minha análise, mas afinal, gostar ou não de algo sempre será, em última instância, subjetivo, não é?

 

Prefiro recordar os momentos em que concordamos tão veementemente a respeito de The Good, The Bad & The Ugly 16!!
Link to comment
Share on other sites

Dogville é mesmo previsível. Até a sinopse da contracapa do DVD já diz q os habitantes da cidade começam a explorar Grace. Mas pra mim, o processo de adaptação, desentendimento e vingança foi suficientemente bem trabalhado, e isso mantém meu interesse durante as quase três horas de filme (q parecem duas). Eu vi em Dogville aquele "algo mais", q é sempre importante, principalmente qnd uma história é previsível. Eu comparo os acontecimentos do filme com certas coisas intrigantes e revoltantes q acontecem no mundo real, e em grande parte é isso q me faz gostar de Dogville.
Lucy in the Sky2007-06-02 11:35:01
Link to comment
Share on other sites

 

Dogville é mesmo previsível. Até a sinopse da contracapa do DVD já diz q os habitantes da cidade começam a explorar Grace. Mas pra mim' date=' o processo de adaptação, desentendimento e vingança foi suficientemente bem trabalhado, e isso mantém meu interesse durante as quase três horas de filme (q parecem duas). Eu vi em Dogville aquele "algo mais", q é sempre importante, principalmente qnd uma história é previsível. Eu comparo os acontecimentos do filme com certas coisas intrigantes e revoltantes q acontecem no mundo real, e em grande parte é isso q me faz gostar de Dogville.
[/quote']

 

No geral, os filmes do Von Trier me parecem ser mesmo previsíveis, o que pode atrapalhar alguns deles, mas nem todos.

Em Dançando No Escuro, foi esse previsibilidade, aliada ao dramalhão mexicano que me fizeram desgostar do filme (apesar de suas belíssimas atuações e uma direção intensa). Já Manderlay, mesmo sendo bastante previsível em alguns aspectos (as chicoteadas no final, o erro das horas, etc), não me desagradou porque a história (mais as belas atuações e a ótima direção) foi muito interessante e conseguiu me manter focado o filme inteiro. Nesse aspecto, a previsibilidade não me desagradou. Sobre Dogville, não posso comentar porque ainda não vi.

 

E interessante o que a Lucy disse sobre relacionar com assuntos da vida real. Eu fiz isso uma vez com Pecados íntimos (Little Children), pois tinha lido uma entrevista com o diretor dizendo que LC refletia a política norte-americana e acabei vendo o filme sobre esse prisma para ver se funcionava. E não é que funciounou mesmo? 13 Imagino quantas interpretações possíveis LC deve ter então. Pena que achei o filme um pouco cansativo, mas acredito que  isso talvez suma numa futura reassistida.

 

No mais, sobre o Trier, gosto dele e esse filme do anti-cristo me parece ser uma idéia bastante interessante.

 

Acho que o próximo que verei dele será Dogville ou Ondas da Paixão (gosto da Emily Watson e esse me parece ser um filme mais fácil de gostar, com menos chances de me decepcionar, como Dançando o fez, visto que tem uma grande aprovação nos sites onde frequento, diferente de Dançando, Dog e Manderlay, que dividem opiniões) ou The Boss of it All, que deve ser o próximo dele a estrear nos cinemas.

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

 

Vou entrar em polêmica não. Respeito o trabalho dele' date=' não é à toa que o cara tem tantos admiradores. Mas tenho o direito de achar o que quiser, não é verdade? Então vou responder o que vc pergunta e paramos por aqui, ok?

 

Vamos lá.

 

Que Dogville é uma crítica à hipocrisia da sociedade, mostra o que o ser humano pode ter de pior (e de melhor), inova no formato etc. não tem o que discutir. Não acho que exija demais do espectador para acompanhar, entender, e até julgar o filme, a premissa é simples e bem defendida. Heh.  Simplesinho simplesinho, se vc insinuou que eu talvez não tivesse capacidade intelectual suficiente 04.

O que quero dizer é que o tema importante + a inovação no formato não foram, para mim, suficientes para fazer deste um grande filme. Considero grandes filmes aqueles que me "maravilham" de alguma forma, o que não foi o caso deste. Também não estou dizendo que não presta.

