Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 09/19/2017 in all areas

  1. 5 points
    Gust84

    Liga da Justiça (2017) #2

    Assistido em IMAX. Eu geralmente quando tento "analisar" um filme, tento tirar da conta minhas expectativas, e seu contexto pra formar minha opinião. Coisa que pra esse filme ficou impossível. Eu não sei exatamente como, mas essa DC films vive na berlinda, e ao meu ver sofre muito mais com fogo amigo (RICK) do que com as tais críticas da mídia, ou dos "marvetes". Eles simplesmente não conseguem trabalhar em paz! Vivem com críticas e vazamentos de notícias, sendo obrigados a soltar trailers, imagens e o que mais for de maneira antecipada, corrida só pra suprir a sede do pessoal, que geralmente esculacha, o que pressiona ainda mais o trabalho a ser realizado, virando uma bola de neve. O que me passou é que dentro dessa realidade onde, aparentemente eles não acertam em "nada" (eu sou um que não gostei de praticamente nenhum cartaz e material de divulgação, nem dos trailers), o filme se sai bem até demais. Não tem o gosto amargo dos outros filmes da DC (com exceção da Mulher Maravilha) ao sair da sala de cinema. Tem certa coesão, tem um elenco que o que falta de habilidade compensa com carisma e alguma química. Alguns dos heróis tem um visual bacana (Batman é de uma concepção inacreditável e me impressiona com tantos filmesjá feitos, ninguém reproduzir esse visual antes). O elenco principal com certeza absoluta abraçou o projeto mesmo com todos os problemas e cada um claramente dá o melhor de si. Não senti aquela obrigação e falta de vontade de Suicide Squad, por exemplo. Bataffleck, segue sendo o melhor Bat/Bruce de todos, e digo sem medo nenhum de errar. Achou seu tom que estava sendo construído em BvS, carrega experi, lidera o pessoal, consegue vender algumas piadas, e é o cérebro da equipe, como em qualquer HQ que lemos/líamos. Gal Gadot é um mistério pra mim. Não sabe atuar direito, mas ela sorri e eu sorrio junto. Os demais personagens conseguem criar personalidades distintas e com um certo arco dramático, com exceção do Aquaman, que achei descartável sua construção, seu universo, seu visual e sua personalidade. O flash achei ele no limite do limite do aceitável para o humor, e que só funcionou muito pelo seu talento como ator. Sobre a obra em si ela tem problemas. Estruturais, pra variar. Seu ritmo é um pouco confuso e a montagem tem uns cortes meio bruscos entregando a dupla direção e que tem mais coisa por trás do mostrado. Tem algumas cenas com tons mais estranhos. A primeira cena em que a Mulher Maravilha salva o pessoal do ataque terrorista começa com uma música, quando os bandidos tomam o banco/museu, que soa quase pastelão, pra, no momento que ela entra em cena voltar os acordes mais grandiosos, numa quebra de ritmo que pra mim, apareceu. O filme tem uma sede de mostrar imagens, e momentos, mas esquece de fazer cinema. Tenta montar quadros "inesquecíveis" o tempo inteiro e não monta uma cena inesquecível. Não tem um plano marcante, uma batalha mais criativa, uma união de poderes. E isso num universo pouco povoado e nessa meia luz fica mais pobre ainda. Não obstante a aspectos técnicos existe uma reviravolta roteirística, que muda o tom do Universo inteiro da qual todos sentem a falta e precisam do Superman, e não vimos em nenhum momento isso, fora com as pessoas dizendo neste filme. Passamos 2 filmes vendo ele, na realidade com relutância do planeta terra em aceitá-lo, com problemas no Congresso, e essa era a novidade desse Superman dos cinemas, a tal "nolanização" dele. Como seria a Terra com um alienígena por aí? Não sei até onde foi a pressão externa ou dos criadores, mas essa mudança de tom achei desnecessária, ou deveria ter sido melhor construída pelo menos no BvS, que mal nos importamos (audiência) com a sua morte, e nem o pessoal da terra daquele universo se importou direito, na realidade. Batman falando que eles precisam do "Clark", por exemplo, que ele mal conheceu no último filme é forçado pra mim. Precisa como, cara pálida? viraram amigos aos 40 do segundo tempo do último filme! E digo isso porque seu renascimento, ainda que feito de maneira "pobre" foi muito bem realizado, no seu segundo momento, no Kansas e tem uma carga emocional boa que , se fosse melhor trabalhada antes, seria ainda muito mais legal. E aí que está a curiosidade: Com todos esses problemas que eu vi, eu achei o filme divertido de verdade, achei que de alguma maneira acertaram o rumo das coisas e pra onde podem ir. Só acho que falta cinema nesses filmes. Eles tem que parar de ler os haters e trabalhar tranquilo pra realizar algo original, ainda que adaptado das HQS. Hoje o MCU tem cara própria, além das HQS, e isso por que os caras apostaram contra muita coisa até terem essa carta branca do público. E outra deram sorte, tiveram a liberdade criativa por que não tinham personagens icônicos pra o pessoal meter bala. Quando foram lançar um homem de ferro, quem fucking ligaria para o que ia sair na tela? Herói Série B da Marvel. E daí o MCU virou esse monstro. Teve essa liberdade criativa. Infelizmente a DC não tem isso, na realidade tentou fazer isso com o lanterna e deu ruim. Mas, não tem como a DC achar sua essência no cinema no meio dessa bagunça. Falta pensar mais em filme como filme, com começo meio e fim. Filmes de ação, com roteiros de filmes de ação. Os personagens icônicos são o algo mais, não a BASE. Não dá pra pensar que por que eles tem o Superman e o Batman isso é o suficiente pra entregar "qualquer" coisa. Uma cena de ação, não fica melhor por que é o Superman socando alguém e não um qualquer. Fica melhor quando melhor escrita e dirigida. E os fãs tem que tentar dar a chance deles tentarem algo novo, não algo que alguém está esperando. Tenho certeza que se dessem o tempo certo e eles esquecerem essa tal corrida com o MCU, fariam algo muito melhor e com menos problemas aparentes. Com o rumo das coisas melhorando como agora, é só esperar ele. Matt Reeves. Confio de olhos fechados. Esse cara vai surpreender a todos, podem printar aqui que esse filme do Batman vai dar boa. O melhor Batman na mão de um cara como ele, é muito difícil dar errado. E daí, Junto com a Mulher Maravlha, vai despressurizar esse DCU de vez pro pessoal trabalhar em paz. Me perdoem o textão, mas não consigo ser muito prolixo, haha. Desculpem a bíblia, mas tentei falar do filme e entrar no debate que rolou por aqui.
  2. 4 points
    SergioBenatti

