Jump to content
Forum Cinema em Cena

Cineclube em Cena

Sign in to follow this  

O seu clube de cinema! Jogos, prêmiações de usuários e muito mais!

45 topics in this forum

  1. Cineclube em Cena

    • 1,875 replies
    • 139,873 views
  2. Cozinha do Inferno

    • 1,609 replies
    • 107,619 views
  3. 19 Dias de Horror

    • 2,188 replies
    • 147,601 views
    • 2 replies
    • 69 views
    • 321 replies
    • 25,974 views
    • 257 replies
    • 21,749 views
    • 219 replies
    • 21,585 views
    • 164 replies
    • 18,760 views
    • 6 replies
    • 2,757 views
  4. Perdidos no Espaço

    • 373 replies
    • 26,807 views
  5. O Cinéfilo

    • 2,986 replies
    • 57,367 views
    • 6 replies
    • 9,048 views
    • 192 replies
    • 64,870 views
    • 286 replies
    • 40,864 views
  6. Festival Hitchcock!

    • 308 replies
    • 50,008 views
    • 89 replies
    • 9,292 views
  7. Filme x Filme

    • 263 replies
    • 31,840 views
    • 59 replies
    • 7,595 views
    • 175 replies
    • 53,929 views
    • 726 replies
    • 33,680 views
    • 107 replies
    • 11,851 views
    • 93 replies
    • 9,455 views
    • 363 replies
    • 21,488 views
    • 47 replies
    • 15,746 views
    • 320 replies
    • 30,234 views
Sign in to follow this  
  • Posts

