Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard


Popular Content

Showing most liked content since 07/12/2012 in all areas

  1. 5 points
    Gust84

    Liga da Justiça (2017) #2

    Assistido em IMAX. Eu geralmente quando tento "analisar" um filme, tento tirar da conta minhas expectativas, e seu contexto pra formar minha opinião. Coisa que pra esse filme ficou impossível. Eu não sei exatamente como, mas essa DC films vive na berlinda, e ao meu ver sofre muito mais com fogo amigo (RICK) do que com as tais críticas da mídia, ou dos "marvetes". Eles simplesmente não conseguem trabalhar em paz! Vivem com críticas e vazamentos de notícias, sendo obrigados a soltar trailers, imagens e o que mais for de maneira antecipada, corrida só pra suprir a sede do pessoal, que geralmente esculacha, o que pressiona ainda mais o trabalho a ser realizado, virando uma bola de neve. O que me passou é que dentro dessa realidade onde, aparentemente eles não acertam em "nada" (eu sou um que não gostei de praticamente nenhum cartaz e material de divulgação, nem dos trailers), o filme se sai bem até demais. Não tem o gosto amargo dos outros filmes da DC (com exceção da Mulher Maravilha) ao sair da sala de cinema. Tem certa coesão, tem um elenco que o que falta de habilidade compensa com carisma e alguma química. Alguns dos heróis tem um visual bacana (Batman é de uma concepção inacreditável e me impressiona com tantos filmesjá feitos, ninguém reproduzir esse visual antes). O elenco principal com certeza absoluta abraçou o projeto mesmo com todos os problemas e cada um claramente dá o melhor de si. Não senti aquela obrigação e falta de vontade de Suicide Squad, por exemplo. Bataffleck, segue sendo o melhor Bat/Bruce de todos, e digo sem medo nenhum de errar. Achou seu tom que estava sendo construído em BvS, carrega experi, lidera o pessoal, consegue vender algumas piadas, e é o cérebro da equipe, como em qualquer HQ que lemos/líamos. Gal Gadot é um mistério pra mim. Não sabe atuar direito, mas ela sorri e eu sorrio junto. Os demais personagens conseguem criar personalidades distintas e com um certo arco dramático, com exceção do Aquaman, que achei descartável sua construção, seu universo, seu visual e sua personalidade. O flash achei ele no limite do limite do aceitável para o humor, e que só funcionou muito pelo seu talento como ator. Sobre a obra em si ela tem problemas. Estruturais, pra variar. Seu ritmo é um pouco confuso e a montagem tem uns cortes meio bruscos entregando a dupla direção e que tem mais coisa por trás do mostrado. Tem algumas cenas com tons mais estranhos. A primeira cena em que a Mulher Maravilha salva o pessoal do ataque terrorista começa com uma música, quando os bandidos tomam o banco/museu, que soa quase pastelão, pra, no momento que ela entra em cena voltar os acordes mais grandiosos, numa quebra de ritmo que pra mim, apareceu. O filme tem uma sede de mostrar imagens, e momentos, mas esquece de fazer cinema. Tenta montar quadros "inesquecíveis" o tempo inteiro e não monta uma cena inesquecível. Não tem um plano marcante, uma batalha mais criativa, uma união de poderes. E isso num universo pouco povoado e nessa meia luz fica mais pobre ainda. Não obstante a aspectos técnicos existe uma reviravolta roteirística, que muda o tom do Universo inteiro da qual todos sentem a falta e precisam do Superman, e não vimos em nenhum momento isso, fora com as pessoas dizendo neste filme. Passamos 2 filmes vendo ele, na realidade com relutância do planeta terra em aceitá-lo, com problemas no Congresso, e essa era a novidade desse Superman dos cinemas, a tal "nolanização" dele. Como seria a Terra com um alienígena por aí? Não sei até onde foi a pressão externa ou dos criadores, mas essa mudança de tom achei desnecessária, ou deveria ter sido melhor construída pelo menos no BvS, que mal nos importamos (audiência) com a sua morte, e nem o pessoal da terra daquele universo se importou direito, na realidade. Batman falando que eles precisam do "Clark", por exemplo, que ele mal conheceu no último filme é forçado pra mim. Precisa como, cara pálida? viraram amigos aos 40 do segundo tempo do último filme! E digo isso porque seu renascimento, ainda que feito de maneira "pobre" foi muito bem realizado, no seu segundo momento, no Kansas e tem uma carga emocional boa que , se fosse melhor trabalhada antes, seria ainda muito mais legal. E aí que está a curiosidade: Com todos esses problemas que eu vi, eu achei o filme divertido de verdade, achei que de alguma maneira acertaram o rumo das coisas e pra onde podem ir. Só acho que falta cinema nesses filmes. Eles tem que parar de ler os haters e trabalhar tranquilo pra realizar algo original, ainda que adaptado das HQS. Hoje o MCU tem cara própria, além das HQS, e isso por que os caras apostaram contra muita coisa até terem essa carta branca do público. E outra deram sorte, tiveram a liberdade criativa por que não tinham personagens icônicos pra o pessoal meter bala. Quando foram lançar um homem de ferro, quem fucking ligaria para o que ia sair na tela? Herói Série B da Marvel. E daí o MCU virou esse monstro. Teve essa liberdade criativa. Infelizmente a DC não tem isso, na realidade tentou fazer isso com o lanterna e deu ruim. Mas, não tem como a DC achar sua essência no cinema no meio dessa bagunça. Falta pensar mais em filme como filme, com começo meio e fim. Filmes de ação, com roteiros de filmes de ação. Os personagens icônicos são o algo mais, não a BASE. Não dá pra pensar que por que eles tem o Superman e o Batman isso é o suficiente pra entregar "qualquer" coisa. Uma cena de ação, não fica melhor por que é o Superman socando alguém e não um qualquer. Fica melhor quando melhor escrita e dirigida. E os fãs tem que tentar dar a chance deles tentarem algo novo, não algo que alguém está esperando. Tenho certeza que se dessem o tempo certo e eles esquecerem essa tal corrida com o MCU, fariam algo muito melhor e com menos problemas aparentes. Com o rumo das coisas melhorando como agora, é só esperar ele. Matt Reeves. Confio de olhos fechados. Esse cara vai surpreender a todos, podem printar aqui que esse filme do Batman vai dar boa. O melhor Batman na mão de um cara como ele, é muito difícil dar errado. E daí, Junto com a Mulher Maravlha, vai despressurizar esse DCU de vez pro pessoal trabalhar em paz. Me perdoem o textão, mas não consigo ser muito prolixo, haha. Desculpem a bíblia, mas tentei falar do filme e entrar no debate que rolou por aqui.
  2. 4 points
    SergioBenatti

