Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 08/12/19 in Posts

  1. 5 points
    Jorge Soto

    19 Dias de Horror

    @Questão @Jailcante @Gust84 @Big One @SergioB. Bora achar quantos e quais filmes de terror tem aqui...😁 tem mais de 40..
  2. 5 points
    Jorge Soto

    Quarentena do Coronavirus

    Em tempos de isolamento social eis um joguinho ideal pra passar o tempo... @Jailcante @Questão @SergioB. @Tensor @Big One @Gust84 @primo @Senhor Incrivel @Star Lord @[email protected] Stark a imagem abaixo tem 66 filmes referenciados e basta encontrá-los. Pra jogar interativamente basta acessar o link abaixo, ler as regras e ver quantos pontos foram marcados. https://www.popcorngarage.com/
  3. 4 points
    Tensor

    Ninguém por Perto (Tensor, 2021)

    Sim, dirigirei um longa =P Esse fórum já ocupou um lugar bastante especial na minha vida, então é um prazer poder compartilhar essa notícia aqui com vocês. Não estamos usando verba do governo, é um investimento pessoal da produtora que possuo com outros dois sócios, a Lore Studio, com a parceria da Machina Filmes, ambas de Porto Alegre. Então vai ser um trampo bem exaustivo, mas que todos estão indo com muito amor. A intenção é rodar ele em Agosto (pode mudar um pouco pra antes ou depois) e pegar o circuito de festival de 2021, se tudo der certo. Ontem criamos a página do filme, não tem muita coisa, só uma breve sinopse. Mas se tiverem interesse acompanhem que eu vou atualizando o projeto. É possível que fim de semana que vem a gente tire algumas fotos pra testar maquiagem e coisas do tipo. Em algum momento vamos abrir um financiamento coletivo, provavelmente o catarse, pra ver se juntamos uma grana a mais pra ajudar nos custos de produção. Ainda estamos elaborando a melhor data pra isso. Enfim, feliz de compartilhar isso aqui :} Eis a página: https://www.facebook.com/ninguemporperto/ Vou colocar aqui a sinopse resumida da página. Sinopse Ninguém por Perto é um thriller pós apocalíptico que conta a história de Sara e Ana, duas mulheres que precisam sobreviver em um mundo onde não há mais nada e, juntas, tentar entender como se pode extrair uma vida disso. Até um misterioso homem surgir, atribuindo propósito ao que aconteceu e acreditando que os três estão conectados em uma missão para repovoar o planeta. Sem ninguém por perto para ajudar, Sara e Ana precisam encontrar forças para sobreviver nesse mundo e do viajante sinistro que surgiu em suas vidas.
  4. 4 points
    Tensor

    Os Vingadores 4: End Game

    Na real esse papo do Moore surpreende pouco e o motivo é claro: ele não assiste. Se assistisse não falaria tanta bobagem. O Questão já apontou o discurso de alguns filmes mas nem precisava ir tão longe. Vai em Iron Man, primeiro filme desse universo, e já estamos vendo o drama de alguém diante do legado bélico que ajudou a produzir. Um discurso que não poderia fugir mais do que é a base do governo americano hoje (e infelizmente o nosso). Antes tentaram atacar o monopólio da Disney e o que isso representa, e honestamente acho um ataque super importante. Agora estão direcionando ao conteúdo que representa o sucesso máximo desse monopólio. Só que tem esse problema, o tipo de crítica do Moore não se relaciona com o tipo de arte criada na Marvel Studios. Não estou comparando a complexidade, mas a visão ideológica de Moore e o que costumamos ver nos filmes da Marvel são muito semelhantes. E o motivo do MCU fazer tanto sucesso não é por uma alienação do público (ou sim, mas aí saímos do assunto MCU e vamos discutir porque o público prefere filmes populares à cinema experimental) mas sim por ser o melhor tipo de blockbuster produzido hoje. Ready Player One, Alita ou o novo Exterminador do Futuro não vão fazer menos dinheiro porque a Disney está hipnotizando o seu público, mas sim porque eles são inferiores ao que a Marvel costuma fazer. E fora o fator universo compartilhado que nunca vai afetar quem nunca se permitiu dar uma chance a experiência. E com certeza é o caso dele, Scorsese e outros aí. O grande problema é que eles resolveram atacar a qualidade dos filmes, no caso do Moore foi pior, associar a alta desses filmes à crescente dos governos fascistas pelo mundo em um dos comentários mais esquizofrenicos que já vi. Seria bem mais interessante se elaborassem um comentário mais profundo sobre a indústria de cinema americana. Qual o máximo alcance que um filme pode ter sem ser tóxico com os que estão ao seu lado? Mas isso aí poderiam ter feito desde o final dos anos 70 quando Tubarão saiu. Legal discutir agora, só que centralizar na marvel studios é desonesto.
  5. 3 points
    Jorge Soto

    Filmes Sessão da Tarde

    nestes tempos covidianos de quarentena e eventualmente sem o que fazer, ando fuxicando novos softwares de edicão pras minha atividades e me deu na louca de fazer uma paródia de 1 min de um crássico de sessão da tarde.... a ver se adivinham, enjoy...🤣 testefim.mp4
  6. 3 points
  7. 3 points
    conan

    Star Wars Ep. IX - A Ascensão Skywalker

    O pior é que este filme, sim, detonou a família Skywalker, e não o ep VIII. Fuderam com o arco do Anakin. O sacrifício final serviu para nada. A profecia de que ele seria o escolhido para trazer o equilíbrio na força era mentira. A busca do dom de salvar a vida, que acabou levando Anakin para o lado negro da força, é totalmente dominado pela Rey sem mais nem menos. Se Anakin tivesse o conhecimento que a Rey passou a ter do nada (e depois o Ben Solo aprende do nada também), ele não teria sido seduzido pelo lado negro. É um amontoado de conveniências e coicindencias que jogam o legado da série no lixo. E a galera chorando porque o Luke morreu numa das cenas mais fodas de toda a saga... É dureza!
  8. 3 points
    Liv A.

