Jump to content
Forum Cinema em Cena

Liga da Justiça


Recommended Posts

Uma ideia legal pro Anti-Monitor(ainda discutindo a ideia do Espectro) seria ele ter decidido que só tem que existir UM UNIVERSO. Que o multiverso digamos, em constante expansão, poderia acarretar em colapso total. Só que ele está compactando o cosmo, simplesmente destruindo as terras por onde passa e quem sabe, absorvendo a energia restante delas após explodi-las. Basicamente, ao ser derrotado, o anti-monitor explodiria como um novo Big Bang, criando as terras que ele destruiu. Porém, nada mais seria como antes. 

 

Zod morreu? Ele pode voltar a vida mesmo considerando que tentou invadir a terra e torna-la Krypton(seria um final diferente de MOS, onde Zod teria sido preso na Zona Fantasma, junto  com seus seguidores)

 

Lex Luthor é um moleque? Ele passaria a ser um homem na casa dos 40 anos(exatamente como sempre se desejou) e muito mais frio, calculista e inteligente do que antes. 

 

Lois Lane sabe que Superman é o Clark? Não mais. Pois haveria uma outra mudança nos eventos de MOS. Digamos que Lana Lang, fosse a personagem central que ajudasse Clark, por saber que ele é alien e tals. 

 

E por ai vai...

Link to post
Share on other sites
  • Replies 4k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Ele é bem mais alto que o Cavill se não me engano. Será que para um filme da Liga o Super não teria que ser o personagem mais alto?(sei que posso estar falado uma besteira) 

Eu prefiro que o Lanterna do filme seja o Hal Jordan também.     Agora proponho uma análise diferente. É a análise de um velho arco de histórias da Liga datado da década de 70, que apesar de ter as

Eu votaria no Brad Bird, gostei do último MI e acho que ele seguraria a barra de uma equipe, principalmente em explorar o trabalho em grupo com poderes diferente (Os incríveis). Eu não espero um filme

com heróis de outros Universos vindo se refugiarem na Terra 1 porque seus Mundos foram destruídos por uma grande ameaça(Anti-Monitor?)

 

 É uma proposta interessante, ESPECTRO. Mas eu acho um pouco over para um 1º filme.

 

 

- Lex enfim seria Lex(ou seja, mais velho que o Superman)

- Zod e Emil Hamilton não teriam morrido (mesmo que os eventos de MOS fossem mantidos)

- Lois não saberia da identidade do Superman. (apesar de eu ter gostado disso. Se fosse pra concertar a cagada de um Lex mais jovem, eu não odiaria essa mudança)

 

  Acho meio cedo pra mexer nessas coisas, SLASH. Primeiro que não sabemos se o Luthor do Eisenberg funciona ou não. O Lex dele pode muito bem ser Lex. Já falamos que não é a idade que faz um Luthor (E Eisenberg faz 31 esse ano, então não é o fim do mundo). Segundo que acho muito cedo pra trazer os mortos de volta a vida (de preferencia nunca traga os mortos de volta a vida). Concordo que matar Hamilton foi um erro. Era um personagem que podia render bem mais. Mas agora já tá feito.

 

  E quanto a Lois conhecer a identidade do Superman, não é realmente um problema.

 

 Em resumo, acho que o conceito do multiverso pode ser usado sim, mas com parcimonia. Principalmente em um primeiro filme.

 

  E quanto ao Irmão Olho? Acham que daria um bom vilão?

Link to post
Share on other sites

 Seria uma forma por exemplo de fazer crossovers eventuais com as séries televisivas. Sei lá, o Superman da Terra 2 por exemplo poderia ser interpretado pelo Brandon Routh.

 

Antes de avaliar os pontos da trama, só uma pergunta:

Como vocês acham que a crítica e o público encarariam esse tipo de coisa?