    Blade Runner 2049

    Primeiras impressões dos jornalistas: Blade Runner 2049 First Reactions Erik Davis: BLADE RUNNER 2049 is sci-fi masterpiece; the kind of deep-cut genre film we don’t see anymore. Visually mind blowing, absolutely fantastic. The story is great, the score is great, the Gosling is great & the real star, imo, is Ana de Armas, who steals the film. Floored by this one. Jenna Busch: Blade Runner 2049 was one of the most mind-blowing films I’ve seen. It’s breathtaking and transportive. Denis Villeneuve has a masterpiece. Eric Eisenberg: Denis Villeneuve is unquestionably one of the elite working directors & there’s no excuse if Deakins doesn’t win the Oscar Jordan Hoffman: Good news! BLADE RUNNER 2049 is a terrific continuation and expansion of the orig. Wasn’t hoping for much, ended up LOVING it. (Even Leto!) Scott Menzel: Blade Runner 2049 is a rare sequel that actually improves on the original. Great Performances & Visually Breathtaking. Villeneuve nails it. Steven Weintraub: Everyone bow down to Denis Villeneuve. He’s done the impossible and delivered a huge home run with ‘Blade Runner 2049’. Loved it. Even if you have no interest in the film, the breathtaking Cinematography by Roger Deakins is worth the price of admission. He’s a God. Ali Plumb: It’s my pleasure to say I loved Blade Runner 2049. Long and slow – in a very good way. A lot to think about. Drew Dietsch: See Blade Runner 2049 on the biggest screen with the best sound possible. This is transportive filmmaking. It completely drew me in.
  3. 3 points
    primo