    Mulher Maravilha 1984

    Estive na CCXP19 só pela Gal, e não me arrependi! Ela é linda num nível de outro mundo, super simpática e carismática (como já imaginava). Não entrei no painel mas fiquei a dois metros de distância dela no aquário do omelete. Patty Jenkins tb é ótima, disse que o filme não é para ficar apenas lembrando de coisas legais dos anos 80, mas que foi feito como um filme dos anos 80, na fotografia, trilha sonora...e Kristen Wiig sempre foi a primeira opção para viver a Mulher-Leopardo. Bom, isso tudo vocês podem ver pelo Youtube. Só deixo minhas impressões de que a Warner está caprichando, tinha o maior e melhor stand da CCXP e tudo em torno de MM84 está in-crí-vel. Alguém se lembra da Kah, daqui do fórum? Ela estava lá tb e entrou no painel, disse que foi o maior, melhor e mais barulhento e emocionante, mais até do que o de Star Wars. Realmente, eu estava de fora e ouvia o barulho, quando a Gal entrou no palco parecia que tudo ia desmoronar! Filme mais aguardado de 2020, meus caros. O hype está na estratosfera. Sem mais. 😘
  9. 3 points
    Gust84

    Os Vingadores 4: End Game

    Eu entendo o posicionamento tanto do Moore, quanto do Scorcese, em que pese eu não concorde 100% com eles, por que ambos os comentários, são válidos, mas carecem de uma avaliação um pouco mais abrangente do cenário/contexto em que estão colocando suas posições. Em resumo, concordo que está havendo um banalização da cultura, uma facilitação, seja narrativa ou de linguagem, que trouxe inúmeros consumidores pra esse nicho, que hoje se tornam uma parcela "exigente" do mercado, ainda que sequer tenham de fato conhecimento ou bagagem pra cobrar algo. Essa inversão de valores, em que a arte está sendo feita sob encomenda, e não, sendo realizada e impactando ou gerando o debate após sua apreciação é o cerne de toda essa questão. Ocorre é que na hora de expor isso, fica muito no papo de "na minha época era melhor que isso", o que, na minha opinião faz perder muito o peso desses argumentos. Num exemplo concreto, como consumidor de quadrinhos desde a minha infância, hoje pra mim é muito difícil conversar com alguém que quer falar comigo sobre isso, que eu não veja que tenha esse "backround" comigo, me sinto exposto, não sei se posso evar a sério, ou se posso de fato argumentar como eu penso, já que nossa cultura fora colocada na vitrine, hoje todo mundo conhece, consome, ou gosta de alguma maneira desses personagens. Não sei se vocês passam por isso, mas nossa "tribo" sempre foi fechada, foi nossa. Ver o uso assim, e o pessoal de fora ditando as regras é bizarro. E hoje isso está desenrolando até um efeito contrário, porque também está afetando o cinema. MILHÕES de pessoas foram levadas a consumir o cinema agora por causa desses filmes, e o impacto que isso gera transforma até a avaliação disso. Minha relação com o cinema não é a mesma de quadrinhos, não gosto de um por causa do outro e vice versa, então vejo como possível enxergar que alguém que só consome filmes de hqs, vê um coringa e EXIGE que o filme seja ARTE, SEJA RECONHECIDO, "OLHA SÓ COMO EU CONSUMO COISA SÉRIA, MIMIMI", quando na realidade, é um filme comum. Um drama e um estudo de personagem, que pra não ir longe ou ser muito cult, Scorcese abordou em taxi driver de forma muito melhor. Concluindo, os dois estão certos, mas estão se sentindo "lesados" ou com gente infiltrada que não deveria estar ali de fato. Orgulho ferido. Scorcese está puto porque o cinema era dele e ele sabia o que fazer com seu público, e conversar com eles através de sua arte, e hoje ele não entende metade de quem está na sala de cinema, e que hoje realizadores dão importância a esses intrusos, e Moore por sua vez está exatamente assim, sobre os quadrinhos, dos quais ele culpa o cinema que expôs e transformou muito do pessoal que gosta de hq, trazendo gente não "preparada", ou algo do gênero. Enfim, me alonguei e não sei se me fiz claro.
  10. 3 points
    primo

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    tem spoiler Fui assistir ao filme na última sexta e fiquei muito satisfeito, apesar das ressalvas! Como boa parte de tudo já foi dita aqui, vou citar aspectos mais particulares da experiência. Por isso, pode soar estranho. Nova York é paixão antiga, e a atmosfera vendida em “Taxi driver” povoa minhas principais referências. Gosto muito mesmo. Mas tenho junto o desejo pela manutenção daquela originalidade que Gotham e Metropolis alcançaram nessas tantas décadas de suor dos artistas. Ver as torres gêmeas no cartaz do Reeve é quase uma dor. Por isso, foi infeliz nostalgia ver o trio de funcionários receber o carimbo “Wall Street” no texto. Porém, relembro: isso é coisa minha. O filme é muito bom. A patroa teve que escutar de mim um sussurrante “a vizinha e ele nunca estiveram juntos, então...” interrompido pela frustração de ver o diretor desenhar isso depois. Esse é um exemplo das ressalvas. Há momentos em que o Todd Philips escorrega na casca pisada pelo Nolan, mas o visual e o clima cinemão podem maquiar o tombo. É aquela banana da confusão entre a boa didática e o didatismo. Quando isso veio na primeira sequência, bateu a má vontade, mas, passou. Refiro-me ao líder dos garotos dizendo “Ele é fraco” enquanto chuta o protagonista e a outros momentos da primeira metade. Talvez eu estivesse cobrando demais? Não sei. Em outro ponto, um mascarado na TV vem me dizer que o alvo da revolta é o sistema. Sério? O problema do didatismo é que tira o foco da construção real de uma “explicação”. Sim, é preciso contextualizar em um filme assim. Na minha opinião, mesmo que o foco seja o Fleck, faltou mais cuidado (um pouco) nos fatos que geraram a revolta popular. Um exemplo bom seria a mídia citar a autodefesa no trem. O espectador sabia, mas achei que faltou vender para o cidadão (e a gente assistir vender) a postura escrota de três caras ricos. Na falta disso, essa escalada teve pitadas leves de roteirismo facilmente evitáveis. Coringa é um filme que me conduziu. Foi forte pra mim. Fleck entrou ao vivo na TV, e meu coração disparou lembrando "Tróia" e o temor pelo inevitável destino de Hulk Bana contra o Brad Pitt. A comédia é muito bem executada. Destaque para o beijo na convidada e o anão tentando abrir a porta. Alguém citou que o anão está nos quadrinhos, inclusive. O que não vi citarem foi a relação entre a escada e o Ledger. A cena mais emblemática do ator antes do Coringa é descendo os degraus da arquibancada enquanto canta e dança “Can't take my eyes off you” após deslizar pelo poste (o pequeno Bruce é quem desliza agora, bela homenagem ao antigo Batman). Durante o trailer, pensei: imagina se o diretor coloca o Coringa para ser perseguido por policiais exatamente ao descer as escadas, a exemplo do que ocorre no estádio em “Dez coisas que eu odeio em você”... E ele fez! Coincidência? Talvez. Outros dois paralelos: ele consegue escapar malandramente escorregadio, e temos exatamente dois policiais o perseguindo, um gordo e um magro. Por falar em “não conseguir tirar os olhos de você”, Ledger e Phoenix conseguem tirar um dos olhos de seu desafeto com itens de escritório (um lápis lá, e uma tesoura aqui). A primeira bala no De Niro gera também um reflexo interessante com o atirador. Enquanto vemos de longe a mancha vermelha no olho atingido, um losango, a câmera mostra na exata sequência apenas um dos olhos do Coringa, manchado em mesmo formato pela maquiagem azul. Afinal, temos no Phoenix o espelho do que De Niro foi em “O rei da comédia”. Também não vi citarem que os seguidores do Coringa o retiram desacordado da viatura com trejeitos de médicos em um parto. Essa foi mais óbvia, mas achei bem legal.
  11. 3 points
    Gust84

