Jump to content
Forum Cinema em Cena

Garota Exemplar, Dir: David Fincher


CACO/CAMPOS
 Share

Recommended Posts

Rosamund Pike é confirmada como a protagonista de GONE GIRL
25/07 - 17h36.

 

img51f18ca90bc86.jpg

Considerada como favorita pelo diretor David Fincher (A Rede Social), Rosamund Pike (Orgulho e Preconceito) foi confirmada como Amy Dunne, a protagonista de Gone Girl. De acordo com o site The Hollywood Reporter, a inglesa saiu na frente de atrizes como Abbie Cornish (Sem Limites), Olivia Wilde (Tron: O Legado) e Julianne Hough (Burlesque).
Ainda segundo a publicação, Neil Patrick Harris (da série How I Met Your Mother) e Tyler Perry (A Sombra do Inimigo) estão em negociações para integrar o elenco, que tem ainda Ben Affleck (Argo).
Baseado no livro Garota Exemplar, o longa centra-se no desaparecimento de Amy em seu quinto aniversário de casamento. A partir de passagens de seu diário e do comportamento evasivo de Nick (Affleck), seu marido passa a ser considerado o principal suspeito de um possível assassinato.
A previsão é que as filmagens comecem já no outono norte-americano – entre os meses de setembro e dezembro.

 

Rosamund e tudo de bom e trabalhando num suspense do David Fincher oque mais eu posso querer.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

GONE GIRL, de David Fincher, ganha data de estreia
16/10/13 - 10h49.

 

Com a pré-produção já em andamento, Gone Girl, novo longa de David Fincher (Clube da Luta), já tem uma data de estreia definida pela Fox que coincide com a temporada de premiações do ano que vem.
Segundo o site Box Office Mojo, Gone Girl estreia no dia 3 de outubro de 2014. A estratégia por trás da data é assemelhar-se como A Rede Social, outro filme de Fincher, que estreou no dia 1º de outubro de 2010 e faturou três estatuetas do Oscar.
Com um elenco composto por Ben Affleck (Argo), Rosamund Pike (Orgulho e Preconceito) e Neil Patrick Harris (Os Smurfs), o drama inspirado no livro de Gillian Flynn conta a história de uma mulher que desaparece misteriosamente no dia do seu aniversário.
A data de estreia no Brasil ainda não foi definida.
 

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

Gone Girl | Veja Ben Affleck no novo de David Fincher
Ator vive principal suspeito de desaparecimento.


Gone Girl, a adaptação ao cinema de Garota Exemplar, que David Fincher dirige para a 20th Century Fox, acaba de ganhar sua primeira imagem. Veja abaixo Ben Affleck em busca de sua esposa (Rosamund Pike, na foto). Na trama, uma mulher (Pike) desaparece misteriosamente no dia do seu quinto aniversário de casamento, e o marido (Affleck) se torna o principal suspeito, enquanto investiga o sumiço da esposa.

Ben-Affleck-em-Gone-Girl.jpg

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 3 months later...
David Fincher desiste de cinebiografia de Steve Jobs
14/04 - 18h18
por Renato Silveira
 

davidfincher01.jpg

Apesar de ter declarado interesse em realizar a cinebiografia de Steve Jobs que a Sony Pictures planeja filmar, e até mesmo ter afirmado que queria Christian Bale como protagonista, David Fincher (Clube da Luta - foto) desistiu do projeto.

De acordo com o site The Hollywood Reporter, estúdio e cineasta ainda não se posicionaram oficialmente sobre o entrave, mas diversas fontes próximas a Sony afirmam que o motivo da saída de Fincher está relacionado às exigências que ele teria feito – incluindo um pagamento adiantado de 10 milhões de dólares – e que a Sony não acatou. O cineasta também queria controle total sobre o marketing do filme.

Executivos do estúdio teriam considerado as condições de Fincher “agressivas” e um novo diretor será procurado. Uma das razões é que Fincher teve controle sobre o marketing deMillennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres, também da Sony, e gastou mais do que o necessário, inclusive com displays gigantescos que não puderam ser expostos nos cinemas.

O longa será baseado na biografia Steve Jobs, escrita por Walter Isaacson. Fincher trabalharia novamente com o produtor Scott Ruddin e o roteirista Aaron Sorkin, ambos de A Rede Social, outro projeto da Sony.

Atualmente, Fincher está finalizando Gone Girlthriller estrelado por Ben Affleck que chegará aos cinemas ainda este ano.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...
  • 1 month later...
  • 1 month later...

Primeiras criticas estão sendo positivas.

 

"A sharply made, perfectly cast and unfailingly absorbing melodrama"

 

Todd McCarthy

Hollywood Reporter

 

"Doesn't have the heft of Zodiac or the verve of Se7en but Gone Girl is a masterful adaptation and a superior crime-thriller."

 

Jamie Graham

Total Film

 

"Gone Girl, finally, may be no more than a storm in a teacup. But what an elegant, bone-china teacup this is. And what a fearsome force-10 gale we have brewing inside."