Link to post
Share on other sites

 Discordo totalmente do colega ai de cima. Há alguns anos falavam a mesma coisa da ideia de reunir personagens de diferentes franquias em um mesmo filme, que seria um suicídio comercial e critico, e tá ai OS VINGADORES pra provar o contrario.

 

 Acho que o conceito do multiverso pode sim ser aplicado, mas com parcimônia e de forma bem pensada. Primeiramente, teria que deixar bem claro que o Superman do Cavill é o "Superman oficial". Teria que explicar também que nas terras paralelas (que são diferentes de realidades alternativas) os heróis podem sofrer mudanças em sua aparência. Por isso, poderíamos ter o Superman do Brandon Routh (que seria o Superman da Terra 2) chegando a "Terra oficial) por que a sua Terra foi destruída.

 

 O conceito do multiverso também poderia ser usado para eventuais crossovers na TV com as séries ARROW e FLASH, gerando assim um cross-media diferente do que aquele que vem sendo realizado com a Marvel e se comunica com a história da DC.

 

  Desde que não haja abuso do conceito, acho que pode dar certo sim, e que publico e crítica podem aceitar bem este conceito sim, da mesma forma que aceitaram o conceito da "reunião de heróis de diferentes franquias em um só filme" que antes era considerado inconcebível.

Link to post
Share on other sites

 PRIMO, é que quando foram sugeridas por aqui adaptações de histórias como UM MUNDO MELHOR e CRISE EM DUAS TERRAS, que envolve os heróis da Liga enfrentando adversários com rostos exatamente iguais aos deles, você se colocava contra, pois achava que o publico não aceitaria bem.

 

  Mas em CRISE INFINITA se estabelece a diferença entre realidades alternativas e mundos paralelos. Por exemplo, o Superman de um mundo paralelo (terra 2) tem as características físicas gerais e semelhantes ao Superman da Terra "oficial", que seria o da Terra Um, mas não são fisicamente iguais. Por isso, poderíamos ter atores diferentes interpretando os Supermans de cada Terra, eliminando aquele seu incomodo com os tais "rostos gêmeos" (o que pra mim não é um problema, mas não estou na defesa desta questão agora)

 

 Mas PRIMO, respondemos a sua questão sobre como achamos que o publico encararia a o conceito do multiverso levado ao cinema. Hora da réplica.

Link to post
Share on other sites

Saquei!

 

 

 Mas PRIMO, respondemos a sua questão sobre como achamos que o publico encararia a o conceito do multiverso levado ao cinema. Hora da réplica.

 

Então... eu acho muito perigoso, porque a opinião pública pode considerar isso meio galhofa, talvez. Mas assim... se fosse pra ser feito, eu boto fé de ser algo com data de validade curta e definida, pq senão o público pode ficar muito perdido. Eu vejo isso como uma homenagem. Pra mim, tinha que ser em um filme só e depois essa "porta" claramente se fechar no mesmo filme. Sei lá... é uma opinião inicial, creio.

Link to post
Share on other sites

Então... eu acho muito perigoso, porque a opinião pública pode considerar isso meio galhofa, talvez. Mas assim... se fosse pra ser feito, eu boto fé de ser algo com data de validade curta e definida, pq senão o público pode ficar muito perdido. Eu vejo isso como uma homenagem. Pra mim, tinha que ser em um filme só e depois essa "porta" claramente se fechar no mesmo filme. Sei lá... é uma opinião inicial, creio.

 

 Mas PRIMO, volto a usar o argumento de VINGADORES. Muita gente apostava contra o filme, pois achava a ideia de reunir heróis de diferentes franquias em um mesmo filme, "galhofa" demais. A DC/Warner tem que arriscar em seus conceitos por que o tempo tá passando, e a Marvel Studios e a Fox estão utilizando todos os conceitos clássicos. Claro que eu não tenho nada contra reutilizar um conceito que já tenha sido usado em outros filmes do subgênero, como a invasão alienígena, a ameaça mitológica, a viagem no tempo, e etc.