    • Além do Tesseract, os heróis iriam pra lá com a joia da mente (no Visão), além da joia do tempo que estaria com o Dr. Estranho. 3 joias com a Capitã Marvel, contra 3 do Thanos pode fazer uma briga boa ali. E se o Dr. Estranho não dando a joia do tempo pro Thanos, pode ser que o Starky morra nisso (já que ele dá a joia em troca do Thanos não matar o Starsky)... Será?
    • COMO HOMEM-FORMIGA E A VESPA SE CONECTA COM VINGADORES 4!  2d -  2.6k – Será que nossa teoria está correta? ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILERS! Ministério Anti-Spoilers adverte: Se não quiser receber spoilers sobre esse assunto, não continue lendo. Vingadores: Guerra Infinita, um dos filmes de maior sucesso do ano, deixou inúmeras perguntas para o futuro do Universo Cinematográfico Marvel, ainda mais depois das muitas mortes que aconteceram no fim do longa. Com Thanos em posse das Joias do Infinito, fica difícil imaginarmos como os heróis conseguirão derrotar o Titã Louco, ainda mais agora que eles estão em uma extrema desvantagem numérica. A resposta mais óbvia seria a chegada da Capitã Marvel, afinal, já sabemos que a heroína será extremamente poderosa, mas essa equação pode ser mais complexa do que pensamos e parte da resposta pode estar em Homem-Formiga e a Vespa. Agora que o filme dos heróis inseto já estreou, podemos criar algumas suposições com base no que vimos no longa. Por mais que a película seja focada em uma história que antecede os eventos de Guerra Infinita, alguns eventos do longa dão pistas para o que veremos no futuro. Obviamente, corremos o risco de criar uma teoria completamente errada, mas parte da graça de ser fã de filmes de super-heróis, é teorizar os eventos que acontecerão no futuro. A primeira parte de nossa teoria começa com um possível salto temporal, pois ao que parece, Vingadores 4 se passará alguns anos depois dos eventos de Guerra Infinita. O primeiro indício disso é a possível escalação da atriz Emma Fuhrmann para viver uma versão mais velha de Cassie, a filha de Cassie Lang. Em Homem-Formiga e a Vespa, Cassie passa a trama inteira falando que quer ajudar seu pai e se tornar sua parceira, e isso realmente pode acontecer.   Nos quadrinhos, Cassie assume a identidade da heroína Estatura, que assim como seu pai, consegue alterar o tamanho de sua massa corporal. O fato de Scott ter ficado preso no Reino Quântico, pode servir de combustível para que Cassie comece a se tornar a Estatura no MCU, porém existe uma complicação nisso tudo. Além de Scott ter ficado no Reino Quântico, Thanos transformou Hank Pym, Janet e Hope Van Dyne em cinzas, o que significa que Cassie não terá quem lhe ensine a usar as partículas Pym, ou até mesmo que construa um traje para ela, certo? Talvez, porém estamos nos esquecendo de um personagem, o recém apresentado Bill Foster, que tem muita familiaridade com a tecnologia de Pym. A cena pós-créditos de Homem-Formiga e a Vespa não mostra Foster após o ataque de Thanos, o que pode indicar que ele será o mentor de Cassie e construirá o traje de Estatura para ela. Além disso, Foster pode ter muita importância no plano dos heróis para destruir Thanos, ajudando-os a resgatar Scott Lang de sua prisão microscópica. Quando Janet Van Dyne retornou do Reino Quântico, a Vespa original voltou modificada e com poderes concedidos pela energia do Reino Quântico, além disso, ela revelou que o lugar possui propriedades misteriosas. Scott retornou ao Reino Quântico para pegar mais energia de lá, que seria usada como uma cura para a doença da vilã Fantasma, porém a energia que o herói pegou pode ser usada para outros fins. Algumas fotos dos bastidores das gravações de Vingadores 4, mostraram Tony Stark ao lado de Scott Lang no que parece ser um retorno à batalha de Nova York, no primeiro filme dos Vingadores. As fotos indicam que os dois heróis retornarão ao passado para conversarem com o Capitão América sobre algo que ele deverá fazer forma diferente, de uma maneira que altere eventos do futuro.   Muitos fãs acreditam que Stark e Lang retornarão ao passado usando o BARF, dispositivo criado por Tony Stark para que ele possa projetar suas memórias e rever o passado, mas se Stark já tinha essa tecnologia, por quê ele levou Scott Lang junto com ele para o passado? A resposta pode ser a energia capturada por Scott no Reino Quântico, considerando que a energia possui propriedades misteriosas, ela pode ser usada como um combustível para potencializar o BARF e transformá-lo em uma máquina do tempo. Mas o que os heróis foram falar com o Capitão do passado? Minha suspeita, é que o motivo deles terem viajado ao passado, é para impedir que o Tesseract seja levado para Asgard. Os heróis podem fazer com que uma cópia falsa do artefato seja levada para o cofre de Asgard, mantendo a original aqui na Terra, assim, Thanos não colocará as mãos na Joia do Espaço quando destruir a nave dos Asgardianos futuramente.   Com isso, os heróis poderiam deixar mais uma Joia fora do alcance do Titã Louco, já que ela seria mantida um local seguro aqui na Terra, junto com o Visão, Doutor Estranho e os demais Vingadores. O fato de manterem o Tesseract na Terra e enviarem uma réplica para Asgard não alteraria os eventos dos filmes futuros, já que, Ultron e Visão poderiam continuar existindo, os Vingadores ainda entrariam em uma Guerra Civil e Thanos iniciaria seu ataque, porém com a Joia do Espaço na Terra, os heróis poderiam usá-la para se transportar para o planeta Titã no momento em que Thanos está enfrentando Stark e os Guardiões. Assim, com a ajuda da Capitã Marvel e todos os heróis reunidos, Thanos não teria chances de derrotá-los, já que também estaria com sua manopla incompleta, isso faria com que o vilão jamais tivesse a chance de estalar seus dedos, consequentemente, anulando praticamente todas as mortes de Guerra Infinita. https://legiaodosherois.uol.com.br/2018/como-homem-formiga-e-vespa-se-conecta-com-vingadores-4.html Boa teoria...