 

Xan Brooks

Guardian

Link to comment
Share on other sites

 Tinha postado antes, mas com o bug do forum, se perdeu. 2º trailer de GONE GIRL que aqui no Brasil ganhou a tradução de GAROTA EXEMPLAR (Não entendi qual é a dessa tradução, mas ok).

 

 

 

 Tá bem a cara do Fincher mesmo.

 

Questão, não seja ingenuo, todos sabem que o Garota Exemplar é um Spoiler do FDP do responsável pela tradução dos títulos :D

Link to comment
Share on other sites

Garota Exemplar | Crítica
David Fincher faz de Rosamund Pike sua nova anti-heroína sem alma, em adaptação fiel do best-seller. Marcelo Hessel


A insistência do diretor David Fincher, junto à Fox, de ter Rosamund Pike como a protagonista de Garota Exemplar (Gone Girl, 2014) se justifica ao fim do filme. A atriz londrina dá vida, com sua beleza fria e sua figura fantasmagórica, a mais uma heroína trágica do cinema de Fincher, a exemplo de Ripley ou Lisbeth Salander, brutalizada e desumanizada para aprender a sobreviver no mundo dos homens.

É como uma anti-heroína eventualmente sociopática que Amy Dunne (Pike) se revela ao espectador no filme, que a roteirista Gillian Flynn adapta fielmente de seu próprio romance. Amy desaparece na manhã do seu quinto aniversário de casamento, na casa que divide com o marido Nick (Ben Affleck) na cidadezinha natal dele, no Missouri. À medida em que Nick vai se tornando, com os dias, o principal suspeito do sequestro (ou homicídio), ele percebe que talvez esteja sendo alvo de uma vingança conjugal.

O filme mantém tanto a estrutura quanto as viradas do livro, e embora tenha se falado muito, durante a produção do longa, que o final poderia ser alterado, o desfecho de Garota Exemplar só faz pequenos ajustes em relação ao material original. Notadamente, Fincher estende até o fim o circo midiático em torno de Amy e Nick, para dar um fecho mais apropriado ao teatro de aparências que está no centro da trama - tanto o teatro da investigação, com a manipulação da opinião pública, quanto o teatro do casamento, com suas projeções de expectativas.

O jogo de aparências perde um pouco o vigor se o espectador já souber da principal reviravolta do livro, mas isso não tira do filme a força do seu comentário sobre os relacionamentos. É o filme mais cínico de Fincher desde Clube da Luta e, assim como o longa de 1999, é do cinismo que vem o seu potencial cômico. Ben Affleck entende perfeitamente esse potencial e cria um Nick Dunne ridículo na medida, sem cair na caricatura.

Assim como a Amy de Rosamund Pike pode ser um símbolo, na mão de um Fincher sempre em flerte com a misoginia, da Mulher Pragmática dos dias de hoje, o Nick de Ben Affleck é a síntese do homem emasculado, numa América igualmente falida, enquadrada pela câmera de Fincher em ruas desertas, em letreiros de lojas fechadas. É curioso que o diretor, tão apegado a seus filtros esverdeados, não filme tanto as cenas de exterior diurnas com essa pegada estetizante. É como se Fincher não precisasse mexer muito no que vê para deixar os EUA ainda mais desesperançosos.

 

Bom saber que o filme e excelente

Link to comment
Share on other sites

Puta filmaço do Fincher. O melhor dele desde ZODIACO. Tudo funciona bem no filme, desde a dupla de protagonistas, com Ben Affleck no melhor papel de sua carreira até então, fazendo a representação perfeita do "Homem Comum", mas sem vestir esse rótulo de forma superficial, e a sexy Rosamund Pike que transita bem tanto entre as figura da "esposa dedicada e angelical" e de "Femme fatale fria e calculista", dependendo do ponto de vista em que a história é contada. Moralmente ambíguo, e fazendo uma crítica satírica e inteligente a instituição do casamento e especialmente a forma como a mídia trata certos eventos, GAROTA EXEMPLAR é uma verdadeira montanha russa narrativa, um duelo de intrigas psicológicas e midiáticas. Fincher me lembrou aqui por que o considero um dos grandes de sua geração.

Link to comment
Share on other sites

Mais uma obra notável do David Fincher que ate o presente momento não tem errado na direção, e este traz os detalhes peculiares que o diretor tanto adora suspense e investigação,personagens frios e amorais sob a ótica cruel do casamento de Nick e Amy(Ben Afleck e Rosemund Pike otimos) que tem sua vidas especuladas pela mídia após o sumiço de Amy a garota exemplar, rica,inteligente,popular e muita bonita a mulher que todos homens desejam. E somos surpreendidos com relatos diários da intimidade do casal nos momentos doces e encantadores e as desilusões reais que traz a tona a personalidades dos protagonistas em pauta as imperfeições de Nick como marido e chefe de família que se praticamente perdido e vira o principal suspeito e vilão da trama. mas como todo um bom suspense somos presenteados com a virada e uma performance magnética de Rosemund Pike que brilha em vários momentos com seu charme e inteligência e sua obsessão por Nick o marido mais coxinha de todos tempos, o filme prende mesmo com a elegância pulsante que o só Fincher sabe fazer tem tudo para se tornar a maior bilheteria do diretor nos E.U.A  e trazer finalmente o reconhecimento a bela inglesa Rosemund merece  com a critica e quem sabe uma justa indicação ao oscar a mulher ta demais.

