Jump to content
Forum Cinema em Cena

Lula, o Filho do Brasil


Jorge Soto
 Share

Recommended Posts

  • Replies 107
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Uai, de repente pode ser um cuidado p/ não sugestionar, apologizar um filme. Critica tiete é ruim tb.

 

Eu adorei a critica dele sobre o filme, mas é uma opinião sem valor pq não vi o filme ainda.

Achei que ele tentou  se ater  a analisar o filme só como crítico mesmo.

 

Concordo plenamente com ele sobre algo que já tinha postado aqui, que o filme será visto apenas de duas maneiras.

 

By the way,  não importa muito a data. Qqquer uma em que este filme fosse lançado a maneira de ve-lo seria a mesma, pq não é ficção  e convivemos e até partilhamos (uns direta outros indiretamente) a vida (e ações)do protagonista.
Link to comment
Share on other sites

 

Collor' date=' Sarney, Tancredo e Jânio terão suas histórias contadas nas telas

Getúlio e Fernando Henrique também devem seguir o caminho de Lula - O Filho do Brasil

13/01/2010

Embora o resultado de Lula - O Filho do Brasil nas bilheterias seja, até agora, aquém do esperado, com cerca de 500 mil espectadores depois de duas semanas em cartaz, as cinebiografias de presidentes devem embalar.

Bruno Barreto, irmão do diretor do filme de Lula, Fábio Barreto, pretende adaptar ao cinema o livro Notícias do Planalto, de Mário Sérgio Conti, sobre a ascensão e a queda de Fernando Collor de Mello.

Paralelamente, o ator e diretor Paulo Figueiredo planeja uma minissérie de 12 capítulo para TV e um longa de cinema - orçado em R$13 milhões - sobre Jânio Quadros; Lauro César Muniz roteiriza para o diretor Daniel Filho a história dos 19 dias que antecederam o suicídio de Getúlio Vargas; e em 2011 estreia um documentário intitulado Rompendo o Silêncio, sobre a discussão da regulamentação das drogas no país, com depoimentos de Fernando Henrique Cardoso.

Para fechar, o diretor Silvio Tendler - de filmes sobre João Goulart (Jango, de 1984) e Juscelino Kubitschek (Os Anos JK - Uma Trajetória Política, de 1980) - quer não um, mas dois projetos: além de estrear em abril o longa A Travessia de Tancredo, com material documental raro sobre Tancredo Neves, planeja uma cinebiografia do ex-presidente e senador José Sarney.

Por enquanto, apenas Rompendo o Silêncio e A Travessia de Tancredo têm previsão de lançamento definida.

[/quote']

 

Se for para contar todos os podres, então todos políticos brasileiros deveriam ter filmes autobiográfico mesmo.
Link to comment
Share on other sites

li a crítica do villaça. é extremamente pablística' date=' o que me entedia.06

a do kmf não tive oportunidade de ler, mas foi negativa. não é a toa q eu prefiro o pernambucano. [/quote']

Vai, viu? Podem considerar esse comentário extremamente Greenwoodista!

 

 

O ruim dessas biografias é se focarem no que nós já sabemos e vivemos.

Seria nada a acrescentar.

Acho bom como foi feito em "Lula..." , abordando uma época desconhecida do público, pq acrescenta algo a figura tão velha conhecida nossa.

 

By the way, eu me interessaria em ver um filme sobre Collor e tudo que envolvesse o impeachment.

 

Achava que algo sobre Getúlio já tivesse sido filmado think.gif

 
Link to comment
Share on other sites

li a crítica do villaça. é extremamente pablística' date=' o que me entedia.06

a do kmf não tive oportunidade de ler, mas foi negativa. não é a toa q eu prefiro o pernambucano. [/quote']

Vai, viu? Podem considerar esse comentário extremamente Greenwoodista!

 

 

 

 

Greenwoodista seria sinônimo de anti-pablística?05
Link to comment
Share on other sites

 

 

Collor' date=' Sarney, Tancredo e Jânio terão suas histórias contadas nas telas

Getúlio e Fernando Henrique também devem seguir o caminho de Lula - O Filho do Brasil

13/01/2010Marcelo Hessel

Embora o resultado de Lula - O Filho do Brasil nas bilheterias seja, até agora, aquém do esperado, com cerca de 500 mil espectadores depois de duas semanas em cartaz, as cinebiografias de presidentes devem embalar.