    Blade Runner 2049

    Primeiras impressões dos jornalistas: Blade Runner 2049 First Reactions Erik Davis: BLADE RUNNER 2049 is sci-fi masterpiece; the kind of deep-cut genre film we don’t see anymore. Visually mind blowing, absolutely fantastic. The story is great, the score is great, the Gosling is great & the real star, imo, is Ana de Armas, who steals the film. Floored by this one. Jenna Busch: Blade Runner 2049 was one of the most mind-blowing films I’ve seen. It’s breathtaking and transportive. Denis Villeneuve has a masterpiece. Eric Eisenberg: Denis Villeneuve is unquestionably one of the elite working directors & there’s no excuse if Deakins doesn’t win the Oscar Jordan Hoffman: Good news! BLADE RUNNER 2049 is a terrific continuation and expansion of the orig. Wasn’t hoping for much, ended up LOVING it. (Even Leto!) Scott Menzel: Blade Runner 2049 is a rare sequel that actually improves on the original. Great Performances & Visually Breathtaking. Villeneuve nails it. Steven Weintraub: Everyone bow down to Denis Villeneuve. He’s done the impossible and delivered a huge home run with ‘Blade Runner 2049’. Loved it. Even if you have no interest in the film, the breathtaking Cinematography by Roger Deakins is worth the price of admission. He’s a God. Ali Plumb: It’s my pleasure to say I loved Blade Runner 2049. Long and slow – in a very good way. A lot to think about. Drew Dietsch: See Blade Runner 2049 on the biggest screen with the best sound possible. This is transportive filmmaking. It completely drew me in.
  3. 4 points
    Gust84

    Dunkirk (Christopher Nolan)

    Gostei sim. Principalmente em se tratando de Nolan. Todos sabem que não gosto muito dele. Na realidade Eu acho que ele é um Diretor muito bom, mas a hype em cima dele essa legião de seguidores me incomodam muito. O colocam num patamar que, ao meu ver ele ainda não chegou e nem sei se chegará. O Nolan parece ter ouvido as críticas, principalmente, de sua última obra e nos libera de ouvir incontáveis horas de diálogos expositivos, se preocupando simplesmente em nos mostrar a história, ainda que em ato "único", através de 3 perspectivas diferentes, não só de ambiente, mas de tempo. Mesmo que demoremos um pouco pra nos habituar e nos situar nas 3 frentes da história, após pegarmos no tranco, as mudanças são fluidas e orgânicas na maioria das vezes. A ausência de diálogos, muito bem vinda por sinal, ainda não tira as características principais do diretor, tendo ainda aquele controle absoluto da obra, deixando claro para nós expectadores que absolutamente cada frame do filme fora pensado e não colocado ali por acaso. Outra caraterística de seu trabalho que são as montagens paralelas, geralmente no climax dos filmes, aqui tomam conta de toda a projeção quase soando pretensioso. E essa frieza e controle do diretor, junto com o pouco desenvolvimento de personagens me trouxeram a impressão do filme ser um pouco "oco". Acredito que a escolha de não desenvolver tanto os personagens foram intencionais por alguns motivos sendo os principais: Primeiro, ele decide aqui (acertadamente) em não dar cara aos vilões, não existe um antagonista, uma figura pra odiar, alguém pra apontar o dedo tornando a ameaça quase que sobrenatural. E segundo, por não criar este antagonista não precisar ter uma figura de "heroi", mas sim apenas de inúmeras facetas diferentes de encarar este perigo iminente. Isso funciona, mas tem seu preço. De alguma maneira, isso nos distancia um pouco do filme e da imersão nos tornando expectadores de certa distância, a ponto de não nos envolvermos o suficiente emocionalmente com a trama. Tecnicamente o filme é embasbacante, vi em IMAX e tanto sua trilha sonora, como sua mixagem de som é absurda, esta, muito eficaz e tem aquele ruído crescente de seus filmes quase que por todo o tempo para criar o clima do que está acontecendo, bem como do que os personagens estão passando. Tiros, motores, vento, ondas, etc. Não sabemos distinguir o que é mais perigoso e o que vem a seguir. As cenas de ação no céu são muito bem conduzidas. O filme é muito bonito, brilhante e achei a fotografia bem bonita também. Acho que faltou um pouco de gente/sujeira/sangue/caos pra nos colocar ainda mais dentro da pele destes soldados. 400 mil pessoas é muita gente e nos falta essa noção as vezes. Ainda que eu tenha essas ressalvas, eu achei o melhor trabalho do Nolan em anos. É um filme coeso, passa rápido, sem que a gente se adiante ou queira que acabe, com um refinamento no fechamento do filme como um produto que é redondo. Gostei bastante e acho que estamos a um passo do Nolan finalmente se "humanizar", haha.
  4. 4 points
    Jorge Soto