 

 Mas o conceito do multiverso é algo muito próprio do UDC. É a chance de apresentar um plot novo ao subgênero. Quanto a fechar essa porta definitivamente ao fim do filme (inclusive com a morte do Superman Da Terra 2), por um lado, eu sou a favor, por que é um conceito difícil de apresentar e ainda mais difícil de manter.

 

 Mas por outro lado, achei que seria uma solução pra resolver o problema criado pela Warner de desenvolver suas séries e filmes sem ter a certeza de se vão uni-las ou não. Assim, ARROW e FLASH se passariam em mundos paralelos, e o UDC Cinematográfico poderia ter seu próprio Flash, por exemplo.

 

 Mas talvez a melhor opção seja a uma terceira, em que os filmes simplesmente ignoram as séries de TV, e as séries de TV simplesmente ignorem os filmes, já que não vejo como um cross-média passado no mesmo universo poderia funcionar.

Link to post
Share on other sites

o argumento de VINGADORES. Muita gente apostava contra o filme, pois achava a ideia de reunir heróis de diferentes franquias em um mesmo filme, "galhofa" demais. A DC/Warner tem que arriscar em seus conceitos por que o tempo tá passando, e a Marvel Studios e a Fox estão utilizando todos os conceitos clássicos. 

 

Então... pode funcionar, e confesso que eu ficaria até empolgado, mas é um terreno perigoso. Tem que ter um planejamento bonito. E, bom... a Warner está precisando de mentes melhores.

Em breve postarei as minhas impressões sobre a última saga postada!

Link to post
Share on other sites

Quais elementos de CRISE INFINITA poderiam ser utilizados no cinema?

 

Concordo com o resgate da discussão do papel de Messias iniciado em MOS, Questão, e acho bem interessante também que o público sinta, a partir da forma como o diretor mostrará em surto do Batman, o peso que é para o Bruce estar em meio aos meta humanos e os desdobramentos desse contato. Algo pra fazer a gente sentir esse peso, algo meio filme de terror mesmo. Para o público chegar a temer a presença de um meta diante do poder de destruição de um ser assim.

 

Sobre algumas cenas da trama, acho interessante o uso de personagens coadjuvantes das (futuras?) franquias de um herói como ponte para contato inicial com o universo de outro herói, como na cana em que policiais de Gotham encontram o ferido Shazam.

 

A Trindade com crise confiança mútua é legal, claro, mas não para início ou meio de um primeiro filme de grupo. Luthor de armadura desnorteado no Ártico é uma cena bacana também. Acho bacana se a armadura for adaptada de um traje kryptoniano. É interessante para o cinema a proposta de Luthor, um cara de inteligência acima da média, ter acesso a armas como essa e o anel energético de alguma tropa de lanternas, por exemplo.

 

A participação do Gladiador Dourado e Skeets na cinessérie, de preferência com alguma participação do nosso agora super hacker Bezouro Azul, é urgente!

 

Omacs v amazonas é bem legal também, bem como algum Flash se sacrificando, inclusão que sempre defenderei!

 

Agora bateu aqui uma vontade de ver uma pancadaria Henry Cavill v Brandon Routh, que duraria até a chegada de Christopher Reeve botando moral nos dois. hehehe

 

Gostei bastante desta: "O Irmão Olho diz que Batman jamais poderá confiar nos meta humanos de novo depois do que eles fizeram. Batman diz que vai se arriscar fazendo isso, livra-se dos cabos, e lança um explosivo na parede. A descompressão quase o joga no espaço, mas o morcego é resgatado na hora H por Hal Jordan".

 

E desta: "O vilão então voa para o céu, com o intuito de destruir Oa, atravessando-a. Como o planeta é o centro do universo, isso iria gerar um colapso universal."

 

Batman usando todos os seus truques e derrotando um Luthor de armadura pode ser interessante para provocar o Marvel Studios e seu Homem de Ferro.