Bruno Barreto, irmão do diretor do filme de Lula, Fábio Barreto, pretende adaptar ao cinema o livro Notícias do Planalto, de Mário Sérgio Conti, sobre a ascensão e a queda de Fernando Collor de Mello.

Paralelamente, o ator e diretor Paulo Figueiredo planeja uma minissérie de 12 capítulo para TV e um longa de cinema - orçado em R$13 milhões - sobre Jânio Quadros; Lauro César Muniz roteiriza para o diretor Daniel Filho a história dos 19 dias que antecederam o suicídio de Getúlio Vargas; e em 2011 estreia um documentário intitulado Rompendo o Silêncio, sobre a discussão da regulamentação das drogas no país, com depoimentos de Fernando Henrique Cardoso.

Para fechar, o diretor Silvio Tendler - de filmes sobre João Goulart (Jango, de 1984) e Juscelino Kubitschek (Os Anos JK - Uma Trajetória Política, de 1980) - quer não um, mas dois projetos: além de estrear em abril o longa A Travessia de Tancredo, com material documental raro sobre Tancredo Neves, planeja uma cinebiografia do ex-presidente e senador José Sarney.

Por enquanto, apenas Rompendo o Silêncio e A Travessia de Tancredo têm previsão de lançamento definida.

[/quote']

 

Se for para contar todos os podres, então todos políticos brasileiros deveriam ter filmes autobiográfico mesmo.

 

e eu que pensava que essa tendência em endeusar, cultualizar, os "grandes homens" do Brasil já tivesse caido em desuso com o ingresso no novo milênio. Ledo engano, agora é que vem com força total 09

 

Link to comment
Share on other sites



O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 55 da Medida Provisória no 2.228-1, de 6 de setembro de 2001, DECRETA:

Art. 1o As empresas proprietárias, locatárias ou arrendatárias de salas ou complexos de exibição pública comercial estão obrigadas a exibir, no ano de 2010, obras cinematográficas brasileiras de longa metragem, no âmbito de sua programação, observado o número mínimo de dias e a diversidade dos títulos fixados em tabela constante do Anexo a este Decreto.

Parágrafo único. A obrigatoriedade de que trata o caput abrange salas, geminadas ou não, pertencentes à mesma empresa exibidora e que integrem espaços ou locais de exibição pública comercial localizados em um mesmo complexo, conforme definido por instrução normativa expedida pela Agência Nacional do Cinema - ANCINE.

Art. 2o Os requisitos e condições de validade para o cumprimento da obrigatoriedade de que trata este Decreto, bem como sua forma de comprovação, serão disciplinados em instrução normativa estabelecida pela ANCINE.

Art. 3o A ANCINE, visando promover a auto-sustentabilidade da indústria cinematográfica nacional e o aumento da produção, bem como da distribuição e da exibição das obras cinematográficas brasileiras, regulará as atividades de fomento e proteção à indústria cinematográfica nacional, podendo dispor sobre o período de permanência dos títulos brasileiros em exibição em cada complexo em função dos resultados obtidos.

Art. 4o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 30 de dezembro de 2009; 188o da Independência e 121o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
João Luiz da Silva Ferreira

 

 

 

Agora o filme vai bombar...
Mr. Ibanez2010-01-17 01:48:35
Link to comment
Share on other sites

Não dizem que p/ o cinema brasileiro crescer tem que tratá-lo como  empresa e não apenas como entretenimento?  Então!

Business ! 03...

Brincadeirinha!

 

Meu! Constrangedor até o sabugo da unha...afff! 09

Entretenimento imposto!

By the way, aí fala até no prazo que eles seriam  (serão) obrigados a deixar os filmes nacionais em cartaz... aff!
MariaShy2010-01-17 11:11:49
Link to comment
Share on other sites

Sendo herege eu até que meio concordo com essa lei, não com toda ela.

É uma maneira de  cavar uma  lugarzinho p/ o cinema nacional em meio a tantas produções estrangeiras (leia-se americanas).

Eu só não sei se funcionará.

 

Sobre a duração da permanencia destes em cartaz, deveria estar sujeito ao mesmo critério que qquer produção, ou seja enqto estiver dando lucro.

 

Tá, o motivo não é lá muito nobre 09
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Não vi e não gostei desse filme, basicamente por 2 motivos:

 

1. É produzido pela Globo filmes, que só novela em 2 horas no cinema.

 

2. É sobre o presidente atual, lançado em ano de eleição, oportunista, negar isso é ser tremendamente ingênuo ou muito sacana.