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    Pra muitos a polarização bizarra do Brasil que estamos vivendo hoje que se torna impossível debater de forma relevante, se deu início nas passeatas pela tarifa de ônibus de 2013. Pra mim foi com o tropa de elite 1. A mensagem do Padilha de mostrar que o mundo era uma merda e achou que ia chocar o Brasil com aquela realidade, só fez o pessoal passar pano pra tortura de policial, e não enxergar o tamanho dessa cagada, o obrigando a desenhar na sua sequência e mesmo assim grande parte da sociedade não entendeu. Se existe de fato um paralelo entre coringa é tropa de elite, esse paralelo é perigoso se colocarmos no senso geral. Tipo a galera se cagando de rir na cena pós assassinato, do anão na porta.
  12. 3 points
    Questão

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    Acho que o que chamou tanta atenção primeiro foi pelo fato da própria força do Coringa como ícone cultural. Segundo, que de acordo com o que andam dizendo, o Coringa surge como uma espécie de anti herói social, e não como um vilão de fato, com suas ações violentas sendo quase justificadas pela obra. No caso do massacre em TDKR, é bom lembrar que o vilão até era o Bane, mas o assassino se apresentou como "O Coringa", inclusive pintando o cabelo antes do massacre. Em tempo, não acho que os filmes são culpados por esse tipo de ação violenta. Mas acho válido o debate no que diz respeito sobre as formas que a mensagem do filme pode ser interpretada, da mesma forma, pegando um exemplo citado pelo PRIMO, que se discutiu no passado as diferentes interpretações que poderiam ser dadas a um filme como TROPA DE ELITE.
  13. 3 points
    Questão

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Não sei se é por ai. Como você disse, o Flash e o Arqueiro, que são os principais heróis do Arrowverse estão no mesmo universo. Eles colocaram a Supergirl em outro universo por que ela nem sempre foi da CW (a primeira temporada passou na CBS, que cancelou a série, e dai a CW pegou pra ela). Tanto que eu me pergunto se vai acontecer nessa adaptação de CRISE NAS INFINITAS TERRAS a mesma coisa que aconteceu no material original, onde ao fim da história, todas as diferentes realidades acabam virando uma só (o objetivo da história original era esse, já que a DC achou que ter trocentos universos havia se tornado confuso demais). No mais, acho que funciona o esquema de manterem alguns heróis em realidades diferentes, mas não acho que foi por isso que o universo compartilhado da DC/CW funcionou. Acho que funcionou pelo mesmo motivo que o MCU funcionou no cinema, existe um planejamento e preocupação com coesão desse universo de modo a fazer com que essas séries funcionem juntas. Ter alguns heróis em realidades diferentes é o de menos. Já o universo compartilhado do Snyder deu errado não por que seguiu o modelo da Marvel de botar todos no mesmo universo, mas sim por uma falta de coesão. Basta perceber o quanto as visões do Snyder e da Patty Jenkins para Mulher Maravilha eram muito diferentes. Não tinha uma coesão para se criar um universo compartilhado. Fora que a progressão dramática de filme pra filme não funcionava, coisa que o MCU deu aula, e mesmo a CW (apesar de todos os meus problemas com as formas como eles contam as suas histórias) também soube fazer melhor.
  14. 3 points
    Gust84

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    PUTAQUEOPARIO Só entra no fórum pra escrever essas merdas.
  15. 3 points
    Tensor