 

A briga entre os Supermen no espaço pode ser uma boa oportunidade para destruir alguns corpos celestes desabitados, com paisagens e iluminações diversas.

 

Quando li sobre a cena de Superman e Prime lutando sem poderes, lembrei do que acredito que será a principal luta entre Superman e Batman no próximo filme do Snyder, no mano a mano, com Kal-El sem poderes.

 

A cena do encontro da trindade no porto, com o debate sobre as perspectivas de futuro, é interessante.

 

Sobre o Irmão Olho, eu ainda não saquei 100% qual é a dele. Vou pesquisar. Mas... se você puder fazer um resumo... Pra começar: Ele é zero humano?

Link to post
Share on other sites

Batman usando todos os seus truques e derrotando um Luthor de armadura pode ser interessante para provocar o Marvel Studios e seu Homem de Ferro.

 

  Seria uma alfinetada interessante, PRIMO.

 

  Quando li sobre a cena de Superman e Prime lutando sem poderes, lembrei do que acredito que será a principal luta entre Superman e Batman no próximo filme do Snyder, no mano a mano, com Kal-El sem poderes.

 

  Será PRIMO? Por que Kal-El sem poderes não tem a mínima chance de vencer Bruce no mano a mano.

 

  Sobre o Irmão Olho, eu ainda não saquei 100% qual é a dele. Vou pesquisar. Mas... se você puder fazer um resumo... Pra começar: Ele é zero humano?

 

  Sim, ele é zero humano, PRIMO. No começo, ele era apenas um satélite espião equipado com A.I analítica construído pelo Batman. Mas Luthor da Terra 3 potencializou a A.I  do Irmão Olho, lhe dando vontade própria. No tempo em que esteve sob controle de Maxwell Lord, o Irmão Olho também adquiriu controle sobre todos os Omacs, ganhando um exército particular. O Irmão Olho tem uma visão deturpada da programação inicial do Batman, que é defender o planeta a qualquer preço e torna-lo um lugar melhor.

Link to post
Share on other sites

Creio que o Irmão Olho seria um bom vilão, sim, mas parece funcionar melhor se aliado a outro. Será que ficaria bom com possível parceria com Braniac? Enxerga alguma semelhança preocupante entre ele e o Ultron?

 

Será PRIMO? Por que Kal-El sem poderes não tem a mínima chance de vencer Bruce no mano a mano.

 

Má, Lombardi, será que o Super merece? Róqueee... dá aê 1% de poder pro Superman, então!  B) Sol vermelho, atmosfera kryptoniana, algo assim... acha uma boa?

Link to post
Share on other sites

Creio que o Irmão Olho seria um bom vilão, sim, mas parece funcionar melhor se aliado a outro. Será que ficaria bom com possível parceria com Braniac? Enxerga alguma semelhança preocupante entre ele e o Ultron?

 

  Acho que ele funcionaria melhor aliado a um vilão humano, PRIMO. Como Luthor, Vandal Savage ou o próprio Maxwell Lord.

 

  Quanto a semelhança com Ultron, sim elas existem. Ambos são maquinas criadas por heróis que acabaram se voltando contra os seus criadores. A diferença é que Ultron é um robô no sentido clássico da palavra, enquanto o Irmão Olho é mais incorpóreo, já que é um satélite que a distancia controla os Omacs. Seus objetivos são diferentes também, pelo menos nas Hqs. Ultron acredita na superioridade das maquinas sobre as formas orgânicas. Ele quer dominar o mundo no estilo O EXTERMINADOR DO FUTURO. Já o Irmão Olho quer "proteger" o mundo custe o que custar, mesmo que para isso tenha que caçar algumas liberdades individuais.

 

  Em primeira instância, Ultron é muito mais parecido em objetivos com Brainiac do que com o Irmão Olho, por exemplo. Mas tem que ver como Whedon vai abordar o personagem.