 

 

 

Outra coisa, não me venham com esse papo de que é possível entrar na sala de cinema com uma visão neutra do filme. Não existe esse papo de neutralidade defendida pela imprensa "sangue doce" brasileira. Todos vamos com pré conceitos formados, e nesse caso, com os conceitos já formados mesmo. Esse filme tem que ser abominado pela sua simples intenção. Seu conteúdo pouco importa, ele subverte a lógica democrática, é puro culto à personalidade.

 

Ele em si não é ilegal, mas muito imoral. É patrocinado sim por empresas ligadas ao governo, que recebem dinheiro do governo e querem puxar saco do governo.

 

Tenham dó, achar alguma coisa boa nesse filme é um perigo, ele dá aos próximos governantes a oportunidade de repetir tal imoralidade. É uma pena que nossa imprensa "neutra" não esteja atacando em massa essa obra.

Link to comment
Share on other sites

Não vi e não gostei desse filme' date=' basicamente por 2 motivos:
1. É produzido pela Globo filmes, que só novela em 2 horas no cinema.
2. É sobre o presidente atual, lançado em ano de eleição, oportunista, negar isso é ser tremendamente ingênuo ou muito sacana.

Outra coisa, não me venham com esse papo de que é possível entrar na sala de cinema com uma visão neutra do filme. Não existe esse papo de neutralidade defendida pela imprensa "sangue doce" brasileira. Todos vamos com pré conceitos formados, e nesse caso, com os conceitos já formados mesmo. Esse filme tem que ser abominado pela sua simples intenção. Seu conteúdo pouco importa, ele subverte a lógica democrática, é puro culto à personalidade.
Ele em si não é ilegal, mas muito imoral. É patrocinado sim por empresas ligadas ao governo, que recebem dinheiro do governo e querem puxar saco do governo.
Tenham dó, achar alguma coisa boa nesse filme é um perigo, ele dá aos próximos governantes a oportunidade de repetir tal imoralidade. É uma pena que nossa imprensa "neutra" não esteja atacando em massa essa obra.[/quote']

 

A crítica pode ser ótima, mas começar com "não vi e não gostei" é 14 !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Que pena!!!!!!!!!!!!!!!
Cathy2010-01-30 22:52:02
Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Lançamento em DVD da cinebiografia de

Lula será boicotado

A rede de locadoras 100% Vídeo' date=' que possui mais de 80 lojas em todo o

Brasil, comunicou que não irá adquirir cópias do filme Lula:

O Filho do Brasil. Ela é apoiada

pelo Sindicato das Empresas Videolocadoras do Estado de São Paulo

(Sindemvideo) que emitiu nesta quarta-feira (3/3) um

comunicado, no qual solicita que as videolocadoras não adquiram o filme

sobre a trajetória de vida de Lula, pois acredita que o

protagonista, mesmo sem perceber, acabou incentivando o consumo de

produtos falsificados.

 

 

 

Em 2005, o presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva assistiu ao

filme

2 Filhos de Francisco - A História de Zezé Di Camargo e Luciano

em cópia pirata de DVD, em seu avião particular. O fato foi constatado

pela Sony Pictures, empresa responsável pela distribuição do longa de

Zezé Di Camargo e Luciano, e admitido pela presidência. Em entrevista

coletiva, Lula se desculpou e anunciou que iria punir os responsáveis,

porém nada foi feito, o que passou a imagem que consumir produtos

ilegais é "legal" e não há punição.

 

 

 

Já em 2009 foi produzido o filme Lula:

O Filho do Brasil, cinebiografia do presidente, e o mesmo

solicitou ao diretor do longa-metragem, Fábio Barreto, uma cópia para

assistir em seu trajeto para Lisboa, em tom de brincadeira. Mesmo assim,

a "brincadeira" só intensificou a ideia de que a maior autoridade de

nosso país é a favor da pirataria.

 

 

 

Desde o ocorrido, em 2005, rolou na internet um e-mail entre as

videolocadoras para boicotarem a produção, uma atitude que seria uma

resposta às atitudes de Lula. O e-mail culminou no comunicado emitido

pelo sindicato e na postura de uma das maiores redes de videolocadoras

do Brasil.

 

 

 

De acordo com o site LaboratorioPop , o filme não foi um sucesso de

bilheterias no cinema, porém, com o lançamento em DVD, seria uma segunda

chance. "Comercialmente, a decisão nos afeta, claro. Mas, mesmo

sofrendo uma perda, precisamos reiterar nossa posição. A 100% Vídeo não

apoia a pirataria. Os clientes da 100% Vídeo também não consomem

pirataria", disse Renato Zaglia, gerente de contéudo da 100% Vídeo, ao

site.