 

Garota-Exemplar-22set2014-8.jpg

Link to comment
Share on other sites

Genial o filme, para mim um dos melhores do Fincher, quase tão bom quanto Clube da Luta, e melhor que o Seven.

E extremamente oportuno para o momento da cultura ocidental, com sua mídia fascista-factóide sensacionalista, uma sociedade fascista do espetáculo, e a reflexão sobre o casamento, na verdade a inversão dos postos. 

Normalmente quem chega a posição da irrefutabilidade de se aceitar o matrimônio como uma obrigação carnal na nossa sociedade é a mulher, mas nesse filme foi o homem, e de forma elegante, através de uma reflexão que de fato o casamento é uma dinâmica interferência de um no outro de modo a alterar cada um, mas que se mal considerado, pode ser uma luta para mudar o outro de cada parte do casal. Normalmente, na nossa cultura, quem se percebe estar em uma situação insustentável, intolerável, repugnante, é a mulher, enquanto o homem cabe a constatação crua de que o casamento é uma farda e tediosa "obrigação das circunstâncias", que foi a conclusão a que a personagem Amy chegou no final, cabendo ao Nick se obrigar a se sujeitar a uma situação insuportável.

amei o filme, amei.  

Link to comment
Share on other sites

 Concordo com tudo o que disse, ADLER. E digo mais, é interessante perceber como a mídia apesar de manipular os eventos para conseguir audiência, também é manipulável, se tornando ferramenta fundamental para que vários dos personagens do filme atinjam os seus objetivos. O próprio Nick consegue livrar o seu pescoço em certo momento do filme justamente por perceber como podia usar a mídia a seu favor, como um fator que ao invés de enfraquece-lo, lhe conceda poder.

 

 Aproveitando o ensejo ADLER, deixo aqui o link para o tópico do Fincher, pois ta ai um cara que merece ter toda a sua obra discutida e esmiuçada. Fica o convite para o ADLER e quem mais se interessar.

 

 http://forum.cinemaemcena.com.br/index.php?/topic/1201-david-fincher/page-13

Link to comment
Share on other sites

Pois é, bem lembrado.

Pelo fato da mídia ter essa natureza de criar e usar estigmas e personagens folclóricos e estórias histericamente borbulhantes para prender o espectador e condiciona-lo a ficar sentado na poltrona, o Nick usou isso perfeitamente, em uma atuação magistral.

Mas me esqueci de comentar das atuações, apesar de ter achado uma grande atuação do Affleck, ainda sim a cara dele de não expressar reais sentimentos, me parece que ele tá meio "se lixando" pra isso tudo. Mas isso até teve seu efeito positivo no filme.

E sobre o diretor, realmente, o único filme que é nhé que eu vi do Fincher foi o Misterioso caso de Benjamin Button. 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Adler, você conseguiu compor uma análise muito superior ao filme, parabéns, hahaha. Enfim, para efeitos de uma opinião diferente, acho longe de ser isso tudo, para mim um filme mediano. Considero a existência de duas opções de Fincher que prejudicaram enormemente a minha interação com a trama. O primeiro é um prejuízo na percepção de fluidez  porque considero existir um descompasso entre as partes em que predominam o humor, o drama, o suspense e violência. Não os acho bem dosados e acabam gerando momentos que detesto no filme, que parecem desproporcionais ou "um pulo na história" onde os personagens parecem agir de forma...exagerada, mesmo que se encaminhassem para aquele comportamento, afora situações em que soam estranhas.

 

Além disso, ocorre aqui o mesmo que me incomoda no asíatico Kokuhaku (que muita gente gosta): depois da resolução do foco inicial o filme se estende demais. Pessoalmente não gosto desse tipo de proposta, embora a compreenda. Eu não me importo que haja mudanças, mas existe algo aqui e no filme de Nakashima que também soa...excessivo, provavelmente percepção agravada pelo que falei acima.

 

Daí também não ajuda muito não gostar lá demais de Ben Affleck, que sempre achei fraco e aqui não é diferente. Até acho Pike boa, mas nada de tão notável assim para esse desespero de Oscar. Na verdade, nada me impressiona muito nesse filme, hahaha. Não é ruim, mas é o que menos gostei do Fincher.

Entretanto, fiquei curioso para ler o livro. Estou na página 125/426 e gostando.

Link to comment
Share on other sites

E o que vocês acharam da qualidade visual do filme?

Não entendo absolutamente nada da parte técnica, mas vi em uma sessão de cinemark normal e achei a imagem muito impressionante. Brilhante, com um HD fascinante, quase um 3d, tamanha a definição. Nenhum ruído característico de cinema na imagem.

Parecia que eu estava vendo um blue ray em casa numa tela gigante, tamanhã a qualidade da imagem.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...