    Os Vingadores 3: Guerra Infinita

    palavra linda essa "planejamento" Veja como é até bom de falar: pla-ne-ja-men-to. Lindo.
  4. 3 points
    SergioBenatti

    Liga da Justiça (2017) #2

    Não sou especialista nesse tipo de produção, mas eu adorei o filme. Não entendo essa nota baixa, parece má vontade. Gostei da rapidez, de como ele não perde tempo com origens, de como ele resolve rixas românticas apenas com insinuações, por exemplo; gostei da química entre os atores (alguns só têm carisma - como a Gadot - outros têm talento RealOficial como o Ezra Miller); gostei do figurino; da atmosfera mais bem humorada... Mas, gente, esse vilão é uma bosta! Um antagonista sintético, convencional, bobo, com voz gutural sem criatividade. O antagonista é o responsável para que a história de fato exista, então teria de ser melhor construído. Pra mim, é o grande senão do filme, junto com a trilha sonora do Danny Elfman - que é o mesmíssimo trabalho de sempre.
  5. 3 points
    Cir-El

    Liga da Justiça (2017) #2

    Legal GUST84. Muitos pontos que você colocou, senti também. Dois pontos que você colocou e que achei interessante: " tem uns cortes meio bruscos entregando a dupla direção e que tem mais coisa por trás do mostrado. Tem algumas cenas com tons mais estranhos." isto foi o que mais me "tirou" a imersão do filme. Foi a parte que mais me deu desconforto e por isso que sai com a sensação de que queria ver o produto de um diretor (mesmo que fosse do Snyder de forma mais pesada). Não sei se todos tiveram essa mesma impressão, mas pra mim era escancarada a hora em que a cena mudava e dava pra perceber nitidamente que eram cenas refilmadas... "deveria ter sido melhor construída pelo menos no BvS, que mal nos importamos com a sua morte, e nem o pessoal da terra se importou direito, na realidade" O Superman é um caso claro de como a Warner se viu obrigada a mudar o tom do personagem de forma brusca. Dá pra perceber que o Snyder tinha planos de fazer essa trajetória do Clark relutante, passando pelo falso-Deus controverso e ressurgindo como o Superman de fato. Mas, nos tempos atuais onde o imediatismo impera, não há chances de um arco de personagem demorar mais de um filme. Tem que ser resolvido logo. O herói tem que nascer pronto. Nesse aspecto, fica totalmente distante comprar a idéia de que o Superman é de fato o grande herói do mundo. Em BvS ele aparece em noticiários e eu acho a premissa interessante, pois mostra como a população reage ao Superman (em Homem de Aço, também mostra essa perspectiva de como o mundo é afetado pelo alienigena). Em Liga da Justiça, parece que eles esquecem e dizem (porque não mostram a população de fato - aliás, parece até que não existem civis no mundo...kkkk) que todos choram sua perda e como ele foi a inspiração da humanidade. Mas, cinema não dá pra ficar só falando...é necessário mostrar ações que fazem com que o espectador compre a idéia (e não dá pra gerar isso só mostrando o Superman salvando uma familia no meio da luta).
  6. 3 points
    Jailcante