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    Só lembrando: vencer um Leão de Ouro não significa uma disputa direta com qualquer filme do MCU (ou até mesmo do DCU), o cinema que o festival costuma valorizar é radicalmente diferente desses, e dá até pra dizer que despreza, de modo geral. Não importa o quão bom blockbuster tu seja, nunca, na história do festival, um filme assim foi premiado com o Leão de Ouro. E arrisco a dizer que nunca será. Joker não me parece ter sido concebido pensando nos valores de um blockbuster (falo dos realizadores, o estúdio sei que está ansiosissímo pelo lucro comercial). Joker parece querer falar sobre algum desconforto social, emular uma linguagem de cinema semelhante aos filmes do Scorsese, isso sim características recorrentes em festivais como os de Veneza e outros por aí. E nesse sentido parece que se deu muito bem. Mas não vamos muito além disso. Senão vamos diminuir a importância de certos filmes meramente por não terem as características que esses festivais exigem. Se alguém me falar que E.T. é menos marcante que "O Estado das Coisas" (vencedor do ano) ou, Mad Max: Fury Road está abaixo do saudoso venezuelano "Desde Allá", ou até falar que o queridissímo "The Dark Knight" significa menos pro cinema do que "The Wrestler", do Aronofsky... Joker teve uma conquista importante, sem dúvidas. Mas talvez tenha sido o único filme de herói a ambicionar esse tipo de prêmio. Eu acho que ele pode abrir uma porta legal, talvez Marvel e DC tentem a partir de agora mais filmes experimentais e desconectados pra almejar esse tipo de coisa. Mas esse tipo de coisa não é necessariamente melhor ao que ta sendo feito hoje. E POR FAVOR, não me venham dizer que por ter ganho essa estatueta é o filme de herói mais importante da história.
  16. 3 points
    DIRETOR AFIRMA QUE VIOLÊNCIA DO FILME SERÁ “UM SOCO NO ESTÔMAGO”! Coringa fez uma belíssima estreia no Festival de Veneza neste fim de semana, e durante o evento, o diretor Todd Phillips e o astro Joaquin Phoenix concederam entrevistas falando sobre o processo criativo para trazer o longa da DC à vida. Alguns dos comentários que mais se destacaram entre a reação do público foram relacionados com a violência perturbadora do filme. E para o cineasta, a violência buscada por Coringa não era parecida com o que se esperaria de um filme violento. “É tudo tom. Acho que um dos maiores trabalhos de um diretor é você ser o fornecedor do tom, e esse filme sempre foi escrito para ter um tom de raiva controlada, e acho que a violência faz parte dessa raiva controlada. Acho que tivemos muito cuidado com isso”, compartilhou Phillips em uma coletiva no festival. “Muitas pessoas assumem ou acham que vai ser um filme muito violento… mas isso aqui vai afetar você de maneira diferente – quero dizer, você pode assistir a um filme como John Wick 3, lá há uma quantidade muito maior de violência, mas acho que esse filme pode afetá-lo de maneira diferente, e tentamos pintá-lo com o pincel mais realista possível. Então, quando ela acontece, parece um soco no estômago. Mas, novamente, tudo foi apenas um ato de equilibrar o tom.” Coringa gira em torno do icônico vilão da DC Comics, que está sendo representado nas telas grandes pela quarta vez, e dessa vez numa abordagem totalmente diferente. E isso foi o que levou o ator Joaquin Phoenix a aceitar o papel para o personagem. “Acho que estava interessado, na verdade, na luz de Arthur, por falta de uma palavra melhor”, Phoenix revelou. “Não era apenas o tormento, era também a alegria, era a luta dele para encontrar a felicidade e se sentir conectado e sentir calor e amor. Essa é a parte do personagem em que eu estava interessado e acho que valeu muito a pena explorar. Eu não penso em personagem como atormentados. Eu nunca meio que defino personagens dessa maneira. É somente quando eu faço entrevistas é que eu recebo essas perguntas, mas nunca penso neles dessa maneira.” Phoenix ressalta que acha bem difícil definir a experiência do filme em algumas palavras, e explica que houveram várias maneira diferentes de olhar para o personagem durante a filmagem. “Para mim, para nós, são quase oito meses, para explorar essa pessoa”, Phoenix continuou. “É muito difícil destilar essa experiência em uma frase sonora ou apenas em uma definição de quem é a pessoa. Ele era muitas coisas para mim em momentos diferentes. Quem ele foi nas primeiras semanas de filmagem, completamente diferente do que ele era no final. Era algo que estava em constante evolução. Acho que nunca tive uma experiência como essa. Gosto de estar aberto a diferentes possibilidades enquanto trabalho. Tento não tomar decisões concretas sobre o assunto quando estou trabalhando. Mas com esse, era impossível, e também, meio que chato, se você fizesse isso [risos]. Toda vez que fazíamos isso, nós nos olhávamos, como se houvesse algo errado. E quanto mais imprevisível, mais emocionante era para nós e também mais inspirador. E continuamos tentando encontrar algo novo a cada momento.” Em entrevista ao Associated Press, Phillips discutiu este aspecto da origem do vilão: “Ele não cai num tonel de ácido e sai rindo nesse filme. Isso é coisa de quadrinhos.” “Ele não cai num tonel de ácido e sai rindo nesse filme. Isso é coisa de quadrinhos.” Gotham é o tonel de acido😎 Eu sei que o objetivo do filme é contar uma história "original" sobre como uma pessoa mentalmente perturbada pode se tornar ainda mais perigosa quando entra em contato com situações e comportamentos terríveis como a insensibilidade e violência da sociedade, e escolheram um personagem rico e complexo como o Coringa para ser o protagonista dessa história. O filme é mais uma versão da origem do Coringa como a Piada Mortal e muitas outras que já existem. Essa nova origem contada no filme parece ser uma das mais fortes, impactantes e emocionantes, conforme a crítica! Meu receio é justamente esse. Tão alçando o filme a um patamar estratosférico que eu não vou esperar algo inferior ao que o Nolan já fez, ou até Scorcesse em Taxi Driver, que resumidamente trata do mesmo.. Isso que é relativo de pessoa pra pessoa. Aí que reside o contraponto a qualquer excesso de expectativa, pelo menos com a minha. Até porque pra mim nem Logan ou Ultimato foram tudo aquilo.. 🙄
  17. 2 points
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    "Cidade Pássaro", com título internacional, "Shine Your Eyes", é um filme brasileiro que competiu em Berlim 2020, na Mostra Panorama, e foi bem recebido por lá. Pudera, é um ótimo filme, muito melhor do que eu pensava. O diretor Matias Mariani, e um time de muitos roteiristas que incluem sua esposa Júlia Murat, fizeram uma história muito inteligente, e muito original, filmado sem o miserabilismo tradicional do nosso cinema, mesmo se passando no castigado centro velho da capital paulista ( Há até uma cena na belíssima Sala São Paulo). Conseguiu também tocar em pontos colaterais, como a ocupação de imóveis abandonados, a pouca mas importante assistência ao imigrante, bem como na falta de cultura linguística do brasileiro. A história: Um nigeriano vem ao Brasil procurar o irmão mais velho que desapareceu, logo descobre que ele contava mentiras, alardeando sucesso, para a família se tranquilizar por lá. Na busca pelos passos do irmão, descobre outras pessoas que se relacionaram com ele, e também descobre o lado mais duro da cosmopolita São Paulo, bem como seu histórico de receber imigrantes do mundo todo. O filme é falado mais em Igbo (uma das línguas da Nigéria) do que em português, mas há muito espaço para o inglês, chinês, e também até húngaro. Tudo para mostrar essa faceta multicultural da cidade. Ademais, o roteiro consegue, às vezes de forma bem sucedida, às vezes não, aliar a ancestralidade africana com a matemática e a tecnologia - áreas de interesse do irmão desaparecido. Mas o melhor lado da história pra mim é o relacionamento amoroso formado por tabela, entre o protagonista vivido de forma excelente pelo nigeriano O.C. Ukeje e a atriz brasileira Indira Nascimento. Gostei muito. É uma pena que o filme, acredito, não tenha 50% de português para se qualificar na disputa para ser o candidato a Melhor Filme Internacional.
  18. 2 points
    Jorge Soto

