Jump to content
Forum Cinema em Cena

Qual Livro Você Está Lendo?


Administrator
 Share

Recommended Posts

  • 2 weeks later...

Fui à biblioteca, hoje, devolver uma coletânea de contos do Machado de Assis. Eram 15 textos, dos quais quatro eu achei fantásticos: O Alienista, Teoria do Medalhão, A Sereníssima RepúblicaO Espelho, todos críticas sociais bem ácidas.

 

Peguei o roteiro da peça O Auto da Compadecida do Ariano Suassuna.
Filipaum2007-08-10 23:59:07
Link to comment
Share on other sites

O primeiro livro que li de Sheldon( A Herdeira) é coincidentemente o primeiro livro que leio em apenas alguns dias: 4. Já percebi que os livros dele são viciantes.Enquanto não soubermos quem é o assassino ou o que aconteceu com a heroína, não há descanso. A gente le até no banheiro.06 È uma literatura de entretenimento mas tem aspectos interessantes como a globalização, os lugares que se passam a história e observações sobre ambição e as consequencias ruins do desejo de ter mais e mais  dinheiro. È engraçado como todos os que tem o minimo de poder se tornam escravos do capital  e tem gravissímos problema de relacionamento. Bem interessante.

Agora vou ler O Reverso da Medalha.
Link to comment
Share on other sites

Li o roteiro de O Auto da Compadecida em três noites, ato por ato, quando podia ter lido tudo numa noite só. É um texto curto de falas curtas e de poucos subtextos. Mas não deixa de ser irreverente, completo na sua análise da igreja católica e no expressar da visão pessoal do autor acerca da mesma religião; o que é o foco da peça. Suassuna deixa claro que seu problema não é com os santos, mas com os maus gestores da Igreja que, nas representações alegóricas da peça, são capazes até mesmo de aceitar "suborno" para que enterrem um cachorro sob os cânones da mesma, como se o bicho fosse gente.

 

A propósito, comparando-se o original com a adaptação do Guel Arraes, vemos que o Padre e o Bispo, além do Sacristão, personagem suprimido da adaptação [pelo menos do corte do filme, pois não acompanhei a minissérie], são figuras mais maudosas; e até o João Grilo se mostra um sujeito mais malicioso, vingativo, embora não deixe de ser divertido, como todos os outros. Pra dar uma idéia da "brevidade" da peça, toda aquela subtrama do romance do Chicó com a filha do Antônio Morais, e a conseguinte disputa entre ele, o soldado e o valentão pelo amor da moça, inexiste na peça original, foi puro enxerto dos roteiristas para incluir um romancezinho básico na estória, e que não caiu mal, na minha opinião.

 

 

Bem, peguei pra ler O Processo, do Franz Kafka.
Link to comment
Share on other sites

 

Relendo 20 anos depois...

 

11906.jpg Casa Nobre de James Clavell

 

Um romance de mais de mil e trezentas páginas sobre poder, dinheiro, sexo, mortes, sangues em uma florescente metrópole chamada Hong Kong na década de 60. É nesta cidade que Ian Dunross, o "Tai Pain"  da casa nobre dirige seu vasto império financeiro.

 

Para quem gosta de assuntos relacionados ao mercado financeiro, corporações, aquisições empresariais e tudo que envolve o mundo globalizado e suas artimanhas e negociatas.

 

 

 

Moviolavideo2007-08-21 11:52:24

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 2 weeks later...

Acabei de ler O Processo do Franz Kafka.

 

Esse me lembrou muito Crime e Castigo, do Dostoievski, pela trinca paranóia/alienação/degradação que preenche o desenvolvimento de ambos os protagonistas. A escrita de Kafka é seca e detalhista, quase burocrática, bastante próxima do naturalismo. É uma pena o romance estar incompleto. Não que a obra pare no meio; ela apresenta claramente começo, meio e fim (e que fim!), mas o escritor acabou deixando inacabados alguns capítulos acessórios (aqueles que não são de suma importância para o desenrolar do enredo) que poderiam agregar mais elementos ao protagonista Joseph K., de modo a deixá-lo mais redondinho. Esses capítulos são expostos à parte no livro, dos quais me interessou o capítulo que trata do envolvimento de K. com o fiscal; um personagem tão peculiar quanto o advogado, o pintor e o sacerdote, porém que não é ligado a máquina da Justiça que oprime K. como o são esses três, de maneira que o fiscal não é essencial à trama. Olhando por esse lado, dá pra notar que Kafka deixou de fora justamente os capítulos encabeçados por personagens que não podiam influir no tal processo do título, deixando assim a trama mais fechada, mais restrita e tal.

 

Enfim, gostei pra caralho desse Kafka. Gostei tanto, que já engatei em A Metamorfose e em Um Artista da Fome, que são textos mais curtos do mesmo escritor, para fazer um meio-de-campo com O Castelo, o próximo romance dele que pretendo ler.
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Em um diazinho li "A arte da Guerra", livro interessantíssimo cheio de frases de efeito as quais podem parecer um tanto obsoletas, mas quando vc pára pra pensar um pouco que seja, vc vê que aquilo em determinado contexto é sim verdade. Um exemplo de uma famosa que aparentemente pode estar ultrapassada é: "Guerras são feitas com o único objetivo de se obter a paz".

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...