    Liga da Justiça (2017) #2

    Revi o filme ontem, e somando umas coisa que li e reli, vou masturbando mentalmente aqui (me permitam recriar uma "tese-da-tese" hehe): Não creio que o problema entre Snyder/WarnerDC foi por causa do tom do filme. Próprio Snyder disse várias vezes que faria um filme mais ameno. Várias das piadas que estão no filme, já estavam no trailers iniciais, então já era algo Snyder tinha filmado. Flash como alívio cômico, falando várias piadinhas, era algo que ele já tinha colocado. O Batman falando "eu sou RYCA!" também, e várias outras coisas. Então, creio que o problema entre os envolvidos não foi exatamente esse. Problema deve ter sido algo que o Snyder colocou no filme, que a Warner não queria mais. Talvez nos esboços e filmagens originais, o estúdio deixou passar, mas depois de ter visto o corte inicial dele, deve ter encrencado e se negado a continuar com aquilo. Creio muito nisso, até porque sei que Snyder não consegue executar muito bem, as ideais que tem (bom planejamento, mas execução falha), aí deixou os executivos de orelha em pé. Então, vamos lá... Minha tese (Spoiler da Liga aqui): Ontem, li uma crítica (acho que no UOL, sei lá), que a mulher reclamou que não conseguia ver o filme da Liga porque o Superman tava com "botox" nas maioria das cenas e isso irritava ela. Falou que, em quase todas, se via que teve o efeito pra tirar o bigode dele e que ficou ruim esse efeito. Quando li essa crítica, achei que ela exagerou, porque eu tinha notado o "botox" em poucas cenas quando vi o filme na primeira vez. Mas nessa segunda vista, eu fui assistir já tentando prestar mais atenção nisso, e realmente vi que ela tinha razão. O Superman tá com "botox" na maioria das cenas. Algumas ficaram bem grosseiras (a cena inicial, a do final com Flash, e outras), mas outras até que ficou bom e não se nota na primeira olhada. Só que notei dessa vez, e vi que o efeito rolou na maioria, quase totalidade, das cenas dele. Aí, fica a pergunta: As cenas do bigode são, nitidamente, cenas que o Whedon filmou, então, o que o Snyder filmou do Supeman que ficou no filme? Cadê essas cenas? Foi tudo pro lixo? Pelo jeito sim (nem trailers ele aparece, então não dá pra saber mesmo o que rolou). Assim, acabei pensando que o que deve ter causado o descontentamento do estúdio deve ter sido como o Snyder lidou com o Superman no filme. Não devem ter aprovado o jeito que ficou e resolveram levar pra outro rumo. Então, conhecendo bem o Sr. Snyder, e somando com aquela cena do BvS (o tal o "sonho" do Batman, lembram?), acho que ele teria esticado bem a parte do "Superman do mal" nesse filme. É a conclusão que cheguei. No filme da Liga atual, o Batman leva logo a Lois pra ver o Superman, e ele logo se recupera depois de ressuscitar. A cena dele sendo mal/descontrolado, acabou sendo breve e até leve, quase cômica. A versão Snyder creio que essa parte seria mais longa. Superman ficaria descontrolado por mais tempo bagunçando tudo (destruindo lugares mil, mas não sei se ele chegaria a matar alguém. Será Snyder?), e a Liga tendo que lidar com isso. Pelo "Snyder time" seria, no mínimo, uns 45-50 de filme, creio, de Superman mal/descontrolado. Só nos 15 min. finais é que Batman lembra do que o Barry falou pra ele no filme anterior (na cena de sonho) e aí leva a Lois pra reencontrar o Superman, e aí ele se regenera. Com certeza, essa regeneração (conhecendo Snyder, como conheço) não iria funcionar muito bem. Acho que ficaria forçado dependendo do tipo de coisa que o Superman apronta enquanto vilão do filme (analisando a cena do BvS, com certeza, não seria pouca coisa). Vale dizer que no filme atual, o Batman credita a uma fala da Mulher-Maravilha, o fato dele resolver usar a Lois Lane pra curar o Superman. Ou seja, a cena do filme anterior (com o Barry falando que a "Lois era a chave"), foi totalmente ignorada. Estúdio realmente não tava nem querendo passar perto de um Superman do mal... Acho que filme do Snyder seria: 50-45 min de introdução de personagens, uns 30 min até resolverem ressuscitar o Superman (claro que teria todo aquele debate moral, que Snyder iria esticar até o talo), uns 45-50 min de Superman do mal aprontando, e 15 min dele recuperado depois de rever a Lois (acho que a cena de recuperação seria longa, uns 10 min. no minimo, então "Superman do bem" só teria em uns 5 min. de filme, com ele fazendo algo heroico ali no fim pra destruir o Lobo). Até o fato de Snyder ter escolhido o Lobo do Esterpe como vilão, e não o Darkseid, já mostra que o filme teria "outro vilão" mais forte e notável, assim o Lobo da Esterpe seria uma "sub-ameça" que funcionaria com outro personagem do lado, mas estúdio tirou esse outro "vilão", e aí o Lobo sozinho não funciona mesmo (e isso foi uma das coisas que todo mundo mais reclamou). Bem, minha tese-da-tese é essa. Eu, realmente, acho que o que rolou foi que o estúdio não curtiu o que o Snyder fez com o Superman aí teve que refazer toda parte da história envolvendo ele. Chamou o Whedon pra consertar a coisa e colocar o cara como ele é (outro Superman vilão que nem o Injustice, por favor não. Se foi isso que rolou, então aprovo o que o estúdio fez, e não quero nem passar perto de uma "versão Snyder" desse filme).
  7. 3 points
    Mozts