 

  Má, Lombardi, será que o Super merece? Róqueee... dá aê 1% de poder pro Superman, então!  B) Sol vermelho, atmosfera kryptoniana, algo assim... acha uma boa?

 

 Não sei, PRIMO. Acho mais fácil que vejamos um combate no estilo daquele visto em O CAVALEIRO DAS TREVAS, com Batman contando com a ajuda de algum exoesqueleto, assim como armas sônicas, explosivos estrategicamente posicionados e coisa e tal.

Link to post
Share on other sites

Acho que ele funcionaria melhor aliado a um vilão humano, PRIMO

 

Pra não ficar dois vilões não-humanos? Se for isso, concordo!

 

Acho mais fácil que vejamos um combate no estilo daquele visto em O CAVALEIRO DAS TREVAS

 

Entendo... mas o que te leva a achar isso, Questão?

Link to post
Share on other sites

  Pra não ficar dois vilões não-humanos? Se for isso, concordo!

 

  Sim PRIMO, mas também por que acho que um vilão humano funciona melhor pra simbolizar o medo da "ameaça meta humana".

 

  Entendo... mas o que te leva a achar isso, Questão?

 

   O Snyder declarou que CAVALEIRO DAS TREVAS será uma das bases do BVS. E pessoalmente, acho que um confronto pegado do Super sem poderes absolutamente só no mano a mano como sugerido na outra página, fica melhor com um adversário menos habilitado em conflitos mano a mano do que o Batman, que é um mestre neste quesito.

 

  Bom, depois dessa discussão envolvendo multiversos, sugiro a análise de um arco mais "simples" da Liga da Justiça, OS NOVOS MAPAS DO INFERNO de Warren Ellis e Butch Guice.

JLA_Classified_Vol_1_10.jpg

 

 

JLA_Classified_Vol_1_11.jpg

 

 

300px-JLA_Classified_Vol_1_12.jpg

 

 

JLA_Classified_Vol_1_13.jpg

 

300px-JLA_Classified_Vol_1_14.jpg

 

300px-JLA_Classified_Vol_1_15.jpg

 

 

  A trama tem início com Lois e Clark investigando uma série de suicídios em Metropolis. A dupla de jornalistas logo descobre que todos os suicidas trabalhavam para a LexCorp. Em Gotham City, Batman investiga a morte do vice presidente de uma empresa de armamentos, que teve a polícia afastada das investigações por agentes federais. Em Themiscera, Diana recebe um grupo de universitários que visitam a ilha. Quando a princesa os esta levando para a ilhota onde se localiza o museu de Themiscera, a ilhota explode, virando o barco.

 

  Enquanto resgata os turistas, Diana acaba vendo um pergaminho brilhante afundando junto com os destroços do museu. Ela pega o pergaminho, e continua a sua operação de resgate. Em Keytsone City, o Flash apaga um incêndio em um dos prédios da universidade da cidade, e descobre que um pergaminho muito semelhante aquele encontrado por Diana em Themyscera foi a causa.

 

  No Planeta Diário, Lois e Clark discutem a investigação dos suicídios, mas Clark tem que deixar a discussão quando capta o pedido de socorro de uma estação espacial que está saindo de órbita. Superman consegue impedir a tragédia, e assim como a Mulher Maravilha e o Flash, encontra um pedaço de pergaminho no local do desastre. Em Gotham City, o Batman descobre que o industrial morto estava examinando outro pedaço de pergaminho. O herói rouba o documento histórico dos federais, e ruma para a Torre da Liga ao saber dos outros incidentes.

 

  Na torre, os heróis examinam os pergaminhos. Através de sua visão microscópica, Superman determina que os documentos tem milhares de anos de idade, mas que não são pergaminhos comuns. Ajax reconhece os caracteres alienígenas nos pergaminhos como caracteres que os antigos marcianos acreditavam ser "a linguagem do demônio". Segundo John, as lendas dizem que o demônio do medo visitou Marte milhares de anos atrás, e testou a vontade de viver dos marcianos. O planeta teria passado no teste, mas milhares de marcianos teriam perecido no processo.