    Trilogia De Volta Para o Futuro

    🤣
  19. 2 points
    Jorge Soto

    Quarentena do Coronavirus

    @Gust84 @SergioB. filmes nacionais...tem mais de 30
  20. 2 points
    Raimi praticamente confirma a contratação Sam Raimi confirma envolvimento em Doutor Estranho 2 Diretor falou sobre o projeto relembrando referência ao herói em Homem-Aranha 2 JULIA SABBAGA 14.04.2020 17h05 Sam Raimi confirmou o seu envolvimento na sequência de Doutor Estranho ao relembrar uma referência ao herói feita em seu filme Homem-Aranha 2. O comentário ocorreu em entrevista ao CS, quando foi questionado sobre uma cena específica do filme de 2004. Na sequência, que pode ser conferida acima, o personagem J. Jonah Jameson procura um nome para o vilão Otto Octavius, e seu assistente sugere "Doutor Estranho". "Esse é bom. Mas já tem dono", responde o dono do jornal. Na nova entrevista, Raimi diz ter achado curioso acabar se envolvendo com o herói muitos anos depois: "Eu amava o Doutor Estranho quando era criança, mas ele sempre vinha depois de Homem-Aranha e Batman, ele era provavelmente o número 5. Ele era tão original, mas quando fizemos este momento em Homem-Aranha 2 eu não fazia ideia de que eu acabaria fazendo um filme do Doutor Estranho, então foi engraçado para mim que a fala estava no filme. Devo dizer que eu gostaria de ter tido a visão do futuro para saber que eu seria envolvido no projeto". Sam Raimi entrou nas discussões de direção de Doutor Estranho 2 após o diretor do primeiro filme, Scott Derrickson ter deixado a direção do longa em janeiro por diferenças criativas. Atualmente, a Marvel negocia com Raimi, diretor da primeira trilogia do Homem-Aranha, para substituí-lo. Ainda não houve um anúncio oficial do estúdio ou do diretor, mas a nova declaração de Raimi parece confirmar a escalação. FONTE: OMELETE
  21. 2 points
    Ze Cuecão no Superverso..😁 Martha?😂
  22. 2 points
    Quem me conhece sabe, eu amo a noite. Além de notívago desde a adolescência, eu sou bem baladeiro, adoro sair de bar em bar, de festa em festa, sou muito parceiro da noite (Então vocês podem imaginar meu sofrimento nesses tempos...). Penso que o dia é muito regrado, muito disciplinado; enquanto a noite é um fio desencapado, tudo pode acontecer. Que filme poderia traduzir melhor essa minha saudade do que "Depois de Horas"? Esse filme esquecido de Martin Scorsese, embora cultuado pelos cinéfilos, vai na mesma linha do que eu falei. Acompanha um personagem sufocado pela rotina que cai em uma madrugada cheia de eventos inacreditáveis. O engraçado é que o personagem se vê em uma sucessão de frustrações econômicas, como a perda do dinheiro; e sexuais, pois as mulheres o "castram" em sua vontade, de nada adiantando aparecer no começo do filme lendo "Trópico de Câncer" de Henry Miller, um livro de aventuras sexuais. A ficção é diferente da realidade. Notem que, no meio de tanta confusão, as pessoas ao redor dele, sim, se divertem (como na boite de Punks, com um Martin Scorsese em pessoa fazendo a iluminação do lugar! Pagava para estar nesse rolê!), sim namoram; sendo o caso mais emblemático o longo beijo gay entre dois caras no balcão do bar - talvez seja o único caso de homossexualidade no cinema de Martin? O que quero dizer: a mente neurótica, da pessoa normal, como a do protagonista, não goza! Sofre! Só os loucos se divertem. Um filme que sobe a cada dia mais no meu conceito. É divertido, original, além de apresentar Nova York de um jeito bastante diferente. Boa noite!
  23. 2 points
    Cir-El

    Mulher Maravilha 1984

    E aí galeraaa!! Cir-El na área!!!! Estou de volta! Saudades deste fórum
  24. 2 points
    Big One