    Mulher Maravilha 1984

    Pois é, me dá até um senso de orgulho que essa é a nossa Diana. Ainda sim a WB, que já renegou a empresa do Brat Ratner, deveria entrar de vez com a filosofia da Gadot. Chama a Jenkins e Gadot e faz uma declaração na linha "Nossa WONDER WOMAN lidera a batalha contra o abuso e nós, Warner Bros., seguiremos seu exemplo moral com esperança que toda Hollywood faça o mesmo." Talvez percam dinheiro no curto prazo, pois terão que quebrar contratos com a Rat-Pac Dune, mas antes isso que falhar na sequencia do Wonder Woman, filme de maior sucesso do DCEU. Além disso, estariam dando um gás para mudança positiva em Hollywood. Um exemplo para outras empresas ligadas à Rat-Pac Dune e etc. Em termos de marketings, pago para ver um comentador falando mal de um movimento desse.
  8. 3 points
    Big One

    Mulher Maravilha 1984

    Faz todo o sentido do mundo. Um filme com empoderandbro feminino e um assediador bebendo champagne e lucrando rios de dinheiro. Palmas pra Gado!!!!
  9. 3 points
    "Baby Driver" é uma divertida matinê onde o roteiro batido não é o que interessa, mas sim o som e música, que são é mais um personagem ativo da estrutura do longa. Divertido,é mais um musical travestido de filme de aventura com personagens bem carismáticos. 9-10 "Dave Made a Maze" é um primor de originalidade e absurdo tremendamente divertido. Absurdo do naipe de "Quero ser John Malkovitch" e tão divertido quanto o oitentista "Labirinto" ou "Maze Runner", versão Hermes e Renato, claro. O filme tem muitas leituras, o que o faz a grata surpresa da semana. 9-10 "Guardians of Night" é um divertido pipoca russo que entorna "Kingsman" com as franquias "Underworld" ou até "MIB". Bem feito que parece até ser dirigido por qualquer diretor ianque genérico do gênero. 8-10 "El Guardian Invisible" é um bom e eficiente thriller de serial-killer que, muito bem feito, poderia ser muito melhor se não se rendesse aos cacoetes ianques do gênero. Espécie de "Silencio dos Inocentes" espanhol, deixa-se ver de boa a despeito de seus poucos defeitos. 8,5-10 "Starred Up" é um bom thriller prisional que se sustenta no seu grande (e desconhecido) protagonista principal, que parece ser uma força da natureza. "Prison Break" britânico que te prende até o final, os coadjuvantes tentam segurar bem a peteca, mas são facilmente ofuscados pelo primeiro. 8,5-10 "La Distancia Más larga" é um bonito road movie venezoelano que flerta muito com "Central do Brasil". O diferencial é a foderosa ambientação com paisagens lindas da Gran Sabana e dos Tepuy Roraima, na fronteira BR/VE. Pra quem ja conhece a região (eu!) vai ter gostinho a mais. E pra quem não, fica a vontade de conhecer a região. 8,5-10 "O Efeito Aquático" é uma deliciosa comédia francesa que parece ter sido feita nos USA pelo enredo redondinho e alto astral. Mas é o tom europeu que dá a liga e faz engrenar além da conta e o torna superior aos genericos ianques 8-10 "Los Insólitos Peces Gato" é uma fofuchis dramédia que parece ser "Pequena Miss Sunchine" mexicana, porém com maior carga dramática. Dificil destacar alguém superior em todo aquele maravilhoso elenco. 8,5-10 "The Limehouse Golem" é um bacana thriller de época que é muito bem feito e ambientado, tipo "Mulher dePreto". Ele é bem bom, pecando apenas quando se afasta da trama policial que conta...e isso ocorre várias vezes. 8-10
  10. 3 points
    Cir-El