    Shazam (2016)

    eita, Shazam não é meu forte..manjo pouco e não tenho propriedade pra opinar sobre esse gatinho, Primão.. mas torço pra que esse Shazam não seja o dos Novos 52 PS: traduição do roteiro acima: Um borrão azul e vermelho corta o céu. BILLY BATSON Minha nossa, o que é aquilo? O borrão azul e vermelho aterrissa em um estrondo. É o Superman! BILLY BATSON Oh, é essa putinha. Segure minha cerveja Sr Malhado. SR MALHADO Miau? BILLY BATSON SHAZAM! Um raio acerta Billy e o transforma no maior mortal da Terra, o Capit... err, Shazam! SHAZAM Tá de volta pra levar mais um coça não é? SUPERMAN Uh oh! Superman rápidamente coloca os óculos como um covarde. SHAZAM Ei, pra onde ele foi? Com licena Sr Kent, você viu pra onde o Superman foi? SUPERMAN Desculpe, não. Espera, seu traje possui um capuz? SHAZAM Não sei, ele tem? Shazam se vira para o Superman ver melhor. Superman o chuta nas costas como um covarde. SUPERMAN (Alisando o bigode)
  5. 3 points
    primo

    Os Vingadores 3: Guerra Infinita

    palavra linda essa "planejamento" Veja como é até bom de falar: pla-ne-ja-men-to. Lindo.
  6. 3 points
    Cir-El

    Liga da Justiça (2017) #2

    Legal GUST84. Muitos pontos que você colocou, senti também. Dois pontos que você colocou e que achei interessante: " tem uns cortes meio bruscos entregando a dupla direção e que tem mais coisa por trás do mostrado. Tem algumas cenas com tons mais estranhos." isto foi o que mais me "tirou" a imersão do filme. Foi a parte que mais me deu desconforto e por isso que sai com a sensação de que queria ver o produto de um diretor (mesmo que fosse do Snyder de forma mais pesada). Não sei se todos tiveram essa mesma impressão, mas pra mim era escancarada a hora em que a cena mudava e dava pra perceber nitidamente que eram cenas refilmadas... "deveria ter sido melhor construída pelo menos no BvS, que mal nos importamos com a sua morte, e nem o pessoal da terra se importou direito, na realidade" O Superman é um caso claro de como a Warner se viu obrigada a mudar o tom do personagem de forma brusca. Dá pra perceber que o Snyder tinha planos de fazer essa trajetória do Clark relutante, passando pelo falso-Deus controverso e ressurgindo como o Superman de fato. Mas, nos tempos atuais onde o imediatismo impera, não há chances de um arco de personagem demorar mais de um filme. Tem que ser resolvido logo. O herói tem que nascer pronto. Nesse aspecto, fica totalmente distante comprar a idéia de que o Superman é de fato o grande herói do mundo. Em BvS ele aparece em noticiários e eu acho a premissa interessante, pois mostra como a população reage ao Superman (em Homem de Aço, também mostra essa perspectiva de como o mundo é afetado pelo alienigena). Em Liga da Justiça, parece que eles esquecem e dizem (porque não mostram a população de fato - aliás, parece até que não existem civis no mundo...kkkk) que todos choram sua perda e como ele foi a inspiração da humanidade. Mas, cinema não dá pra ficar só falando...é necessário mostrar ações que fazem com que o espectador compre a idéia (e não dá pra gerar isso só mostrando o Superman salvando uma familia no meio da luta).
×