 

 

 

 

 

Leia abaixo a íntegra do comunicado do Sindicado das Empresas

Videolocadoras:

 

 

São Paulo, 03 de março de 2010.

 

 

 

SIN 0232010

 

 

 

Prezado Associado e Proprietário de Videolocadora,

 

 

 

O SINDEMVIDEO através deste comunicado vem reiterar sua posição

referente ao filme “Lula o Filho do Brasil”, para que as videolocadoras

NÃO adquiram este produto visto que o protagonista, na vida real,

mesmo que sem perceber a gravidade de suas palavras acabou incentivando o

consumo de produtos falsificados (piratas).

 

 

 

Esta postura para não aquisicão deste produto deveria ser seguida em

todo o territorio nacional. Então solicitamos a todos os Proprietários

de videolocadora que tiverem acesso a este comunicado a gentileza de

divulgar esta informação para o maior numero possível.

 

 

 

Acreditamos que se houver um comprometimento das locadoras em aderirem a

esta decisão vamos conseguir uma união solida e jamais vista em nosso

mercado, provando a todos que somos empresarios e temos que ser

respeitados.

 

 

 

 

 

SINDEMVIDEO

 

[/quote']

 

Fonte: http://cinema.cineclick.uol.com.br/noticia/carregar/titulo/lancamento-em-dvd-da-cinebiografia-de-lula-sera-boicotado/id/25646

 

Independente de o filme ser bom ou não, o "manifesto" acima tá com cara de politicagem.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Lançamento em DVD da cinebiografia de

Lula será boicotado

A rede de locadoras 100% Vídeo' date=' que possui mais de 80 lojas em todo o

Brasil, comunicou que não irá adquirir cópias do filme Lula:

O Filho do Brasil. Ela é apoiada

pelo Sindicato das Empresas Videolocadoras do Estado de São Paulo

(Sindemvideo) que emitiu nesta quarta-feira (3/3) um

comunicado, no qual solicita que as videolocadoras não adquiram o filme

sobre a trajetória de vida de Lula, pois acredita que o

protagonista, mesmo sem perceber, acabou incentivando o consumo de

produtos falsificados.

 

 

 

Em 2005, o presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva assistiu ao

filme

2 Filhos de Francisco - A História de Zezé Di Camargo e Luciano

em cópia pirata de DVD, em seu avião particular. O fato foi constatado

pela Sony Pictures, empresa responsável pela distribuição do longa de

Zezé Di Camargo e Luciano, e admitido pela presidência. Em entrevista

coletiva, Lula se desculpou e anunciou que iria punir os responsáveis,

porém nada foi feito, o que passou a imagem que consumir produtos

ilegais é "legal" e não há punição.

 

 

 

Já em 2009 foi produzido o filme Lula:

O Filho do Brasil, cinebiografia do presidente, e o mesmo

solicitou ao diretor do longa-metragem, Fábio Barreto, uma cópia para

assistir em seu trajeto para Lisboa, em tom de brincadeira. Mesmo assim,

a "brincadeira" só intensificou a ideia de que a maior autoridade de

nosso país é a favor da pirataria.

 

 

 

Desde o ocorrido, em 2005, rolou na internet um e-mail entre as

videolocadoras para boicotarem a produção, uma atitude que seria uma

resposta às atitudes de Lula. O e-mail culminou no comunicado emitido

pelo sindicato e na postura de uma das maiores redes de videolocadoras

do Brasil.

 

 

 

De acordo com o site LaboratorioPop , o filme não foi um sucesso de

bilheterias no cinema, porém, com o lançamento em DVD, seria uma segunda

chance. "Comercialmente, a decisão nos afeta, claro. Mas, mesmo

sofrendo uma perda, precisamos reiterar nossa posição. A 100% Vídeo não

apoia a pirataria. Os clientes da 100% Vídeo também não consomem

pirataria", disse Renato Zaglia, gerente de contéudo da 100% Vídeo, ao

site.

 

 

 

 

 

Leia abaixo a íntegra do comunicado do Sindicado das Empresas

Videolocadoras:

 

 

São Paulo, 03 de março de 2010.

 

 

 

SIN 0232010

 

 

 

Prezado Associado e Proprietário de Videolocadora,

 

 

 

O SINDEMVIDEO através deste comunicado vem reiterar sua posição

referente ao filme “Lula o Filho do Brasil”, para que as videolocadoras

NÃO adquiram este produto visto que o protagonista, na vida real,

mesmo que sem perceber a gravidade de suas palavras acabou incentivando o

consumo de produtos falsificados (piratas).