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Bom..depois de X2, o que eu mais gostei dos mutantes foi Primeira Classe. Quando ele fala de cores, eu interpreto e faço um paralelo com os filmes dos XMen. Depois de um XMen 3 sombrio, ele trouxe uma clima mais leve pra XMen: Primeira Classe (inclusive em abandonar os trajes de couro preto pra colocar cores nos uniformes). Se for por esse caminho com o Superman, eu topo (sem contar que, diferente do Snyder onde todos os filmes dele tem raio azul, céu alaranjado em chamas, e seres de 2 metros de altura...acho que veremos cenas de ação com um visual mais bonito) E não acho problema em beber da fonte-Donner. Homem Aranha, do Raimi, fez isso... Mulher Maravilha fez isso....entre outros e isso não trouxe problema algum para esses filmes. O problema de Superman: O Retorno foi o Singer não ter se decidido entre uma continuação, um remake, uma homenagem...é tudo isso e nada disso...não tem identidade (além da falta de ação, má escolha de atores, quimica zero entre os atores, roteiro fraco..etc). Resumindo: o filme não é ruim porque bebe de Donner. É ruim porque estragou a água que pegou.
  11. 2 points
    The Post | Revelada primeira imagem do filme de Steven Spielberg sobre os Pentagon Papers Produção trata do documento histórico que expôs envolvimento militar americano no Vietnã 31/10/2017 - 13:58 - MARIANA CANHISARES Publicado em 1971 pelo The Washington Post, o documento tinha várias informações militares sigilosas sobre as ações dos EUA no Vietnã. O material foi vazado ao jornal pelo funcionário do Pentágono Daniel Ellsberg. Hanks deve fazer o papel de Ben Bradlee, enquanto Streep será Key Graham. Ambos eram editores do jornal e desafiaram o governo americano publicando as informações. Produção é estrelada por Tom Hanks e Meryl Streep e inclui Carrie Coon, Sarah Paulson, Jesse Plemons, Alison Brie, Bradley Whitford e Bob Odenkirk no elenco. Liz Hannah e o vencedor do Oscar por Spotlight: Segredos Revelados Josh Singer assinam o roteiro. Longa chega aos cinemas, nos Estados Unidos, no dia 22 de dezembro. Nunca imaginei ver Meryl Streep em algum filme do Spilberg, mas o diretor já amadureceu muito tempo, assim com parte de sua filmografia, apesar do tema muito norte americano, e um oposição direta a governo Trump, acredito sim no poder e na verdade da imprensa,
  12. 2 points
    SergioBenatti

    Duna (Denis Villeneuve) reboot

    Não. Quero muito ver. Lendo o livro, o que mais me chamou a atenção, no que tange ao transporte para as telas, não é a dificuldade de criar um verme de areia gigante, mas sim a dificuldade (do cinema em geral) de "filmar o pensamento" dos personagens, pois, como todo mundo que leu pôde perceber, grande parte da comunicação, da antecipação do futuro, os ensinamentos da doutrina Bene Gesserit, são internos, não ditos.
  13. 2 points
    Jorge Soto