 

  Enquanto isso, através dos dados obtidos por Lois e Clark, Oraculo conseguiu hackear os computadores dos funcionários suicidas da LexCorp e descobre diários referentes ao estudo dos pergaminhos. Os funcionários acreditavam que ao traduzir certas passagens do pergaminho, haviam atraído o armageddon para a Terra. Enquanto Oraculo analisa as anotações do executivo morto em Gotham, a Liga inteira vai até a Casa Branca interrogar o então Presidente Luthor sobre a origem dos pergaminhos e as pesquisas que estavam sendo feitas com ele.

 

  Lex inicialmente desconversa, dizendo que sendo presidente, não podia mais se envolver com os assuntos da LexCorp. Mas Batman o lembra que as pesquisas com os pergaminhos começaram antes de Lex assumir a presidência. Pressionado, Luthor revela que a LexCorp encontrou os pergaminhos em ruinas históricas no Iraque. Os cientistas da LexCorp acreditavam que durante a era da antiga mesopotâmia, todos os cidadãos de um vilarejo teriam sido mortos por um pulso de energia emanado dos pergaminhos, mas as construções foram deixadas intactas. Vendo nisso uma grande descoberta bélica, a empresa começou a tentar traduzir os pergaminhos, acreditando que nele estava o segredo de tal energia destrutiva.

 

  Batman deduz que o executivo de Gotham deve ter liberado acidentalmente uma pequena descarga de energia dos pergaminhos, o que o matou. Neste instante, Oráculo entra em contato com os heróis, e diz que analisando os registros do executivo, descobriu que parte da tradução dizia que quando todos os ritos fossem lidos, a passagem para Z seria aberta para um novo mundo. Cada tradução liberou um pulso de energia, que causou os incidentes enfrentados pelos heróis.

 

  Os heróis então perguntam ao Presidente Luthor sobre outro pedaço de pergaminho, e ele revela que há somente mais um, em uma filial da LexCorp em Las Vegas. Mas já é tarde, pois o documento acaba de ser traduzido, destruindo todo o prédio da LexCorp, e deixando um grande portal em seu lugar, de onde começam a emergir criaturas demoníacas.

 

  A Liga Da Justiça chega rapidamente ao local, e tenta impedir o avanço das criaturas, ao mesmo tempo em que isola o local. Através de telepatia, Ajax consegue rastrear a mente que as guia. O marciano avisa aos seus colegas de equipe que a criatura se chama Z, e esta ali para testar a Terra. O único objetivo de Z parece ser viajar de planeta em planeta, testando a capacidade de sobrevivência dos habitantes daquele mundo, para descobrir se eles merecem existir.

 

  Assim que Ajax termina a sondagem, uma grande força suga todos os heróis da Liga para dentro do portal, com exceção do Superman, que é o único com força para resistir. Superman grita para Z libertar os seus amigos, mas do outro lado do portal, a criatura diz que a única chance de sobrevivência que eles tem é se Superman atravessar o portal. Sem escolha, o herói voa para dentro do portal.

 

  Do outro lado do portal, cada herói enfrenta uma versão de seu inferno pessoal. Em uma Metropolis devastada, Superman enfrenta um homem de kriptonita. Batman se vê no Beco Do Crime, com vários assaltantes fazendo várias pessoas de reféns, Diana se vê presa no fundo de um mar sem fim, condenada a se afogar. Ajax se vê nas ruinas de Marte, enfrentando uma criatura de fogo, Flash se vê na lua, onde a falta de gravidade anula a sua velocidade contra morcegos robóticos que o atacam. Por fim, o Lanterna Verde vê seus próprios construtos se voltarem contra ele.