    Quarentena do Coronavirus

    Bom papo @SergioB. quem sabe o @Jorge Soto não se junta numa próxima ..foi esse canal que eu comentei ontem..o que analisa os roteiros Lessons from the Screenplay ...
  25. 2 points
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Estava eu ontem lendo as primeiras páginas desta seção do Fórum, lembrando de vários colegas que não estão mais aqui, rindo das discussões seríssimas que se faziam aqui, veneno contra veneno, testemunhando como o @Jorge Soto vê essa quantidade colossal de filmes desde aquela época, e então esse filme surgiu como unanimidade entre os usuários. Eu o perdi na época, embora tenha sido premiado em Cannes 2011, e feito uma bela carreira internacional. "Des Hommes et des Dieux"/ "Of Gods and Men"/ Homens e Deuses é realmente esplêndido! Filme de adulto é outra coisa, heim? Xavier Beauvois conta com muita contemplação e delicadeza a história verídica de 8 monges instalados nas montanhas da Argélia nos anos 1990, que ficam entre a crueldade de um grupo extremista islâmico e o exército do país, ainda confessamente magoado pelo colonialismo francês. Acompanha-se a rotina dos monges, seus atos de fé, sua amizade, seus medos, seus estudos do Corão para entenderem-se melhor com a comunidade local, suas angústias pessoais, tudo de uma maneira muito lenta, mas é essa lentidão que transmite justamente a paz, a seridade do trabalho, a fortaleza da fé. Ao final, o espectador paciente será presenteado com uma cena inesquecível, uma "última ceia" ao som de O Lago dos Cisnes de Tchaikovsky, quando os monges não precisarão falar nada, só aceitarem seus destinos. Os colegas de 2011, fundadores do Fórum Cinema em Cena, que tanto me ajudaram a refinar meu gosto cinematográfico, estavam certos: Maravilhoso!
  26. 2 points
    Pô. Pesado. Se é pior que Esquadrão o negócio complica.
  27. 2 points
  28. 2 points
    filminho paia viu. Toda a primeira parte foi um tédio forçado e sem propósito, Na verdade, o filme todo foi sme qualquer conexão com os anteriores, o palpatine aparece como o inimigo maior do nada, já no começo do filme, todo mundo indo em busca dos amuletos que indicarão onde está o palpatine (o mesmo enredo do sétimo, onde encontrar luke, que só foi resolvido no final, que era o oitavo). Não sei se a ideia já era ser o palpatine por trás disso tudo, desde o sétiimo, mas coloca-lo lá, de forma imediata, com todo mundo correndo pra encontra-lo sem ter aquele tempo de choque onde as pessoas se questionam e procuram mais informações para saber a veracidade e tal. Muito mas muito mal feito. SIm, já de antemão, detestei a ideia do retorno do palpatine, porque reduz o problema de um sistema autoritário a ambição de uma pessoa, todo o problema que envolve a saga é por conta do palpatine. O fantastico trabalho de mostrar como um personagem e o que ele representa pode se perpetuar por futuras gerações com o Ben Solo admirando e se inspirando no Vader (que o fato de ter sido pai dele foi segundo plano,ao meu ver), aqui a mensagem é o inverso, mostra que o que representa um personagem só pode perpetuar por conta do próprio personagem. Personaliza toda uma estrutura que forma o império e a galáxia do SW em uma só figura. É uma simplificação e redução mongolóida que já devia ser superado a muito tempo nos cinemas. A redenção do Kylo foi patética. Agora pronto, basta alguém ganhar poder Neo e salvar você da morte que pronto, você se redimirá de uma hora pra outra, largará seu sonho de concluir o que seu ídolo começou para lutar contra. E de repente, Kylo e Rey começam a salvar vidas, a se teleportar, teve uma hora que eu pensei que os dois iam ver o mundo através de códigos de computador. Mais uma vez reduzindo toda a filosofia da saga a respeito do que é o conhecimento da força, em que para conseguir desenvolver uma nova técnica ou habilidade é preciso um profundo conhecimento e relação com essa coisa que ninguém sabe exatamente o que é mas que está em tudo e é o mistério de tudo. A batalha final contra o Palpatine foi outra coisa muito ruim. O palpatine com um raio poderia derrubar uma frota quase toda, então rpa que um exército todo? A única coisa que restou foi a ideia de díade da força apresentada (só apresentada) no filme. Aaah, e as atuações, principalmente do ator que fez o Kylo e da atriz que fez a Rey, que foram muito bons.
  29. 2 points
    Tensor

    Oscar 2020: Previsões

    Sem A Vida Invisível =/
  30. 2 points
    The Batman no Brasil em 2020! Como um bônus, os fãs já têm motivos para ficarem animados com a CCXP do ano que vem. Após o painel de Mulher-Maravilha 1984, o diretor Matt Reeves mandou uma mensagem para os fãs, dizendo que vai vir ao Brasil no ano que vem para divulgar The Batman.Ainda não sabemos se alguém do elenco vai vir, mas é uma ótima notícia para os fãs - e com o lançamento programado para junho de 2021, é bem possível que tenhamos o primeiro trailer do longa lançado com exclusividade durante o evento.Todos os filmes que você procura podem ser encontrados na Ingresso.com , a maneira mais fácil de garantir seu lugar em todas as estreias nos cinemas.
  31. 2 points
    O trailer teve algumas sinalizações para os fãs mais observadores, e não fez homenagens escancaradas, o que pode ter deixado alguns desapontados. As mais interessantes são estas: - No momento em que nome do Jason Reitman aparece na tela, é possível ouvir umas notas de piano. São as mesmas da trilha original na cena na biblioteca, quando o Rai diz "escute" após verem uma pilha de livros empilhados. - Quando as crianças chegam ao porão da casa, onde estão as tralhas e equipamentos, o trailer dá um destaque para uma coleção de fungos. É uma clara indicação de que aquela casa é do Egon Spangler. No primeiro filme, quando Janine pergunta para o Egon se ele tem algum hobbie, ele responde: "I collect spores, molds and fungus" - Na cena do terremoto, quando a família se esconde debaixo da mesa, é possível observar rapidamente que há uma torre de livros empilhados, tal qual acontece na cena da biblioteca do filme original, que por sua vez era igual aos eventos da "Philadelphia Mass turbulent of 1947". - O Ecto1 tem um assento que se projeta para fora do carro igual à série animada. - E o mais interessante, dando dicas sobre a história: Fica claro que há algo ocorrendo no subsolo devido aos tremores constantes sem que haja nenhuma condição geológica para a ocorrência, e por algo ter saído de um buraco no chão logo no início. Então: o trailer mostra os garotos indo para uma mina chamada "Shandor Mining 1927". Ivo Shandor foi o arquiteto que projetou e construiu o prédio onde a Dana morava e o portal para a chegada de Gozer. Ele criou uma sociedade secreta no início dos anos 20 para invocar o deus sumério com rituais bizarros que aconteciam no prédio... será que a criatura que sobe no carro do Paul Rudd é um dos cães de Gozer, um dos guardiães? Estas são os pontos mais interessantes. Tem outros mais óbvios. Só procurarem na net.
  32. 2 points
    Jailcante

    Scooby! (animação)

    Origem do Salsicha e Scoby poderia ser essa aqui: Achei mais emocionante. hehehe E essa aqui seria a primeira vez que o Scoby fala alguma coisa:
  33. 2 points
    conan

    Doutor Sono (Mike Flanagan)