    • Na legenda, Wan escreve: "Fazendo hora extra para colocar os toques finais para a próxima semana!!"
    • Visto a 2ª temporada. Humilde resenha abaixo, sem spoilers.  Achei bem melhor e mais coesa que a primeira, que parecia ter sido dividida em duas metades. A pegada de cultura negra americana que era um dos pontos fortes da primeira temporada está ainda mais marcada, e as referências ao blackxploitation continuam, mas sem os exageros da temporada de estréia. Luke se torna um personagem bem mais interessante aqui, ganhando interessantes camadas dramáticas, embora devo reconhecer que nem sempre Mike Colter segura essas cenas mais densas. Os principais coadjuvantes tem arcos dramáticos muito bem delineados, como Misty Knight, que deve lutar não só com a inicial sensação de impotência que sente por ter perdido um braço em OS DEFENSORES, mas com as dificuldades de manter-se fiel a lei, dentro de um sistema corrompido. Shades, o braço direito/amante de Mariah Dillard também tem um arco interessante sobre os limites existentes dentro de sua "profissão" e de questões como lealdade e até quando se pode viver uma vida de crimes.    Entre os novos personagens, Tilda Johnson (nos quadrinhos, a vilã Sombra da Noite) que surge aqui como a filha de Mariah, com quem tem uma relação distante tem conflitos interessantes e é bem defendida pela atriz, mas sua personagem surge mais como uma promessa para o futuro da série. Reg. E. Cathey, mais conhecido recentemente por sua participação na série HOUSE OF CARDS, tem aqui o seu ultimo papel como o pai de Luke Cage, que tenta restabelecer alguma relação com o filho. O ator domina todas as cenas de que participa, e convence como o pastor que cometeu muitos erros no passado, mas que agora busca alguma redenção aos olhos do filho.     Mas o destaque são mesmo os vilões. Mariah Dillard (ou Stokes, como o vilão Bushmaster constantemente corrige) tem uma excelente trajetória ao longo desta segunda temporada, em uma jornada dramática muito melhor construída do que na primeira temporada. O caminho de Mariah de mafiosa que tenta legalizar os negócios da família para tentar reverter em algum bem para o Bairro do Harlem, para a mafiosa brutal e totalmente sem coração, que liga o botão foda-se dos episódios finais é incrível. Alfre Woodard tem diversas cenas incríveis ao longo dos treze episódios, e a dinâmica que desenvolve com a filha e com o próprio Luke é fenomenal, desembocando no sombrio e inesperado desfecho da temporada.  Bushmaster,  vivido pelo ator Mustafa  Shakir surge não só como a grande ameaça física ao herói, já que consegue atingir força sobre humana com a ingestão das ervas Nightshade, como também surge como um espelho sombrio do herói, a pessoa que Cage poderia se tornar se deixar-se consumir pela raiva. As motivações que guiam a vingança que Bushmaster emprega contra Mariah são muito coerentes. Como os bons vilões, nós entendemos por que o Bushmaster está fazendo o que faz, e que dentro de sua perspectiva, ele é o herói desta história, algo muito melhor do que o caricato Casvavel da temporada anterior. Ainda há um bom núcleo familiar em torno do personagem que o humaniza, mas sem tirar dele o tom de ameaça. Alguns pontos do roteiro atrapalham o vilão, como a insistência de corrigir qualquer um que diga "Mariah Dillard" para "Stokes. Mariah Stokes", mas nada que prejudique o conjunto final.  Diferente da Segunda temporada de JESSICA JONES, que optou por ignorar completamente a minissérie OS DEFENSORES, LUKE CAGE soa muito mais integrado ao universo Marvel/Netflix, com participações relativamente pequenas, mas importantes de Collen Wing e do Punho de Ferro. Alias, é importante destacar como em um único episódio, o Punho de Ferro de Finn Jones soou muito mais interessante e carismático do que em toda a primeira temporada de sua série solo, e em sua participação em OS DEFENSORES, não lembrando mais o moleque birrento que tinha que repetir a cada quinze minutos que era o Imortal Punho de Ferro (de fato, o roteiro é inteligente o suficiente para tirar sarro disso). Temos aqui um herói muito mais equilibrado e zen, e sua dinâmica com Cage está ótima, o que acabou me dando alguma esperança que a 2ª temporada do herói de Kun Lun possa ser boa.  As cenas de ação também melhoraram bastante, com os roteiros passando a utilizar os poderes de Cage de forma muito mais inventiva. Alias, no já citado episódio do Punho de Ferro, há uma combinação de poderes que se utiliza positivamente da natureza quadrinhesca desses heróis, gerando um momento que deve deixar os fãs bastante satisfeitos. A trilha sonora continua a ser um grande destaque da trama, com o uso de rap, Blues, Hip Hop e o acréscimo de Reggae, devido ao núcleo jamaicano trazido pelo Bushmaster. A fotografia continua adotando tons amarelos sempre que pode, o que tornou-se a identidade visual da série.  A série continua a brincar com o status de "Herói de Aluguel" que o herói tem nos quadrinhos de forma ainda mais acentuada que na temporada de estréia, mas realmente não faria sentido com o personagem retratado na Netflix. Alguns podem reclamar que os treze episódios soam excessivos, mas eu discordo, pois acho que a série tem o tamanho certo para desenvolver os seus personagens a contento. O sombrio fim da temporada, cheio de referências narrativas e visuais ao clássico de Francis Ford Copolla O PODEROSO CHEFAO abre interessantes possibilidades para o futuro da série, nos deixando curiosos para o que vira a seguir para Luke Cage e os personagens que o cercam. Leva a minha recomendação. Quem gostou da primeira temporada só até a morte do Cottonmouth, deve gostar desta temporada inteira.  
  • Popular Contributors

×