 

  Batman e Ajax livram-se facilmente de suas armadilhas. Ajax, percebendo a falta de criatividade da criatura ao joga-lo em seus medos mais óbvios, rapidamente livra-se da ilusão com telepatia. Já Batman, deduziu que a criatura possuía natureza robótica, devido ao pensamento linear que Ajax captou na Terra, e livra-se de sua ilusão ao detonar uma bomba EMP. Superman, que também percebeu a natureza ilusória da situação com seus super sentidos, conduz a luta até o banco, e usa o cofre de chumbo para vencer o seu adversário. Com a ajuda telepática de Ajax, Diana, Flash e Lanterna Verde também conseguem vencer suas ilusões.

 

  Com todos libertos, Z declara a Terra apta para sobreviver, mas ao tentar escapar por um portal, é barrado pelos heróis, que não pretendem permitir que a maquina tente condenar outro mundo. Superman e Mulher Maravilha criam o ataque físico, enquanto Ajax através de um ataque telepático distrai a criatura por tempo suficiente para Batman instalar um poderoso explosivo em seu computador central. O Lanterna Verde consegue reproduzir o portal com seu anel, e a Liga escapa do inferno antes que Z exploda.

 

  De volta a Terra, Ajax revela que apesar de ser uma maquina muito avançada em alguns aspectos para os padrões terráqueos, era muito ultrapassada em outro dentro dos mesmos padrões. Antes que os heróis tenham tempo de recuperar o fôlego, uma fuga em massa na Ilha Striker exige a presença da equipe, que parte para solucionar o problema.

 

 As questões são

 

  1) Quais elementos de OS NOVOS MAPAS DO INFERNO poderiam ser utilizados em um filme da Liga?

 

   Bem, OS NOVOS MAPAS DO INFERNO é uma historia simples do Ellis, e até com alguns clichês dispensáveis, mas tem elementos muito legais. A começar pela boa química de casal que o autor usa para Lois e Clark no começo da história, que desenvolve bem a intimidade do casal, sem ferir a personalidade dos dois. Algo assim seria bom de se ver tanto no filme da Liga como nos filmes solo do azulão. Gosto também da rima visual posta na carta de suicídio que abre a historia, onde o suicida espera não ser um daqueles que é salvo pelo Superman. E no dia seguinte, na cena do crime, Lois diz para Clark "você não pode salvar todos, Smallville". Tem um humor negro na cena que eu acho que seria bastante bem vindo no cinema.

 

  Gosto também desta ficção científica lovecraftiana apresentada pela história, onde o demônio citado pelos antigos marcianos era na verdade uma maquina de guerra apocalíptica. Algo assim poderia ser usado no cinema, talvez até sendo usado para introduzir Ajax no cinema.

 

  Não acredito que teremos Lex chegando a Casa Branca em BATMAN VS SUPERMAN, mas seria legal se ele estivesse indiretamente ligado a ameaça do filme, como acontece nesta história, e a certa altura do filme, os heróis fossem em peso até a Torre Lex para interroga-lo.

 

  Os heróis enfrentando os seus maiores temores é uma ideia boa, mas que deve ser utilizada com cuidado pra não cair no clichê.

 

  O vilão do filme ser uma maquina apocalíptica que testa a capacidade de sobrevivência dos Planetas é um conceito interessante, que pode vir a ser aplicado nos cinemas.

 

  Gosto também que apesar da história reforçar a máxima de que Batman é o cérebro da equipe, mostra que os outros membros da equipe também não são nada burros. Superman descobre através de seus hiper sentidos que está em uma ilusão. E sua investigação jornalística nesta história mostra-se mais vital para a resolução do problema do que o trabalho de detetive do Batman. Como Clark diz a certa altura, ele não é tão bom quanto a esposa, mas ainda assim é um excelente jornalista investigativo.

 

 No geral, é isso.

 

 E vocês, quais elementos desta história acham válido de serem aproveitados?