    Eu entendo. Mas a crítica é por ter desvirtuado o tom, e não por ser algo ruim. Discordo completamente sobre a Wendy do filme. Dizer que é um retrato misógino é desconsiderar que muitas famílias são disfuncionais daquele jeito. Os personagens do livro são chatos. É uma família perfeitinha, mas que é corrompida pelo vício e pelo hotel. A família do filme é mais densa. Um pai autoritário e abusivo, uma mãe submissa e um filho autista. Por que uma mulher forte abriria a mão da vida pessoal para seguir o marido por 6 meses longe de tudo e todos? O filme apresenta a receita para o desastre, e desde o início fica claro "isso não vai dar certo" O filme apresenta personagens vulneráveis isolados do mundo, sozinhos com um lunático em potencial. O livro é um novelão, cheio de lero lero em família, uma narrativa clichê de homem bom se corrompendo e com redenção no final, e é muito mais explícito quanto ao terror, é quase um terror infantil. O filme nunca deixa claroo que são as aparições no hotel e o modo como Jack se insere naquele universo. Ainda acho que é dor de cotovelo por ter transformado o livro em algo muito melhor.
  34. 2 points
    Jorge Soto

    Os Vingadores 4: End Game

    neste domingo tava rolando concerto da orquestra da Policia Militar na frente da Fiesp, na Paulista...e tava privilegiando trilhas sonoras de filmes pop..Rocky, King kong, etc.. adivinha qual tocou no finalzinho.. nem sabia e claro que eu estacionei ali pra ficar curtindo o som..😎
  35. 2 points
    Big One

    Os Vingadores 4: End Game

    O Meirelles só falou que.nao gosta de filmes de heróis. Só isso. Está no direito. Agora todo entrevistador vai fazer essa pergunta por um bom tempo. "o que vc achou das declarações do Scorsese e Coppola?" Vai ser legal esse episódio dos Simpsons hein. O Thanos ficou muita bom.
  36. 2 points
    Jailcante

    19 Dias de Horror

    Esse filme do mato: Vi o filme no fds e gostei no geral. Sem maiores ressalvas. O final eu até previ: Spoiler Teria que ter algum ser humano são ali tocar na podre da pedra e como ela mostra tudo pra pessoa, a pessoa viria como sair dali. Não deu outra. hahahaha
  37. 2 points
    Quem não gosta de um bom filme que misture ação bombástica, drama, ficção científica e Will Smith? Em “Projeto Gemini” (2019), novo trabalho do consagrado diretor Ang Lee, temos essa fórmula em versão duplicada, visto que o protagonista é apresentado como dois personagens: o indivíduo original e o seu jovem clone. Porém, ao contrário de outros exemplares semelhantes dos gêneros supracitados, o resultado aqui é bastante irregular em termos narrativos. Na história, Henry Brogan (Smith) é um veterano assassino de elite que tenta se aposentar, mas logo se torna o alvo de um jovem clone seu, o qual se mostra um agente igualmente habilidoso e fatal. De forma inesperada, o diretor Ang Lee entrega ótimas, empolgantes e bem editadas cenas de ação – com destaque para o extenso e arrepiante confronto inicial entre os “dois” protagonistas. E Will Smith faz uma atuação cativante, intensa, e com nuances específicas de personalidade para as suas duas versões, o que gera uma aura hipnótica nos bons momentos de interação entre os dois personagens. No mais, temos uma trama que desenvolve com desinteresse alguns subtextos batidos, como as conspirações de espionagem, e os perigos da biotecnologia para uso militar. Para piorar, é exigido do espectador um nível absurdo de suspensão de descrença, especialmente quando devemos acreditar que um clone nascerá com o mesmo dom do indivíduo original. De sobra, a personagem de Mary Elizabeth Winstead tem poucos momentos de força e destaque, e Clive Owen faz um vilão que falha na tentativa de ser um Tommy Lee Jones “sensível”. Na parte emocional, há alguns competentes momentos daquele bom e velho Ang Lee dramático, quando este aborda as consequências psicológicas e familiares de um emprego que envolve frieza absoluta. E, ainda que o roteiro se torne previsível a partir de certo ponto, a conclusão dos arcos dos dois personagens é levemente satisfatória... e pode ser até comovente, para alguns espectadores. No fim, “Projeto Gemini” é um clone clichê de outros filmes – em especial, das grandes obras ‘blockbuster’ dos anos 90 que também foram produzidas pelo Jerry Bruckheimer. Mesmo assim, ele é de uma diversão razoável e otimista para um fim de semana regado a bastante pipoca. Se for possível ignorar as várias falhas de roteiro, aprecie o seu visual impecável, os momentos da tríade “tiros/porradas/explosões”, a trilha sonora marcante, os incríveis efeitos especiais de “rejuvenescimento”, e cada um dos momentos de Will Smith e Will Smith em tela. Nota: 6
  38. 2 points
    SergioB.

    Os Vingadores 4: End Game

    Que comentário infeliz do Scorsa.
  39. 2 points
    Jorge Soto

    Os Vingadores 4: End Game

    "Aquilo não é cinema [...] Não é o tipo de cinema com seres humanos tentando transpassar experiências emocionais e psicológicas para outro ser humano.” Adoro o Scorcese. Muito difícil negar que é um puta diretor. Mas aqui na boa, ele ta com a mesma birra do Cameron ao diminuir filme de super-heroi. Acho um equívoco definir cinema como algo que tem, como que por obrigação, que passar uma mensagem ou transpassar as citadas experiências emocionais e psicológicas. Não acho os filmes da Marvel nenhuma obra prima, de fato não ao nível Scorcese que considero um gênio. Mas o que essa gente precisa entender é que, lá no fundo, num mundo tão conturbado como o nosso, tudo que precisamos em certos momentos é de um parque de diversão. Coincidentemente, o cinema nasceu como diversão de massas lá nos idos de mil novencentos e bolinha. Algo que o próprio Scorcesse contou muito bem naquele seu filme A Invenção de Hugo Cabrito.😉 Querer torná-lo algo obrigatoriamente cerebral é pretensão de pseudo-cult. Nao acho que seja preciso a cada filme que se for ver no cinema eu ter de sair refletindo sobre a vida ou meu espaço no mundo ou nas minhas relações para com o próximo. As vezes so queremos nos divertir e na outra nos aprofundar um pouco mais na vida. Ha espaço para todos, só basta saber explorar e de se encaixar neles devidamente. E viva as diferenças! Acho que é como negar o cinema de ação, fantasia, sci fi, mas entendendo que as pessoas mais velhas são mais conservadoras é razoável ele pensar assim. Por exemplo, Star Trek é sci fi e tem profundidade. E Star Wars, é também coisa de criança? Não, é diversão de primeira! E Liga da Justiça? Queria ser diversão de primeira, mas termina sendo o contrário...😂
  40. 2 points
    Questão