Quando falo que é previsível, quis dizer que nos "primeiros acordes" do filme, quando a personagem de Nicole Kidman começa a prestar os primeiros favores ao povo da cidade, eu já previ como tudo ia se desenrolar - que eles iam começar a abusar dela e que ela ia querer se vingar - vou parar por aqui para evitar maiores spoilers. Para mim, volto a repetir, foi previsível neste sentido.

Quanto a fazer o cenário da cidade como se fosse um palco teatral com marcação, achei simplesmente gratuito (aquela coisa meio pseudo-intelectual, "vamos fazer um filme sem cenário, vai chocar, as pessoas vão passar anos comentando", como aliás estamos fazendo 01), embora se fale muito por aí sobre as razões de o diretor ter feito esta opção. A única coisa que achei legal disso foi ter oferecido a oportunidade de visualizarmos, ao mesmo tempo, o que se passava em várias "locações".

Bom. Espero ter esclarecido melhor meu ponto de vista, e respeito o seu, ok?
[/quote']

 

Em primeiro lugar, acho muito ofensivo que atribuam julgamentos preconceituosos a mim, quando nunca os fiz, principalmente quando visam, desta forma, passaram-se por vítima de uma discriminação que só existe na sua cabeça, querendo torná-la real, distorcendo o foco do debate (que por alguma razão, você parece indisposta a iniciar). Assim sendo, não. Eu não disse que você não poderia ter uma opinião, nem que não tinha capacidade "intelectual" suficiente para "entender" o filme.

 

OK, a primeira parte da argumentação apela descaradamente pro subjetivo, não cabendo réplica-murro-em-ponta-de-faca. Quanto à previsibilidade, Dogville é bem mais que "Grace se adaptando, Grace sendo explorada, Grace se rebelando". Reduzir o filme a uma sinopse grosseira como esta é algo que não consigo compreender, por isto o motivo de estar aqui às 10 da manhã lhe dirigindo a palavra.

 

Afirmação preconceituosa a sua entre parênteses, considerando que nós, espectadores que gostaram de Dogville, catem pêlo em ovo, caiam nesta suposta "armadilha" de Lars Von Trier, e gastem horas a fio em fóruns de internet nmuma masturbação mental vazia e sem propósito. Há motivos concretos para a opção de Von Trier em reduzir (ampliar, na verdade) os cenários a rabiscos no chão. Eu cheguei a escrever um pouco sobre o filme pro Cineclube, onde coloco minha tal teoria absurda sobre o porquê do tal cenário. Não tenho pretensão alguma de mudar sua opinião, caso você já estivesse pressupondo...

 

 

E claro que está ok ué, estamos discutindo um filme não a partilha da África. De qualquer modo, nunca é tarde para dar uma segunda chance a uma obra, às vezes você se surpreende.01

 

Foi piada isso, né Foras? Eu tive que ler o texto em partes. 06

 

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

Lars von Trier consegue financiamento para terror - 29/07/2008 15:50

Lars von Trier conseguiu financiamento para o terror Antichrist. O diretor dinamarquês terá US$ 11 milhões para rodar seu novo trabalho, centrado em um casal que se muda para uma cabana isolada na floresta para se recuperar da morte do filho - e acaba se deparando com forças sinistras no local.

O diretor espera começar as filmagens em breve na Alemanha, segundo informações da Variety. O elenco será anunciado em breve

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Lars von Trier dirige Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg no terror - 13/08/2008 08:58

willemdafoe_03.jpgcharlottegainsbourg_01.jpgO elenco do terror Antichrist começou a ser definido por Lars von Trier. Na produção, diretor dinamarquês poderá contar com a presença Willem Dafoe (Anamorph: A Arte de Matar - à esquerda) e Charlotte Gainsbourg (Não Estou Lá - à direita).

Segundo a Variety, os atores vão interpretar o casal que se isola em uma cabana na floresta na tentativa de se recuperar da morte do filho. A produção começa este mês na Alemanha.

Dafoe terminou recentemente de rodar suas cenas  na aventura Cirque du Freak, que também conta com Salma Hayek e John C. Reilly no elenco.

Eu gosto do Dafoe apesar de ele ser muito feio06
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...