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    "Geostorm" é uma bobagem que destroi o mundo pela enésima vez, tipo "Dia depois Amanha" ou "San Andreas", com finalzinho "Armageddon". Mas como estas producões tem um grave problema.. pois tirando os efeitos especiais e um tiquim de policial, não sobra nada que preste. Atente pro risível Rio de Janeiro porto-riquenho que eles detonam.. 7-10 "Soul on a String" é uma curiosa e interessante producão chinesa que bebe fonte dos faroestes e coloca um elemento filosófico no meio. Fora a temática de vinganca e as belas paisagens que te prendem, o que depõe contra é a excessiva duracão...meia hora menos cairia bem. 8-10 "Singularity" é uma sofrível e injustificável incursão do John Cusack numa scy-fy teen meia boca. Imagina um "Battlefield Earth" dos pobres.. Recomendável unicamente pra pessoas com grande necessidade e desejo de perda de tempo. 5-10
  14. 2 points
    O O carro do forasteiro misterioso chamado Bobby (Sean Penn) quebra em pequena cidade no meio do deserto, ao deixar o carro para consertar com um mecânico local ele acaba se envolvendo com estranhos habitantes da cidade, especialmente com a sensual e vultuosa Grace(Jennifer Lopez) e seu marido ciumento e paranoico Jake(Nick Nolte) onde em uma mare de azar, parece trilhar o seu caminho, fazendo Bobby permanecer mais tempo na cidade do que deveria, lhe causando uma serie de problemas e confusões, onde nada e oque realmente parece, tipico filme noir moderno e rebuscado, onde todos são bem estranhos e guardam segredos e reviravolta tal como titulo do filme, com bom elenco cadjuvante Jaoquin Phoenix,Claire Daines, Billy Bob Thornton etç, um dos filmes menores e esquecido do Oliver Stone, vale a conferida. Florence Foster Jenkis (Meryl Streep) e herdeira de uma grande fortuna, e apreciadora de musica clássica a qual contribuem com grandes quantias de forma quase religiosa, Florence acredita que tem o dom e nasceu para cantar, apoiada exclusivamente pelo seu segundo marido St Clair (Hugh Grant) um ex ator de cinema, que a ajuda a realizar os seus shows. Mas falta de talento e articulação,acaba tonando Florence a sensação para toda a sociedade, Cabe ao seu dedicado marido então a tarefa de proteger a e ajuda-la da melhor maneira possível, junto com novo e dedicado pianista Cosme McMoon(Simon Helberg) eles prepararam uma grande e esperada apresentação no Carnegie Hall, baseado em fatos reais já virou clichê dizer que Streep arrasou e merece um oscar, mas ela e ótima e faz a gente torcer pela personagem mesmo não tendo talento algum para musica e Grant surpreende positivamente com o seu fiel companheiro, acho que desde de a Rainha o diretor Stephen Frears não acertou tão bem na direção com nesta comedia dramática, gostei demais
  15. 2 points
    "The Villainess" é um bom exemplar de cinema de ação oriental, quasa e pau a pau com o "Atomic Blonde" no quesito pancadaria. Espécie de "Nikita" coreano, o único ruim são os trocentos flashbacks que mais confundem que elucidam a bagaça. 8-10 "Smiley Face" é uma comédia indie de orçamento merreca que é a versão piscotrópica de "Cara, cadê meu carro". É divertidinho sim, mas a precariedade técnica depõe contra este filme,onde quem destoa de longe é uma hilára Anna Faris e ex do Chris Pratt, chapadona. 8-10 "Maudie" é um delicioso drama onde a Sally Hawkins carrega o filme nas costas. Com ecos de "Meu Pé Esquerdo" e "Benny e Joon", o longa é daqueles dramas românticos á antiga embora tenha um desfecho precipitado. 9-10
  16. 2 points
    Jorge Soto