 

 

 

Esta postura para não aquisicão deste produto deveria ser seguida em

todo o territorio nacional. Então solicitamos a todos os Proprietários

de videolocadora que tiverem acesso a este comunicado a gentileza de

divulgar esta informação para o maior numero possível.

 

 

 

Acreditamos que se houver um comprometimento das locadoras em aderirem a

esta decisão vamos conseguir uma união solida e jamais vista em nosso

mercado, provando a todos que somos empresarios e temos que ser

respeitados.

 

 

 

 

 

SINDEMVIDEO

 

[/quote']

 

Fonte: http://cinema.cineclick.uol.com.br/noticia/carregar/titulo/lancamento-em-dvd-da-cinebiografia-de-lula-sera-boicotado/id/25646

 

Independente de o filme ser bom ou não, o "manifesto" acima tá com cara de politicagem.

 

Cara, onde assino? isso é coisa de PSDbista zé mané.

 

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...
LULA, O FILHO DO BRASIL - 6/10 - É um filme didático de como se deve e de como não se deve fazer um filme. O filme tem sérios problemas na direção e no roteiro, o Barretão não tem um mínimo de sutileza para explorar as vertentes dramáticas da narrativa e o roteiro aposta no óbivo ululante, chega até irritar pela ingenuidade dos discursos inflamados no período em que Lula se torna presidente do sindicato, o texto é cheio de "dedos" pra falar das exigências dos trabalhadores e da relação com o patrão. Ainda assim se existe um motivo pra ver o filme é em função das atuações. Gloria Pires está maravilhosa, demonstrando a incrível capacidade que tem de se esconder por trás das personagens. Cléo Pires e Juliana Baroni tem participações discretas, mas eficiente; agora os atores que interpretam Lula merecem o reconhecimento, pois realizaram trabalhos extraordinários de tão marcantes. Eles fazem o filme valer a pena e o tornam menos esquecível. Thiago Lucio2010-05-30 15:43:23
Link to comment
Share on other sites

Legal seu comentário, Thiago. Faço minhas as palavras da MariaShy, primeiro cara que falou sobre o filme. Concordo que o único trunfo do filme são as atuações.

É isso aí, se fosse propaganda política era bom que o governo cassasse o filme... o Duda Mendonça faz melhor...rsrsrsrsrsr... com um filme desses sozinho não se elege ninguém. E pra maioria do povão é difícil ligar o sindicalista Lula ao molusco ensaboado de hoje. Nos anos 80 ninguém votaria nele pra presidente. Só meu pai que era anarquista e gostava do "hômi" rsrsrsrsr o véio já era doido rsrsrsrs... Hoje ele já tem 70 anos e diz "ainda bem que não tenho que votar em nenhum pelego".... rsrsrsrsrsrs

E é claro ninguém em sã consciência sai da sala de projeção após esse filme dizendo: Vou votar na Dilma. Não se faz essa ligação, essa ponte, que a oposição e muitos desse fórum acharam que aconteceria. Bando de inocentes. Pra ganhar uma eleição precisa-se muito mais que isso. O buraco é mais fundo... e mais sujo.
Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

O começo do filme, quando o Lula é criança, é bem ruinzinho.

 

 

 

Só melhora depois de mais de uma hora de filme, com o Lula já no sindicato.

 

 

 

Ainda assim, deixa muito a desejar.

 

 

 

Sim, Glória Pires está bem, como sempre.

 

 

 

O ator que faz o Lula adulto também trabalha bem.

 

 

 

Juliana Baroni tem atuação correta como Marisa, nas últimas cenas dela (sobretudo a cena na prisão) lembra mesmo a esposa do Lula.

 

 

 

Mas assim como nosso presidente vê filmes piratas, também vi esse filme através da internet, porque não quis gastar dinheiro com filme de cunho político.

Link to comment
Share on other sites


Mas assim como nosso presidente vê filmes piratas' date=' também vi esse filme através da internet, porque não quis gastar dinheiro com filme de cunho político.

[/quote']

06060606... afff!

 

Eu acho que esse filme foi feito em má hora.

Quem sabe se fosse feito depois da "aposentadoria" de Lula ele fosse menos mau recebido, menos boicotado.

Há muitos filmes ruins, mas se tu vai pré disposto a não gostar do filme, daí não tem boas atuações que salve.

 
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...