    19 Dias de Horror

    História bizarra essa. Se bem que estão dizendo que os pais dessa "Orfã da vida real" tão inventando a história. Não sei qual alternativa é mais bizarra Tranquilamente o pior filme do universo de "Invocação do Mal", pelo menos dos que vi. Mal escrito, mal dirigido, personagens que vão do nada a lugar nenhum. Não curti nada.
  41. 2 points
  42. 2 points
    Questão

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    A questão é a briguinha idiota Marvel vs DC. No momento em que tu tem o Coringa ali, CORINGA é tão filme de "quadrinhos", quanto VINGADORES ULTIMATO, mirando apenas públicos diferentes. Assim como as mensais do Batman escritas por caras como Dennis O'neil, que podiam ter uma linguagem mais fantasiosa são tão quadrinhos quanto A PIADA MORTAL do Alan Moore. O gênero "super herói" é amplo o bastante para atingir diferentes públicos. CORINGA não tem mais valor que VINGADORES: ULTIMATO (que tá longe de ser o melhor filme da franquia, ainda que seja o mais catártico) por que ganhou o Leão de Prata, assim como VINGADORES: ULTIMATO não tem mais valor que CORINGA por que fez grana pra caramba, por que o valor no cinema, é no fim das contas, subjetivo. Pra mim, nem bilheteria e nem prêmios dão atestado de superioridade de um filme em relação ao outro.
  43. 2 points
    FILME ESTÁ SE ENVOLVENDO EM CONTROVÉRSIA ANTES MESMO DE ESTREAR! No último final de semana, Coringa, filme estrelado por Joaquin Phoenix e dirigido por Todd Phillips, foi recebido com muitos elogios após sua exibição no Festival de Cinema em Veneza, sendo até mesmo ovacionado durante oito minutos, contudo, nem todos os críticos ficaram felizes com o que viram. Muitos profissionais da indústria estão preocupados que o filme acabe passando a mensagem errada, sendo uma espécie de glorificação aos homens solitários e abusivos, já que o longa retrata exatamente isso e mostra esse tipo de pessoa ganhando fama e popularidade ao cometer atos ilícitos. A Variety publicou uma nota sobre o assunto e afirma que a discussão entrará em pauta novamente quando o longa for exibido no Festival de Toronto, contudo, a publicação também reforça que o filme tem tudo para ser um forte candidato ao Oscar. “Coringa, uma visão bem adulta de um dos antagonistas mais antigos do Batman, foi o queridinho do Festival de Cinema em Veneza, capturando críticas positivas e sendo ovacionado de pé por oito minutos. Mas o filme também inspirou controvérsia. Alguns críticos e comentaristas das redes sociais estão preocupados que Coringa se simpatize com um homicida solitário em um momento em que a América e o resto do mundo estão infestados com violência armada. Isso garante que o filme será tópico de debates acalorados em Toronto, onde será exibido novamente, enquanto os críticos e o público se perguntam se essa é uma brilhante forma de arte ou um perigo para a sociedade. Se os cineastas forem capazes de lidar com esses medos, Coringa pode ser um daqueles raros filmes de histórias em quadrinhos que também se tornam sérios concorrentes ao Oscar…” Tal discussão certamente é muito complexa, pois entra no âmbito da ficção influenciar a realidade, algo no qual muitos lutam para comprovar que não é verdade, tendo como exemplo os jogos de tiro e afins. Sim, pelo visto o filme deve ser controverso. Controverso pq gera reflexão. Reflexão que é justamente o que essa sociedade de merda precisa. As pessoas ao redor do mundo estão se habituando a discursos de ódio e frases feitas sobre todos os assuntos. Tudo é piada. Tudo é meme. Tudo é deboche. Aí quando estamos diante de uma obra que esfrega na cara o lixo de mundo em que vivemos, todos se doem.🤡
  44. 2 points
    Tensor

    Oscar 2020: Previsões

    Só lembrando que ele já merecia uma indicação por Embriagado de Amor. Quando dão o papel certo ele é ótimo.
  45. 2 points
    primo

    Coringa - Joker (Joaquim Phoenix)

    eu até entendo quem defenda isso, de que a "regra" foi essa entre o público, mas... como contribuição aqui à nossa análise do panorama geral... eu acredito que não. Acredito, com base no que eu captei na época, que o público (em sua maioria) esperava um filme simplesmente mais redondo em termos de história. Ainda que isso "comprometesse" algumas das boas características estéticas e narrativas do Snyder.
  46. 2 points
    Para aqueles interessados em Star wars sabia que já já vai sair uma teoria criada pelo famoso Rick que vai explicar o maior segredo da franquia. Em breve.
  47. 2 points
    primo

    MINDHUNTER - Netflix Original

    tive essa impressão também, mas to no primeiro episódio. Bem legal até aqui !
  48. 2 points
    Big One

    Homem-Aranha: Longe de Casa

    Tb acho que não tem haver com isso de demora no próxima lançamento..sou mais na linha de que a Disney ficou com olho gordo nos lucros e quis morder 50% da bilheteria...como a negociação emperrou pois os direitos são da Sony...a Marvel vazou a informação de que a Sony vai tirar o Aranha da MCU pra jogar o público Mavrel contra a Sony e pressioná-la com isso.
  49. 2 points
    Gust84

    Homem-Aranha: Longe de Casa

    Eu tô bravo comigo mesmo de ficar puto com isso. Haha
  50. 2 points
    GilsonDee

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    falar pra vcs.... pena que estragaram tudo com liga da justiça.... pq revendo os filmes, o UCDC não era de jogar fora pq como estão fazendo. principalmente man of steel e BvS.... uma pena. os filmes tem peso, densidade....

Announcements

×
×
  • Create New...