    19 Dias de Horror

    "Jigsaw" ta apenas OK. É mais do mesmo que não quer inventar nem sair demasiado de sua zona de conforto. Com gore, bem feitinho tecnicamente, só achei as atuações bem fraquinhas. Pra mim foi mesmo só razoável mas creio que este filme deva agradar mais os fãs incondicionais da franquia, que acho já deu o que tinha de dar. 7,5-10
  17. 2 points
    Um roteirista prestigiado de cinema (Hugh Grant), autor de um grande sucesso que influencia inúmeras pessoas, vive uma grande crise criativa, sem dinheiro e emprego e tecnicamente obrigado a se mudar para E.U.A para dar aula em uma universidade de jovens aspirantes. Pretensioso, arrogante e machista ele de cara arruma intriga com a diretora(Allison Janney)do local. Entretanto a incursão de uma aluna mais velha mãe solteira(Marisa Tomei) a contra gosto o faz questionar a si próprio e sua relação com os alunos. O eterno grande garoto Hugh Grant continua mantendo o seu velho charme e humor na medida certa, Para mim e disparado sua melhor colaboração com o diretor Marc Lawrence que foram 4, uma comedia leve na medida e com elenco codjuvante (J.K Simmos, Bella Heathcote, Chris Elliott historia) que dão o ritmo a historia e claro Marisa Tomei sempre arrasando como sempre recomendo
  18. 2 points
    Big One

    Liga da Justiça (2017) #2

    Momento eita porra um wtf? Danny Elfman Confirms His ‘Batman’ Theme Will Return In ‘Justice League’ https://heroichollywood.com/danny-elfman-batman-theme-justice-league/#.WfmcRnsdMy5.whatsapp
  19. 2 points
    Jailcante

    Deathstroke (Gareth Evans)

    Plot Twist: Todo mundo achando que o cara ia ser demitido, ele foi é promovido. heheh
  20. 2 points
    Jorge Soto

    19 Dias de Horror

    "The Babysitter" é uma espécie de home invasion diferente, quiném o muito mais divertido "Better Watch Out". Sim, diverte tb pelo humor negro e ágil edicão MTV, mas falta alguma coisa pra dar liga no inicio e no desfecho borocoxô. 8,5-10 "Anabelle 2" é um terror genérico apenas divertido, onde boa parte dos sustinhos funciona a contento. E se a boneca sinistra não aparecesse não faria falta alguma. Um tiquim mió que o primeiro e olhe lá. 7,5-10 "Amittville Awakening" é enjoativa e ruim, confirmando que esta franquia deveria ter sido deixada de lado faz tempo. 4-10 "Verónica" é um terrorzão espanhol bão que pode não ser original no quesito de filmes sobre possessão demoniaca, mas em linhas gerais é bastante sólida e eficiente (mais que as ianques, com certeza) dentro deste subgênero. 8,5-10 "Geralds Game" é uma divertida adaptacão do King que além de survival urbano presta como bom thriller psicológico. Com boas atuacões da dupla principal e fazendo mencão a outros 3 trampos do escritor, o ruim é o desfecho, que não faz jus ao resto do longa. 8-10
  21. 2 points
    J. de Silentio

    Blade Runner 2049

    No Rotten, por enquanto, há 37 críticas: 36 positivas e 1 negativa. E mesmo essa negativa não é tão preocupante para os fãs, pois seu autor tampouco gosta do Blade Runner de 82. Vejam: "It looks great and boasts solid performances from an underused cast, but (like the original) it's a triumph of style over substance". Com o Big disse, difícil segurar o hype.
  22. 2 points
    Jorge Soto

    19 Dias de Horror

    Jail, ja tem os dois filmes pra baixar facim na internet...so não tem uma legenda decente (ainda), uma vez que eu assisti ambos em espanhol, lingua q felizmente sou fluente. Se quiser te mando os links dos torrents por mp.
  23. 2 points
    Big One

    Blade Runner 2049

  24. 2 points
    Administrator

    A_ética

    Eu ainda não assisti.
  25. 2 points
    jujuba

    A_ética

×