Link to post
Share on other sites

Hum Questão... já que voce falou que podemos usar esse plot da maquina de guerra apocalíptica pra introduzir o Ajax,que tal se for uma maquina de guerra apocalíptica a responsável pela quase extinção total da vida em Marte?poderia também usar o conceito dela ir de planeta em planeta pra testar se seus habitantes merecem existir,eu acho no entanto que a maquina não devia ser interpretada como vinda de outra dimensão como nessa história, e sim como uma maquina de consciencia autonoma criada no inicio dos tempos por sabe se lá quem com esse intuito de testar os habitantes dos planetas,no filme o Lanterna Verde podia até falar aos outros membros da Liga que os Guardiões já tinham mencionado a existencia dessa maquina que nem a Tropa dos Lanternas Verdes conseguiu parar.E também podia rolar uma menção a Apokolips como um dos planetas que passaram no teste da maquina,o que acha?.

Link to post
Share on other sites

1) Quais elementos de OS NOVOS MAPAS DO INFERNO poderiam ser utilizados em um filme da Liga?

 

Um olhar mais próximo na interação entre Clark e Lois seria muito bem vinda (e com a ajuda à distância oferecida por Bárbara Gordon, as referências ficariam mais bacanas), mas com a cautela para não banalizar as habilidades de investigação. O lance dos pergaminhos achei cartunesco em excesso. Superman sendo o único apto a escapar do portal, mas escolhendo entrar para salvar os companheiros é uma cena bem aproveitável!

 

Concordo com você, Questão, sobre a proposta dos heróis enfrentando seus medos. Pode ficar algo meio fácil, que já nasce batido mesmo sem ter sido visto anteriormente pelo espectador. Talvez resolveria se o roteiro não colocasse isso como algo tão central no filme. Sobre a ameaça principal, defendo que a premissa seja guardada (devidamente adaptada) para outro personagem: Brainiac.

Link to post
Share on other sites

Hum Questão... já que voce falou que podemos usar esse plot da maquina de guerra apocalíptica pra introduzir o Ajax,que tal se for uma maquina de guerra apocalíptica a responsável pela quase extinção total da vida em Marte?poderia também usar o conceito dela ir de planeta em planeta pra testar se seus habitantes merecem existir,eu acho no entanto que a maquina não devia ser interpretada como vinda de outra dimensão como nessa história, e sim como uma maquina de consciencia autonoma criada no inicio dos tempos por sabe se lá quem com esse intuito de testar os habitantes dos planetas,no filme o Lanterna Verde podia até falar aos outros membros da Liga que os Guardiões já tinham mencionado a existencia dessa maquina que nem a Tropa dos Lanternas Verdes conseguiu parar.E também podia rolar uma menção a Apokolips como um dos planetas que passaram no teste da maquina,o que acha?

 

  Boa ESPECTRO. Concordo em gênero, numero e grau com as suas considerações.

 

  mas com a cautela para não banalizar as habilidades de investigação

 

   Como assim, PRIMO. Você se refere ao trabalho de jornalismo investigativo feito por Lois e Clark, e o de detetive feito pelo Bruce?

 

  Pode ficar algo meio fácil, que já nasce batido mesmo sem ter sido visto anteriormente pelo espectador.

 

  Eu acho que nessa historia o Ellis não se valeu muito bem do recurso, mas acho ele válido. Como você disse, uma solução seria não colocar isso como algo TÃO central na trama, embora o conceito já aponta para um momento de pico na narrativa.

 

  Sobre a ameaça principal, defendo que a premissa seja guardada (devidamente adaptada) para outro personagem: Brainiac.

 

  Boa! Os Coluanos podem muito bem ser a raça sugerida pelo nosso colega ESPECTRO, e o objetivo de Brainiac é testar a capacidade de sobrevivência dessas raças. O próprio planeta Colu pode ter sido destruído por Brainiac não julga-lo apto de sobreviver. 

Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

Announcements


×
×
  • Create New...